Quantcast
PplWare Mobile

SSD: Saiba quais as melhores práticas de utilização

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. andregoms says:

    Bom artigo, grato pela informação..
    No seguimento, quais as melhores marcas de SSDs?

    • José says:

      Samsung e Crucial.

      • tiago says:

        o meu crucial ssd pifou nem um dado consegui recuperar, durou 3 anos mas como era dos primeiros penso que agora já são melhores se possível é sempre melhor ter um ssd e um hdd… e o ssd deve ter 250 gb para ter um espaço extra confortável

        • Nuno says:

          Exactamente o que aconteceu ao meu crucial de 240gb mais ou menos com o mesmo tempo.
          SSD de arranque e para as coisas básicas e um HDD jeitoso de backup é a melhor opção !

  2. bcuraman says:

    Outra questão que talvez seja do interesse comum: O TRIM, convém estar ativo ou não?
    Eu tenho neste momento o Mac OS instalado no meu portátil, e tenho um Samsung SSD 860 EVO de 500GB
    Já coloquei esta questão em vários grupos, no entanto, sempre me foi aconselhado ter o TRIM ativo.
    Qual é a vossa recomendação? Grato pela atenção

    • AJ says:

      É recomendável que o TRIM esteja ativo pois aumenta o desempenho do SSD, gera mais espaço livre e ainda auxilia a prolongar a sua vida útil.

    • darkvoid says:

      Não percebo como não é abordado o TRIM no artigo…

    • Balmer says:

      Tiveste meio mundo a dizer-te que sim, e ainda estás à procura de opinião contraria? Alguma razão?

      O problema é ainda teres cenários onde não CONSEGUES usar TRIM. Dependendo de controladores e afins podes ou não conseguir usar TRIM em SSDs em RAID por exemplo, ou no Windows 7 inicialmente também não era possivel se bem que isso já não é factor agora.

      TRIM é acima de tudo para ajudar a ter uma boa performance de escrita, e apenas estás a fazer antecipadamente uma operação que o OS vai ter de fazer de qualquer forma quando estiveres a escrever novos nados num sector que já foi previamente usado.

  3. MM says:

    O artigo nem está mau, mas não falam de uma coisa importante que todos devíamos procurar antes de comprar um SSD, que é o numero de escritas por dia que o fabricante anuncia (Drive Writes Per Day (DWPD)) ou Terabytes Written (TBW). Isso completava o artigo, porque as pessoas não têm de saber todo o tipo de células, mas sim a quantidade que pode escrever nelas.
    Por exemplo, comprei um Samsung 860 QVO de 1TB, que tem 3 anos de garantia e um DWPD de 0.3, que são 328Gb por dia.
    Ou seja, este SSD pode/vai começar a ter problemas ao fim de 3 anos se tiver escritos todos os dias durante esse período, 328Gb.
    Isto dá para as pessoas terem noção do tempo que o SSD pode durar mediante a utilização que cada um dá ou necessita.
    É uma visão muito mais real.
    A formula é simples e pode ser encontrada em qualquer pesquisa e visto que o fabricante tem de dar o DWPD o TBW é fácil: TBW = Capacity(TB) * DWPD * 365 * Warranty(Years)

  4. filipe says:

    Muito útil. Obrigado.Mss depois de ler o artigo fica a questão: E como fazer tudo o que sugere para aumentar a vida útil de um SSD?

    • AJ says:

      Alguns fabricantes fornecem software que ajuda na execução de algumas tarefas referidas e consequentemente aumentam a vida útil de um SSD. Quem tiver um SSD da Samsung tem o Samsung Magician que não só permite a monitorização do estado do disco como ainda a configuração de algumas opções referidas neste artigo.

    • Mestre em direito says:

      Para aumentar não há nada; para diminuir o menos possível é NUNCA fazer desfragmentação e não fazer limpezas em excesso.

      • AJ says:

        Os próprios fabricantes e especialistas afirmam que podemos aumentar a vida útil de um SSD. Embora exista um número limite de escritas nas células de memória flash NAND (conforme é referido no artigo) pode-se configurar o sobreprovisionamento (Over Provisioning) já que melhora a performance e frequentemente aumenta a resistência do SSD, ajudando a unidade a durar mais porque o controlador do SSD tem mais armazenamento Flash NAND disponível e permite reduzir o desgaste desta durante a sua vida útil.

  5. Helder Coelho says:

    Empresa em Portugal para recuperação de dados num SSD não reconhecido? Alguém referência por experiência ou conhecimento?

  6. Mariopac says:

    IberoCoreData por exemplo

  7. lumia says:

    Com os discos rígidos há estes problemas, embora sejam mais pesados/ruidosos e +lentos e também avariam, mas tempo de vida é duradouro…

  8. Helder Coelho says:

    Foi me recomendado o data recovery lab em Lisboa, estou com algum receio da eficácia e valores envolvidos, alguém teve alguma experiência com alguma referida? Obrigado peeps!

    • Luis says:

      Sim, cheguei a lá levar discos de clientes, mas nunca foram aprovados os orçamentos para a recuperação. Sempre acima dos 1000€. É claro nunca é garantida taxa de sucesso de 100%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.