Quantcast
PplWare Mobile

Categoria: Ciência

Protótipo de nave espacial da SpaceX voa algumas dezenas de metros pela primeira vez

Passados 3 dias da chegada a cápsula Crew Dragon à Terra com os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley, a SpaceX volta a ser notícia, mas agora pelos testes do seu protótipo de nave espacial. A empresa tem vindo a acrescentar tecnologia e conhecimento aos seus veículos, tornando-os nos mais avançados do mundo.

A nave agora testada voou apenas 150 metros e regressou ao solo. Este é um foguetão de última geração que equipará futuras missões espaciais.

Imagem nave espacial da SpaceX, um protótipo que já voa


Astrónomos podem ter encontrado estrela de neutrões perdida há décadas

Quando uma estrela morre e se dá uma supernova, é natural que se forme uma estrela de neutrões. Em fevereiro de 1987, os astrónomos assistiram a uma enorme supernova, a cerca de 160 mil anos-luz, a mais próxima da Terra em muitos anos. Contudo, não registaram a formação de nenhuma estrela de neutrões que deveria ter sido deixada como rasto.

Agora, os astrónomos puderam finalmente ver a estrela morta há mais de 30 anos, presente naquilo que resta da supernova de 1987.

Astrónomos podem ter encontrado estrela de neutrões perdida há décadas


NASA dá 150 mil euros a quem consiga resolver um problema “poeirento” da Lua

A superfície da Lua está coberta por uma poeira estranha e “pegajosa” que se agarra a tudo à sua volta. Conforme já foi anteriormente referido, este pó, à primeira vista inofensivo, ao microscópio revela-se, grão a grão, tremendamente afiado e áspero como uma lixa. O grão é tão pequeno que se entranha em qualquer canto ou recanto dos fatos dos astronautas. Além disso, provoca um cheiro estranho e leva as pessoas a espirrar compulsivamente.

Assim, para tentar resolver este problema, a agência espacial dos EUA oferece 180.000 dólares a estudantes universitários que proponham ideias para proteger as missões espaciais do pó da Lua.

Imagem astronauta da NASA na Lua e o pó do solo lunar


Crianças podem ter até 100x mais coronavírus no corpo do que os adultos

A pandemia do novo coronavírus prejudicou a experiência escolar às crianças, adolescentes, professores e encarregados de educação. Os estudantes viram-se obrigados a ficar em casa e a ter aulas em formato digital através de aplicações de videoconferência, à medida que as autoridades se debatiam com a crise de saúde. O encerramento de escolas pode ter evitado casos adicionais da COVID-19, uma vez que famílias e professores se isolaram durante o confinamento obrigatório ou voluntário. Assim, o próximo ano escolar pode estar igualmente comprometido, pelo menos em parte.

Por todo o mundo há um debate contínuo sobre a abertura de escolas em segurança, considerando o risco de infeção. No entanto, um novo estudo traz dados preocupantes. O estudo afirma que as crianças podem ter até 100 vezes mais coronavírus nos seus corpos do que os adultos.

Imagem de uma criança a ser examinada à sua temperatura corporal para despiste do novo coronavírus


COVID-19: Rússia vai ter vacina para massas daqui a um mês

Falar em COVID-19 é sinónimo de falar em milhares de infeções, mortes, mas também em soluções para a doença. Até ao momento, como sabemos, ainda não existe nenhuma vacina ou tratamento oficial. Hoje mesmo a Organização Mundial de Saúde (OMS) referiu que pode nunca vir a existir uma “panaceia” para o vírus.

Por outro lado, a Rússia referiu que vai começar a vacinar em massa daqui a um mês.

COVID-19: Rússia vai ter vacina para massas daqui a um mês