Quantcast
PplWare Mobile

Tags: terra

Asteroide 2020 VT4 passou a deslizar na atmosfera da Terra e nem demos conta

Na passada sexta-feira 13, uma rocha espacial voou baixo e perto do nosso planeta ao ponto de estabelecer um recorde. O 2020 VT4 passou a menos de 400 quilómetros sobre o Pacífico Sul. O asteroide foi localizado pelo Sistema de Alerta de Impacto Terrestre de Asteroides (ATLAS), nas primeiras horas da manhã de sábado, 14 de novembro. Isso não é incomum para bólides rápidos, especialmente asteroides que chegam à Terra vindos do nosso “ponto cego”, a transitória voltada para o Sol.

Conforme a informação do ATLAS, o asteroide passou muito perto e nem demos conta, “por sorte” este não era grande e nem tinha uma rota de impacto com a Terra.


A Terra treme a cada 26 segundos e os cientistas não sabem a razão

Apesar de haver mais tecnologia ao dispor do ser humano, ainda há mistérios que não se conseguem resolver, bem debaixo dos nossos pés. A Terra, por exemplo, vibra a cada 26 segundos, como se fosse um relógio. Este pulsar começou a ser detetado pelos sismógrafos no início dos anos 60 e, até hoje, ninguém sabe a razão. Apesar de ser um ténue bip, é o suficiente para ser mensurável.

Desde há vários anos que existe uma “discussão” entre os cientistas que não concordam com nenhuma das explicações até hoje apresentadas. Então, o que faz tremer o nosso planeta?

Ilustração da Terra a tremer a cada 26 segundos

 


Asteroide Apófis poderá colidir com a Terra em 2068

Apófis é um asteroide que causou um breve período de preocupação em dezembro de 2004. Na altura, as observações iniciais indicavam uma probabilidade deste poder atingir a Terra em 2029. Posteriormente, com mais cálculos sobre a sua rota, concluiu-se que estava afasta a possibilidade de haver uma colisão com o nosso planeta ou mesmo com a Lua. Entretanto, um astrónomo da Universidade do Havai acaba de revelar uma nova e crítica descoberta sobre o Apófis.

Esta rocha de 400 metros que passará muito perto da Terra em várias ocasiões durante vários anos, poderá, segundo a Divisão de Ciências Planetárias da American Astronomical Society, colidir com a Terra no ano 2068.

Ilustração da rota do asteroide Apófis em direção ao planeta Terra


TOI 700 d. Finalmente é descoberto um planeta do tamanho da Terra e em zona habitável

2020 fica marcado como um ano muito rico no aspeto astronómico. Várias descobertas relevantes mudaram a perceção humana sobre o Universo. As naves chegaram mais longe e vários exoplanetas descobertos abriram novas hipóteses de haver uma Terra 2.0. Assim, recorrendo às imagens captadas pelo telescópio espacial TESS, alguns dos milhares de planetas descobertos podem albergar vida. Segundo os investigadores, foi agora finalmente descoberto o primeiro planeta “habitável” do tamanho da Terra.

Chama-se TOI-700 d orbita uma estrela anã de categoria M e as condições poderão ser semelhantes às do nosso planeta.

Ilustração do TOI 700 d, um planeta que tem o tamanho da Terra e poderá ser habitável


A Terra poderá estar a ser observada pelos alienígenas a partir de mais de mil estrelas

Pensarmos que somos os únicos seres vivos no Universo é gozar de uma enorme presunção. Com a possibilidade de haver mais de 6 mil milhões de planetas com condições de albergar vida, os investigadores compilaram uma lista detalhada de sistemas estelares a partir dos quais um observador pode facilmente descobrir a Terra e até mesmo os traços químicos de vida.

Os alienígenas podem estar a vigiar-nos a partir de planetas que orbitam mais de mil estrelas próximas do nosso planeta.

Imagem da Terra vista do Espaço