Quantcast
PplWare Mobile

Tempos de pandemia: Amazon acusada de aumentar preços de bens essenciais em 1000%

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. PTO says:

    “O aproveitamento de muitas empresas face esta situação foi também notícia recorrente. Agora, uma investigação levada a cabo pelo grupo Public Citizen, acusa a Amazon de ser ter aproveitado da pandemia para lucrar, com aumentos dos preços absolutamente irrisórios. No caso das máscaras cirúrgicas, o aumento poderá ter batido mesmo nos 1000%.”

    Algo não está bem neste parágrafo do vosso artigo. Um aumento irrisório significa que é um aumento insignificante, ou seja, não faz sentido no contexto do parágrafo e da notícia.

  2. Pepega says:

    Com jeitinho a EPIC ainda tenta um processo à Amazon a ver se se safa.

  3. Graciano says:

    acusa a Amazon de ser ter aproveitado da pandemia para lucrar, com aumentos dos preços absolutamente irrisórios. No caso das máscaras cirúrgicas, o aumento poderá ter batido mesmo nos 1000%.
    1000% é irrisório? Oh lá lá.

    O aumento de preços abrupto de alguns produtos
    O aumento abrupto de preços
    O aumento é que é abrupto, não os preços.

  4. Os Rótulos says:

    A Amazon vende, de facto produtos do grupo de artigos variados, desde pilhas, detergentes a rações para cães. Ultimamente anda a agrupar muitos produtos na marca Amazon.
    Mas foi nos produtos próprios que houve os aumentos?
    É que a Amazon vende essencialmente produtos de terceiros, em que os preços oscilam de acordo com a lei da oferta e da procura.
    Toda a gente no início da pandemia tentou comprar os produtos da lista e sabe bem que – ou não havia ou o preço tinha subido muito, das farmácias aos supermercados.
    Eu designava este estudo como mais um estudo da c*c*.

  5. SANDOKAN 1513 says:

    Que chupistas.Por isso é que não é de admirar que digam que o Jeff Bezos será o primeiro trilionário da história daqui a 5 ou 6 anos.Pudera,com este tipo de procedimentos. 😐

  6. David Guerreiro says:

    Quem compra na Amazon, sabe como são as flutuações de preços dos artigos, fora de pandemia. Um artigo pode mudar de preço várias vezes ao dia, e pode ter um preço ridiculamente baixo e no dia seguinte astronomicamente elevado. É assim que a Amazon funciona, daí as extensões como o Keepa sejam muito úteis. No pico da pandemia a procura superava em muito a oferta, logo é normal os preços subirem em todo o lado. Não foi só a Amazon. A Amazon devido ao seu tamanho colossal viu-se a braços com ruturas de stock em bens essenciais, devido ao aumento de comércio online.

  7. RM says:

    Só 1000 %
    Infelizmente não são os únicos com esse tipo de prática!

  8. Miguel C says:

    Esses aumentos não aconteceram apenas na Amazon.
    No inicio da pandemia eu fui a uma farmácia e comprei mascaras a 0.20€ cada uma (vendiam no máximo 5 por pessoa). Uma semana depois voltei à mesma farmácia para re-abastecer e o preço já tinha aumentado para 2.40€ cada mascara o.O É um aumento superior a 1000% em apenas 7 dias!

  9. falcaobranco says:

    Mas compram papel higienico na amazon? 😀 😀

    Realmente os americanos… são mesmo calhaus…

  10. Tónequim says:

    Por cá nas lojas físicas aconteceu o mesmo. Principalmente Sonae e Jerónimo Martins sabem bem como isso se faz. Eles fazem-no todo o ano mesmo sem pandemia, ou alguém acha que quando algum artigo aparece com 25, 30 ou 50% de desconto, realmente está com 25, 30 ou 50% de desconto?

    O preço de venda normal mantém-se inflaccionado quando esses artigos não estão em promoção que é para depois darem a ideia que estão a fazer grande promoção, quando na verdade as pessoas passam o ano inteiro a comprar esse produto muito mais caro do que o preço que esse produto realmente deveria custar.

    Senão reparem como são sempre os mesmos produtos que, de tempos a tempos, aparecem em promoção. Nesses produtos, o preço de promoção é simplesmente o preço que os produtos deveriam custar normalmente.

    Vou muitas vezes a Espanha e compra lá produtos sem promoção iguais aos de cá, mais baratos do que quando estão em promoção em Portugal.

    Exemplo flagrante: detergentes para a máquina de lavar roupa. Preço normal em Portugal: ~22€ embalagem de 90 doses, com promoção ~11€. Comprei igual em Espanha sem qualquer promoção a ~10€.

    Depois as cadeias de supermercados vêm dizer que os consumidores portugueses estão viciados em promoções, quando na verdade são essas mesmas cadeias que estão viciadas nessas mesmas promoções pois vêem nelas uma forma de extorquir algum dinheiro quando não há promoções e de fazer parecer que estão a ajudar alguém quando fazem as promoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.