Quantcast
PplWare Mobile

EUA: Novo submarino nuclear com possibilidade de atacar com raios laser

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. AlexS says:

    Expliquem-me como os “raios laser” passam pela água…?

      • AlexS says:

        Não tem energia nem alcance.

        Li um puco mais da classe de submarinos e parece que será colocado no mastro optronico(periscópico), como vão fazê-lo quaando as instalações pesam centenas de kilos ou mais…

        • Vítor M. says:

          Certamente os lasers em causa devem ter a capacidade para ações descritas. Estamos a falar de tecnologias ainda no âmbito secreto no armamento americano.

        • Castro says:

          O que pesa é o que gera o laser! Assim que o feixe é gerado só seria necessário um conjunto de espelhos no mastro do periscópio para direcioná-lo contra o alvo.

      • Castro says:

        esse exemplo não prova nada!
        Se quisesses usar um laser como arma, bastariam apenas algumas dezenas de metros de água para refractar e absorver tanta luz que o laser nem faria cócegas no alvo. E para alvos fora da água seria ainda mais complicado pois muita da luz reflecte na superfície da água para a maioria dos ângulos de “ataque”/incidência.

        • Vítor M. says:

          Se calhar não percebeste.

          • Castro says:

            se calhar tu é que não percebeste a problemática da pergunta.
            Lasers dentro de água têm alcance muito limitado.

          • Vítor M. says:

            E os americanos são parvos, pronto, se tu pensas isso, meu caro 😉 é a tua opinião.

          • Castro says:

            Fica assim visto que não percebeste a problemática, Física, e assumes coisas que não são ditas pelas fontes!
            O submarino ter um laser não significa que o laser é disparado através da água, tal como antigamente havia submarinos que tinham canhões que obviamente não eram usados dentro de água. Isto será uma arma para ser usada fora de água (com exemplo de uso já indicado pelo AlexS).
            PAra além de que será também preciso ter um sistema de rastreamento de aeronaves por radar, que mais uma vez, necessitaria de estar fora de água… Física! Lê sobre reflexão interna.
            Também não é à toa que os submarinos usam sonares em vez de radares para alvos dentro de água.

          • Vítor M. says:

            Eu não disse nada que fosse contra o que dizem as fontes. Aliás, tu é que colocaste em causa o uso de laser na água. Faz essa reflexão do que tu disseste e do que colocaste em causa. Colocaste em causa o uso desta tecnologia. Repara, estás a insinuar que se calhar não funciona e os americanos enganaram-se num submarino de milhões. É isso que estás a querer dizer, não eu.

            Um pouco maus de informação: Documents suggest that the High Energy Laser (HEL) could be incredibly powerful, around 300 kilowatts. And eventually be up to 500 kilowatts. The power will come from the submarine’s nuclear reactor which has a capacity of 30 megawatts. And there are indications that it may already have been tested using a towed power generator instead.

            It is likely to be incorporated into the periscope system of the submarine. The periscope mast, nowadays called a Photonics mast, is already a highly sophisticated device. It isn’t like periscopes of old where the captain looked directly through it. Instead it has an array of cameras which can snap high resolution photos in 360 degrees. So the submarine only has to put the mast up for a fleeting moment to get full all-round awareness. With the laser, if it can see it, it can kill it.

          • Castro says:

            lol! nem sequer percebeste o que é “reflexão interna”
            eu não pus em causa a tecnologia, nem indiquei que a tecnolgia não funciona! Pus sim em causa teres assumido que o uso do laser seria dentro de água, através do exemplo que tu deste.

          • Vítor M. says:

            Mas o exemplo que eu dei não foi referido ao que tem o submarino, repara que é em resposta a uma questão muito simples 😉 o resto está explicado no artigo e neste pequeno trecho que te deixei. Nada mais que isso.

          • Castro says:

            lol!
            sim, sim! dares um exemplo a alguém que pergunta como é que os “raios laser” do submarino seriam usados dentro de água, não tem nada a ver com a tua ideia de que seria possível ao submarino usar o laser dentro de água.

          • Vítor M. says:

            Agora só se for com um desenho, desculpa lá. A questão foi “Expliquem-me como os “raios laser” passam pela água…?” e dei um exemplo simples. A partir daqui, deixaste de perceber o que de mais básico se falou. Mas isso já não tenho nada a ver com isso. Até já te expliquei o que está na base da tecnologia usada no submarino. Só com uma imagem agora.

            UPDATE: está aqui a imagem https://bit.ly/3LZSxN8 a ver se ajuda 😉

          • Castro says:

            enfim…
            um “exemplo simples” que não responde à pessoa, e que não colocaste em causa quando te fizeram ver que uma arma laser não teria qualquer eficácia dentro de água.

          • Vítor M. says:

            O exemplo simples responde à pergunta. Até porque nem tu nem ninguém conseguirá explicar exatamente o que está em causa na tecnologia que equipa o submarino. E seguramente não iam gastar milhões numa coisa que não funciona. Mas 😉 há sempre alguém que vem contrariar, como se soubesse mais 🙂 aquela velha mania dos treinadores de bancada 😉

          • Castro says:

            lol! O treinador de bancada serás tu que nem sequer entendeste a própria citação/correcção que depois lançaste. O mastro de periscópio mencionado é usado para visualizar alvos acima da superfície da água, ou seja a incorporação do sistema laser no mastro implica que o uso do laser não é dentro de água…
            … o video que mostrate em nada respondeu à pergunta.

          • Vítor M. says:

            Sim, tu és dos tais que, sentado sem casa, transforma o mundo 😉 com os olhos. Os EUA apresentaram uma tecnologia laser, tu disseste que não funciona. Lá está, falaste tu lá para ajudar.. enfim.

            O vídeo que mostrei responde à pergunta. Tão simples quanto isso. 🙂 mas tu, na bancada, podes dar umas dicas aos americanos.

          • Castro says:

            tens cá uma piada! Em lado nenhum disse que não funciona, o que disse é que a tua ideia de que seria para usar dentro de água não funciona.

          • Vítor M. says:

            Agora dás o dito por não dito. Eu deixei um exemplo simples a uma questão simples. Quem deu uma de treinador de bancada foste tu.

          • Castro says:

            como é que dou o dito por não dito se ontem tinha indicado ao AlexS que um sistema que usasse o mastro do periscópio podia funcionar?
            enfim… pões-te a dar exemplos de coisas que desconheces e depois quem te chama a atenção é que é treinador de bancada.

          • Vítor M. says:

            Quem disse que não funcionava foste tu, não eu. Aliás, tu puseste em causa o funcionamento da tecnologia nos submarinos americanos. Foste tu quem fez de treinador de bancada. Eu apenas deu um exemplo simples a uma pergunta simples, já te disse isso 10 vezes.

          • Castro says:

            onde é que pus em causa o funcionamento da tecnologia nos submarinos americanos se já tinha dito que funcionaria no exemplo do AlexS?????
            O exemplo que dás é que exemplifica uma ideia que não funciona, de que o laser seria usado dentro de água.

          • Vítor M. says:

            Funcionar, como vês no vídeo, funciona 8naquele exemplo, simples para a pergunta simples). Depois, como também escrevi, a tecnologia no submarino é de outro nível, potência e com outros recursos, supostamente, fazem do laser uma nova arma. Está descrito. Agora, o resto, tu é que estás a mandar bitaites que não funciona.

          • Castro says:

            o que tu vês no video é um pequeno laser a curta distância, que por sinal até acaba por demonstrar bastante bem a refracção causada pela água – é a refracção que explica o facto de se ver o feixe de luz e não apenas a superfície que é iluminada pelo feixe.
            Num ambiente destes uma arma laser perderia rapidamente a sua eficácia pois a curtas distâncias já muita da energia não chegaria ao alvo.

    • Ó que catano... says:

      Se consegue abater uma aeronave, parece que o sistema será para utilização à superfície e não enquanto submerso como pode dar a entender.

    • J Martins says:

      O exercito americano tem especialista que, de certeza, sabem isto muito bem. Isto é optica basica.
      O laser nao será certamente para usar debaixo de água e, com certeza, nao estão a referir-se Às impressores laser que têm a bordo. Ser+a claramente para usar À superficie e, muito provavelmente, como anti-aerea.

    • MARCOS says:

      Vai Pela superficies mesmo, sepois de devastated o inimigo, so pra liquidar a fatura, isso deve see so a ponta do iceberg , Russia Vai see dividida denovo Deus sabe o que faz

  2. Sgrav Soluções Laser says:

    Existem vários tipos de laser, não devem usar díodo, o laser visível que provavelmente deve ser o que está a pensar… um laser fibra de alta potencia por exemplo, não tem porque não dar, além do mais atravessa facilmente àgua, sendo o mais complicado o ajuste do foco, que para os milhões e pessoal que têm, será fácil resolver
    Ps. O que parece opaco ao seus olhos, não significa que ao comprimento de onda de determinada fonte laser o seja

    • Castro says:

      desculpa mas na maioria dos comprimentos de onda a radiação acaba por refractar dentro de água, ou seja acabas por perder a maioria da energia dum feixe laser, por isso ninguém diria que atravessa facilmente água. A somar a isso existe o problema da reflexão interna na interface entre água e ar, que leva a que muita radiação, dependendo do ângulo, também não consiga atravessar da água para o ar.

      Estes fenómenos explicam por exemplo porque não existem bons sistemas de comunicação para quando os submarinos estão submersos

  3. Louis says:

    O Lazer funciona atravez do missel cruzeiro…é do missel cruzeiro que é disparado o raío lazer⚡.
    Raytheon laser technology.

  4. Louis says:

    O Lazer funciona atravez do missel cruzeiro…é do missel cruzeiro que é disparado o raío lazer⚡.
    Raytheon laser technology.

  5. AlexX says:

    210 MW podiam abastecer muitas casas… uma pequena cidade.

    • J Martins says:

      O problema é que a malta nao quer nuclear , senão também tinhas disso para alimentar a tua casa.

      • AlexX says:

        A malta acaba sempre por aceitar o que lhes for impingido ou posto ao dispor, por vezes com ajuda de alguma propaganda. Estaríamos bem mais evoluídos caso nos fosse dada liberdade para criar/inventar e não fôssemos eliminados ou silenciados (comprados) cada vez que inventássemos algo em prol da humanidade. No caso da energia eléctrica, esta encontra-se presente na atmosfera de forma ilimitada, uns artigos acima deste tens outro em que a nasa testa forma de obtê-la. Tesla fê-lo no século 19 e séculos antes dele já outros o haviam feito certamente. São militares e também a nasa quem anda há uma década fazendo testes e ensaios com uma réplica que construíram da torre de wardenclyffe, só têm agora que arranjar forma de como cobrar por algo gratuito. O interesse maior segue contudo sendo armas e outras formas de aniquilação em massa mas não usá-las, apenas manter a mesma malta num medo constante da possibilidade que possam ser usadas.

        • jota says:

          “Cobrar por algo gratuito”, como assim? A água dos rios é gratuita, mas construir barragens e distribuir electricidade custa €€€. Podes instalar uma espécie de antena em tua casa, captas essa electricida e tens de forma “gratuita” (tiveste que pagar a “antena”), ah espera, já podemos fazer isto com paineis solares…
          Mania de acreditar em teorias conspirativas, que podia ser “tudo gratuito”, mas então, e a investigação não custa €€?

          • AlexX says:

            Barragens tal como eólicas e centrais nucleares são atentados contra a natureza que para mais são pagos com dinheiro de todos, tal como a manutenção. A factura de electricidade é como o imposto imobiliário, pagas por algo que já pagaste e só pelo privilégio em tê-lo mas que no fundo nunca é teu.
            Da mesma forma que podes carregar a bateria dum smartphone via Wi-Fi e brevemente também a de um carro, é-te assim tão inconcebível pensar que essa energia esteja presente de forma natural na atmosfera? Já deves ter milhares de clips de vídeo ensinando-te como ligar um Led de ~10W ou lâmpada incandescente a dois terminais vindos duma bobine em torno ou próximo dum íman (ou magneto), nunca tentaste? A fonte de energia vem do nada, ou do éter, e olha que funciona, mas também tens que pagar pelo cabo de cobre e pelo magneto. Painel solar para quê? Aproveita e pesquisa por Viziv Technologies, talvez ainda encontres uma entrevista a um dos comandantes à frente do projecto em que este praticamente revela tudo. Conspiraram foi contra ti e o que tens vindo a presenciar mais não é que a revelação dessas conspirações, a partir daí tens sempre a opção de viver mais confortável sob a mentira.

          • jota says:

            Ora tens aí uma oportunidade de negócio, estou disposto a abrir or cordões à bolsa, pago o equivalente a 10 anos da minha factura actual da EDP, para ter um sistema autonomo de electricidade, no meu apartamento T1 que alimente todos os meus vicios eletrónicos, sendo um apartamento pequeno esse sistema terá de ser “portátil”.
            Não achas que se tivessemos tecnologia que aproveitasse essa energia de forma eficiente não tinha sido já massificada, foi o que aconteceu com os paineis solares, eram pouco eficientes e muito caros, não compensava, entretanto a tecnologia evoluiu e já são rentáveis para quem tem espaço para os aplicar.
            Não concordas com o exemplo dos paineis solares “encaixar” na tua teoria, mas então, compras os paineis e produzes a tua energia gratuita, é equivalente a compras uma(ou várias, conforme o tamanho do teu apartamento) bobine(s) e respectivos imans e produzes a tua própria energia.
            Comparas essa tecnologia com o carregamento Wi-Fi, nada a ver, caso contrário não precisavas ligar esse carregador com fio à tomada e depois “encostar” o telefone e dizes que é sem fio…

          • jota says:

            Tenho mais uma pergunta, se achas que essa tecnologia é assim tão eficiente e barata, porque é que os DataCenters da Google e Amazon (empresas especializadas em maximizar lucro) estão ligados a centaris elétricas convencionais?

          • AlexX says:

            Também tenho rede eléctrica pública pela qual pago. Mas posso dizer-te que ainda existem muitas igrejas e catedrais que não estão ligadas à rede pública nem têm geradores diesel nas catacumbas ou painéis solares, no entanto têm muitas lâmpadas acesas 24/24. Mas não sou vaticano, se construísse uma abóbada metálica e arranjasse forma de ter electricidade gratuita para a casa, era uma questão de tempo até ter uma visita dos homens de negro afirmando que o mundo não funciona assim e tinha que destruir tudo. Mas podes duma meia laranja com dois eléctrodos fazer uma bateria básica. Ou podes construir um rádio que não precisa de bateria ou qualquer fonte eléctrica extra. Obter potência seria apenas questão de construir uma fonte maior. Segundo Tesla, a torre de wardenclyffe era por si uma central capaz de fornecer vários GW de energia via Wi-Fi e quando propôs construir mais centrais e distribuir gratuitamente energia foi quando lhe retiraram financiamento e destruíram tudo. Tem calma, o futuro será diferente e muitas coisas vão mudar para melhor a quem lá chegar. Tudo só vai depender daquilo que as pessoas aceitem. Se aceitarem ser ainda mais escravizados, assim será. Mas se exigirem boa tecnologia sempre que alguém a mostre, e têm sempre que a mostrar nem que seja uma só vez, assim também será.

          • AlexX says:

            Recebi às 21:29h essa pergunta e vi agora.
            Já te disse porquê, o mundo não funciona assim. O que não der lucro, é abafado. Foi estabelecido que as pessoas tinham que pagar por energia eléctrica e elas aceitaram. Com água o mesmo. Com parque automóvel o mesmo, e por aí adiante. Se amanhã inventasses um carburador que fizesse electrólise e mesmo que não violasse nenhuma das patentes existentes com esse efeito, seria ilegal e provavelmente verias o teu carro apreendido. Não conseguirias sequer homologação que te permitisse andar com ele na estrada. No entanto essa tecnologia já foi apresentada ao público e mais que uma vez, nos anos 60, 70 e 80, e pela última vez há uns 8 anos atrás mas esta última duma forma diferente, água gerando energia para alimentar motores eléctricos (nanoflowcell) e não um motor de combustão. Mas aparentemente ninguém quis carros movidos a água, deviam ser uma chatice. Soluções para energia eléctrica que se podem categorizar como sendo realmente ecológicas já existem há mais de um século. Seria preciso que o povo as exigisse e não que aceitasse o que é proposto. Vê a grande Expo Internacional de Chicago 1893 e muitas outras nessa década e anteriores, áreas enormes e um show colossal de luz e holofotes num tempo que não existiam ainda quaisquer centrais e a corrente alterna tinha alegadamente acabado de ser inventada. Não foram centenas de milhares de homens dando ao pedal nem motores a carvão que geraram toda aquela energia. Melhores tempos virão mas é necessário que a maioria assim o exija. Se não o fizerem, terão o pior e ainda têm que pagar bem pelo pior, é assim que resumidamente funciona o mundo.

          • jota says:

            Acredito que no futuro teremos alguma dessa tecnologia rentável, dei o exemplo dos paineis solares, nos anos 80/90 ninguem tinha, afinaram a tecnologia e tornaram rentável e agora muitas pessoas compram.
            Afirmas que “o mundo não funciona assim” em relação à maximizaão dos lucros de empresas como Google, Amazon a própria Tesla que adoptou o nome do teu Idolo, para ti os gestores dessas empresas não percebem nada disto e não têm pessoal competente que lhes indique o “caminho” para poupar uns milhoes de dollars anualmente.
            Quanto ao resto nem vou argumentar, tu vives no mundo das trevas (o mundo está contra ti) e eu no das maravilhas (acredito na evolução, tudo a seu tempo)…

          • AlexX says:

            Pagar água e luz não faz a mínima mossa a qualquer grande empresa até em Portugal, muitíssimo menos a uma Google ou Amazon.
            Não tenho ídolos. Devo muito a Tesla tal como tu, foi graças a ele que hoje tens corrente alterna sem ou com mínimo de perdas até te chegar à porta de casa, comando IV para TV e uma série doutros equipamentos, Bluetooth, Wi-Fi, transformadores toroidal, entre outras mais 120 patentes únicas num total de mais de 300 patentes (maioria são pequenas variações), muito vindo dele só este século foi disponibilizado a público e outras tantas ainda estão por sair. Estou-lhe muitíssimo agradecido. Tu não? Mas daí a idolatrar… Não falta quem diga que Tesla foi apenas usado e abusado pelos americanos e que na realidade era apenas um brilhante pensador com conhecimentos profundos em electricidade e magnetismo e o único que terá feito foi engenharia reversa de equipamentos do passado que lhe foram entregues. Coisas do séc 18 e civilizações anteriores. Não acredito mas também não salto a dizer que possa ser mentira, não lembro estar lá para confirmar.
            Não vivo nas trevas mas gosto do escuro, é no escuro que medito e sempre foi no escuro que obtive respostas e tive ideias que apliquei e me permitiram singrar. Sob o sol ou outra luz nunca tive nada disso. Vivo num mundo onde crianças são traficadas, violadas, escravizadas, sacrificadas e comidas, onde se mata por prazer e destroiem-se vidas por diversão, nada disso me deixa particularmente feliz e ainda não sei se fui eu quem escolheu vir a este mundo ou se fui obrigado a isso que nem anjo caído em busca de redenção ou simplesmente ter sido aprisionado aqui vida após vida. E tu não vives no mundo das maravilhas mas numa completa ilusão onde tens que ignorar ou negar que o teu vizinho ou amigo possa estar passando mal ou precisando de ajuda nem que seja força emocional. E para que desfrutes à brava dessa ilusão que chamas maravilha, tiveste criadores como eu para te entreter e manter alienado, seja lendo romances, vendo filmes, TV e novelas, música, jogos de consola, desportos, ginásios, férias, Internet e milhares doutras coisinhas giras que tentam e conseguem roubar o teu tempo e originalidade. Por vezes também queria estar ainda nesse mundo mas para isso nunca teria criado nada e pior, ainda teria que usar relógio 😀

        • jota says:

          Voltando à minha questão inicial, “cobrar por algo gratuito”, podes ter luz e água gratuitos, conheço muitas aldeias no norte com água canalizada com origem no poço ou “furo”, e electricidade com paineis solares (mas a maioria tem a rede electrica nacional como backup, luxos…). Agora se vives numa zona densamente povoada, não é possivel captar a água necessária em poços, foi necessário criar uma infraestrutura, que tem de ser mantida por pessoas que recebem um salário, mas para ti podia ser gratuito, não concordo, se pagamos muito (grande parte impostos), posso concordar, mas daí a ser gratuito vai uma distancia muito grande.O mesmo se aplica na eletricidade, se a tecnologia que falas fosse rentável, e fosse possivel cada apartamento ter o seu “gerador” de electricidade, empresas como a Google e Amazon que não lucram a distribuir electricidade (consomem ou criam as suas centrais eletricas para alimentar os seus datacenter), já teriam adoptado essa tecnologia, no futuro talvez, tal como dei o exemplo dos paineis solares.
          Quanto às trevas vs maravilhas, era só sarcasmo, mas gostei do teu discurso moralista como se eu vivesse mesmo noutra realidade.

          • AlexX says:

            Devia ser gratuito porque e como disse, encontra-se em quantidades ilimitadas à tua volta. O teu próprio corpo é uma antena que absorve e converte essa electricidade, só assim se torna possível que o movas. Isso é mensurável e já foi mais que provado. Nem existiria vida na Terra não fosse essa energia, todos os animais e plantas precisam dela. Até uma pedra tem uma carga eléctrica e respectivo campo magnético associados. Essa energia presente na atmosfera pode ser captada e extraída e houve quem o fizesse. A própria ciência te diz que a carga voltaica aumenta à razão de cerca de 100V por cada metro de altitude. É tudo um negócio, se instalassem uma cúpula no topo do teu prédio que alimentasse todos os apartamentos e casas nas redondezas caso as haja, como iam cobrar uma tarifa permanente? E ias aceitar pagar? Por isso foram usados outros meios que melhor justificam ir ao bolso de todos. Faz umas contas a só quanto pagas de IVA por mês, tu mais o agregado que possa viver contigo. Depois divide pelo agregado e multiplica pelo nr de habitantes no país. Mesmo que tenhas em conta que muitos consomem mais que tu e muitos consomem menos, já ficas com uma ideia da fortuna envolvida. Eu não me estou a queixar, preveni-me para isso. Tenho poço e não pago por água, mas podia pagar. E caso tenha no futuro que voltar à matrix para de novo fazer pela vida, não me faltam ideias. Mas não quero, tive que engolir muito sapo e fazer coisas que não vão de encontro aos meus valores assim como representar com muita hipocrisia para esconder o que não gostava. Mundo louco, completamente corrupto, e pelo que tenho presenciado está cada vez pior. E de certa forma custa-me por aqueles mais ingénuos e inocentes que não têm a mesma destreza e se sentem perdidos na presença dum obstáculo que julgam ser inultrapassável.
            Já oiço falarem na “teoria” da simulação há décadas mas creio que tem até séculos, no entanto não acreditava nela. Hoje já não vejo assim. Se soubesse que vivíamos de facto numa simulação e quisesse contá-lo duma forma que ninguém acreditasse, faria de duas formas: construía uma anedota em torno disso e riam, ou contava de forma séria e publicava num 1 de Abril como fez a Scientific American. Se acompanhas o pplware já deves aqui ter lido imensos artigos de invenções que alguém criou, muitas que seriam em benefício de todos, outras que seriam em benefício de alguns, no entanto nenhuma, ou pouquíssimas delas viram a luz do dia. As coisas manifestam-se ou não por intenção, não é necessário ir para a rua com panelas e cartazes, podem todos ficar em casa. Querer algo não é desejar ter algo e esperar que esse algo apareça numa montra à venda. Querer algo é ter intenção que esse algo avance e seja produzido. É a tal energia ganhando forma, como rezar, “eu quero isso, quero que façam isso, eu preciso disso”. E não tenhas dúvidas que esse algo será feito e aparece numa montra. Se a maioria fica à espera mas sem intenção, o algo não será feito. Talvez passe por aí também a “teoria” da simulação.
            Quando falaste noutra “teoria”, a das conspirações, volto a dizer que houve conspirações sim e muitas, mas foram contra ti, contra todos e arquitectadas por alguns, e o que mais tens visto são todas essas conspirações sendo desmascaradas e caindo por terra. É necessário observar desde o lado de fora para reconhecer a ilusão. Imensos autores de letras de músicas e escritores falaram nisso mas poucos prestaram atenção.
            E na boa, estendi-me e muito não pode ainda ser dito de tão grave que é, mas para isso temos a Divina Comédia de Dante, porque é isso mesmo.

  6. Jakim D'Alem says:

    É só experts … nem sei como os americanos não vêm aqui buscar estas mentes brilhantes.

  7. Victor Gurgel Feijo de Melo says:

    O futuro da humanidade não está nas energias renováveis, mais está na energia nuclear ! Eu gostaria de ser um inventor para inventar aviões comerciais, navios, carros e motos movidos a energia nuclear. Se este submarino vai passar 33 anos sem reabastecer então os aviões comerciais, navios, carros e motos poderiam ter o mesmo combustível e passar décadas sem se preocupar em reabastecer com combustível nuclear.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.