Quantcast
PplWare Mobile

Tags: alterações climáticas

EUA querem que 45% da eletricidade provenha de energia solar em 2050

Não só as fabricantes têm dado cartas no sentido de contribuir para a minimização das emissões de gases de efeito de estufa. De forma a atingir os objetivos estabelecidos, os países estão também a trabalhar nesse sentido. Os EUA, por exemplo, querem que 45% da eletricidade consumida no país provenha de fontes de energia solar.

Com o horizonte temporal estabelecido para 2050, esta meta poderá fazê-lo poupar cerca de 1,7 biliões de dólares.

Energia solar


Noruega quer apenas elétricos, mas não quer fechar as suas reservas de petróleo

A Noruega é dos países do mundo que mais está a investir na mobilidade elétrica. Afinal, o país tem como objetivo a descarbonização e, segundo crê, este é um dos passos essenciais. Contudo, e apesar disso, não pretende fechar as suas reservas de petróleo.

De acordo com um novo inquérito, a maioria da população é a favor da continuação da exploração das reservas disponíveis no país.

Carros elétricos na Noruega


EUA: 50% dos novos veículos vendidos em 2030 serão elétricos

Se na Europa as fabricantes e os governos estão a assumir este compromisso, que prevê uma significativa redução das emissões dos gases de efeito de estufa, os Estados Unidos da América (EUA) não ficarão para trás. Assim sendo, Joe Biden anunciou um objetivo bastante ambicioso.

Em 2030, 50% dos veículos novos vendidos no país serão elétricos.

Presidente dos EUA, Joe Biden


Cientistas preocupados com ‘zona morta’ no oceano

Os cientistas têm vindo a alertar o mundo acerca das alterações climáticas e das suas consequências futuras. Contudo, o presente já nos está a mostrar como será. Aliás, os cientistas estão preocupados com o crescimento de uma zona de hipoxia, uma zona morta, no oceano.

Mais do que isso, consideram que esse crescimento poderá estar a acontecer na sequência das alterações climáticas.

Fundo do oceano


Alterações climáticas estão a mudar o eixo da Terra. Que se passa com o nosso planeta?

A pandemia poderá ter desviado a atenção necessária sobre um grave problema que está a afetar a vida do ser humano no planeta Terra. As alterações climáticas estão a trazer enchentes, secas extremas, temperaturas altíssimas, incêndios infernais e extinção de algumas espécies. Estes serão, eventualmente, os efeitos que conseguimos perceber e que nos dizem que o planeta está doente. No entanto, há outros efeitos das mudanças climáticas provocadas pela ação do homem que não são tão óbvios.

O eixo da Terra está a mudar e, apesar de não ser um fenómeno anormal, o homem tem acelerado este comportamento. Que consequências poderão advir?

Imagem da Terra e do seu eixo