Quantcast
PplWare Mobile

REPowerEU é o plano da Comissão Europeia para reduzir dependência energética da Rússia

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Álvaro Campos says:

    Será que em 2030 ainda haverá Europa?

    • Tony says:

      Europa sim, mas Uniao Europeia…

    • O que sera, sera says:

      Sera que ainda havera um planeta?

      • Joao Ptt says:

        O planeta cá continuará… com ou sem pessoas… provavelmente com pessoas.

        Não sou vidente, mas desconfio que isto com a Ucrânia vai resolver-se, provavelmente com a Rússia a tomar conta do país todo nas próximas semanas/ meses.

        E o resto da Europa? Desconfio que para já, apesar de todos os receios, a Rússia não vai avançar ainda para uma expansão territorial para países da UE/ NATO, ficando tal mais para próximo do final desta década ou para a década de 30 ou 40. Ainda que faça todo o sentido a Rússia e seus parceiros avançar agora, porque a Europa e os EUA estão fraquíssimos a nível militar, e as lideranças também são fracas, e não fossem as armas nucleares dos EUA, França e Reino Unido, e seria tão fácil invadir e tomar conta de parte da Europa (pelo menos até chegar à França) como tirar a chupeta de um qualquer bebé. Basta pensar que em caso de invasão a maior parte da população não vai pegar nas armas e ir combater e invadir o território do invasor, mas: fugir! E com todos a fugir até um pequeno exército de 500 mil a 1 milhão de militares chega perfeitamente para tomar conta de tudo.

        • Miguel says:

          Por acaso tenho uma ideia ligeiramente diferente, não fossem as armas nucleares na Russia e já Moscovo e arredores teriam sido varridos do mapa pelos ocidentais.

        • José Orlando says:

          A Rússia depende mais de nós do que a Europa. Os EUA sabem disso. O objetivo é enfraquecer a Rússia. E com isso enfraquecer a China e a Índia. 3 potências mundiais nucleares de forma a manter a hegemonia americana no planeta. Esta guerra é uma guerra de controlo. Se a Rússia perder esta batalha a Europa fica refém da América. Haverá uma quase dependência total da nossa parte nos americanos. E com isso perdemos a possibilidade de contestar tanto as invasões do passado feitas pelo ocidente como as futuras. Como irá funcionar a nossa dependência da América se o Ocidente derrotar a Rússia? O gás russo que representa 40% neste momento e o gaseduto nord stream 2. Ao não usar o gaseduto haverá indemnização do Ocidente a Rússia. As empresas que fizeram o gaseduto pediram dinheiro emprestado. O sistema financeiro de empréstimos é controlado quase na totalidade pela América desde o fim da segunda guerra mundial. Alem da indemnização, dos empréstimos já obtidos e do aumento do preço do gás oriundo, principalmente da América, a dívida pública europeia vai subir. E quem empresta a Europa é a America. No final seremos reféns dos EUA ainda mais e o custo de vida a curto e medio prazo vai aumentar levando ao crescimento ainda mais do descontentamento social. Aumentara depois a despesa militar que depois poderá ser usada não contra a Rússia mas para dentro.

        • Czul says:

          “porque a Europa e os EUA estão fraquíssimos a nível militar”
          Tens noção do ridículo?
          A Rússia é uma economia frágil e com equipamento obsoleto. A própria França é mais evoluída que a Rússia. Para terminar, o orçamento militar dos EUA é superior à soma dos 20 países seguintes em conjunto. Nestes podes incluir a Rússia, China, Arabia Saudita, França, Reino Unido, etc. Os Verdadeiros perigosos, em termos de forças armadas e tecnologia, são os Americanos.

        • Joao Santos says:

          Hahaha.
          A Russia nem a ucrania vai conseguir conquistar.

  2. Amilcar Alho says:

    Durante décadas fomos “financiados” para não produzir, agora correm atrás do estrago… (falo de cereais).

  3. José Orlando says:

    https://nsarchive.gwu.edu/briefing-book/russia-programs/2017-12-12/nato-expansion-what-gorbachev-heard-western-leaders-early

    Isto são documentos desclassificados pelos EUA onde se vê que os EUA e a Nato não cumpriram com o estipulado, ou seja, expansão para leste da NATO. A Nato passou de 17 países para 30 fazendo um cerco a Rússia. As invasões ao Iraque, tanto nos anos 90,como em 2003 (esta ilegal), Síria, Afeganistão, Iémen, Venezuela, Irão foram sempre com o objetivo de controlar o fluxo de petróleo e gás pelo ocidente. Quem dominar a energia controla o planeta. Infelizmente as nossas democracias não são democracias. Atrocidades como a guerra na Arménia atualmente (que a Rússia ajudou a não continuar), na Síria o mesmo, na guerra entre o Paquistão e a Índia em 1971, a ajuda russa na segunda guerra mundial tudo isso não está a ser avaliada porque o que interessa é o capitalismo ou seja o capital sobre o interesse das populações.

  4. Manso says:

    O “plano” passa por comprar aos EUA a um preço muito superior…. “Genial”!!!
    Aliás, o plano dos EUA sempre foi este. Sabendo da dependência da Europa, ajudou a criar o conflito nos bastidores para agora aparecerem como os “amigos” que vão “ajudar”…

    • Otioobvio says:

      Lolol ora, a Rússia anexou 2 partes da Ucrânia há uns anos, iniciou esta guerra e agora isto foi um plano dos EUA?!?! Lolol pois claro, como a Rússia se deixa manipular pelos EUA………. enfim, ignorante.

      E para que saibas, a UE só vai comprar a outros (Argélia, Canadá, EUA) o absolutamente necessário. E os próprios EUA estão a negociar com outros países como Venezuela a compra de combustíveis.

      Ou seja, não só a UE vai ter consequências, como os EUA (entre outros).

      Portanto se calhar até foi o Maduro e o presidente da Argélia que maquinaram isto tudo, manipulando o EUA e com isso a Rússia…. lol é cada pato…

  5. Otioobvio says:

    1) a Ucrânia e outros países (Finlândia, etc) “neutros” foram avisados que devem manter-se assim senão uma das forças chateia-se. A Ucrânia quis unir-se ao ocidente e está a levar a “tareia”. É triste para a população mas desde há muito tempo sabiam que se fossem a um lado levavam “com ela”.

    2) o resto do mundo não se pode meter na batalha “familiar”, senão em vez de uma tragédia local, temos tragédia mundial. Se a NATO se mete (e consegue ganhar à Rússia), a China e Coreia do Norte metem-se também. WW3

    3) esta tragédia está a ser um bom motivo para a UE mudar de combustíveis fósseis baratos russos para energias alternativas. Perde a Ucrânia, em breve a Rússia, o cidadão europeu que pagará mais por combustíveis e luz, mas ganhará o ambiente e os nossos filhos com energias locais limpas.

  6. Carlos Fernandes says:

    “2) o resto do mundo não se pode meter na batalha “familiar”, senão em vez de uma tragédia local, temos tragédia mundial. Se a NATO se mete (e consegue ganhar à Rússia), a China e Coreia do Norte metem-se também. WW3”
    Mas todos tem medo da WW3.
    A Coreia do Sul consegue controlar a Coreia do Norte. Sim a China é perigosa, julgo que os E.U.A, Japão e Austrália tomam conta disso ….. tena o “supremacy 1914 para android 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.