Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Devemos ou não usar máscara?

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Carlos Faria says:

    Bom artigo, ponderado.

    Palavra final é: Vamos seguindo as indicações mais recentes da DGS e da WHO

    • Vítor M. says:

      Pois, essa é a questão. A pressão começa a sentir-se e as pessoas querem saber o que as entidades têm a dizer (mas agora, a sério).

      • Vitor Marques says:

        não é fácil, 10 milhões de habitantes, a terem no minimo de usar 2 mascaras por dia temos 20 milhões de mascaras, mas nem toda a gente teria de usar, ao final de um mês… muita mascara para um país que quase não as fabrica

        • Vítor M. says:

          Não serão 10 milhões os que necessitam, mas levantaste aí um argumento que pode ser importante, na atualidade, para percebermos aqui e ali a resistência das autoridades a usarmos.

          • André says:

            O artigo está bem escrito, parabéns! Mas tendo a discordar deste comentário. Na verdade a grande discussão, como referido no texto, é se devemos utilizar as máscaras para proteção pessoal ou para proteção de outros, porque o grande problema estão nas pessoas transmissoras mas assintomáticas. Se todos usarmos máscara para protegermos o próximo deixamos de ter problemas. Mas não há stock para toda a gente (sem falar em problemas de poluição associados). Se for apenas para proteção pessoal, não é totalmente viável porque existem muitas outras formas de contaminação que estão a ser estudadas: olhos (https://jamanetwork.com/journals/jamaophthalmology/fullarticle/2764083), roupa que levamos para casa, produtos que adquirimos, animais(?), etc. Quanto à reutilização da máscara (e como alguém que usa várias vezes no exercício da função) também sou fortemente contra, porque se já é difícil dar formação a toda população de como usar, imaginem de como lavar e reutilizar.

          • Vítor M. says:

            Tens toda a razão André. A minha resposta foi ao uso dos 10 milhões, que não serão, porque não há tanta gente a precisar da máscara por várias razões. Mas tal como dizes, os assintomáticos podem ser o gatilho para uma nova vaga de propagação e no dia a dia, tal como já referi num comentário abaixo, não estaremos longe de sermos todos obrigados a usar quando for levantada esta quarentena.

        • Rrrrrr says:

          sim, mas o objectivo por agora é o pessoal sair de casa o minimo possivel.
          E a voltarmos a uma rotina mais normal, podemos sempre usar mascaras reutilizaveis… nao tem de ser das descartaveis.

    • David Guerreiro says:

      A questão é que agora mesmo que se queira usar máscara é quase impossível, porque não há no mercado. Mesmo alguém que esteja infetado, se o SNS não lhes der uma máscara nem conseguem proteger os outros, porque não há máscaras à venda.

      • Rrrrrr says:

        verdade… e nao ha muitas mascaras por dois motivos
        1- ninguem antecipou tal acontecimento
        2- ha por ai muitos macacos que teem as 500 e 1000 mascaras em casas… porque sim…

        • David Guerreiro says:

          Exatamente, logo que a pandemia começou havia gente a comprar às carradas de máscaras. E enquanto uns têm 500 em casa, outros nem 1. O mesmo com o álcool etílico e gel.

          • ze says:

            Foram burros, eu tenho mascara não descartavel e filtros caso seja necessário.
            Em Fevereiro já tinham esgotado as cirurgicas e afins.

      • José says:

        A mascara protege, claro que sim.
        Aqueles que estão infectados não disseminam a doença e aqueles que não o estão protegem-se de uma possível infecção.
        A outra questão é que não há produção de mascaras suficiente derivado á procura.
        Mas podemos agradecer á DSG (obrigado Drª Graça Freitas) por não ter feito o seu trabalho, deviam ter encomendado material no inicio de Fevereiro e só o encomendaram no meio de Março, resultado, a procura aumentou os preços também, quem paga é sempre o mesmo, além das mortes associadas.

      • Joao Ptt says:

        É mentira que não existam máscaras à venda, nas farmácias se apresentar sintomas de tosse, ou se alguém lá em casa poder ter, aconselham logo a comprar umas máscaras melhorzinhas que as cirúrgicas… mas cobram 15 euros por 2 unidades… não andam nada meigos nos preços.

        O estado decidiu fingir que não é preciso máscaras, e que até são perigosas, e o resultado é que estamos na lista dos 15 países com mais infectados confirmados.

        Só não existem já milhões de máscaras no mercado porque o governo sempre disse que não era preciso, e ainda continua a dizer… embora agora gradualmente comece a mudar o discurso para a possibilidade de ser uma boa ideia… só que por esta altura será difícil acreditar que a maior parte da população não tenha já sido contaminada.

    • ToFerreira says:

      Ou então, entendendo os conceitos de base pensamos por nós próprios. Os conceitos foram explicados aqui, embora possam estar um pouco confusos.
      A máscara cirúrgica protege os (sobretudo) os outros contra as emissões das nossas gotículas – se todos usarmos, protegemo-nos mutuamente.
      Os respiradores P2/N95/KN95 e mais que esses, os P3 evitam a entrada/saída de partículas, protegendo o utilizador (e os restantes) – estes devem ser usados por quem estiver em contacto directo (a menos de 2m) com casos confirmados.
      O problema em aconselhar ou não está na disponibilidade do material.

  2. David Guerreiro says:

    Atenção que a N95 é uma norma norte-americana. Na Europa existe a FFP2. E os chineses têm uma KN95, que supostamente possui a mesma proteção. Digo supostamente porque normas chinesas valem o que valem, e sem ninguém a atestar sequer que as máscaras cumprem as normas, pior ainda.

    • Vítor M. says:

      Boa. Ajustamos a informação para abranger a terminologia usada na Europa. Além disso, acrescentamos um link para informação muito completa com dados técnicos e muito bem ilustrados. Se alguém quiser de facto aprofundar mais sobre as características das máscaras.

      • Alves says:

        A designação da certificação das máscaras é FFP* (filtering face piece), e não PFF*, como está na imagem.

        Todos nós expelimos gotículas ao tossir, e ao expirar, mas também quando falamos, com efeito, estas quando usadas corretamente (infelizmente já vi na televisão muitas pessoas com a máscara ao contrário), incluindo as acções de as colocar, e as retirar, vai diminuir sem sombra de dúvida a taxa de contágio, basta ver os países que implementaram o uso obrigatório de máscara (também foram implementadas outras medidas é certo, mas acredito que esta medida ajudou).

        Por outro lado, é sabido que, neste momento, os profissionais de saúde se queixam de falta de máscaras, o que vai acontecer se/quando o uso de máscaras se tornar obrigatório?

  3. Joao says:

    Jamais usarei mascara não sou arabe! Apenas os infectados devem ter esse cuidado e nao toda a gente

    • Vítor M. says:

      João, o problema mais do mundo é a falta de informação. Primeiro, o uso de máscara não tem a ver com os árabes, mais os asiáticos. Contudo, e mais nesta altura, a questão é que a máscara poderá ser para cada um primeiro defender o outro e, nesse sentido, defender-se a si também, dado que se cada um usar, a defesa é global. Não será, espera-se, que seja “para sempre”, mas poderá ser muito importante. Por isso, reflete sobre o assunto.

      • fak says:

        Sinceramente, o primeiro defender de alguém é o uso de luvas, nem é a máscara.

        a mim preocupa-me muito mais uma pessoa que vai ao supermercado sem luvas e toca em dezenas de produtos, que poderão vir a ser tocados por mais umas quantas dezenas, produtos esses que depois chegam a casa de alguém e infetam uma familia, do que propriamente alguém sem máscara a tossir para o cotovelo no supermercado.

        ainda recentemente fiquei a saber que o virus consegue sobreviver 2 semanas no plástico… imagina o cenário, um infetado vai ao LIDL ver lá os materiais, toca numa máquina qualquer que tenha plástico… ao longo das 2 semanas poderão vir a ser centenas de pessoas a tocar no mesmo produto.

        e eu sei que existe o alcool gel e o alcool sanitário, mas para começar não vais estar a aplicar sempre que tocas nalguma coisa diferente, e, depois, tens o factor não saber se aquilo em que estás a tocar não terá o virus. daí eu considerar as luvas mais importantes que a máscara.

        • Vítor M. says:

          As luvas são um problema também. Porque as pessoas usam as luvas, mexem em tudo e, porque acham que com as luvas não apanham vírus, lavam menos vezes as mãos. Quando não usam luvas, lavam mais vezes as mãos. Venha o diabo e escolha.

    • ToFerreira says:

      E como sabes se estás infectado ou não? Como sabes se não estás em fase assintomática mas contagiosa ou até serás um dos 70% infectados sem nunca apresentar sintomas?

    • Toni da Adega says:

      Mais um xenófobo a concorrer para os Darwin Awards.

    • Woot! says:

      Se fores obrigado, garanto que vais usar. Estou ansioso que haja uma lei para punir esta gente que acha que pode andar por ai a fazer festas e/ou a fugir das quarentenas como o outro inteligente de fafe.

      Preso por muitos anos por tentativa de genocidio!

    • Kabindas says:

      Mais um que saiu do estábulo pra zurrar … o que é que a religião tem a ver com isto ?!?

  4. Pedro says:

    Uso sempre máscara. Sigo o que a China, Japão e Coreia do sul indicam. Os Eua e Europa um bando de idiotas sem noção da realidade. Os números e o desespero assim o indicam. A tralha da Dgs deviam ser despedidos, incompetentes.

    • José says:

      Completamente de acordo.
      Cada vez mais se o povo se apercebe que devem ser nomeados para liderar qualquer órgão do Estado, pessoas competentes (curriculum profissional) e não aquelas que têm o cartão do partido do Governo ou que sejam simpatizantes do mesmo, pois quando é necessário decidir empurram com a barriga para a frente (como é habitual).
      Existem cargos de nomeação politica e outros de nomeação técnica.
      Casos a comprovar a incompetência temos alguns, incêndios, Tancos e agora o Covid 19 entre outros.
      Em relação ás mascaras veja-se o caso da China e da República Checa, têm que defender os seus cidadãos e promoveram o uso de mascaras para evitar a disseminação do Covid e ignoraram a OMS.
      Aqui andamos a reboque da OMS e não fazemos o que é melhor para defender a população Portuguesa.

    • fak says:

      Pedro,
      discordo contigo por uma razão: especialmente na china, o uso de máscara é devido aos quimicos que andam pelo ar, não é devido propriamente ao virus… foi uma moda que pegou cá por entendimento errado.

      Se fores ler o meu outro comentário (e é a minha opinião, assim como tu deste a tua e pelo menos eu não estou aqui para te deitar abaixo, no entanto argumento) lá explico porque considero o uso de luvas mais importante que máscara, aliás, considero o uso de máscaras opcional e o uso de luvas obrigatório.

  5. eu says:

    Acho que na via das dúvidas todos deviam de usar.
    Descartáveis seria o ideal mas depois temos um problema de stock e de poluição, pelo que uma boa máscara que pode-se se lavada seria o ideal.
    É como as meias e as cuecas, não usamos descartáveis.

  6. Filipe F. says:

    Bem e a resposta é um nim, como tem sido. Artigo que diz o que já se tem dito, sem responder a pergunta porque não há resposta oficial… Bom artigo para informar dos tipos de mascara e as vantagens e desvantagens mas sem responder claramente a pergunta porque se nem os expert sabem, quanto mais um blogger.

    Melhor do que seguir a DGS que todos os dias muda de opinião e anda a deriva a comandar este país onde tudo chega tarde e felizmente o comportamento dos portugueses tem sido a melhor prevenção à falta de organização da DGS, fica na consciencia de cada um o que deve fazer. Claro que usar mascara protege mais do que não usar, claro que existem centenas de pessoas assintomáticas e já está confirmado que até a simples fala pode lançar perdigotos com o vírus.

    Portanto qualquer pessoa que pareca normal e fale connosco pode estar infetada e a transmitir o virus. Assim sendo claro que so usando toda a população a mascara se pode prevenir esta foram de contágio de particulas por parte dos assintomáticos. O resto é lavar as maos e não meter as maos na cara após tocar em objetos. ~
    Até haver mascaras para todos, evitem que falem para voces na vossa direção, não falem diretamente para as pessoas sem terem mascara e mantenham as distancias e boas práticas de higiene que felizmente estamos no bom caminho

  7. R says:

    Os verdadeiros especialistas dizem que sim. É só ler o que diz a ordem dos médicos, os pneumologistas… No estrangeiro é igual.
    A nível oficial, a OMS e DGS continuam no impasse por dois motivos: não há máscaras para todos (tem de se dar prioridade aos profissionais de saúde) e tem de se saber utilizar a máscara.
    Eu deixo dois “recados”: é necessário educar a população sobre como as utilizar e como as reutilizar (é possível dentro de certos limites).
    Cumprimentos

  8. nelson mota says:

    eu ca não tenho nada a ver com os outros , eu ca uso , eu que não vou na conversa dos outros

  9. Infinity says:

    Devemos é ficar em casa

    • miguel says:

      Amigo o virus não vai desaparecer por estares em casa, algum dia vais ter que sair e ele vai estar cá fora a tua espera.
      No entanto este isoladamente deu tempo para se comprar e organizar tudo o que é preciso, pois de outra forma era um desastre total, por isso esta onda está a ser bem mitigada, mas quando sairmos para a rua vão existir novas ondas mas já estamos todos mais preparados para lidar com ela.

  10. miguel says:

    Eu quero lá saber da OMS e da DGS como já se viu está completamente a toa, como sempre prefiro pensar pela minha cabeça.
    Desde que isto começou uso mascara quando estou fora de casa, não só a pensar em mim mas sim se tiver infectado não espirro nem atiro gotículas para cima de outras pessoas.

    • miguel says:

      Convém informar as pessoas que um espirro sem mascara chega até 8 metros segundo testes do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), por isso as mascaras são essenciais mesmo que sejam de tecido, o País tem capacidade para fazer milhões de mascaras de tecido por mês, temos centenas de empresas de têxtil no norte prontas para isso se o governo precisar e as pagar claro!

  11. Fulano says:

    Sim. Pois desta maneira evita-se o contágio ou contagiar no caso de já estarmos infectados.
    Esta foi uma das medidas imediatas em muitos países e devia ser obrigatória.
    É óbvio que teria de haver um esforço por parte do (des)Governo para que seja posto em prática… O que duvido muito, graças à enorme incompetência já mostrada por essa gente.

  12. agamotto says:

    Usar máscara tem certamente resultados positivos mesmo que não proteja em absoluto. O seu uso apenas não está a ser recomendado pelas entidades devido à falta das mesmas no mercado interno – imagine-se o pânico de não ter algo que passa a ser de uso obrigatório – daí a utilização restringir-se aos profissionais de saúde e infectados. Talvez com medidas como as aplicadas em Macau (limitação de aquisição a x unidades semanais) e proibição da especulação fosse possível estender o seu uso à população em geral mas mesmo assim é muito provável que o stock disponível não chegue para todos.

  13. Carlos says:

    É engraçado que continuem a dizer isso.
    Até uma criança entende que as máscaras protegem se o seu uso for obrigatório para TODA a gente. Fazem de nós parvos…
    Não existe no mercado, e não há empresas portuguesas a fabricar máscaras? É fácil: colocar todos os militares, prisioneiros, voluntários e trabalhadores têxteis e trabalhar (nem que fosse em forma de “requisição civil”) nas fábricas que estão paradas, porque os empresários são nabos e não viram o grande negócio das máscaras.
    Assim, se produziriam milhões de máscaras por dia, durante 1 ou 2 meses seguidos. E depois, distribuir por todo o território nacional (supermercados, Câmaras, etc). A partir desse momento, impor o uso obrigatório a TODA a gente. Quem não levar máscara, multa pesada!
    Será assim tão difícil?
    Será que pensam que isto vai passar? Se toda a gente começar a sair para a rua como antes, sem máscaras, é num instante que os contágios voltam a disparar. Este vírus veio para ficar.

  14. Carlos Fernandes says:

    Sigo as indicações da OMS/DGS, as mascaras são para os profissionais que estão na linha da frente, em virtude da sua escassez/preço. Algumas das atitudes destas entidades, até podem ser contraditórias ou graduais, isso mas deve-se ao vírus ser recente. Os países asiáticos, já fazem o uso de mascaras à bastante tempo, mas mais pela preocupação dos níveis de poluição (ver mascaras da Xiaomi) que pela protecção de vírus. Uma mascara com boa utilização pode ser uma defesa , no entanto e sem a tão pretendida obrigação de uso por parte do governo, já vejo tantas espalhadas pelo chão….fica na vossa consciência. É engraçado não ver a mesma atitude ou a preocupação com as luvas.

  15. joao matos says:

    Não é o mesmo que as máscaras, mas sempre proteje alguma coisa. Um cachecol (lava-lo apos utilização) ou comprar filtros do café (100 unidades numa caixa), elasticos e agrafos. Quando nao ha mascaras…entre nao usar nada e colocar algo…

  16. Yeti says:

    Alguem ainda acha que é possivel acabar com o virus? Alguem ainda acredita que, dado o estado de dissiminação do Covid19 não vai voltar? A ideia não era acabar com o virus entre a população nacional, a ideia era racionar a quantidade de pessoas infectadas versus os meios hospitalares disponiveis para as tratar. Se conseguirmos parar o virus em PT como aconteceu em Macau, vai acontecer o mesmo que por lá se passa, assim que abrem um pouco as fronteiras o virus volta a entrar… Portugal não é Macau, vivemos tambem do turismo, mas o turismo que por cá se faz nunca vai ficar duas semanas fechado num hotel antes de poder ir para as praias do Algarve…
    Como temos uma comunicação social que é o que é, o panico ficou instalado e agora o covid não se propaga. por outro lado este panico levou muita gente a depressões gigantes, a deixar de ir à farmacia aviar a sua medicação, a não ir às urgencias nem quando é preciso… Resumindo a taxa de mortalidade do país tem aumentado e não é graças ao corona, é graças à má informação e à falta de sentido critico da população em geral…
    Abram-se os olhos às pessoas, mostrem-se os numeros em prespectiva, comparando com outros numeros, verificando a veracidade dos mesmos…
    Vai morrer gente de covid, vai com certeza, quantos são quando comparados com os que vão morrer devido ao panico gerado pelos media e por politiquices onde andam metidos os reitores das universidades que fecharam antes do tempo, os presidentes das camaras e outros que tais que sem compreenderem a big picture se põem a lançar boatos…

    Exemplos das vitimas deste panico:
    doentes cardiacos que não estão a ser acompanhados;
    doentes oncologicos a quem foi tudo adiado;
    vitimas de violencia doméstica;
    doentes de gripe ou uma qualquer doença que, dada a má nutrição por falta de dinheiro provocada pela crise que aí vem, se venha a complicar;
    doentes cronicos que deixam de aviar medicação;
    etc, etc, etc…

  17. Woot! says:

    A minha opinião é muito simples:

    Enquanto houver escassez: Não!
    Assim que houver para todos: Sim, óbvio!

  18. camt says:

    Como usar uma máscara:
    https://youtu.be/3aT0YQTDYB4
    Quanto ás luvas: -“Não faz sentido usar luvas, se não vai lavar as mãos de cada vez que toca em alguma coisa”.
    https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/coronavirus–sabia-que-mesmo-usando-luvas-nao-esta-protegido-enfermeira-explica-como-se-espalham-os-germes
    Vejam o vídeo

  19. Kabindas says:

    A DGS e a OMS é tudo a mesma m3rd@. Contra FACTOS não há argumentos. Em TODOS os paises onde o uso de máscara foi ordenado, o contágio foi muito menor. Não sei qual é a discussão a partir daqui !?!

    • p_t says:

      A discussão é que isso não está provado.

      • Zeca says:

        Só se for na tua mente.
        Contra FACTOS não há argumentos !

        • p_t says:

          Na minha mente?! Não há consenso na comunidade científica. Deves achar que isso acontece por acaso! Até agora há estudos que afirmam que faz diferença, outros que não! Essa é que é a realidade! São esses os FACTOS. E é por isso que entidades como a OMS não recomenda as máscaras.

          Portanto, na tua mente queres tu dizer. Tu é que achas que estás a vomitar certezas sem comprovação nenhuma. Tu é que és especialista de bancada ao ponto de achares que descobriste algo só porque vês correlação entre máscaras e nº de casos ou mortes. Não é assim que se faz ciência! Efectivamente, contra FACTOS não há argumentos.

          É que isto não é uma discussão ideológica. Não sou contra o uso de máscaras. Acho que, pelo princípio de precaução, deve-se usar, mas não está comprovado!

          • p_t says:

            *Tu é que estás a vomitar

          • Ron says:

            Não há estudos/consenso ?
            Então explica lá como as mascaras fazem parte do Equipamentos de Proteção Individual (EPI) segundo a DGS (bata descartável, máscara, proteção ocular, luvas, cobre-botas e touca).
            Se faz parte do EPI é porque protege de alguma coisa, senão não fazia parte do EPI, ou seja já se provou que o material que faz parte do EPI protege, do qual faz parte as mascaras.
            Está mais que aprovado e comprovado !
            O Conselho de Escolas Médicas Portuguesas, a Ordem dos Médicos Portuguesa, e lá fora a Academia de Medicina Francesa e o Instituto Robert Koch, na Alemanha também defenderam o uso generalizado de máscaras.

  20. Dark Sky says:

    O filme tem que ser visto assim, quando se faz comparações entre países.
    Os números totais, de infetados, internados, em cuidados intensivos, ou falecimentos, não interessam por aí além.
    A melhor comparação é por milhão/milhar de habitantes.
    Há pouco, na conferência diária, com a DG da Saúde, o Secretário de Estado e um profissional de saúde, este era odos cuidados intensivos e disse que, em Itália, o número de ventiladores por milhar de habitantes era o DOBRO de Portugal.
    E em Itália os ventiladores não chegaram e em Espanha também não.

    Já toda a gente percebeu que o isolamento e as medidas para reduzir a transmissão, rápida, do vírus são indispensáveis para o pessoal não morrer, aos montes, sem possibilidade de tratamento médico.

    Portanto, havendo máscaras para os profissionais de saúde, as pessoas que saem à rua também a devem usar., é op que diz a OMS.
    Agora façam as contas – se em cada 4 pessoas 1 sair à rua por dia com contacto com outras pessoas, são precisas mais de 1 milhão de máscaras descartáveis por dia.

    Isto vai ser (já está a ser) negócio para muitas empresas têxteis, ao preço alto que as máscaras estão a ser vendidas. Esperando que havendo muitas cheguem para todas e os preços baixem.

    • Dark Sky says:

      Diz o “DN” que hoje foi o primeiro dia que se pode sair da cidade de Wuhan, ide 11 milhões de habitantes, que viveram 76 dias de isolamento do resto da China. É preciso, além da máscara: e da medição da temperatura:

      – “Quem quiser sair da cidade de comboio ou avião é obrigado a mostrar na porta de embarque um código de barras (QR) das aplicações WeChat ou Alipay, para provar não estar infectado e que não esteve com pessoas infectadas.”
      – Para ir para Pequim é preciso fazer o teste e dar negativo.

      Tenho pensado nos testes e nas apps:
      – O teste que deteta material genético do vírus – diz se a pessoa está infetada na altura. Não diz se não estará daí a um dia ou dois.
      – O teste que deteta anticorpos da reação ao vírus diz se se está infetado (e se pode transmitir o vírus) ou que já esteve (sem certezas quanto a imunidade a uma futura infeção).
      Isto com uma probabilidade acima dos 80% se os testes forem dos melhores.

      Se os testes não dão grandes certezas , as apps usadas pelos chineses são úteis. Tem que se começar a pensar nisso porque – em Portugal, quem tem ou já teve Covid-19 anda à volta de 0,1% da população e para se chegar à imunidade de grupo a percentagem é de 70%.

    • Dark Sky says:

      Recomendo – mas muito mesmo – este artigo do “DN”:
      O “mistério” e a “exceção” na Europa. A luta de Portugal contra a Covid-19 vista lá fora.

      https://www.jn.pt/nacional/o-misterio-e-a-excecao-na-europa-a-luta-de-portugal-contra-a-covid-19-vista-la-fora-12047297.html

      (Depois deem três toques na madeira para as coisas não piorarem, muito)

    • Woot! says:

      Há muitas coisas que não sabemos deste vírus. As mortes por país sinceramente não podem ser comparadas nem por milhar nem por milhão nem nada.

      Há vacinas que são dadas em determinados países e determinadas práticas que são tomadas que influenciam tudo. Há milhares de variáveis, não é possível fazer uma comparação direta.

      Há uns tempos tinha colocado aqui no Pplware que haviam países que tomavam vacinas que poderiam ter influência na inferior propagação do vírus e hoje mesmo saiu um estudo de que a BCG parece ser uma delas. Em Itália não há BCG. Em Espanha não há BCG. Nada é Linear. Devemos tomar as nossas precauções e não nos preocuparmos em fazer o que os outros países fazem nem nos compararmos com ng.

      • Dark Sky says:

        Há muitas coisas que contam. O artigo do “JN” fala disso.
        Talvez os portugueses sejam melhores do que pensam, em generosidade, bom senso e disciplina. Ou por terem passado por uma crise recente sabem que também vão passar esta.

        E talvez os astros se tenham conjugado para que o PR, o Governo e a oposição (Rui Rio) tenham criado o “governo de salvação nacional” que precisávamos nesta crise profunda. Não é fácil de encontrar noutros países, onde governo e oposição (ou mesmo dentro do governo ou entre o governo federal e os estados federados) continuam à facada.

        • Woot! says:

          É verdade, mas mesmo assim há outros paises que me surpreendem em número de casos reduzidos nomeadamente a Suécia que sem qualquer isolamento está com uma evolução muito baixa. Porquê?

          • Dark Sky says:

            Do que li:
            É verdade que os suecos não fecharam as escolas – para não terem que levar os filhos aos avós. Os miúdos são por regra assintomáticos e os avós são grupo de elevado risco. Já com os italianos não foi assim e os avós participam muito mais e os parentes são mais chegadas.

            E os suecos já se isolam por si próprios. E são disciplinados, disseram~lhes quais eram as regras que tinham que cumprir e eles cumprem.

            Não são precisas sanções para impedir deslocações desnecessárias, nem levar certificado de deslocação, obrigatório noutros países.

            Curiosamente, ou porque os portugueses são quase tão disciplinados como os suecos (ou levaram um valente cagaço com o que se estava a passar em Itália e em Espanha) também não têm sido precisas sanções nem certificado de deslocação.

          • p_t says:

            Evolução baixa!? A Suécia quase que tem o dobro das mortes em relação a nós com a mesma população!! E têm menos de metade de nº de testes feitos e já vão com 9000 infectados!!!

        • Dark Sky says:

          Quando acima escrevi sobre a importância do nosso atual “governo de salvação nacional ” PR, Costa e Rio, ainda não me tinha apercebido da importância da opção do PSD em chumbar todas as dezenas de propostas sobre medidas relativas ao Covid-19, que foram ontem a votação na AR.
          É simples. Foi dizer: “Há um Governo da República nesta emergência. É a ele que cabe tomar decisões”. E formou-se um bloco central para chumbar todas as propostas que a oposição quisesse ver aprovadas e o Governo da República não aprovasse.
          Quando houver eleições vou votar no Costa e no Rio.

  21. Sergio J says:

    A mascara como proteção colectiva seria o desejavel. Se todos usassemos mascara o perigo de contágio seria dimininuto. O problema é que não há mascaras para todos logo a proteção colectiva foi-se. E se não há mascaras para todos, devemos reserva-las para quem realmente precisa delas.
    Se por acaso ja temos uma mascara reutilizavel, acho que devemos usa-la, não para nossa proteção, mas para proteção dos outros, pois não temos 100% de garantias que não estamos infectados.

  22. Sergio J says:

    Um aparte, porque a maior parte das pessoas não saberá. Oficialmente desde 2017 a Republica Checa passou a chamar-se Chéquia, sendo reservado o primeiro nome para nome oficial. República Checa está para República Portuguesa, como Chéquia está para Portugal.

    • Dark Sky says:

      Isso é em checo. Como England, em inglês e Inglaterra, em português.

      • Sergio J says:

        Não, é mesmo em Português. Em checo seria Česko . Em inglês passou a ser Czechia. Podes continuar a dizer Republica Checa, mas como disse é o nome oficial tal como é Republica Portuguesa ou Reino de Espanha.

        Mudaram em 2016 e passou a ser oficial em 2017. Também sei isso à relativamente pouco tempo.

      • Sergio J says:

        É assim que eles querem que sejam chamados e devemos respeitar.
        Tal como os Paises baixos lançaram uma campanha (e mudaram o nome oficial) com o mesmo efeitos para que passassem a ser denominados por Países Baixos e não Holanda.

  23. Tiago says:

    Se a velhinha diz para não usar não se usa.
    É uma pessoa com muita experiência, e que sabe o que diz e faz.
    lol

  24. Ze To says:

    Atenção as imagens postadas da mascara N99 , FFP3 não sao de uma mascara com essas características. Devemos falar e postar do que temos conhecimento, porque envolve responsabilidade perante a utilizacao futura desses materiais pelos leitores.

    • Vítor M. says:

      Ze To, as máscaras exemplo que são dadas na infografia são apenas um dos vários exemplos. Existem dentro dessa categoria algumas com filtros de lado e outras com filtro frontal. Pesquisa um pouco sobre N99 e sobre FFP3 e verás que existem vários modelos. Depois, para perceberes as características, que é o mais importante, visita o link que deixamos no final do artigo. Nessa página estão todos os dados obrigatórios para a certificação de cada máscara.

      Não sigas pelos desenhos, porque desenhos há muitos. Segue-te pelas características. Quando fores comprar, procura obviamente num local que te possam vender algo dentro das normas. Os exemplos que deixamos são isso mesmo, exemplos… não são toda a variedade que existe. Cumps.

      • Ze To says:

        Vitor a velha questão é que muita malta não vai consultar o anexo, (ainda por cima em inglês, com tão boa informação que existe em português), vê a imagem e toca a mandar vir a máscara de um site chinoca e não protege para o fim especifico. Mas é uma observação construtiva. Eu uso máscara desde o 1 dia e aconselho todos a usar.

        • Vítor M. says:

          Manda vir a máscara? Não será pela imagem, será pela descrição e essa é única. Depois, literatura daquela em português? Não existe ou não conheço tão completa. Além do mais é preciso mais que uma miniatura de imagem para se perceber o que devem comprar e se devem comprar. Como referi, existem muitos modelos de cada designação, por isso uma daquelas imagens é apenas ilustração de um dos modelos que existem disponíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.