Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: “Super Disseminadores” deviam ser vacinados primeiro, diz estudo da UA

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Ricardo says:

    Só uma pergunta a pessoa que é vacinada continua a ser um transmissor do vírus fica protegida mas estando em contacto com pessoas infectadas podem depois passar o vírus a outros e no caso dos médicos e pessoal dos supermercados estam em contacto com muitos idosos que são as principais vítimas

    • Há cada gajo says:

      Onde está a pergunta ?

      • Abreu says:

        Se leva a vacina, pode apanhar e transmitir o vírus a outra pessoa sem o próprio ter sitomas?

        • Artur Peralta says:

          Supostamente sim. Se os assintomáticos são o “perigo” para a disseminação do virus, logo os vacinados também…

          No entanto, virá logo uma pesquisa feita por cientistas (que não mentem nem são corrompíveis) a dizer que os vacinados não transmitem.., porque o que interessa é “vender” vacinas.

          Continuo a dizer que o melhor é avanços nas curas do que na vacinas…

          • Toni da Adega says:

            Isso quer dizer que todas as vacinas inuteis? É que todas as vacinas funcionam da mesma forma

          • Artur Peralta says:

            Não digo que sejam inúteis, mas que há mais interesse monetário do que de cura, isso há.

            Se todos os esforços para criar esta vacina fossem direcciondos para a cura dos sintomas no seu início, e evitar o internamento, esta pandemia não seria tão grave quanto querem fazer passar.

            Que ela existe, existe, mas estamos a atacar o problema com “paleativos”.

          • Miguel C says:

            Sim é verdade que se passa algo. Primeiro diziam que as pessoas sem sintomas contagiavam, e agora já dizem que não?
            De qualquer maneira, faz sentido que uma pessoa que não tenha sintomas tenhas menos probabilidade de contagiar outras pessoas.

    • Steven says:

      Conseguiste fazer 3 perguntas, sem um único ‘?’

  2. sei lá says:

    Pelo que percebi, após a vacina, poderemos ter a doença na mesma, teremos é duma forma menos grave. Assim sendo não faz sentido atacar os supertransmissores, pois podem continuar a contaminar. Ou então falta alguma tipo de informação…

    • Nuno T. says:

      sim, a vacina não é garantia de que as pessoas não podem ser infectadas pelo virus e eventualmente infectar outros.
      Apesar desta proposta suscitar muitas dúvidas, pois tem por base identificar bem os ditos super disseminadores, e pressupostos difíceis de controlar, há, no entanto, que ressalvar que a vacina irá à partida reduzir a probabilidade destas pessoas infectarem outras, isto porque ajudará a reduzir a carga viral nestas pessoas em caso de infecção.
      Poderia assim, teoricamente, haver alguma forma de resultar!!! O problema é que isto não passa de teórica… facilmente descarrilaria com os comportamentos sociais de muitos outras pessoas que não se encaixam no perfil que eles dão, por terem outras profissões.

  3. Cicrano says:

    Os supostos super disseminadores são os idiotas que se recusam a usar uma máscara no focinho e que mesmo sabendo que estão contaminados, fazem questão de estar no meio multidões ou grupos, como já está provado.

  4. Sardinha Enlatada says:

    Diria mais, uns selvagens lol

  5. CarlosF says:

    Uma curiosidade:

    Peopleware
    Peopleware são pessoas que trabalham diretamente, ou indiretamente, com a área de tecnologia da informação, ou mesmo com Sistema de Informação. Também pode ser o popular livro sobre gerenciamento de projetos ISBN 0-932633-43-9, 1987, escrito por consultores de software Tom DeMarco e Timothy Lister. O peopleware é a parte humana que se utiliza das diversas funcionalidades dos sistemas computacionais, seja este usuário um Analista de sistema ou, até mesmo, um simples cliente que faz uma consulta em um caixa eletrônico da Rede Bancária, como também uma atendente de um Supermercado.Wikipedia (PT)

  6. j says:

    Israel vai em primeiro e já com uma cura nasal. E agora? O nosso governo nem sabe o que diz e qualquer dia vai ser preciso primeiro vacinar a sardinha e depois os disseminadores.

  7. raul leal says:

    Pois, infelizmente neste país (e não só, por esse mundo fora!) adoram fazer o politicamente correto.

    Concordo que os profissionais de saúde/bombeiros e afins que prestassem cuidados de saúde e vida a terceiros, fossem os primeiros, mas depois desses para mim o que fazia mais sentido era começar a vacinar a faixa de quem todos os dias tem de andar pela rua e trabalhar! Sao esses que andam a propagar mais!

    Ate mesmo nos lares deviam só vacinar as pessoas que la trabalham e entram, os idosos por estarem num lar ja estão isolados por natureza coitados! se ninguém lhes levar a doença ,nao apanham! e como as visitas também estão proibidas…
    Se pensarmos bem, um idoso mesmo que vá ao Hospital: se funcionários do lar vacinados, tripulantes de ambulância vacinados, pessoal que trabalham no hospital vacinados, se aceder ao hospital por via separada de doentes covid, as hipóteses de apanhar seriam mínimas!

    O resultado deste politicamente correto e que vacinamos pessoas que nao apresentam risco de infetar a sociedade, mas por outro lado temos milhares de pessoas que todos os dias arriscam-se a serem contaminados e contaminar.

    Arrgghh!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.