Quantcast
PplWare Mobile

Tags: mascaras

Tempos de pandemia: Amazon acusada de aumentar preços de bens essenciais em 1000%

Foi a 11 de março que a OMS declarou a doença da COVID-19 como uma pandemia. Neste período, muitas foram as notícias de escassez de alguns produtos nos supermercados, muito se falou no açambarcamento de papel higiénico, de álcool e lixívia. As máscaras eram uma raridade e rapidamente vimos empresas a mudar a sua produção para responder a esta necessidade urgente.

O aproveitamento de muitas empresas face esta situação foi também notícia recorrente. Agora, uma investigação levada a cabo pelo grupo Public Citizen, acusa a Amazon de ser ter aproveitado da pandemia para lucrar, com aumentos dos preços absolutamente irrisórios. No caso das máscaras cirúrgicas, o aumento poderá ter batido mesmo nos 1000%.

Tempos de pandemia: Amazon acusada de aumentar preços de bens essenciais em 1000%


Máscaras “egoístas” FFP2 e FFP3 com válvula são proibidas em Madrid

As máscaras são das primeiras defesas que atualmente as pessoas contam para se proteger e proteger os outros dos contágios com a COVID-19. Assim, após uma polémica inicial se as máscaras eram ou não eficazes para parar os contágios do novo coronavírus, o foco parece ser agora que tipo de máscaras usar e quais as que são efetivamente eficazes. Em Espanha, há máscara que não são permitidas por só protegem quem usa e não proteger também os outros.

O diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências de Saúde (CCAES) de Espanha, Fernando Simón garantiu que o uso das máscaras FFP2 e FFP3 com válvula não era “ideal” e descreveu-as como “egoístas”.

Imagem ilustração máscara FFP2 com válvula de respiração


COVID-19: Máscara de 500 euros é um dos itens mais procurados na Europa

No início da pandemia da COVID-19, as máscaras eram objetos estranhos para a grande parte da população. No entanto, dadas as circunstâncias, o ser-humano teve que se habituar a este novo acessório quase obrigatório. Desta forma, há agora modelos para todos os gostos e carteiras, desde as vulgares máscaras cirúrgicas, às comunitárias com desenhos e feitios, passando pelas mais eficazes e elaboradas.

E se lhe dissermos que um dos itens de moda mais procurados na Europa é uma máscara que custa perto de 500 euros?


Máscaras para todos: alunos, professores e funcionários

O regresso às aulas está agendado para 14 de setembro segundo revelações do Ministério da Educação. É preocupação os ajuntamentos dos mais novos, mas o Ministério da Educação irá dar uma preciosa ajuda na prevenção, mas concretamente ao nível das máscaras.

De acordo com Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, haverá máscaras para todos (alunos, professores e funcionários). Será também disponibilizada uma verba de 125 milhões de euros para a contratação de docentes e funcionários, assim como o projeto da Escola Digital.

Máscaras para todos: alunos, professores e funcionários


Médica demonstra como o uso das várias máscaras afeta a nossa respiração

Durante a pandemia e o confinamento, várias foram as teorias sobre a eficácia e necessidade da utilização de máscaras. Por fim, o seu uso foi tornado obrigatório e passou a fazer parte do dia a dia da população em geral na vida fora de portas. Apesar das ordens emitidas pela DGS, muitas são as pessoas que se recusam a colocar a máscara, pondo em perigo a sua vida e a dos que a rodeiam. Alegam, por exemplo, ser um entrave à respiração.

A fim de quebrar esse estigma, a pediatra Megan Hall fez uma demonstração esclarecedora.

Imagem máscara proteção COVID-19