Quantcast
PplWare Mobile

Evidências mostram um outro planeta do tamanho de Marte no nosso Sistema Solar

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Realista says:

    Make Pluto a planet again!

  2. João says:

    “Astrologia moderna” ?

  3. Marciano says:

    quantos planetas terá a nossa galáxia?

  4. Nuno José Almeida says:

    A palavra correcta para “Evidence” em Portugal é prova.

  5. Manuel Costa says:

    O planeta 10 (promovido a 9) já era parte das lendas nos anos 50… culpa dos livros de ficção científica, onde era o planeta de origem dos invasores da Terra, “que só estava próximo do sol 1 vez a da 1000 anos”, conhecido como Planeta X. Até agora, ainda não o conseguiram encontrar, sendo que já encontram 27 planetas mais pequenos que Marte, alguns ao triplo da distância de Plutão.
    É de começar a pensar se esse “segundo Júpiter” pode mesmo existir ou é uma falha dos simuladores ou se o planeta que Júpiter destruiu para criar a cintura de asteróides, não será a peça em falta…

  6. SM says:

    Existirá sempre (até em meios científicos) quem acredite piamente no Bigfoot e procure afincadamente por ele, inclusive com recurso à mais recente tecnologia. Este planeta X é o Bigfoot da astronomia.

  7. Jony says:

    A prova que o sistema solar é maior do que se pensa, porque se calhar n existe nada mais que o sitio onde vivemos

  8. George Orwell says:

    Em 2006, com toda a pompa e circunstância e depois de acalorado debate, a Assembleia Geral da UAI – Union Astronomique Internationale ( agora que o UK concretizou o “Brexit”, prefiro denominações internacionais na língua de Victor Hugo e Voltaire ), decidiu despromover Plutão para a segunda divisão dos planetas com a doutrina do “Almeida varredor” ( uma canção de Fausto Bordalo Dias de cuja letra reproduzo um breve excerto em “post scriptum”), isto para espanto e horror e de muito gente sobretudo aqueles que cresceram a adorar o simpático personagem Pluto criado em 1930 pela Walt Disney, ao exigirem (?) que, para serem considerados planetas, tivessem de cumprir, cumulativamente, a lei seguinte :

    a) estar em órbita em torno do Sol;
    (b) possuirem massa suficiente para que sua própria gravidade superando as forças de corpo rígido, de modo que adquirissem uma forma de equilíbrio hidrostático (próxima à forma esférica)
    e, não bastando estas duas alíneas, acrescentaram mais uma , plasmando então a tal doutrina do “Almeida varredor”:
    (c) tenha dominância em sua órbita, varrendo os corpos na proximidade.

    Ora, o cão e fiel amigo Pluto não só obedecia ao dono como nunca aprendera a varrer, azar o dele.
    E o que é que Pluto não conseguiu varrer ? Foi Caronte, barqueiro dos mortos na mitologia grega. Queriam que Pluto varresse o barqueiro dos mortos ?? E depois quem carregava as almas ??
    Pluto pode ter uma fidelidade canina mas não é estúpido.
    Por outro lado, muito injustamente nenhum planeta se chama Almeida.

    Tudo se passava como se tal lei fosse uma “fattispecie” retirada do Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado sujeita ao espartilho legal e constitucional do princípio da legalidade, aprovada numa espécie de assembleia para-lamentar de deputados onde uns mandavam e-mails às queridas ou jogavam paciências, outras pintavam as unhas, outros dominavam o dom da ubiquidade estando formalmente presentes mesmo que estivessem no espaço exterior em afazeres de Vénus, outros mais na retaguarda, definitivamente na Lua.

    Se dúvidas subsistissem sobre o aspecto provisório e sempre refutável da ciência, decidiu quem pôde e obedeceu quem deve ( os planetas). É que, se a ciência já abandonou o sua escola positivista, o Direito balanceia entre o Direito natural e o positivismo, um “mix” do tipo do café com leite.

    Eis senão quando se descobriu se que afinal havia milhentos exoplanetas fora do sistema solar, logo, em violação da alínea a) da referida lei. Chamem as autoridades para autuar os milhentos faltosos e enviem os autos por e-mail a velocidade próxima da luz para não prescreverem !.

    No Brasil existe uma dupla de comediantes, o Casseta & Planeta. Mas têm muito menos graça do que a UAI ( ai, ai se têm!)

    Não bastavam os exoplanetas, eis que o Pplware já nos deu a conhecer em
    https://pplware.sapo.pt/ciencia/astronomos-dois-novos-planetas-errantes/
    que cientistas polacos descortinaram dois supostos planetas ( será) que não orbitam uma estrela antes vagueiam “sem rumo através do vazio frio e morto do espaço – e presumivelmente passam o tempo numa rota angustiante” . Na altura, confesso que a descrição do Pplware me comoveu e fez derramar um furtiva lágrima, tão furtiva como o Planeta X que tarda em ser descoberto no nosso sistema solar, “pero que lo hay, lo hay”, e até pode ser desta feita e com esta notícia que seja finalmente descoberto passando a incógnita x a valer 9.

    E tal lágrima – dêem-me um tempo para puxar de lenço ( de papel que a carteira não está para modas ) – não foi pelo desespero e angústia dos planetas a monte e sem rumo, que também não cumprem a alínea a) e possivelmente nem a b) e/ou a c). Foi pela Ciência que nos últimos tempos tem derivado entre especulações sobre suposta nave alienígena em forma de asteróide ( e este em forma de um exemplar de fezes humanas ) em missão de espionagem, qual 007 ao serviço de Sua Majestade Galáctica , presumivelmente com ordem para matar e em Skyfall, vide em
    https://pplware.sapo.pt/ciencia/asteroide-oumuamua-podera-ser-uma-nave-alienigena-dizem-os-astrofisicohs/
    ciência que assim viu os planetas escaparem à escaparem à sua sábia jurisdição.

    Isto sem falar nas realidades humanas que a ciência actual, tendo abandonado o tal refutado positivismo para se fixar num realismo materialista, não consegue boa convivência ou pura e simplesmente as despreza. Refiro-me, a título de exemplo, poderes telepáticos, o poder da oração, a capacidade do humano por sonhos ou pensamentos prever um acontecimento aparentemente improvável mas que, para estupefacção do próprio, vem a acontecer de facto, ou o estudado fenómeno já constatado por amostragem estatística de pessoas que, de costas voltadas, pressentem que estão a ser miradas pelo olhar fixo de alguém, acabando por, num reflexo voluntário e imediato, a voltarem-se para ir de encontro ao olhar que as fixava, para além dos demais fenómenos nos domínios da parapsicologia. Creio que muitos de nós, senão todos, já alguma vez nas nossas vidas experimentámos um ou mais destes fenómenos de forma a poder testemunhar que há mais vida para além da matéria e para além daquilo que a ciência não quer ou não pode conhecer.

    Daí que, subscrevo o manifesto para a a reabilitação e reintegração de Plutão na primeira divisão dos planetas. Volta cachorrinho, estás perdoado !
    E eu, signatário, sou um como um desses planetas que vagueiam sem rumo através do vazio frio e morto do espaço e do tempo numa rota angustiante e que apenas sabe o suficiente para poder dizer que nada sabe.

    PS: “E varre, varre, varredor / pois com o teu varrer assim faz outro mundo”
    Fausto

  9. Pedro F. says:

    Falam em provas e evidências mas fiquei baralhado… As evidências que há são apenas resultado dos simuladores que construímos?
    Não me parece fazer sentido um simulador para algo que desconhecemos ser a evidência que poderá existir algo que desconhecemos…

    • Vítor M. says:

      Por isso sai mais evidências, eventualmente indícios. Mas as simulações têm como pontos de cálculo dados concretos, atenção.

      • Pedro F. says:

        Portanto esta simulação prova que existe mais um planeta e não pode existir mais nenhum além desse senão a simulação não evoluía de forma favorável…
        Estão a partir do princípio que o simulador é mais fiável do que a realidade que conhecemos e com base na qual esse simulador foi construído…

  10. Luís Silva says:

    Como é que tanto cientista a olhar o céu; dizem quantas estrelas há na nossa galáxia etc. etc. e só agora descobriram este planeta? Não será o telescópio a precisar de limpeza? 🙂

  11. Sardinha Enlatada says:

    De facto se tudo isto assentar em apenas uma simulacao, algo vai mal. Simulacao e apenas isso simulacao. Se esta la po e vamos dizer que e um planeta so porque o simulador o disse. Entao tem erro matematico ai.

  12. DOMINGOS RIBEIRO VELOSO says:

    O Universo! Cada um de nós é um Universo. Centremo-nos na inteligência e pensemos na grandeza do SER HUMANO, no seu cérebro e na sua capacidade de pensar, descobrir, comunicar …. quantos planetas existem? Tem apenas algum interesse em saber, porque na verdade, até podia dar jeito, caso tivessem condições de habitabilidade,,,

  13. Guilherme Lino says:

    Teorias da conspiração

  14. wtvlol says:

    Planeta Namek.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.