Quantcast
PplWare Mobile

ALERTA: Submarino nuclear russo com torpedos Poseidon “desapareceu”

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. xpto says:

    Hunting for the Red October?…

    • Vítor M. says:

      Foi isso que pensei… lá por baixo, nas profundezas destes oceanos, deve andar uma caça ao “red october”… e, por acaso, estamos em outubro…

    • Art says:

      Quando alguém diz que não sabe onde está , é porque já sabe onde está e está confortável com a situação , esperando apenas apenas convencer os Russos a ficarem convencidos de que escaparam …..

      • dan says:

        ouvi dizer que o submarino Lucifer, está a poucas centenas de metros atrás do Belgorod, com ordens para utilizar a mais terrível arma inventada pelo homem, chamada de Sol escaldante, onde um feixe de alta frequência ao atravessar metal leva em pouco segundos este a temperaturas superior a 3000 graus centigrados, incinerando tudo dentro do submarino russo.

        • Perez says:

          A única maneira de isso funcionar, seria emvolve-lo em um campo magneto dieletrico como um forno microondas faz. A intensidade diminuiria com o quadrado da distância.
          Um “feixe” de alta frequência não gera tal coisa. Feixes de radares são transmitidos nessa região de EM. Causariam distúrbios em comunicações e instrumentos de navegação. Ainda assim os Rússia tem maneiras de defletir isso.

  2. morfas says:

    Alerta?
    Mas então os submarinos não tem que andar maior parte do tempo invisiveis?

    Então tambem podemos dar o mesmo ALERTA dos submarinos da EUA porque ninguem sabe onde estão maior parte deles.

    O drama, terror…

  3. Estratega Amador says:

    Este tipo de navios está sempre a ser monitorizado, e mesmo que escape, não tarda a ser novamente detetado – os EUA e não só, sabem o que arriscam com “bichos” destes a andarem à solta.

  4. Domdiego says:

    10.000 quilómetros? Metros, provavelmente…

    • Vítor M. says:

      O submarino nuclear K-329 Belgorod carrega uma poderosa arma nuclear “Poseidon” que pode disparar um projétil por uma distância de 10 mil quilómetros debaixo de água, o que causaria um tsunami radioativo.

      • Domdiego says:

        Então, a falta que uma vírgula faz… “que pode ser disparado a 10.000 quilómetros, debaixo de água”…

      • José says:

        São 10mil km de distância ao alvo, não 10mil km de profundidade, obviamente, porque a terra tem 6370km de raio…

        • Vítor M. says:

          Estás a interpretar errado.

          • José says:

            Há uma coisa que não carece de interpretação: não houve, não há, nem nunca haverá um submarino que submerja 10 mil km na Terra. Por dois motivos simples: o ponto mais fundo, a fossa das marianas tem 10km de profundidade e o centro da terra está a cerca de 6370 km de profundidade.

            por isso, este e qualquer outro submarino jamais poderão disparar um míssil a 10 mil km de profundidade.

          • Vítor M. says:

            Erro de interpretação de tua parte.

      • nao says:

        “10 mil quilómetros debaixo de água” sabem quanta energia teria de gastar para andar 10 mil km debaixo de agua?

        o míssil pode ser disparado debaixo de agua mas depois vai pelo ar os 10 mil quilómetros . nunca os 10mil debaixo de agua. isso não faz sentido nenhum.

      • PVeiga says:

        Certamente Vítor, quando escreveu a notícia não foi critico o suficiente para perceber o que são “dez mil quilómetros debaixo de agua”.

        Uma pequena pesquisa na Wiki mostra o seguinte:
        “The Poseidon type remotely operated underwater vehicle has a 10 000 km range, can dive to a depth of 1 000 meters and is designed to deliver nuclear warheads for the destruction of coastal infrastructure as a second nuclear strike option ”
        Ou seja, tem um range de 10 000km e consegue ir até 1km de profundidade.

        Entretanto, a titulo de curiosidade, a parte mais funda do oceano é a “Depressão Challenger” com 10.8Km:
        “A Depressão Challenger segue como o local mais profundo dos oceanos, com 10.924 metros de profundidade. No Oceano Pacífico, o segundo lugar mais fundo é a Depressão Horizonte, na Fossa de Tonga, a 10.816 metros de profundidade. Ela é também a segunda maior de todo o globo.”

        Abraço

        • Vítor M. says:

          Quem o afirmou foi a NATO 😉 mas ainda bem que temos por cá peritos bélicos… atrás do ecrã 😉 fora isso, o restante nem está (neste artigo) em causa.

          • ifm says:

            Víctor tu estas correto no que está escrito, ele é que não soube interpretar o texto.
            O projectil pode percorrer 10.000km, mas o iluminado, percebeu que podia ser disparado de uma profundidade de 10.000km .

            Sabendo que o raio da terra é de 6.300km, 10.000km não fazia sentido.

            Mas tu a responderes dessa maneira, ve-se mesmo que nao leste o texto ou não leste o comentario dele.
            É a tipica resposta automatica.
            Sabendo que o raio da terra é de 6.300km, 10.000km não fazia sentido.

          • Vítor M. says:

            Li tudo, mas se está tudo no texto e foi a própria NATO que partilhou essa informação, não podemos estar sempre a rodar na mesa. Repara que falam uns para cada lado, mas a informação está lá correta. E é como dizes, depois cada um, com a sua própria teoria, forma uma verdade. E… haja saúde! 😉

          • manuiel says:

            Portugal é um pais de peritos

          • Vítor M. says:

            Um país fértil em especialistas, é um facto. Haja saúde!

        • GM says:

          Até podia estar apenas a 1m de profundidade, que o alcance do POSEIDON seria na mesma 10.000km. Onde é que está a dúvid no português empregue? É que não foi referido, em lado algum, que o torpedo iria a uma profundidade de 10.000m. Aliás, a essa profundidade, deixaria de ser torpedo para passar a ser uma lata espalmada, tal é a pressão. Por cada 10m de prufundidade é um kg/cm² de pressão. A 10.000m são….é só fazer as contas. Abracinhos.

      • Toni says:

        É um “torpedo” denominado Kanyon (ver no wikipédia para mais informacoes), nao um míssil.
        Mais parece um mini submarino e tem a capacidade de navegar por debaixo da superfície da água por mais de 10.000 Km.

        • Vítor M. says:

          Tal como está no artigo. Basta ler o artigo, está lá tudo. Contudo, e várias fontes chamam também ao Poseidon um míssil balístico lançado de submarino. Portanto, há várias tecnologias neste equipamento, nesta arma.

  5. captain^obvios says:

    obrigado pelo alerta, vou ficar atento.

  6. Jacas says:

    Se o encontrar eu aviso, não se preocupem.

  7. Cesar II says:

    Os proximos meses vão ser particularmente interessantes em especial nas noticias relacionadas com o proximo snowden nada vai ficar como dantes.

  8. Mongo says:

    Porra, que este site é mesmo uma nulidade. ALERTAAAAAAA TOTÓSSSSS. ALERTAAAAAA. O V Mongo deve estar todo excitado a dar o alerta. Vão mas é trabalhar e deixem-se de meter em assuntos que não sabem absolutamente nada.

  9. Tiago Alves says:

    Está na altura de reactivar o Barracuda da Marinha!

  10. Técnico Meo says:

    Twist plot: afunda, a Ucrânia deita-lhe as mãos mais a ogivas nucleares todas e respetivos códigos de ativação. Putin sucka sucka no dedo e ala de volta pro pais dele

  11. Pedro Fernandes says:

    😉 Com Sorte pode ser que se tenha afundado 😉 é menos uma preocupação.

  12. JL says:

    Foi rebocado por um tractor agrícola ucraniano

  13. _RJCA_ says:

    Não fui eu… 😀 😀 😀 😀 😀

  14. iDespairing says:

    Na, Coreia do Norte comprou a um Almirante que precisa us dollars. Nada de novo nesta Russia corrupta.

  15. Nuno Silva says:

    Foi ao fundo e não voltou?
    Não seria o primeiro ….

  16. Tiago says:

    Querem ver que está no Alfeite e ninguém deu conta!:)))

  17. Joao says:

    Deve ter-se avariado e afundou, tendo em conta o estado do material russo e a falta de manutenção …
    Ou então se calhar daqui a uns dias aparece no ebay um submarino nuclear à venda 🙂

  18. qui says:

    Pequenos pormenores: O K-329 saiu em missão, como é habitual acontecer nos primeiros dias de Outubro. É que o porto dele fica congelado durante o inverno. Todos os anos viaja para um dos outros portos russos, quer seja em Kalinengrado ou até Sevastopol (se bem que aqui os 12 Akula já foram mudados para uma outra base naval a 800km dali).
    O tal míssil Poseidon foi apresentado em 2017, sendo que a Rússia anunciou que poderia fazer um teste em 2025-2026 e começar a produção em 2027. O míssil foi um dos que explodiu, em 2018, numa base russa, onde matou 670 técnicos e obrigou a Rússia a despejar milhões de toneladas de terra, para o oceano Árctico, pois ficaram contaminados. Desde esse dia, a Rússia só voltou a falar do Poseidon há 2 meses atrás, pouco depois de lançar o último míssil hipersónico. Desde essa altura não usaram mais nenhum, supostamente terão 4 a 7 disponíveis e demoram 70 dias a produzir cada novo. Até chamaram 9 navios de guerra, que possuíam mísseis de médio alcance, que estavam no Mediterrâneo e no Atlântico, para avançarem para o Mar do Norte.
    Entretanto há o rumor que os EUA tem 7 Virgina class algures no Mar de Azov e Mar do Norte, que terão ordens para afundar todos os navios e submarinos russos, se surgir o Alerta Nuclear, por a Rússia ter lançado alguma arma nuclear. Além dos 15 que estarão no Báltico.

  19. secalharya says:

    Mais um bluff do Putin.

  20. dan says:

    A Russia prepara-se para algo de grande, faz o recrutamento de 300 mil reservistas, declara como território russo 4 localidades do leste da Ucrânia que fazem fronteira com a Rússia, os soldados russos parecem abandonar, outros dizem fugir desses territórios, a minha pergunta é o que se vai passar a algumas dezenas de quilómetros a leste da Ucrânia com a Rússia. o submarino será depois a resposta da resposta.

  21. UnhuZpt says:

    Bom dia a todos

    O que me preocupa nestes comentarios e a incapcidade de ler e compreender de varios intervenientes….

    • _RJCA_ says:

      A questão é que esta frase lida na diagonal dá um sentido completamente diferente do que se pretende…

      “Transporta um míssil de 24 metros, que pode ser disparado a 10.000 quilómetros debaixo de água e provocar um tsunami radioativo.”

      Pelo menos foi essa a minha ideia inicial e de tantos outros. Parando um pouco para pensar chega-se à conclusão que afinal tem outro sentido mas que se tivesse o termo “de distancia” a seguir aos “quilómetros” aí o sentido teria sido mais preciso (digo eu)…

      • José says:

        A correcta tradução para português teria sido “pode ser disparado e percorrer 10.000 quilómetros debaixo de água e provocar um tsunami radioativo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.