Quantcast
PplWare Mobile

Maioria considera a Qualcomm como a melhor marca de processadores para smartphones

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Antoninho Pitágoras says:

    No mundo a maioria também são ovelhas, são menos os out of the box

    • SSD says:

      E só por curiosidade o que é seria ser “out of the box” neste caso?

      • Antoninho Pitágoras says:

        Nao sei qual é o melhor, só digo que é apenas a maioria é nada científico. Mas neste tipo de perguntas por norma a maioria segue modas, ou vota por gostos pessoais, ou guerras de marcas sem de facto saber qual é o melhor.

        • Toni da Adega says:

          Se não sabes qual é o melhor como é sabes que a maioria está errada?

        • SSD says:

          Certo mas neste caso não se aplica. Claro que neste a maioria vai votar por gosto pessoal num questionário de opinião, se houve pessoas que já experimentaram pelos menos os 2 principais para saber qual o melhor, duvido mas isso é outra questão.
          Os únicos comentários que eu vi que se podiam chamar de “out of the box” que eu vi no outro post era se um processador de uma Gama inferior talvez pudesse entrar nesta disputa pela relação preço/qualidade, agora votar na empresa n°1 ou n°2, não é ser ou deixar de ser científico é votar no que conhece boa parte das pessoas.

  2. rjSampaio says:

    A maioria nao faz a minima ideia do que esta dentro de um processador e para que serve cada parte, ainda mais em cima de OS e restante hardware tão diferentes entre eles.

    Quanto aos GPUs, eu queria um para jogar e estou chateado por não os encontrar a preços decentes, mas não se devia bloquear a compra assumindo que é para X ou para Y, nem se deveria dizer, e muito menos bloquear aplicação X ou Y de correr.
    Iria levantar uma serie de outros problemas.

    No máximo as lojas poderiam proibir o numero de vendas por cliente, mas não compras 4 em loja X, compras 1 em X, outra em Y, outra em Z, etc etc

    • Marisa Pinto says:

      Como sabes que a maioria (de quem votou) não faz ideia?

      • Nuno T. says:

        podiam fazer esse inquérito!

      • Mario Pinta says:

        Basta dar uma vista de olhos aos comentários de alguns artigos. Percebe-se bem quem percebe alguma coisa ou não.

        • Vítor M. says:

          Há muita gente que não percebe, por isso fazemos um trabalho de bases, para levar conhecimento. No entanto, saber exatamente, de forma aprofundada sobre temas desta natureza, tens menos de 1% das pessoas que navegam na Internet a saber. E desses, poucos serão capazes de expor a informação de forma percetível, sem um cariz de tal forma técnico que se perde a mensagem. Portanto…. a perceção geral, é aquela que vai ajudando as pessoas a ter uma noção do que se fala.

          • Motor says:

            tudo depende do que se pretende falar.
            Se as pessoas querem comparar performance então há que ter alguns conhecimentos que vão além da base, para não se cair nos argumentos (que parecem ser perpétuos) de que que se tem mais núcleos é melhor ou se tem maior velocidade de relógio é melhor, ignorando que há muito mais nos processadores que afecta a performance.
            Ou então as ideias “fixas” que aparecem sobre ARM vs x86 e RISC vs CISC.

          • Vítor M. says:

            Se a ideia foi falar nas diversas arquiteturas, então perdeste mesmo 99.9% da população. Também é verdade que é um assunto que tende a ficar mais banalizado, porque hoje já se fala em SoCs, em nanómetros, em velocidades de relógio de uma forma muito mais simplificada do que se fazia há meia dúzia de anos. Mas continua a ser um assunto marginal.

            Hoje a esfera da informação, generalista, roda em torno dos números dos GHz.

          • Motor says:

            Mas GHz não dá grande informação quando se comparam processadores de empresas diferentes, até se forem da mesma arquitectura. É algo que se constatou muito visivelmente há 15-20 anos atrás.

          • Vítor M. says:

            Pois não, mas repara nas publicidades das lojas quando anunciam o computador 😉 é isso e a “memória”… que em grande parte é apenas uma vaga ideia. Por isso, por muito que expliques a arquitetura, as série dos processadores, os saltos tecnológicos que estes ano após ano dão, mesmo que expliques a lei de Moore, o conjunto, o pacote é que vai ser o que as pessoas vão escolher. Então nesta altura as pessoas compram “lixo” que nem é bom!!! Mas é barato e “tem muitos gigas de espaço”.

          • Mario Pinta says:

            Compreendo o teu ponto de vista Vitor, no entanto isto são daqueles inquéritos opinativos sem base informativa necessária para definir uma opinião correta sobre o assunto deste, ou seja, gera a ma informação. E o que quis dizer foi isso mesmo, olhando para muitos comentários que se vai vendo por aí, percebemos o quanto quem vota aqui (na generalidade) conhece sobre os assuntos destes inquéritos.

          • Nuno T. says:

            pois, mas não estamos a questionar qual é o raciocínio das pessoas que vão às lojas comprar.
            Estás a questionar aqui as pessoas para dizerem qual é o melhor processador, o que para dar uma opinião bem informada requer conhecimentos que vão além dos GHz…
            E com isto não estou a dizer que quem está bem informado só pode dar uma resposta… Cada um pode encontrar diferentes critérios para catalogar a sua preferência

      • José Fonseca Amadeu says:

        Simples, porque quem faz ideia safe que a maioria escolheu mal, provavelmente para alimentar gostos pessoais ou guerras de fabricantes.
        Estas questões não podem ser colocadas desta forma porque são mesuráveis e quem sabe alguma coisa de CPUs sabe qual os melhores assim como também o consegue justificar sem recorrer a pseudo benchmarks.

    • ZOrd_Z says:

      Votei Qualcomm. E sei o porquê. De facto todos são competitivos em bastantes aspetos. Apple tem o melhor SOC no sistema deles e só deles, logo não é o melhor no geral. Pelo fim deste ano vamos ver os Samsung exynos com rdna2 a dar corda a coisa…

      • Nuno T. says:

        Com esse argumento nenhum processador seria o melhor no geral pois neste momento só há 2 sistemas operativos para smartphones e nenhum processador correr ambos os sistemas.
        Creio que a Samsung tem vindo a demonstrar incapacidade para fabricar os melhores SoC, basta olhar para os comparativos entre os últimos Exynos e Snapdragon, processadores produzidos no mesmo local. Não parece de todo que a AMD com rdna2 venha resolver isso.

        • V.T. says:

          O Exynos 2100 está ao nivel do Snapdragon 888 e em certos aspectos supera-o!

          • Nuno T. says:

            O Exynos 2100 não está ao nível do Snapdragon 888.
            Dá para ver muito bem que o Exynos tem consumos muito superiores ao Snapdragon e que só consegue, às vezes, obter resultados idênticos (quando não está em throttling) porque usa velocidades de relógio superiores, o que também explica em parte os maiores consumos.

      • José Fonseca Amadeu says:

        Para isso a qualcomm também só tem o melhor SOC do sistema deles porque não podes transpor qualcomm para iOS.. Observação ridicula, um deles é melhor overall, seja no sistema A, B ou C ou até na lua.
        Deves ser daqueles que se baseia em bechs absurdos.

  3. SANDOKAN 1513 says:

    Qualcomm,obviamente. Quanto ao novo inquérito—>Deveriam as fabricantes limitar a compra de hardware para minerar criptomoedas?

    Sim. (65%)
    Não. (35%)
    Total Votos: 199 Eu não falho uma.Acerto sempre naquela que vence. 🙂

    • Toni da Adega says:

      Como é que fazem essa limitação? Instalam um software no PC para saber o que estamos a fazer? Obrigam o preenchimento de um formulário?

      E o que acontece se fizermos mineração, bloqueiam o Sistema? Aprendem o sistema?

      • José Fonseca Amadeu says:

        O firmware faria esse controlo, não é dificil de perceber que tipo de utilização estás a tirar do GPU.
        Também poderia existir fiscalização policial onde pelos consumos de determinados locais deslocar-se-iam aos mesmos e se existisse mineração apreendiam os equipamentos.

        Mas acho que isso tudo seria evitavel se simplesmente regulassem a moeda, alguns países já o fizeram, outros ainda têm medo.

        • Toni da Adega says:

          Portanto defendem que os fabricantes dos equipamentos definam e controlem que tipo de utilização que se faz de um equipamento.

          Se a mineração nao é ilegal os equipamentos seriam apreendidos com que fundamento?

          • José Fonseca Amadeu says:

            A ideia seria tornar a mineração igualmente regulamentada, com uma licença especifica para quem pretende minerar, com devidos custos e impostos como se se tratasse de um trabalho.

        • JCFB says:

          Isso é completamente retardado. Os fabricantes não querem saber se tu compras as gpus deles para minerar ou jogar. Eles tão se a lixar se és um minerador que compra a gpu ou um gamer que quer jogar cyberlixo.
          O objetivo das fabricantes é ganhar dinheiro, não é ser amigos dos gAmErs. Ao fazerem isso as fabricantes estariam a perder dinheiro, não o contrário.
          E isso da mineração regulada ainda mais retardado é, são moedas descentralizadas e independentes, o objetivo é mesmo serem livres de regulamentação, álem de que seria inconstitucional e antiéeetico ir a bófia a tua casa prender-te porque compraste as gpus todas para minerar uma moeda virtual e não deixaste nenhuma pro gamer jogar cyberlixo 😀
          E queria saber como é que iriam saber que tu estás a minerar ou não. Epá eu sei q o windows já é spyware mas mesmo assim…
          Há cada ideia mais parva…
          TLDR: se tu pagaste pelo hardware que usas para minerar não interessa se não deixaste nenhuma para outra pessoa, não é um bem essencial de qualquer das maneiras e mais uma vez o objetivo das fabricantes é receber dinheiro, se os mineradores comprarem o stock todo, melhor para eles. Parecendo que não os mineradores não estão a roubar nada a ninguém.

          • José Fonseca Amadeu says:

            O problema está mesmo aí, na dita “liberdade, não cabe a ninguém neste mundo o direito de ser à parte da sociedade e das regras economicas por ela impostas, é algo que perdes desde o momento que nasces, achar que podes ter essa dita “liberdade” só aumenta as divergências entre governos e liberais e pode fazer mergulhar em guerras civis ou anarquias no futuro, por isso é que muitos países já regulam a moeda e investir em bitcoins ou outra não é diferente de investires em acções e pagares os teus dividendos sobre as mesmas, outros países já cobram taxas simpáticas para conversão da bitcoin para moeda corrente.
            A questão não é de existir hardware ou não, isso pouco importa, problema é mesmo a génese da não regulamentação de um modelo financeiro, pura e simplesmente não pode acontecer, os países que não avançam com a regulamentação não o fazem para não reconhecer as cripto como moedas reais, outros não fazem por falta e maturidade no tema.

            Nota: não precisas do windows para nada, o proprio firmware da gráfica seria capaz de ser instruído para detectar modelos de utilização e com isso baixar o seu desempenho, nada de especial e se isto fosse um decreto legal os fabricantes não teriam outra opção que não cumprir, mesmo que isso afectasse os seus bolsos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.