PplWare Mobile

Aprendendo: Sistema de ficheiros em Linux


Autor: Pedro Pinto

Destaques PPLWARE

  1. Splinter says:

    Boas,

    Mais uma vez um excelente tutorial. Aprendo sempre alguma coisa e custumo seguir todos os tutoriais.
    Gostaria de deixar uma questão, que até pode ser diretamente ao Pedro Pinto.

    No caso de ter uma unidade externa, com sistema de ficheiros NTFS, é impossível alterar os ícones de ficheiros e pastas nesta unidade?
    Tenho Mint KDE 4.9.4 com Dolphin 2.1 e sempre que tento alterar os ícones, o Dolphin não aceita. Depois de alguma pesquisa percebi que poderia ser este o problema, mas gostaria de ouvir outra opinião.

    Cumprimentos

  2. Carlos Carvalho says:

    Boa tarde ,

    Excelente post , ele ilustra de uma forma perfeita a estrutura do Kernel Linux e de uma forma implícita está totalmente justificado o porquê das diferenças no comportamento das várias distribuições de Linux , o autor não poderia ser mais claro .

    Leiam com atenção e guardem nos vossos favoritos se pensam alguma vez entrar neste Mundo fascinante que é o do Linux .

    Os meus sinceros cumprimentos a quem tem alimentado este tutoriais que a tantos tem ajudado a interagir com este Kernel .

    Aceitem os meus sinceros cumprimentos

    Carlos Carvalho

  3. Carlos Carvalho says:

    Splinter ,

    Boa tarde , explica-me lá isso um bocadinho melhor sff , para ver se te conseguimos ajudar .

    Cumprimentos

    Carlos Carvalho

  4. vvvvvv says:

    Boas, bons tutoriais, seria interessante um dia juntarem tudo num ebook

  5. Carlos Silva says:

    Só uma achega em relação à “/opt/”

    Este directoria é normalmente usada pelas distribuições, mesmo pelos pacotes das próprias, para instalar software closed source. Por isso é que no screenshot não está lá nenhuma aplicação que seja opensource e possivelmente algumas delas até teram sido instaladas para package manager da distribuição.

  6. Splinter says:

    Boas.

    Então é o seguinte:

    Tenho um disco externo, formatado em NTFS. Quando tento alterar um qualquer ícone dentro deste disco, ele não altera.

    Vi num blog, já não me recordo qual, que por estar formatado em NTFS, é impossível alterar ícones.

    Não sei se é do KDE, ou do gestor de ficheiros, no caso, Dolphin 2.1, facto é que acontece.

    Não experimentei no GNOME, nem em outro gestor de ficheiros, mas no KDE tenho sempre o mesmo resultado.
    Será que me falhou alguma coisa? Eu tenho permissão para ler, executar e escrever na unidade NTFS, portanto não será disso…

    Obrigado pela atenção

    • lmx says:

      boas…
      consegues criar ficheiros na tua partição NTFS??
      Ela pode estar a ser montada apenas como sendo de leitura e nesse caso não consegues alterar nada nem criar nada…so mesmo ler coisas…

      Usas kde…não sei que aplicativos integram melhor no kde…
      A utilização de partições ntfs é feita pelo driver ntfs-3g…este deve estar instalado…

      Para montares de forma básica discos em modo de leitura/escrita existe um frontend gráfico para o ntfs-3g…que se chama ntfs-config…

      Acredito que o driver ntfs-3g já venha instalado, mas o frontend para o mesmo pode não vir…

      Em sistemas debian based podes sempre fazer…

      sudo apt-get install ntfs-3g ntfs-config

      se o ntfs-config não correr logo…vai a seguir as abas administração na tua maquina e corre-o, ou então…no terminal : gksudo ntfs-config e faz as configurações que queres para os teus discos NTFS…

      A seguir já deves poder escrever nessas partições…

      PS:Se futuramente arrancares com uma partição windows…esses icons não te vão aparecer como é óbvio….pois eles são no fundo um link symbolico para uma localização na tua maquina linux…logo em windows aparecera apenas o icon normal do windows…

      cmps

      • Carlos Carvalho says:

        Boa noite LMX ,

        Bem explicado , mas ainda existe outro pormenor , é que um disco externo está sujeito como o LMX te disse a montagem , tens de ver em primeiro lugar se nas configurações do KDE os dispositivos externos e ou outros discos internos ou de qualquer outro tipo de armazenamento estão definidos para serem montados no arranque do sistema , para isso vais as configurações do KDE , abres a pasta que diz discos removíveis e vais ter várias opões , mas se assinalares a que diz activar automaticamente os dispositivos removíveis que é logo a primeira já deve ser suficiente .

        Outra coisa que não poderás fazer se a pasta aonde tens os icons não está no disco externo , nunca vais conseguir aplicar de uma forma definitiva , se for esse o caso aconselho a que faças uma cópia dessa pasta para o teu HDD externo .

        Esperamos ter-te ajudado , podes e deves inscrever-te na comunidade Linux do Pplware porque encontrarás sempre ajuda .

        Aceita os meus sinceros cumprimentos

        Carlos Carvalho

  7. mdias says:

    Bom artigo, mas esqueceram-se de explicar o que contem o /proc.

    E já agora uma curiosidade: podem montar o /tmp como tmpfs o que faz com que esse diretório fique armazenado na RAM (pode ser swapped para o disco em caso de RAM cheia), e pode trazer algumas melhoras a nível de performance do sistema. Também tem a vantagem de o diretório ser automaticamente limpo ao reiniciar.

  8. Splinter says:

    Na verdade não uso Dual-Boot, só Mint 14 KDE. Vou tentar estas hipóteses, pode ser que funcione.

    Mas consigo escrever no disco externo (NTFS, ligado por USB), no entanto, acredito que possa ser de estar montado como “só leitura”.

    Vou tentar perceber se essa pode ser uma solução. Na verdade nunca mexi muito com este tipo de “problema”, mas de qualquer forma, vou deixar aqui o resultado da minha tentativa.

    Obrigado pela ajuda. Bom fim-de-semana

    • Alikily says:

      Boas,

      Já tive um problema semelhante. Tenta ver quem é o owner do disco. Provavelmente é o root. Se assim for faz unmout do disco e mount novamente como sendo o teu user o owner do disco.

      A mim resolveu-me o problema.

      Mas só uma observação… Se só tens o Mint porque não formatas o disco em Ext?

      Cumps
      A

  9. Carlos says:

    Se se tivesse que escolher uma só razão para explicar porque é que o Linux não é usado por quase ninguém e ao fim de 20 anos continua só com à volta de 1% do mercado, é esta.

    Em caso de dúvida basta perguntar ao utilizador normal dum Mac. Que não faz, e nem quer fazer, a mínima ideia de nada do que está aqui escrito.

    • AiXato says:

      Claro, claro…
      É que no Windows ou outros sistemas nao existem comandos nem nada.
      No windows e noutros sistemas não existe uma estrutura de pastas pré-definidas, cada uma com a sua função.
      NO Windows e noutros sistemas não existe um sistemas de ficheiros.
      E como o utilizador Mac não quer saber como as coisas funcionam (isto para não lhes chamar nomes), os outros utilizadores que gostam de saber um pouco mais do que abrir o Facebook, são todos uns palermas porque perdem tempo com coisas destas.
      Posso tirar estas conclusões?

    • Carlos Silva says:

      Não te preocupes… Um utilizador normal de linux também não tem de se preocupar com isso.

    • Carlos Carvalho says:

      Carlos ,

      Desculpa mas o que escreves espero que não seja verdade para bem dos utilizadores de MAC , então achas que eles não têm dúvidas e não existem barreiras a ultrapassar ????? ….. até no Windows é só dúvidas e mais bugs para aqui e para ali , esse é o mais falso argumento , agora podes ter razão numa coisa existe esse preconceito que o Linux é muito difícil e tal , eu como utilizador de Linux a 100% em minha casa e nos meus dispositivos moveis , o que te posso dizer é que tenho tentado desmistificar esse mito que de facto está criado , tens aqui um vídeo publicado pelo Pplware feito por mim com 1H e 40M e só uma vez é que fui a consola toda a personalização do sistema foi feito por modo gráfico , talvez fosse bom dares uma olhadela se não fores preguiçoso , link aqui :https://pplware.sapo.pt/pessoal/apresentao-em-vdeo-do-kubuntu-12-10-kde-4-9-3/

      Aceitem os meus sinceros cumprimentos

      Carlos Carvalho

  10. ubunt says:

    Uma pergunta aos magos… No linux existe alguma tecla de atalho para carregar o sistema em modo texto?? Assim como a F8 para windows?

    Cumprimentos

  11. Carlos Carvalho says:

    YAP

    carlos Carvalho

  12. ubunt says:

    oh isso ñ é carregar o sistema em modo texto.
    O sistema já foi carregado em modo gráfico.
    Limitas-te a alternar texto/gráfico.

    • Bruno Santos says:

      Muito simples.

      Abres uma consola, (e agora não sei que SO estás a falar, mas se for ubuntu, coloca sudo antes dos comandos):
      Editas o ficheiro inittab (que está em /etc) e pesquisas a linha
      # Default runlevel.
      id:5:initdefault:

      e alteras o 5 para 3 (multiutilizador)ou outro valor excepto 0 e 6 (e 5), claro.

      Guardas e fazes reboot.
      PS: Eu até desconfio que ubuntu já nem trás este ficheiro. Para ubuntu tens que pesquisar – eles têm a mania de alterar tudo…

    • lmx says:

      para acederes esporadicamente em modo de texto…tens uma entrada no grub…para fazeres administração…

      para acederes sempre em modo de texto(neste caso nem precisas de instalar ambiente gráfico…é normalmente usado em servidores).
      Mas se quiseres fazer isto no Desktop, faz o que o Bruno Santos disse na /etc/inittab …

      cmps

  13. Rui says:

    É só impressão minha ou existem directorias diferentes que servem para o mesmo? Por exemplo /dev /mnt /media

    • Bruno Santos says:

      Sim, agora podes dizer isso.

      Anteriormente, só existia /mnt . E como referido, existe por motivos históricos.

      PENs, CDROMs, etc.. é tudo colocado em /media – mas há quem use o /mnt para montar partições ocasionalmente, que não são dispositivos amoviveis (não falo de discos externos).

  14. Bullet says:

    Assim que acabarem os exames prometo dar uma vista de olhos aos tutoriais todos 🙂

  15. Splinter says:

    Ora boas noites,

    Do teste que efetuei com com a ferramenta de configuração NTFS e o disco externo o resultado (com escrita ativa nesta unidade) é o seguinte:

    Montar a unidade;
    escolher a pasta para alterar ícone;
    o ícone está numa pasta dentro da unidade;
    escolher “propriedades” e alterar o ícone;
    o ícone permanece inalterado.

    Portanto com ntfs-3g e a unidade montada como leitura e escrita, o efeito é o mesmo. Eu posso criar pastas, apagar ou modificar dentro desta unidade NTFS USB, mas modificar ícones não.

    Bom fim-de-semana

    • lmx says:

      boas…
      o que entendes por modificar icons??

      Eu tenho “emblemas” em cima de alguns icons de pastas em partições em NTFS…e eles estão sempre lá…obviamente em linux…

      cmps

  16. jorge says:

    confesso que não li os tutoriais, à dias tropecei neste blog http://www.elithecomputerguy.com/2010/08/17/introduction-to-linux/
    e depois de ver o 1º vídeo resolvi tentar. Espero que ajudem a complementar os tutoriais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.