Quantcast
PplWare Mobile

CEO da Toyota considera que os “carros elétricos estão sobrevalorizados”

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Abreu says:

    O problema está e na produção da eletricidade no Japão, os elétricos são muito bem vindos principalmente autocarros

    • says:

      Isso é como os motores térmicos.
      O problema não está nos motores, mas sim no combustível.
      O problema resolve-se com o E-FUEL, combustível sintético.
      Ver mais aqui: https://bit.ly/2J5Ofc3

      • Nuno says:

        ainda é demasiado caro e nao tem muito evoluçao para ficar mais barato mas os e-fuel só vao evoluir a partir de 2025 que é quando a formula 1 começa a usar tal como foi com os hibridos

      • Filipe says:

        O e-fuel não é nada mais que greenwashing. Ora o problema é a eletricidade nao ser produzida de fontes renovaveis… Entao vamos usar fontes renovaveis para produzir combustivel… Espera, entao o problema nao era a escassez de renovaveis??

        É muitissimo mais eficiente usar essa capacidade renovavel necessaria para o e-fuel para produzir eletricidade.

        A verdade é que a bosch começou esta investigação quando o problema que se previa era a escassez de petroleo e agora está apenas a tentar salvar parte do investimento. O e-fuel terá algumas aplicações mas nao é solução para nada em larga escala

      • RC says:

        Então e produzem E-FUEL com recurso a ???

        Pois é, afinal ficamos piores ainda.

        • ElConquistador says:

          Mais transformar a energia em algo com uma logística mais pratica.
          Ou será necessário ter milhares de baterias para termos energia a noite para tudo que vamos precisar, por isso e-fuel ou principalmente o hidrogénio é uma ótima opção.

  2. xico says:

    ALELUIA alguém sem medo de dizer a verdade e de ser politicamente incorreto!

    • SANDOKAN 1513 says:

      Concordo consigo a 100%.

    • Rui says:

      ele está é com medo ahah, ele nao mandou uma para a caixa alguem que lhe diga que é possivel fzer eletrecidade atraves do sol e do vento e não é possivel fazer petroleo nem do sol nem do vento

      • Manuel says:

        Ele é o numero da Toyota.
        Tu és… um Rui. a quem a net deu chance de dizer umas bacoradas

        • Abreu says:

          O Rui tem razão, pode se fazer energia de fontes renováveis.

        • Rui says:

          no entanto acertei mais que ele e sabes porque? porque eu nao tenho de dizer este genero de coisas para ajudar a minha empresa, ele não está a dizer isto porque é o que ele acha ele diz porque a toyota está atrasada nos eletricos

        • LCosta says:

          Pois ele é o Rui e por isso nada rem a perder ( directamente ) no assunto….. Já o numero 1 da Toyota …. E a propria Toyota ……

          • Pedro says:

            se pensarmos um bocadinho, o homem não está a ser assim tão visionário quanto isso. O que ele diz, já muitos outros disseram.

            Havendo um consumo elevado de electricidade, o que é que se vai fazer? Queimar carvão, petróleo e outras porcarias. Vai ser pior a emenda que o soneto!

            Mas que os carros vão deixar de emitir co2, vão… e bingo, temos carros ecológicos, areia nos olhos, e as petrolíferas a encher ainda mais os bolsos!

            O futuro está no hidrogénio, caros…

          • RC says:

            @Pedro então e criou carros a hidrogénio, onde ele vai buscar hidrogénio sem usar eletricidade ? isso parece uma contrariedade do homem.

          • RC says:

            Mas está no hidrogénio como ? ele tem de ser produzido, desculpam-se que vão fabricar com eletricidade ???? fico sem perceber, não há eletricidade nem lítio para carros elétricos, mas há eletricidade e lítio para carros a hidrogénio que consomem 5 vezes mais.

            Tá certo…looool

        • RC says:

          Ele é aquele que recebeu milhões de financiamento para fazer carros a hidrogénio que ninguém quer nem vai querer e até são mais caros que os elétricos, em todos os aspetos, aquisição e consumo.

          Portanto, desculpas porque quem caminhou noutro sentido e agora em vez de reconhecer o erro atribui culpas aos outros.

          • Pedro says:

            Certo. Tens razão no que dizes sobre o hidrogénio ser menos eficiente e precisares de electricidade para o produzir. Também precisas de baterias à mesma.

            Por outro lado, não precisas de baterias de 300kg num Mirai como precisas num Model X.

            A titulo de exemplo, no nosso país, algo que se falou há uns tempos foi aproveitar a energia desperdiçada das barragens para a produção de H2. Outros países poderão naturalmente reaproveitar a electricidade desperdiçada à sua maneira.

            Se em vez de utilizares a energia desperdiçada para carregar os carros, usares para a produção local ou regional de H2 (que pode ser armazenado), acabas por ter uma eficiência muito maior e um desgaste muito menor em termos de recursos – as baterias. Sim, como sabes, as baterias têm prazo de validade, custo e impacto ambiental consideráveis, e já se viu a que preços pode chegar uma bateria dum simples Nissan Leaf(>2000€).
            A bateria dum prius não plug-in (que deve ser mais ou menos a mesma que a do Mirai) anda a volta dos €1500 – muito mais pequena e muito mais barata…

            Ou achas que se a toyota acreditasse nisso já não tinha mandado para fora um carro eletrico?

            Vejamos. Mecânica super simples, fácil de construir, modular e ainda por cima fiável?… para um dos maiores construtores do mundo, especialmente reconhecido pela fiabilidade dos veículos que vende, não me parece nada de especial.

            Plug-ins eles já têm. Era só uma questão de retirar o motor termico, colocar baterias maiores e motores mais potentes.

            Portanto, na minha opinião o homem está a ir contra a maré, é verdade.
            Mas é dos poucos que está a ser racional e a dizer aquilo que os outros não querem ouvir.

            So não fazem porque não querem. É outra estratégia…

          • RC says:

            Pedro, o mesmo problema que têm as baterias têm as células de combustivel, os motores, todos eles têm uma vida limitada, e destes 3 o que tem uma menor vida são as fuel cell, por isso tanto fracasso até agora, à mais de 60 anos que se investe em fuel cells para carros, e o que tem agora ? carros com eficiência de 20 a 30% e que têm uma autonomia baixa comparada com os atuais elétricos e a custarem muito mais.

            A bateria de um simples nissan custa como sempre custou 7000 euros + montagem + iva, os preços que vê nas noticias são sensacionalismos e enganos nas concessionários, nem a bateria do tesla com mais capacidade custa 20000 euros.

            E sabe quanto custa uma fuel cell para um mirai que dura na melhor das hipóteses 5 000 horas ? o suficiente para fazer uns 100 a 200 mil kms ? Sim, ela não vai durar para sempre, se os fabricantes delas anunciam uma vida de 5 a 10 mil horas.

            A toyota não acredita no elétrico porque recebeu milhões de investimento de várias empresas privadas e do governo japonês, se isso acontecesse comigo, ai que não acreditava, até lhes fazia uma vénia….

            O problema é este, foram por outra via, hidrogénio, e ficaram para trás nos 100% a baterias, agora atribuem aos outros a culpa, mas estranho, porque os carros deles a hidrogénio são bem mais caros que os equivalentes a baterias, isto não é mais que hipocrisia pura.

            Já agora a bateria nova na marca para o prius custa 2400 + iva + montagem, tem apenas 1.4 kwh de capacidade, comparando com a bateria do nissan que custa 7000, são:

            Prius – 2400 / 1.4 = 1714.3 euros por kwh

            Leaf – 7000 / 40 = 175 euros por kwh

            Ou seja, a bateria do prius tem um custo 9 vezes superior à do leaf.

            Não é bem só tirar o motor a combustão, tem de ter motores e controladores 2 ou 3 vezes maiores, baterias 40 vezes maiores, entre outras peças onde a dimensão conta, além disso tem de fazer um chassi próprio para elétricos, senão fica como audi, jaugar, mercedes, entre outros que têm um elétrico usando um chassi de combustão, que são atualmente os elétricos mais ineficientes e consumidores que existem, não admira até que aparecem artigos a falar de carros elétricos que consomem mais que diesels.

            Só não fazem porque ficaram para trás a gastar os milhões de outros, e agora não aparecem mais milhões dados para gastar, essa é a questão, portanto é mais fácil dizer que o mundo é que está errado e eu estou certo. LOL

    • Pirata das cabernas says:

      Eu até diária que ele não disse nada disto.. Ou então andou a fumer tabaco fora de praso. Vindo de quem vem isto nem faz sentido… Até porque foi a Toyota que começou nos elétricos.

    • LCosta says:

      Xico ….. Esperto

  3. José says:

    Verdade, para além da poluição para produzir mais eletrecidade ainda existe o lítio… O hidrogénio devia ser o futuro.

    • says:

      O eléctrico é o futuro, mas ainda não chegamos lá, a evolução faz-se por etapas.
      Mas os fundamentalistas dos eléctricos pensam que já chegamos ao fim do ciclo.
      Neste momento a solução mais lógica é a Pilha de de combustível ou Célula de combustível, mas ainda necessita de ser mais desenvolvida.

      • RC says:

        Errado, os que apoiam os eléctricos sabem que estamos no caminho, agora defenderam o hidrogénio a dizer que não é com base em elétricos é mesmo falta de conhecimento, por vezes nem entendo para que usam a internet, só se é para dizer disparates.

        Então um carro a pilha de combustivel é o quê ? não é electrico na mesma, não usa baterias na mesma, não usa liito na mesma, além de usar platina, cobalto, niquel e tudo mais, com a desvantagem de ser muito menos eficiente que um electrico puro com baterias ?

        • Antropodes says:

          wtf
          Não entendeste nada do que o Rui escreveu.
          Fartei-me de rir quando cheguei a:
          “um carro a pilha de combustivel é o quê ? não é electrico na mesma, não usa baterias na mesma”.
          Santa ignorância.
          Deves ser licenciado em redes sociais, tolo ou insciente.

          • RC says:

            LOOOOOOOOOOOL

            Então mostre lá um carro a hidrogénio que não seja elétrico e que não use bateria, depois vamos ver quem é o ignorante.

      • J Ferreira says:

        Porquê que a solução é uma só? Não podem haver várias soluções como na natureza?

    • acs says:

      Hidrogénio também tem os seus problemas e também custa muito a produzir. O problema aqui não é a tecnologia mas o rush da mesma. Querem mudar tudo rapido de mais sem pensar nas consequências e sem ser sustentado.

    • eu2 says:

      Com energias renováveis suficientes, quer a poluição causada por essa eletricidade e por esse lítio podem ser eliminadas. O mesmo não acontece com motores a gasolina ou gasóleo.

    • RC says:

      Então e hidrogénio não usa litio ?

      Não usa metais nobres ?

      Caiem do céu ???? ALELUIA, ALLLLEEEELLLLLUUIIIIIIIIIAAAAAAAAA

  4. says:

    Palavras de quem maturou o assunto, com conhecimento intrínseco à sua profissão.

    Mas venham lá os fundamentalistas dos v.e. eléctricos botar opinião, sempre é divertido…

    • RC says:

      Tem de ler o resto da história da toyota para perceber o que se passa, a toyota juntamente com outras empresas receberam financiamento do seu governo e também de privados para investir no hidrogénio, ora como esse finaciamento já era e a toyota não consegue vender os carros porque além de pouco duradouros e não existir postos de abastecimento, e os que existem praticam preços altos, ninguém quer os carros, porque são mais caros que os elétricos a baterias e menos eficientes, gastam 5 a 8 vezes mais para fazer os mesmos kms, portanto agora desculpa-se que não dá, pois claro.

      Além de que o homem é doido, como é possível passar de um dia para outro a tudo elétrico, nem é possível devido a questões económicas, a não ser que o governo ou as marcas deem os carros às pessoas, nem em termos de infraestrutura, por isso mesmo os governos começaram a traçar metas para daqui a 10, 20 e 30 anos, com previsões otimistas, deixarem de vender a combustão, e diga-se que a partir dai, ainda os carros a combustão vendidos até então, vão durar mais 10 ou 20 anos.

      Portanto a leitura que faço do pensamento deste homem é “pois, usei o dinheiro para aquilo que não funciona e agora fiquei para trás, em vez de assumir o meu erro, digo que os outros estão errados”

      Pois é…..

  5. R says:

    E aí vão concluir que, actualmente, só recorrendo à energia nuclear é que se pode ter a produção eléctrica necessária.

  6. jaugusto says:

    ah ah os maiores consumidores de electricidade são as refinarias,,, emissões de dióxido de carbono então e o petroleo: limpinho, limpinho. Classes mais baixas, basta ver os preços dos carros feitos china, os carros acabaram com o tempo por baixar os preços com a massificação, esquecendo que qdo tinha um carro com 90 mil kms limpava-me os subsidios de férias para o manter e passar na inspecção.

  7. ToFerreira says:

    E tem toda a razão.

  8. Ola says:

    Não concordo. O problema do Japão é depender tanto combustíveis fósseis para produzir electricidade. Os elétricos podem ser um empurrão para começarem a produzir mais energia limpa.

  9. Lelo says:

    Palavras de um dos maiores construtores de fosseis, acomodadas à especificidade económica do Japão, em crise à quase 30 anos e, pelos vistos, ao escasso investimento em produção de eletricidade “verde”.
    Quanto ao Black out, é no mínimo anedótico. Se, no espaço de 1 ou mesmo 2 anos toda a frota fosse eléctrica, obviamente que não haveria eletricidade suficiente com os meios de produção actuais, a não ser aumentar e muito a queima de carvão ou gás, seja no Japão ou em qualquer outro país, além da escassez de respetivos postos de carregamento. Por isso se dá o nome de Transição Energética.
    Devagar, mas com o objetivo definido.
    Parece mais conversa para agradar a acionistas…

  10. xico says:

    Havia de ser bonito. Nos com tao pouca água e totalmente dependentes dos espanhois, Ou andávamos de carro, ou morríamos à sede

  11. Zk says:

    Isto serve só para esconder o atraso da toyota em veiculos totalmente eletricos. Pela concersa dele, ate parece que a toyota so fabrica carros para vender no Japão.

  12. Zk says:

    A BMW, a pouco tempo atrás despediu um gajo que tambem achava que nao valia a pena investir em elétricos. O gajo acabou por atrasar a marca face à concorrencia em relacao a veiculos totalmente eletricos.

  13. Nuno Amaral says:

    Se estivesse assim tão preocupado apostava na inovação da energia nuclear e não em baterias que ajudam a que aconteça o black-out…

  14. Rui says:

    e pronto ja sabemos mais uma marca que vai ficar para traz, para a nokia os ecra tateis tambem eram sobrevalorizados

  15. Nuno says:

    Alguem que diga ao home que se pode fazer energia limpa e nao se pode fazer petroleo atraves do vento

  16. TugaTesla says:

    Os carros elétricos valem cada cêntimo que custam.
    O meu M3P tem 68.000Km e até hoje só tive de substituir os pneus.
    Gastei ZERO euros em manutenções e reparações.
    Faço 100km com DOIS euros.
    Os calços e discos de travão estão novos, filtros e óleos não gasta.
    O consumo e as prestações melhoraram com as permanentes actualizações do software.
    Agora digam lá algum carro com motor a combustão que se compare.

  17. Joao Ptt says:

    Se há coisa que a Toyota é (ou pelo menos era) conhecida é por levar a qualidade a sério, demoram tempo a sair com as coisas, mas quando sai é para durar e ser o melhor possível.

    O dito senhor parece falar da realidade que conhece neste momento no seu país, com todas as particularidades inerentes… ele não parece andar a “navegar” na fantasia.

    Claro que em 10 anos é possível imaginar a adaptação da rede eléctrica se os políticos decidirem que é mesmo para ficar tudo eléctrico. Pessoalmente não gosto da ideia de usar tudo a mesma coisa, gosto de diversidade, para garantir redundância.

  18. falcaobranco says:

    Está tudo dito, tem toda a razão e só esta frase:

    “…se toda a frota automóvel passasse a ser elétrica e estivesse em funcionamento, o país enfrentaria um blackout.”

    Diz tudo sobre a massificação dos eléctricos no mundo…porque não é só o Japão que sofria…é qualquer país do mundo se desse esse passo.

    • JJ_ says:

      Mas isso é praticamente impossível acontecer nos próximos 10 anos no mínimo. Por vários motivos: não teres capacidade de produção, não teres veículos que consigam substituir todo o tipo de veículos a combustão, as pessoas não tem capital para comprar carros novos, entre outros.

      Eu em 1930 conseguia dizer o mesmo: “se um terço da população de um país tiver um carro, o país enfrentava um blackout”. Hoje dirias que eu tinha sido um pessoa com pouca visão do futuro.

      As coisas levam o seu tempo a serem feitas. Tens de começar a investir na produção elétrica mais limpa. E talvez daqui a 10/15 anos, já tens uma capacidade maior, e daqui a 30 anos o uso de veículos a combustão já é muito reduzida ou inexistente.

      O problema é quando as pessoas começam a olhar para o que existe hoje como a única solução para as coisas… Mas a historia tem provado, que as coisas mudam e devemos deixar em aberto varias possibilidades.

      • RC says:

        Exacto, em Portugal por exemplo os carros são mantidos por mais de 20 anos, portanto, é IMPOSSIVEL fazer a transição em menos tempo, o que deixa muito tempo para adaptações, e já agora sobre energia, o Japão pode ser um pais atrasado, segundo este senhor diz, mas em Portugal se todos os veiculos passassem a elétricos o consumo de energia aumentava 14%, fiz as contas tendo em conta o parque automovel nacional, usado a média de kms que fazemos e usando um tesla S P100D como referência de consumo.

        De salientar que a produção desde 2010 até 2016 (ano em que houve maior consumo) aumentou cerca de 20%, portanto, até se poder dizer que amanha segunda feira todos os carros podiam ser elétricos que não havia problema nenhum, já que o consumo no ano 2019 (este não conta devido ao estado em que estamos) foi menor em cerca de 16% do que em 2016.

    • RC says:

      E como é possivel isso acontecer, ele vai dar o carro ás pessoas ???? ou as pessoas têm dinheiro a mais e agora vai tudo a correr comprar carro.

      Não, não tem razão nenhum e nem é preciso ser economista para ver que isso não acontece, quando a ford lançou o ford T no inicio do século também foram todos a correr comprar ?

      • Gigbola says:

        Será que não havia carros com motor a gasolina antes do Ford T?

        • RC says:

          Havia, mas sem produção em massa.

          • falcaobranco says:

            JJ_ mas a ideia é mesmo essa… é começar a trabalhar nisso para que daqui a 10/15 anos pensar-se muito seriamente em começar a mudar-se para os electricos para o futuro… eu sempre disse o mesmo a muita gente, os electricos ainda têm “muito caminho para andar” porque não podes implementar medidas limpas de um dia para o outro… não só pela massificação de vendas dos veiculos como pelo poder economico de cada país…

            Por ex. a veres pelo nosso qd tens a media do parque automovel na casa dos 12/15 anos… o que se espera? Que as pessoas larguem os carros e comprem um electrico? Não…compram outro a combustão…

          • RC says:

            Nem mais @falcaobranco.

  19. Ice says:

    Será porque Toyota não apostou nos eléctricos … Foi má escolha estratégica , a Alemanha à uns tempos estava igual mas parece que mudou lado …até BMW , os outros estão todos errados Toyota está certa, está defender sua sobrevivência, talvez da forma errada.

  20. TXG says:

    Pode ser pq a Toyota está atrasada nos electricos? Pode. Pode ser pq as regras nas emissões cada vez estão a apertar mais e isso os afeta? Pode.

    Mas, tem razão no que diz. Muitas vezes as decisões, principalmente da Europa, e não só nestas questões, são decisões de 1o mundo. Se quisermos acabar, de uma forma tão radical como se fala, com os veículos a combustão (marcas a deixar de produzir motores e assim) então temos que ter em conta que muitos países, lá está, o 3o mundo, vão ficar ainda mais atrasados do que estão agora, o fosso cava-se mais e podemos esticar isto ao ponto de mais refugiados às portas da Europa. Não se podem tomar estas decisões de forma tão radical só por nós, não somos um continente, somos um mundo.

    • RC says:

      Porque foi financiada pelo seu governo e até por privados para produzir veículos a hidrogénio, como não são viáveis e ninguém os quer, sente que ficou para trás, portanto em vez de assumir o erro, culpa os outros.

  21. Tiririca says:

    Este Toyoda fuma umas ervinhas p’ra rir.
    Nem se esperava outra coisa do presidente das companhias de produção automóvel do Japão

  22. Miguel says:

    O Toyoda refere-se ao Japão, mas pode-se utilizar a mesma bitola para outros países ainda muito depe dentes de combustíveis fósseis para a produção de electricidade e com uma produção incapaz de satisfazer o aumento provocado pelos carros eléctricos.
    Onde estou, na Irlanda, já se fala dos problemas que os data centres vão causar há produção eléctrica e se adicionarmos os automóveis, o problema será maior.
    Há que repensar, pois o eléctrico não e solução para todos. Para mim não é certamente, pois custam 15.000€ mais que o equivalente a gasolina e como não posso carregar em casa e usar bi-horario, tenho de carregar a 0.30€ por kWh o que contas feitas, nem em 10 anos recupero a diferença.
    Enquanto os eléctricos não estiverem a preços mais próximos dos seus equivalentes a gasolina, vou continuar com híbrido, que apesar de mais caro que 100% gasolina, proporciona alguma poupança, não só de combustível mas também co2.

    • GM says:

      Eu, com a preocupação de reduzir a emissões de CO2, e de reduzir no custo directo de utilização e sem investir uma fortuna, optei por um Clio Bi-fuel. A GPL emite cerca de -10% de CO2 que a gasolina. E no que respeita ao custo de combustível, com 19€ faço 430km (a GPL). Comprei-o com 677km (viatura de serviço) por 15600€. Para mim, aposta ganha.

      • GM says:

        Esqueci-me de dizer que o GPL é do AUCHAN, a 0,599€/l.

        • RC says:

          No caso de um clio bi-fuel à dias fiz contas para um amigo e aos 70-80 mil kms a diferença estava reposta. Não se esqueça que de vez em quando tem de gastar um depósito de combustível também.

          • GM says:

            Cá em casa, é a minha esposa que o conduz, faz 4 depósitos de GPL e um de gasolina. Permite cerca de 2200km/2300km, pelos relatos que tenho.

          • RC says:

            Então gasta por cada 100 kms

            19/4.3 = 4.418 € GPL
            39 / 22.5 * 1.4 (gasolina) = 2.426

            Total por cada 100 kms = 6.844 € / 100 kms.

            É idêntico a um carro diesel que faça 5.2 litros aos 100, claro que este ultimo (diesel) é mais caro na aquisição e também na manutenção.

            Não se esqueça que usou o consumo anunciado do carro, eu vejo relatos de que esse carro consome 8.5 a 9 litros de gpl/100 kms, um se usarmos o consumo anunciado do clio diesel que é de 4.2, então andar a gpl é mais caro, os a diesel custam mais 2500 euros que o bifuel.

            Portanto fez um bom negócio, mas só compensa se andar pouco, para mim esse carro não dava, e ando de elétrico, vai achar ridículo, mas tem a sua explicação, eu faço até 240 kms por dia, quer dizer que com esse carro tinha de abastecer de 2 em 2 dias, é certo que o carro que tenho abasteço todos os dias, pois a autonomia dele é de 350 kms, mas é algo que não tenho de perder tempo, ou seja, chego a casa ou ao trabalho e perco 10 segundos a carregar a viatura. Perto de casa nem tenho postos, tenho de fazer cerca de 15 kms para chegar ao gpl.

      • Miguel says:

        Ai está um bom exemplo… Eu conduzo um Toyota Auris híbrido que me faz 4.5l/100km. Comparando um Hyundai Kauai ou lá como se chama em Portugal, custa aqui na Irlanda 25.000€ a gasolina, 30.000 híbrido e 39.000 eléctrico, já com as ajudas governamentais. Com estes preços quais as vantagens do eléctrico para gasolina? 14.000€ de gasolina fazem muitos kms e enquanto os preços dos eléctricos nao baixarem, o Sr. Toyoda tem toda a razão e eléctrico não e solução.

        • RC says:

          Depende dos kms que faz, o kaui cá fica por 38500, com o incentivo fica em 35500, tem 10500 diferença,, se considerar 120 mil kms e 6 anos, já que tem de pagar a luz que ele gasta, tem o carro ao mesmo custo, ainda goza de mais 2 anos e/ou 80 mil kms de garantia.

          Se entregar um carro para retoma vale até 4000 euros de retoma, baixando o valor da diferença para 6500 euros, a diferença era reduzida para uns 70 mil kms e 4.5 anos.

          Depois ainda tem outros benefícios, como estacionamento gratuito na maioria das cidades, descontos nos carregamentos rápidos, 20 %, isto porque o numero que usei anteriormente considera apenas o custo de carregar em casa, cerca de 1.2 € a cada 100 kms. Caso seja empresa não fazem retoma mas permite deduzir o IVA e não pagar taxa autonoma.

          Também inclui a revisão anual e a isenção do IUC (imposto automóvel).

          • Miguel says:

            Tudo depende onde carregas o carro. Eu não posso carregar em casa e aproveitar os 0.08€ por kWh no bi-horario e só posso carregar nos carregadores públicos onde o kWh custa 0.30€ (não há 20% desconto nem nada parecido onde eu vivo).
            Para mim, nem ao fim de 10 anos um eléctrico compensa quando comparado a um híbrido (não plugin) por exemplo.
            Há muitos factores a considerar e a mudança gasolina/gasóleo para 100% eléctrico não compensa para todos.

          • RC says:

            Eu carrego em casa, tenho o kwh já com iva a 0.093 €.

            Sim, para quem não pode carregar em casa, eu nem sequer aconselho a comprar, ao menos que consigam no trabalho, mesmo assim não aconselho.

            Quanto não compensar a todos está enganado, eu faço até 240 kms por dia, e posso e carrego maioritariamente no trabalho. Não pago estacionamento nas cidades onde vou, e nunca usei carregamento rápido.

            E comprei a viatura por menos de 10 mil euros.

          • RC says:

            Por cá, o meu plano de energia também dá 20% de desconto e ainda tenho kwh à borla, não sei quantos porque nunca usei.

          • RC says:

            Mesmo que tivesse comprado novo, compensava na mesma, pelas contas em 3.5 anos tinha a diferença para um diesel da mesma classe.

    • J Ferreira says:

      Se pagar a energia elétrica a 0,3€/kwh a mobilidade elétrica não se torna mais económica do que um híbrido com um consumo de 2litros/100km. Nesse caso sendo o consumo normal de 15kwh/100km o EV gastará 4,5 euros de energia elétrica por 100km. O híbrido gastará 2×1,5 = 3€/100km de autonomia. Logo, o EV só compensa se for carregado em casa. Além disso, no dia em que forem todos os casos EV teremos problemas ambientais gravíssimos e as corporações vão cobrar 0,50€/kwh nos postos públicos tornando a mobilidade elétrica insustentável. andamos a ser enganados.

      • RC says:

        Se de hoje para amanha se transforma-se tudo em elétrico, sim, mas não é esse nem o panorama económico, nem é possível porque não existe fabricas para isso, nem desejável.

        Se venderem carros a combustão até 2035, que nem eu acredito que seja tão cedo, esses mesmos vão durar mais 15 ou 20 anos.

        Esse preço é para carregamentos rápidos e nem todos têm esse preço, eu em casa carrego por 0.093 € (com IVA) por kw, o meu veiculo consume 12 a 13 kwh por cada 100 kms, sem a 1.2 € chega. Nunca precisei de carregar fora.

        • J Ferreira says:

          Boas. O seu é um caso particular ….Com um híbrido faço 3.000km por deposito. Esse deposito custa 40 euros. 40/3000×100 = 1,3 €/100km …. como carrego na empresa o meu híbrido, tenho um gasto equivalente ao seu elétrico. Mas são casos particulares ….

        • J Ferreira says:

          A sua energia é muito barata. O carro só gasta 12/13 kwh/100km??? Só faço esse consumo eletrico a poupar……

  23. Rafael says:

    Palavras sábias…
    Os carros elétricos são uma anedota ainda e uma mentira em termos de serem “amigos do ambi€nt€”.

    Mas também quando tudo se fala para bem do Ambiente não percebo como é que nunca falam dos Grandes Aviões comerciais e das Embarcações… Esses são os intocáveis. Só uma viagem de 700kms de um Avião comercial fará quantos Kms num carro convencional a Diesel ou a Gasolina!? É muita diferença…

    • RC says:

      Você é que é uma anedota, já viu algum navio e/ou avião a transportar apenas o piloto e o co-piloto ? LOL

      Então bora deixar os navios e aviões em terra e fazer tudo com transportes terrestre. Oh santa…

      E não, está redondamente enganado, o maior poluidor são os transportes terrestes privados.

      • TT says:

        Mentira! Os transportes terrestres privados são responsáveis apenas por 9,9% da poluição na UE!

      • Rafael says:

        Antes de comentar informe-se primeiro muito melhor, não é nenhuma anedota, enquanto que num avião em cálculos de Emissões numa viagem de 700kms, você num carro a Diesel fará muito mais de 200mil Kms ainda com o mesmo Co2.

        Isso dará com certeza para ir buscar e pôr os passageiros várias vezes! 😉

        Acredite em tudo o que lhe dizem, mas cada um é livre de exprimir a sua opinião mas não é mentira nenhuma, que tanto os Aviões como os Barcos são os intocáveis. Os Veículos terrestes como já foi dito pelo TT só corresponderá a uma baixa percentagem da poluição. Simples.

        • RC says:

          Então e o avião anda vazio com o piloto, os navios andam vazios ?? Tem de equacionar o que realmente fazem, senão daqui a pouco até dizem que uma bicicleta a andar polui mais que um carro parado, já que está a gastar pneus e calços de travão mais a energia que o ciclista consome.

          Por não acreditar é que procuro informação, leio e tudo mais, em vez de andar com uma bola de cristal no bolso e fazer achismos.

          Eu deixei um artigo a contrariar a sua opinião, você é que não acredita no que lhe dizem e acha que a sua bola de cristal, tal como o TT é que estão certos.

          Então diga-me lá qual destes veículos polui mais:

          1 veiculo médio que consome 5 litros / 100 e transporta 2 pessoas , ou um camião que transporta até 40 toneladas peso bruto ( 28 a 32 toneladas de carga) e consome 25 litros aos 100 ?

          Não são intocáveis, apenas é ridículo mete-los na equação porque se passarmos esse transporte para terrestre e por camião além, de se agravar o problema da poluição passávamos a viver no século XV onde se pensava ainda que não existiam continentes. loool

        • RC says:

          Já agora, eu informei-me , até lhe deixei um link do relatório dos que entendem desse assunto e são pagos por todos os europeus dentro da UE, espero que o tenha lido.

        • RC says:

          Sobre o consumo dos aviões, eles consomem em média 2.67 vezes mais que um carro médio com 5 pessoas dentro, a grande diferença é que a lotação média dos carros não chega a 1.2 por veiculo, um avião sempre acima de 90% de lotação, andam a uma média de 30 a 40 kmh, ao invés dos 800 a 900 kwh de um avião, além de que os carros não atravessam oceanos, portanto é fácil verificar que realmente poluem menos, apenas e só pela lotação com que são operados.

        • RC says:

          Sobre os barcos, sim poluem, mas menos, e sabe porque poucos se preocupam ? porque além serem essenciais, eles gasta um residuo do petróleo, onde acha que iria parar o combustivel que eles gastam? provavelmente iria para os rios ou tinham de enterrar, porque os motores dos carros nunca vão conseguir consumir esse combustivel.

          Existe muito mais em todo este assunto que apenas noticias de jornaleiros sensacionalistas, é claro que uma noticia que diz que um barco polui mais que todos os carros de lisboa é mais lida que uma que diz o contrário, é isso que as pessoas querem ouvir, por isso é que se diz que o ser humano prefere a mentira do que a verdade.

    • J Ferreira says:

      Nenhuma solução é boa se for exclusiva porque vai gastar todos os recursos dessa área. A solução é a diversidade. EV, PHEV, GAS, H2, HV, ….. é uma enorme estupidez colocar a pressão toda sobre uma solução tecnológica … leva partidos e políticos estúpidos a negar as soluções tecnológicas mais eficientes em nome dos lobbies

  24. TT says:

    Qualquer pessoa com dois dedos de testa concorda com o Akio Toyoda e sabe que ele tem razão em tudo o que afirma, os carros eléctricos estão aí para limitar liberdades!

    • RC says:

      Ai sim, então porque é que a toyota gastou milhões a produzir um carro a hidrogénio que não consegue vender e é mais caro que um electrico.

      Limitar liberdades ?? explique como se eu não tivesse um.

      • J Ferreira says:

        RC não é o problema da tecnologia EV. Eu estou exclusivamente com a eletrificação automóvel há 20 anos e leio destas palavras que quando só houver EV os problemas serão no mínimo tão graves como com 100% MCI. A natureza já nos ensinou que a diversidade é útil e bem sucedida.

        • RC says:

          Certo, concordo com isso, tanto que as melhores previsões nem atribuem 50 % de EV no parque automovel nem daqui a 30 anos (2050).

          Para já a diversidade é o melhor, e estender a vida dos veículos económicos, sejam eles a gasolina, gasóleo ou palha também o é.

      • J Ferreira says:

        O Hidrogénio (isto é, os híbridos EV + hidrogénio) é uma tecnologia interessante para muitas soluções. Não é para todos os casos, nem para todos os mercados.

        • RC says:

          Hidrogénio é um EV normal, com uma bateria mais pequena e um gerador de eletricidade a bordo que usa hidrogénio e oxigénio do ar à sua volta.

          Consegue até purificar o ar, porque tem de ter um filtro HEPA para poder usar o ar que respiramos, e deita água em forma de vapor pelo “escape”.

          O problema destes tá no custo do hidrogénio, eficiência ridiculamente baixa, pior que um veiculo a gasolina, e no custo das fuel cells, que até usam platina, muitos milhões se tem gasto para encontrar uma forma melhor, mas encontrar ou fabricar materiais que pouco ou nada oxidam devido à reação química tá complicado.

          Mas a eficiência vai ser sempre baixa, porque é uma reação química que não dá para fazer de outra forma, liberta muita energia em forma de calor.

  25. J Ferreira says:

    A diversidade é a solução! Se todos os carros tiverem a mesma tecnologia vai repetir-se o atentado ambiental dos MCI e destruir o que sobra da natureza.

  26. J Ferreira says:

    O EV só compensa enquanto não forem todos EV.
    Veja-se:
    Se agora pagar a energia elétrica a 0,3€/kwh (nos postos públicos antes do aumento brutal que virá) a mobilidade elétrica não se torna mais económica do que um híbrido (ou híbrido plugin) com um consumo de 2litros/100km.

    Nesse caso sendo o consumo normal de 15kwh/100km o EV gastará 4,5 euros de energia elétrica por 100km (15*0,3).

    O híbrido gastará 2×1,5 = 3€/100km com uma autonomia de 2.000 / 4.000 km. Logo, o EV só compensa se for carregado em casa.

    Além disso, no dia em que forem todos os casos EV teremos problemas ambientais gravíssimos e as corporações vão cobrar 0,50€/kwh nos postos públicos tornando a mobilidade elétrica insustentável. Andamos a ser enganados. A mobilidade EV nos postos públicos vai custar 15 x 0,5 €/kwh = 7,5 € /100km, no mínimo.

    • RC says:

      Neste momento há poucos operadores, além de haver pouca concorrência, há que pagar o investimento, quando o investimento estiver pago, será mais barato.

      Se aumentar para os elétricos, aumenta também para todos. é como considerarem que se houver mais ev a energia elétrica aumenta, certo, mas aumenta para todos, logo quem tem EV continua com a mesma diferença.

      Desculpe, mas qual o hibrido que consumo 2 litros/100 kms ? ele consome 2 litros, porque é plugin, ou seja, o restante é eletricidade. Além disso as suas contas têm de ser mais reais, se considera 2 litros num híbrido, tem de adicionar o restante da eletricidade e considerar um consumo mais baixo para 1 ev, um ev a gastar 15 kwh é como um diesel a fazer 5 litros.

      Problemas ambientais de quê ?? nem daqui 30 anos vai ser tudo EV, na melhor das hipóteses 50 %, os fabricantes já estão a abandonar o lítio e o cobalto no fabrico de baterias, haverá outro tipo de impacto, mas nunca tão grave como consumir algo que só dura uma vez…. e baterias já são 98% reciclaveis.

  27. VARebelo says:

    Este “Toyota” é uma comédia.

    “Quanto mais carros elétricos produzirmos, mais as emissões de carbono aumentarão.
    Referiu Akio Toyoda.”

    Até parece que uma central termoeléctrica para alimentar exclusivamente 1k de VE produz mais CO2 do que o mesmo número de veículos de combustão(VC) que seriam retirados da estrada, isto na pior das hipóteses. Se por hipótese todas os VE fossem alimentados a 100% por centrais elétricas já haverá um ganho.

    “Relativamente ao Japão, o número um da Toyota alertou que, se toda a frota automóvel passasse a ser elétrica e estivesse em funcionamento, o país enfrentaria um blackout.”

    Tretas
    “se for a 100km/h contra uma parede e não travão tenho um acidente”
    1- “Forçar” os carregamentos depois das 22H divididos em 2 sectores, os carros serão informatizados é fácil de fazer
    2- Os VE que estão ligados há rede podem e devem receber e fornecer energia, estabilizando a própria rede e havendo aí um ganho muito grande na rede e não um prejuízo
    3- Se todos ligarem os VE há rede ao mesmo tempo, cria o mesmo efeito que se hoje todos nós chegaremos a casa ao mesmo tempo e ligarmos tudo o rede não aguenta, com a vantagem que os VE são “inteligentes” o suficiente para esperar por melhor hora para carregar
    O mesmo acontece em todos os sistemas (água, gás,…)
    4-Incentivem a produção elétrica própria para ajudar a estabilizar e rede
    5-Considero isto uma falsa questão, basta não ir na cantiga da EDP que quer continuar com o controle do mercado

    “Posteriormente, seria necessário criar uma infraestrutura capaz de suportar toda a eletricidade necessária e que custaria entre 14 e 37 mil milhões de ienes (de 110 a 290 milhões de euros).”
    Por este preço eu aceitava já,
    10.000Milhões previo a Volkswagen em 2018 investir no desenvolvimento de motores de combustão no prazo de 10anos.

    “O CEO mostra-se claramente preocupado com a massificação dos carros elétricos, uma vez que o Japão depende fortemente do carvão e do gás natural para produção de eletricidade”
    Até parece que os outros carros não necessitam de petróleo.

    “Além disso, o CEO teme que a regulamentação cada vez mais rigorosa, quando relacionada com os carros movidos a combustíveis fósseis, retire os carros do alcance das classes mais baixas.”
    Por isso é que ele desenvolveu um Mirai baratinho para o povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.