Quantcast
PplWare Mobile

Tags: mineração de criptomoedas

Gráficas usadas para minerar perdem 10% do poder de processamento por ano

As placas gráficas usadas na mineração de criptomoedas são submetidas a cargas de esforço enormes. Para além disso, são equipamentos que muitas vezes trabalham intensamente durante 24 horas por dia, 7 dias por semana, a altas temperaturas. Como tal, é de esperar que todas estas condições tenham um impacto negativo nas GPUs.

Agora, de acordo com a marca Palit, as gráficas usadas para a mineração perdem 10% do seu poder de processamento por ano.


Americano minera Bitcoins através da energia elétrica da Starbucks

A mineração de criptomoedas é uma prática aliciantes para uma significativa parte da população. E ninguém pode negar que os mineradores das moedas digitais têm traços vincados de criatividade na sua personalidade e modo de atuar.

Prova disso mesmo é que o norte-americano Idan Abada entrou numa Starbucks e aproveitou para minerar Bitcoins através da energia elétrica do café.


56% não comprariam uma placa gráfica usada para minerar criptomoedas

Com a crescente valorização e, consequente popularidade das criptomoedas, muitos utilizadores viram neste mercado uma forma de investimento de alguma forma viável. Neste sentido, uma significativa parte das placas gráficas existentes no mercado foram adquiriras para a prática de extração das moedas digitais. Contudo, tal atividade tem um impacto na performance e qualidade das GPUs.

Desta forma, na nossa última questão semanal perguntámos aos nossos leitores se comprariam uma placa gráfica usada anteriormente para minerar criptomoedas.


Criptomoedas: Empresa muda sistema com 1 milhão de ASICs da China para o Canadá

Como já tivemos oportunidade de referir diversas vezes, o mercado das criptomoedas está bastante apelativo. No entanto, alguns países, como a China, já mostraram cartão vermelho direto a esta tecnologia, proibindo a mineração e os pagamentos com as moedas digitais.

Desta forma, os mineradores tiveram que encontrar soluções que passaram pela venda das placas gráficas a preços muito mais baixos e pela migração dos sistemas para outros países. Neste sentido, as informações mais recentes indicam que uma empresa mudou um sistema com 1 milhão de ASICs, usadas para minerar Bitcoins, da China diretamente para o Canadá.


Minerar a criptomoeda Chia não é nada lucrativo, diz estudo

A criptomoeda Chia tornou-se popular em meados de abril, sobretudo por ser uma moeda “ecológica” que pode ser minerada através de discos SSD e HDD e, por conseguinte, tem um menor consumo energético.

No entanto, segundo um recente estudo, parece que minerar esta moeda digital não é nada lucrativo.

Minerar a criptomoeda Chia não é nada lucrativo, diz estudo