Quantcast
PplWare Mobile

Tags: SARS-CoV-2

COVID-19: Portugueses descobrem 3 fármacos que fragilizam o vírus

Como temos vindo a acompanhar, Portugal também tido uma participação ativa no campo da ciência no que diz respeito à pandemia por COVID-19. Recentemente, investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) do Porto descobriram uma razão porque a infeção pelo SARS-CoV-2 causa doença leve ou doença grave nos indivíduos.

Agora foram descobertos 3 fármacos capazes de fragilizar o vírus SARS-CoV-2.

COVID-19: Portugueses descobrem 3 fármacos que tornam o vírus mais fraco


SARS-CoV-2: Funcionário de laboratório chinês pode ter sido primeiro infetado

Afinal de onde surgiu o vírus SARS-CoV-2? Terá sido um processo natural ou um vírus fabricado em laboratório?

Peter Embarek, líder da equipa de investigadores da Organização Mundial de Saúde (OMS) diz agora que o primeiro infetado com o vírus da SARS-CoV-2 pode ter sido um funcionário do laboratório de virologia em Wuhan.

SARS-CoV-2: Funcionário de laboratório chinês pode ter sido primeiro infetado


COVID-19: Empresa portuguesa lança teste que usa inteligência artificial

As soluções para tentar controlar o SARS-COV-2, que leva à doença COVID-19 têm sido várias. Portugal também tem contribuído e, até mesmo, ao nível da vacinação, sendo que há uma empresa portuguesa a desenvolver uma solução por inalação.

Uma empresa de Oliveira de Frades vai lançar um teste para a COVID-19 que usa inteligência artificial.

COVID-19: Empresa portuguesa vai lançar teste que usa inteligência artificial


COVID-19: Portugueses fazem descoberta importante sobre o SARS-CoV-2

Como temos referido, Portugal tem estado também muito presente na parte científica na investigação do SARS-CoV-2.

Recentemente, investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) do Porto descobriram uma razão porque a infeção pelo SARS-CoV-2 causa doença leve ou doença grave nos indivíduos.

COVID-19: Portugueses fazem descoberta importante sobre o SARS-CoV-2


Enzima produzida pelos pirilampos poderá ser usada para detetar SARS-CoV-2

O SARS-CoV-2 e a doença COVID-19 serão, provavelmente, alvo do maior e mais sofisticado processo de investigação alguma vez elaborado. Em tão pouco tempo as vacinas estão a conseguir conter os estados de doença grave, a travar mortes e os vários estudos podem levar a que haja medicação e forma de deteção revolucionárias, do ponto de vista do consumo global. Depois da vacina em spray, chega agora uma inovação que conta com uma enzima produzida pelos pirilampos.

Segundo os investigadores da UFSCar, é possível acoplar a molécula a uma proteína que se conseguirá ligar ao novo coronavírus. Assim, a presença de anticorpos contra o microrganismo seria confirmada pela emissão de luz.

Imagem pirilampo que tem enzina capaz de detetar a COVID-19