Quantcast
PplWare Mobile

Tags: funcionários

Amazon avisa os funcionários para não partilharem informação sensível com o ChatGPT

O ChatGPT é muito esperto, mas, aparentemente, a Amazon teme que ele seja esperto demais. Por isso, avisou os seus funcionários para não partilharem informação sensível com o sistema de Inteligência Artificial (IA) da OpenAI.

O investimento levado a cabo pela Microsoft levanta questões de privacidade.

Amazon


Microsoft e Amazon vão demitir 28.000 funcionários esta semana

Nem mesmo as grandes empresas fogem à crise e às dificuldades económicas. E, tal como já aqui havíamos referido, só neste mês de janeiro houve mais 74% de demissões no setor tecnológico do que em dezembro de 2022.

Sabemos também que nomes como a Amazon e a Microsoft lideram essa mesma taxa de despedimentos e as últimas informações avançam que estas duas gigantes vão despedir, juntas, cerca de 28.000 funcionários ainda esta semana.

Amazon


Em janeiro houve mais 74% demissões nas empresas tecnológicas do que em dezembro

Estamos apenas com uma semana do mês de janeiro, mas a situação não parece estar nada fácil para o mercado tecnológico, especialmente se falarmos da força de trabalho das empresas do setor.

Segundo os últimos dados apurados, só neste mês de janeiro de 2023 já foram despedidas 74% pessoas a mais comparativamente ao passado mês de dezembro de 2022.


Amazon confirma que vai despedir mais funcionários do que o esperado

Conforme fomos sabendo no final do ano passado, 2023 será um ano repleto de despedimentos, em várias empresas tecnológicas. Uma delas é a Amazon que, apesar de se ter falado que iria dispensar 10.000 funcionários, decidiu aumentar esse número para 18.000.

Em todo o mundo, a Amazon emprega mais de um milhão de pessoas.

Amazon


Intel manda para casa 2.000 funcionários sem os demitir, mas também sem lhes pagar

A situação económica não está nada fácil para vários setores em todo o mundo. E o mercado tecnológico também tem sofrido com o aumento de preços de produção, com a venda de produtos mais parada, entre outras consequências desta crise que se tem sentido.

Do lado da gigante Intel, as últimas informações mostram que a empresa de Pat Gelsinger, nomeadamente a divisão localizada na Irlanda, mandou agora para casa cerca de 2.000 funcionários. No entanto, embora não os tenha demitido, também não lhes paga durante 3 meses.