Quantcast
PplWare Mobile

Tags: WeChat

Justiça dos EUA deve manter decisão de impedir o bloqueio do WeChat

O braço de ferro entre o Governo dos Estados Unidos da América e as aplicações chinesas mantém-se aceso. Depois que o Departamento de Justiça da administração de Trump recorreu da decisão do não banimento do WeChat, agora a Justiça norte-americana deverá manter a sua decisão, mantendo também a app em funcionamento no país.

Esta deve ser a decisão definitiva e a juíza Laurel Beeler disse em audiência que os novos pedidos do governo não mudarão este parecer.


EUA recorrem da decisão que impediu WeChat de ser banido do país

A novela em que são protagonistas os Estados Unidos da América e as apps e empresas chinesas ainda tem muitos episódios para chegar ao fim. Lembramos que o governo de Donald Trump quis banir as apps TikTok e WeChat do país. Mas o serviço de mensagens conseguiu obter apoio jurídico e, com isso, travar a ordem executiva assinada pelo presidente norte-americano.

No entanto agora o Departamento de Justiça da Casa Branca anunciou que vai recorrer desta decisão. O objetivo é que o WeChat seja definitivamente removido da AppStore e do Google Play Store.


EUA: Juiz suspendeu a proibição da app chinesa WeChat

A novela WeChat, Estados Unidos da América (EUA) e Trump continua! Hoje deveria entrar em vigor a proibição imposta pelo Departamento de Comércio de fazer download da app WeChat nos Estados Unidos. No entanto, a juíza Laura Beeler, da Califórnia, suspendeu tal proibição.

De acordo com dados mais recentes, a app WeChat é usada por cerca de 19 milhões de pessoas nos EUA.

EUA: Juiz suspendeu a "proibição de uso" da app chinesa WeChat


TikTok vai ser banido dos EUA já neste domingo, dia 20 de setembro

Parece que os dias de atividade do TikTok nos Estados Unidos da América estão contados. Segundo uma nota emitida pelo governo de Donald Trump nesta sexta-feira, a popular aplicação chinesa de vídeos curtos vai ser banida dos EUA já neste domingo, dia 20 de setembro.

Mas não é só o TikTok o afetado. Também o conhecido serviço de mensagens chinês WeChat vai deixar de estar disponível para distribuição nas lojas de aplicações no país norte-americano.


Administração Trump descansa a Apple, proibição do WeChat não se estenderá à China

Os jogos de poder entre os EUA e a China englobam agora ferramentas do dia a dia. Smartphones, 5G, apps, redes sociais… tudo o que o utilizador comum usa de forma descomprometida. Contudo, estes países têm interesses perversos e as jogadas à opinião pública são encapotadas com argumentos de lana-caprina. Por trás, jogam-se cartadas que valem triliões de dólares, posições preponderantes nos mercados, estratégias de defesa e outros jogos numa guerra surda. A Apple, assim como outras empresas, foi metida ao barulho e até o WeChat está na mira.

Depois de se perceber que a Apple poderia perder milhões, a administração Trump descansou a marca.

Imagem Trump e WeChat