Quantcast
PplWare Mobile

Tags: coronavírus

Estudo: Cães podem detetar o coronavírus com 96% de precisão

Os cães conseguem detetar o coronavírus? Sim! O tema não é propriamente novidade, mas recentemente foi publicado um novo estudo que ajusta o valor da precisão.

Depois de um estudo da Universidade Veterinária de Hanover, na Alemanha, que revelava que os cães farejadores conseguiam detetar o vírus com taxa de sucesso de 94% com apenas com uma semana de treino, há agora um novo estudo que revela que a precisão é de 96%.


Imagens microscópicas revelam a ciência das máscaras descartáveis

Mais de um ano depois, a máscara já faz parte do quotidiano de toda a gente. Afinal, foi um dos primeiros métodos adotados globalmente para travar a propagação de um vírus, então desconhecido, mas muito infecioso. De forma a conhecer as máscaras, é interessante observá-las até ao mais ínfimo detalhe que poderá ser, neste caso, através de imagens microscópicas.

Desta forma, além dos estudos que já existem, conseguimos perceber como funcionam e o quão eficazes são.


Pessoas vacinadas não disseminam a COVID-19, diz estudo

Quando uma doença muito infeciosa assola o mundo, os esforços direcionam-se todos para o desenvolvimento de algo que deixe as pessoas em segurança. No caso da COVID-19, o mundo uniu forças e, um ano depois, existem já vacinas a ser massivamente administradas.

Para já, as pessoas vacinadas parecem não representar um canal de transmissão da COVID-19.

Doses da vacina da Pfizer-BioNTech e da Moderna


Ciência da vacina da Pfizer-BioNTech vai ser direcionada para o tratamento de cancro

Embora a vacina tenha sido lançada em conjunto com a Pfizer, a ciência envolvida é obra da BioNTech. Os fundadores da empresa alemã revelam agora que a tecnologia utilizada para desenvolver a vacina contra a COVID-19 da Pfizer-BioNTech poderá vir a ser aplicada na luta contra o cancro.

Ozlem Tureci, que fundou a farmacêutica BioNTech, revelou que a tecnologia de mRNA (RNA mensageiro) utilizada nas vacinas poderá ajudar o sistema imunitário a combater tumores.

Vacina da Pfizer BioNTech.


FDA autoriza primeiro dispositivo baseado em AI para ajudar a detetar a COVID-19

Estamos numa fase do combate à COVID-19 muito importante em todo mundo, com a vacinação a acontecer a um ritmo muito bom. A testagem em massa ou o próprio acesso a testes de forma mais fácil e económica ajuda também ao controlo da propagação da doença. Há agora um novo produto, aprovado pela FDA, que virá ajudar ainda mais no processo.

Baseado em Inteligência Artificial, este dispositivo é capaz de avaliar vários sinais normalmente ocultos da doença.

FDA autoriza primeiro dispositivo baseado em AI para detetar a COVID-19