Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: O calor poderá ajudar a diminuir o perigo de contágio?

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. fc says:

    O calor ajuda a diminuir a propagação na medida em que ninguém fica na fila do minipreço ao sol para comprar cereais e uma pizza para o jantar. Falo por mim que hoje é salsichas e nem vou tentar os ovos mexidos.

    • Vítor M. says:

      😉 é um ponto de vista interessante sim ;). Mas nesse sentido, no verão as pessoas estão mais expostas na rua, juntam-se mais nas praias, jardins e espaço de lazer. No inverno com a chuva e o frio, estão mais resguardadas e saem menos. Será?

  2. Pedro C. says:

    Evitar comer é o melhor nesta altura

  3. Sampaio says:

    Os virus seguem todos uma curva pandemica estilo parabola com o ponto mais alto virado para cima.
    Quando estão a descer tanto faz existir frio ou calor.
    O calor afeta a sua diminuiçao devido ao AR LIVRE sem um MAU condutor do virus e em epoca de calor todos andarem ao ar livre. Agora se começam a interditar jardins, montanhas e praias é que é MAU.
    Espaços fechados é do pior.

  4. Dark Sky says:

    Trump, em 10 de Fevereiro: “Quando ficar um pouco mais quente, em abril, o vírus, miraculosamente, desaparece”.
    Imediatamente, membros da Academia das Ciências dos EUA escreveram ao Congresso dizendo que não havia qualquer evidência de o vírus se transmitir menos com a subida da temperatura e da humidade.

    Mas tenho quase a certeza que toda a gente fixou o que disse Trump,
    – ou porque queria acreditar (tende-se a preferir as boas notícias às más)
    – ou porque pensou: “Bem, o Presidente dos EUA, apesar de bastante errático, deve ter-se informado com os cientistas dos EUA”.
    Nada – diz tudo o que lhe vem à cabeça, sem querer saber dos especialistas. De vez em quando dá mortes, como os que acreditaram em tomar produtos de limpeza para desinfetar, ou que o ouvem falar das virtudes da cloroquina e tomam fosfato de cloroquina, para limpeza de aquários, e morrem.

    • eu2 says:

      Hmm. Brainstorm/sugestões de onde o Trump terá ido buscar essa ideia de o vírus acabar no calor.
      Acho que foi à ideia de comparar o covid com a gripe, que por sua vez se ouviu nas notícias.

    • ervilhoid says:

      A tv mostra demasiado Trumps e Bolsonaros, este último falam do Brasil como se fosse uma catástrofe, mas em relação à população são bem menos do que nós.

      já agora por aqui tivemos quem dissesse que o vírus nunca chegaria cá. Não ouviu os especialistas? não quis contar a verdade? não sabia o que falava?

  5. Sampaio says:

    Os virus seguem todos uma curva pandemica estilo parábola com o ponto mais alto virado para cima.
    Quando estão a descer a curva da parabola, tanto faz existir frio ou calor.
    O calor afeta a diminuiçao da sua propagação devido estado “AR LIVRE”. Sendo o “ar livre” um MAU condutor do virus, é logico que em época de calor todos sejam menos infetados.
    Agora se começam a interditar jardins, montanhas e praias é que é MAU.
    Espaços fechados é do pior.

  6. Jota says:

    … pelo menos as superfícies secam (com o calor) mais rápido, contribuindo assim para que o vírus sobreviva menos tempo fora de um corpo!

    • Galo says:

      Sim. E mais SOL é também sinónimo de maior intensidade UV, que destroi o vírus.

      • saldoso says:

        verdade, mas não há sol nos espaços fechados que é onde a maioria das pessoas passa a maior parte do seu tempo, e é nos espaços fechados que há maiores riscos.
        Haverá um contributo positivo mas poderá não ser muito grande.

      • eu2 says:

        Ou seja, na praia onde há bastante sol, há radiação UV a esterilizar a areia dos vírus, e a matar a pele das pessoas

        • Galo says:

          hahahaha

          Essa parte do matar a pele das pessoas não é nada que não acontecesse antes XD.
          Mas eu estava era a referir-me mais às superficies, no seguimento do comentário do Jota. Mas Sol, mais UV, logo virus em teoria durará menos tempo em superficies. A transmissao direta pessoa-pessoa continuará igual.

      • jaugusto says:

        Atenção que estamos a falar UV ultravioleta tipo C – uv-c – que é totalmente absorvida pelo oxigênio e o ozônio da atmosfera dai ser necessário a utlização de equipamentos para desinfectar próprios e sem a presença humana pois causaria danos na pele.
        https://www.uv-light.co.uk/coronavirus/

        • saldoso says:

          Isso é relevante para a rápida inativação do virus!
          Mas não deixa de ser verdade que a radiação solar que recebemos também pode inactivar o virus, apenas demora muito mais tempo, tal como pode causar danos na pele passado algum tempo. Aliado à secagem rápida das superfícies reduzirá significativamente a “sobrevivência” do virus nas superfícies exteriores expostas ao sol.

  7. Ana Pinheiro says:

    Perigo são muitos dos medicos portugueses do nosso sistema de saúde que muitas vezes nem querem saber da saúde dos pacientes, mas sim da carteira deles…

  8. Fulano says:

    O verão infelizmente vai trazer uma nova e extremamente perigosa fase de infeções derivado à falta do cumprimento das regras e o facto de haver conglomerados de pessoas nas praias e afins.
    Até existir uma cura o melhor mesmo é evitar ajuntamentos.

    • Uma opinião says:

      Não não vai :-).
      Há várias evidências que as medidas de confinamento para TODOS (uma delas por comparar o resultado de infectados e mortalidade em vários países com confinamento e sem confinamento) são irrelevantes no ciclo do virus. Com o calor (leia-se raios UV a funcionar),o virus tendencialmente vai continuar o seu declinio; no inverno, virão por certo, gripes, mas não se conseguirá distinguir de covid ou outro… todos os registos de mortalidade na zona euro, mostram registos abaixo de outros anos (ex. 2004/2005); no entanto, apenas este ano se assistiu a este conjunto de medidas brutais…

      • saldoso says:

        uau! tanta desinformação

        • Fiu says:

          Dizer isso é a mesma coisa que desinformação. Se uma pessoa está errada então vais rebater o que está de errado. Caso contrário tu é que fazes figura de triste.

          • saldoso says:

            Não, não tenho que rebater o que está errado! seria uma discussão infrutífera… Ignorar a enorme mortandade que houve em Espanha e Itália num curto período de tempo, é por si só demonstrativo…

  9. tipicoazeireiro says:

    lol , por favor médicos e especialistas e doutorados continuem por favor, adoro ler todos os vossos comentários.

  10. Abilio Silva Martinho says:

    Não será mais a exposição aos U.V.? No verão os dias são maiores. Vemos os infectados a diminuir com o aumento da fase diurna. Mas o que digo é correlação os estudos ainda são poucos para a haver causualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.