Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Roscosmos

Rússia volta a mudar a data de retirada da Estação Espacial Internacional

A Rússia está numa posição complicada, após mais de 6 meses de guerra contra a Ucrânia. Com os avanços dos ucranianos, Putin parece dar “sinal de fraqueza” e “desespero”, segundo as reações à mobilização parcial anunciada pelo presidente. Além disso, a ameaça do uso de armas nucleares voltou a pairar no planeta. Na órbita da Terra, a Estação Espacial Internacional (ISS) volta a estar no centro da discórdia.

Após ter usado a Estação Espacial como “arma de arremesso”, a Rússia corrigiu a sua posição em julho passado, após ter fixado a data de 2024 como término da cooperação. Passou então para 2028 a data. Agora, voltou a mexer silenciosamente no agendamento do abandono.

Imagem do módulo da Rússia na Estação Especial Internecional


Rússia já está a desenhar a sua própria estação espacial para o pós-EEI

A Rússia já declarou que está a preparar a sua colaboração espacial internacional e que abandonará a Estação Espacial Internacional (EEI) até 2028. Esta decisão surge depois do desencadear da guerra na Ucrânia e das próprias posições tomadas contra o regime de Vladimir Putin.

O país estará, portanto, a definir a sua estratégia para não perder a corrida espacial e já tem o modelo criado para a nova estação espacial russa.


Rússia diz adeus à Estação Espacial Internacional depois de 2024

A Estação Espacial Internacional (ISS) está ao serviço da investigação espacial há mais de 21 anos. Ao longo da sua vida, foram lá desenvolvidos diversos programas espaciais, com intervenção da Agência Espacial Canadiana (CSA/ASC), da ESA, JAXA, Roscosmos e NASA. Agora, a Rússia anuncia que vai deixar a ISS em 2024.

Esta saída precipitou-se após a invasão à Ucrânia e com a ameaça por parte do diretor da Agência Espacial da Rússia de destruir a Estação Espacial Internacional.

Imagem do módulo da Rússia na Estação Espacial Internacional


Rússia e EUA concordam em trocar lugares em voos para a estação espacial internacional

A presença da Rússia na Estação Espacial Internacional (em inglês, ISS) está tremida, mas o país ainda participa em acordos com outras agências espaciais. Desta vez, concordou trocar lugares com os Estados Unidos em voos que tenham a estação espacial como destino.

Os primeiros voos estão previstos para setembro.

Soyuz da Rússia


Rússia ameaça “roubar” telescópio alemão

A guerra na Ucrânia levou a que os países europeus, principalmente, deixassem cair as cooperações com a Rússia em vários planos. No caso das parcerias espaciais, o telescópio alemão do observatório espacial Spektr-RG foi desligado devido à invasão. Contudo, agora a Rússia quer assumi-lo unilateralmente.

Equipado com dois telescópios, o alemão eROSITA e o russo ART-XC, este equipamento foi lançado em julho de 2019 para mapear a totalidade do céu em raios-X, mas desde o início do conflito, a parte alemã está desligada.