Quantcast
PplWare Mobile

Tags: submarino

ALERTA: Submarino nuclear russo com torpedos Poseidon “desapareceu”

Com o início da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, o que não tem faltado são notícias e cenários “estranhos”! Segundo foi revelado recentemente, um submarino nuclear russo com seis torpedos Poseidon desapareceu dos radares da NATO.

Esta “carga” tem a capacidade para provocar um “tsunami radioativo” capaz de destruir uma cidade como Nova Iorque.

 


EUA: Novo submarino nuclear com possibilidade de atacar com raios laser

Com a guerra entre a Rússia e a Ucrânia, alguns países têm dado a conhecer a sua artilharia. Uma das mais recentes revelações chegou dos Estados Unidos da América que deram a conhecer o novo submarino nuclear com possibilidade de atacar com raios laser.

Esta nova arma dos EUA tem a capacidade para abater drones, aeronaves ou barcos.

EUA: Novo submarino nuclear com possibilidade de atacar com raios laser


E se um dia enviássemos um submarino para navegar em Titã?

Titã, a maior lua de Saturno, é o único outro lugar no sistema solar além da Terra com uma atmosfera densa e um líquido estável na sua superfície. Estas características despertaram já há uns anos a ideia de explorar o seu maior mar, o Kraken Mare.

Este mar, que tem pelo menos 300 metros de profundidade perto do seu centro, seria muito interessante para ser explorado por uma engenhoca robótica.

Imagem da lua Titã de Saturno


EllaLink liga Europa e América Latina através do primeiro cabo submarino

Um cabo submarino não serve apenas para comunicações. Em Portugal há um projeto inovador que deverá entrar em operação em Portugal no 2.º trimestre de 2021 como já tínhamos revelado aqui.

Além das comunicações, o cabo submarino internacional de comunicações que vai interligar Portugal ao Brasil vai ter a capacidade de deteção sísmica.

EllaLink liga Europa e América Latina através do primeiro cabo submarino


A gestão da qualidade do ar de um submarino! Saiba como é em termos de tecnologia

Como já abordámos em anteriores artigos sobre os nossos submarinos da classe Tridente, estes navios têm uma grande autonomia para permanecer no mar, a qual é condicionada, sobretudo, pela capacidade de armazenamento de alimentação.

Por outro lado, quando no mar, o tempo que os submarinos conseguem permanecer isolados da atmosfera exterior pode ser de 15 ou mais dias e está dependente da sua autonomia energética, i.é, do tempo que conseguem permanecer sem recorrer ao ar exterior para carregar as suas baterias. Como é feita a gestão da qualidade do ar num submarino?