Quantcast
PplWare Mobile

Carros elétricos serão mais baratos de produzir do que os a combustão, em 2027

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. robin says:

    A ditadura da grande cruzada.
    Daqui a uns meses o Trump trata de detonar isso.

  2. Cláudio Andrade says:

    como tudo.. com o tempo baixa os custos de produção

    “o seu comentario aguarda moderação ” é sempre isto

  3. António says:

    Os carros a combustão já deviam ter baixado de preço tendo em conta que já são produzidos há tanto tempo… olhe que não.

  4. Samuel MG says:

    Alguém anda a sonhar acordado (todos da Bloomberg)!!

  5. Jon says:

    Bom enquanto não houver carros a pilhas por valores a rondar os 500€e máximo de 5000€ ainda não podemos considerar que são mais baratos do que a combustão….

    • Toni da Adega says:

      Qualquer carro a combustão que custe mais que isso nem vale a pena comprar. No máximo 5500€ mas aí já é gama alta com full extras

  6. Matreco says:

    Claro que vão ficar mais baratos: é só carregar os a combustão de impostos, taxas e contribuições…

  7. Há Cada Gajo says:

    E a seguir vem o desemprego. Poucos são os que alertam para isso mesmo, embora já se comece a ter outra perceção desta suposta cruzada ambiental : vem aí desemprego sem precedentes.

    • Toni da Adega says:

      Se trocar um gerador a gasóleo por paineis solares e um carro a combustao por um electrico quantas pessoas perdem o emprego?

      • Manuel da Costa says:

        O gerador precisa de 20 a 30 trabalhadores para o montarem, os painéis solares são 11 chineses, 63 empresas (com 0 ou 1 trabalhador) e o montador que se desloca a sua casa para o montar.
        Os carros a combustão precisam de 340 a 350 trabalhadores, os carros eléctricos precisam de 12 a 14.

        • Toni da Adega says:

          Visto os carros electricos montam-se sozinhos, um dia em que VW comece a fabricar carros electricos, assim que calhe á Autoeuropa vai logo tudo para a rua e a Fabrica fecha

    • Jon says:

      Enfim agora disse tudo

    • Rui says:

      Os policia sinaleiros tambem fora substituidos por semaforos, o mundo evolui alguns empregos desaparecem outros aparecem

  8. FAR says:

    Não percebo a azia em relação aos carros elétricos. Mas afinal qual é o problema? Atualmente o abastecimento é um entrave para muitos, mas para até às datas que se prevê a “obrigatoriedade” de EVs certamente que existirão alternativas e o cenário será bastante diferente do que temos agora. Como tudo o que é tecnologia, também os carregamentos irão evoluir e tornar-se mais eficientes / rápidos e, claro, mais disponíveis. De igual forma para a autonomia das baterias.

    Alguém se lembra dos primeiros monitores LCD? Eram uma “desgraça” e muitos tinha efetivamente pior qualidade quando comparados com um bom CRT. Agora, passados uns anos a tecnologia amadureceu e ninguém consegue seriamente preferir um CRT a qualquer LCD atual, mesmo dos mais baratinhos.

    Sinceramente não percebo. Dá assim tanto gozo ter um escape a lançar gases poluentes e mal-cheirosos? Ou levar com o cheiro a combustivel de cada vez que se vai abastecer?

    Muito gosta este povo de se opor à mudança. Velhos do Restelo, pá! 😛

    • Jon says:

      Quando correm mais rápido e pra dar cabo das baterias mais rápido tmb

    • Jon says:

      Claro que dá gosto e bom o cheiro a gasolina pela manhã

    • Zé Fonseca A. says:

      FAR, estás altamente instruído.. poluição para ti é só CO2?
      O que a extracção de litio e cobalto faz aos rios e solos tem um impacto 1000x mais significativo que toda a extracção petrolifera do mundo.
      CO2 é só aquilo que leva quem vive nas grandes cidades, e é preferivel isso à devastação necessária para produzir EVs de forma massiva.

      • Toni da Adega says:

        Andou a sociedade a trabalhar arduamente para termos um SMOG de qualidade e agora vem este pessoal tentar retirar isso.
        Energias “verdes” é outra praga. O pessoal devia era revoltar-se e substituir os paineis solares nas casas e substituir por Geradores a gasóleo.

      • Feed says:

        Primeiro quero deixar claro que não gosto da idea de extrair lítio ou outro material qualquer, penso que no futuro terá de haver outra alternativa mas também acredito que em relação à extração de petrolífera é uma solução mais viável e menos poluente, já para não falar que estes materiais podem ser reciclados!!!

        A extração petrolífera polui menos 1000x do que a extração de lítio e cobalto? 
        Põnha aí uma fonte!

        Deve estar a esquecer-se de que acontecem constantemente acidentes em extração e transporte de crude no mundo! E se não sabe deveria saber que para limpar uma zona afetada por um pequeno acidente destes pode levar para cima de 15 anos!

        Ainda tem coragem de vir comparar uma coisa que pode ser classificada como má com outra muito pior!!!
        Seja serio e não tente vender mentiras às pessoas só para  justificar a sua escolha e massajar o seu ego!

        Depois também deve ser muito bom levar com  tudo que sai dos escapes dos carros enquanto eu passo ao lado deles no passeio. Sou obrigado a respirar tudo porque o senhor tem a liberdade de escolha, mas eu não tenho, a qualquer lado que vá tenho de respirar essa porcaria! 

        Hazardous air pollutants (toxics)
        Chronic (long-term) exposure to benzene (C6H6) damages bone marrow. It can also cause excessive bleeding and depress the immune system, increasing the chance of infection. Benzene causes leukemia and is associated with other blood cancers and pre-cancers of the blood.[22][23]

        Particulate matter (PM10 and PM2.5)
        The health effects of inhaling airborne particulate matter have been widely studied in humans and animals and include asthma, lung cancer, cardiovascular issues, premature death.[24][25][26] Because of the size of the particles, they can penetrate the deepest part of the lungs.[27] A 2011 UK study estimates 90 deaths per year due to passenger vehicle PM.[28] In a 2006 publication, the U.S. Federal Highway Administration (FHWA) state that in 2002 about 1 per-cent of all PM10 and 2 per-cent of all PM2.5 emissions came from the exhaust of on-road motor vehicles (mostly from diesel engines).[29]

        Carbon dioxide (CO2)
        Carbon dioxide is a greenhouse gas. Motor vehicle CO2 emissions are part of the anthropogenic contribution to the growth of CO2 concentrations in the atmosphere which according to the vast majority of the scientific community is causing climate change.[30] Motor vehicles are calculated to generate about 20% of the European Union’s man-made CO2 emissions, with passenger cars contributing about 12%.[31] European emission standards limit the CO2 emissions of new passenger cars and light vehicles. The European Union average new car CO2 emissions figure dropped by 5.4% in the year to the first quarter of 2010, down to 145.6 g/km.[32]

        • Zé Fonseca A. says:

          https://usa.streetsblog.org/2021/02/09/lithium-mining-and-the-hidden-environmental-costs-of-evs/

          Convido-te a visitar uma qualquer area até 100 km de uma mina de litio ou colalto e até 1000km de uma plataforma petrolifera.
          Acidentes acontecem claro, mas acidentes não fazem parte da equação, são imprevistos e muito raros.

          • Toni da Adega says:

            O sonho de qualquer humano é curtir a natureza ao lado de um plataforma petrolifera ou refinaria.

            Entre morar ao lado de uma refinaria ou uns painei solares a escolha é fácil, optar sempre pela refinaria

            https://www.theguardian.com/global-development/2019/dec/06/this-place-used-to-be-green-the-brutal-impact-of-oil-in-the-niger-delta

          • Rodrigo Da Silva says:

            La esta! O problema e a confusao esta a’i.
            A maior parte do litio nao ‘e minado como o carvao por exemplo. ‘E extraido em zonas de ‘Brine’. A poluicao que provem dessa extracao do litio ‘e localizada naquela zona.
            Enquanto que a extracao do petroleo ‘e mais ou menos limpa (depois de decadas de experiencia), o problema ‘e a poluicao quando se queima a gasolina. Essa poluicao nao ‘e localizada e afecta o MUNDO todo. Mesmo lugares que nao tem carros nem populacao ‘e afectada negativamente com esse aumento de Co2 e a poluicao.

          • Seal says:

            @Toni, ainda consegues perdes tempo com esta espécie de gente ?
            Está visto que não avançam mais do que isto…

          • FAR says:

            Você leu o artigo até ao fim? Ou ficou-se pelo sub-titulo “Lithium = Bad”?

            Reparou no “amadurecimento financeiro/regulatório” que outras tecnologias energéticas de escala sofreram ao longo da sua evolução? Já parou para pensar que o litio é, atualmente, o “hardware” mais adequado a esta tecnologia, mas que não será a definitiva?
            Lembra-se da alteração de combustíveis com chumbo para sem chumbo?

            Muitos se não todos os problemas que aponta se resolvem com regulamentação (pró-ambiental, claro) e a evolução natural da tecnologia.

            Infelizmente para estas questões não há uma varinha mágica ou um botão de ON/OFF. Há sim um delicado equilibrio entre viabilidade comercial e investimento cientifico e para bem ou para mal isso tem de ser respeitado.

            Tenha em conta que a tecnologia de combustão já está praticamente no limite da sua potencialidade. A evolução é inevitável. Fique feliz por a evolução, desta vez, estar a ser encaminhada numa direção verde mesmo que ainda não esteja na zona verde.

          • Zé Fonseca A. says:

            Muitos se não todos os problemas se resolvem com hidrogenio verde, essa é que essa, sem explorações massivas de litio e sem plataformas petroliferas nem refinarias.
            Os doentes dos EVs é que não conseguem ver isso, litio é trocar um mal por outro, por muitos avanços que se façam, nunca virão a tempo de impedir poluição massiva e destruição de ecossistemas.

          • Paulo Santos says:

            Zé Fonseca A., os automóveis a hidrogénio também são veículos elétricos.

          • Zé Fonseca A. says:

            Não são electricos, são electrificados.
            Vai ver a quantidade de litio e cobalto que compoem um veiculo a hidrogenio.

      • FAR says:

        Estou instruido o suficiente para saber que o pior que sai do escape nem é o CO2. Também para saber a desgraça que é de cada vez que acontece um derrame de crude nos oceanos. Tenho as minhas duvidas de que será “1000x” menos impactante do que a extração minéria, mas você lá terá os seus números confirmados certamente.

        Mas acho que já percebi. Pelo menos na sua opinião, a defesa de que se mantenham os carros de sistema de combustão atuais é movida pela sua preocupação ambiental.

        Sinceramente, não sei se ria ou se chore. Muito sinceramente mesmo.

        • Zé Fonseca A. says:

          Não, só não sou tapado e vejo que isto é trocar um mal por outro.
          Futuro é claramente hidrogenio verde, daqui por 50 anos talvez tenhamos evolução tecnologica suficiente para ter baterias com menor dependencia de determinados metais.
          Vocês é que gostam de se embalar na armadilha “em prol do ambiente”, é tudo um jogo economico, grandes consorcios com investimentos em petroleo mudaram os seus investimentos para extração e transporte de litio, vocês é que acham que o dinheiro muda de mãos só porque não diz BP, GALP, SHELL, EXXON..

          • Jon says:

            E as pessoas andam com pena vão em prol da $u$t€ntavilidad€

          • rodrigo says:

            Sim o futuro ‘e claramente hidrogénio mas ainda estamos mt longe disso! Ainda se gasta mt energia para criar hidrogénio puro que movimentara os veículos. Tanta energia que nem vale a pena pensar que seja uma solução viavel. Mas isso nao quer dizer que tenhamos de continuar na mesma com os carros tradicionais. Se existe uma opção melhor (e temos), temos de avançar e nao esperar ou criar desculpas paras nao mudar.

            Todos sabemos que o ambiente ‘e importante..ate os grandes consorcios e empresas. Longe estao os tempos em que uma empresa petrolífera ou uma empresa de madeiras iria para um lugar qq, faz o que tem a fazer ao mesmo tempo destruindo a natureza, e depois fica fica a rir com os lucros. Esta demonstrado que uma empresa que se preocupa realmente com o ambiente ganha mais $$$ ao longo prazo e ganha mais respeito da populacao onde trabalha.

            O mundo so evolui se os grandes deixarem. E se os grandes estao a mudar ‘e pq vem lucro no futuro verde certo? Nao mudariam se achassem mesmo que ‘e td uma moda.

          • Zé Fonseca A. says:

            Não importa a energia que gastas a produzir hidrogenio, podes produzir 24/7 a partir de energias renovaveis e o mesmo é armazenavel, e espante-se, é armazenavel sem necessidade de litio…

          • Rodrigo Da Silva says:

            Nao importa? Claro que importa!! De uma olhada :

            https://en.wikipedia.org/wiki/Hydrogen_economy

            “A 2019 video by Real Engineering noted that using hydrogen as a fuel for cars, as a practical matter, does not help to reduce carbon emissions from transportation. The 95% of hydrogen still produced from fossil fuels releases carbon dioxide, and producing hydrogen from water is an energy-consuming process. Storing hydrogen requires more energy either to cool it down to the liquid state or to put it into tanks under high pressure, and delivering the hydrogen to fueling stations requires more energy and may release more carbon. The hydrogen needed to move a fuel cell vehicle a kilometer costs approximately 8 times as much as the electricity needed to move a battery electric vehicle the same distance.”

    • Afonso Domingos says:

      Comparar LCD a carros eletricos.
      A questão é que nos estão a enfiar isto e nós gostamos.
      Vamos andar a trocar de carros de dois em dois anos tal como fazemos com os telemóveis, porque as baterias queimaram.
      Já olhaste par as ruas de Lisboa e arredores? Acreditas mesmo que vai ser possível ter tantos carros a carregar? E nas áreas de serviço? Vai haver filas na autoestrada para carregara a bateria?
      Quanto à poluição, é a mesma ou pior.
      Se procurares, vais ver por ai um estudo que diz que 25% das pessoas que compraram um carro eletrico mudaram de opinião e reverteram.
      Ass: velho do Restelo

      • FAR says:

        Claramente não o farei mudar de opinião. Mas, permita-me talvez choca-lo um pouco: não era essa a minha intenção.

        Os argumentos que aponta são um claro reflexo daqueles que mencionei no comentário ao qual respondeu. Ou seja, ficamos um pouco na mesma. Depreendo que as suas preocupações estarão relacionadas com a ideia de que não será viável a massificação da tecnologia, será?

        “Comparar LCD a carros eletricos.”
        Uma analogia. Também poderia ter comparado com cortadores de relva, mas foi o cenário que me surgiu e mantenho a alanlogia que serviu para clarificar que a tecnologia não “surge”, mas “cresce”.

        “A questão é que nos estão a enfiar isto e nós gostamos.”
        Se gostamos que enfiem, que continuem a enfiar, não vejo o problema aqui.

        “Vamos andar a trocar de carros de dois em dois anos tal como fazemos com os telemóveis, porque as baterias queimaram.”
        Falso e já pelos padrões atuais das baterias e técnicas de carregamento de HOJE. Informe-se melhor pf.

        “Já olhaste par as ruas de Lisboa e arredores? Acreditas mesmo que vai ser possível ter tantos carros a carregar? E nas áreas de serviço? Vai haver filas na autoestrada para carregara a bateria?”
        Completamente de acordo (com a ideia em si, não com as filas)! Isto é, a meu ver, um dos principais problemas a ter de ser resolvido. No entanto “basta” que um EV carregue totalmente em 10 mins para esse problema deixar de existir, bastando que existam postos de abastecimento em igual numero ao que temos agora de combustiveis. ainda não estamos lá, mas já estivemos muito mais longe.

        “Quanto à poluição, é a mesma ou pior.”
        Afirma isto com base em que estudo, ao certo? Empiricamente não deverá ser de certeza. Óleos, combustíveis, fumos, derrames, etc. não me parecem muito verdes. Suponho que se forem usados corantes…

        “Se procurares, vais ver por ai um estudo que diz que 25% das pessoas que compraram um carro eletrico mudaram de opinião e reverteram.”
        Não me surpreende minimamente. Já vi EV’s parados em postos de abastecimento 😀
        Um pouco mais a sério, ter um eléctrico atualmete não é viável para todos. Por exemplo para mim e para o meu agregado familiar seria impraticável, pois moramos num apartamento sem box com energia e numa zona sem abastecimento para EV’s o que complica a coisa pois precisamos dos veiculos diariamente. Agora, eu não me vou por a comprar um EV (embora gostasse bastante) pois tenho noção de que não seria viável. Mas muita gente não tem e toca de embarcar na aventura. E, às vezes corre mal.

      • rodrigo says:

        @Afonso..cheira-me a troll aqui

    • Manuel da Costa says:

      O grande problema dos eléctricos é a poluição depois de usados. Um a combustão pode durar 30 a 50 anos, com meia dúzia de peças trocadas. Um eléctrico precisa de 40% a 80% do preço pago, a cada intervalo de 5 a 8 anos de vida. E não venha com a a dos “110% de produto reciclado”. Neste momento uma bateria de um eléctrico conseguem reciclar 34%. O resto ou é para queimar ou é para despejar em aterros ou é para despejar nos rios/oceanos. Faça uma conta simples e imagine venderem 40 milhões de carros anualmente, quantos milhões de milhões de toneladas vão parar aos aterros/oceanos ao fim dos 8 anos (máximo!!) da vida útil das baterias.
      Além de que paga 50000 euros por um carro e já sabe que terá de pagar 20000 a 35000, para o continuar a usar, daí a 5 anos (mínimo) até 8 anos (máximo).

      • Rodrigo Da Silva says:

        Tens nocao que acabaste de dizer so asneiras? 8 anos no maximo? Toneladas que vai para os oceanos? So 34% ‘e reciclavel? wtf?!

    • Matreco says:

      A diferença é que na altura ninguém obrigou ninguém a trocar monitores CRT por LCD como estão a fazer agora com os carros a combustão e os eléctricos…

  9. Cláudio says:

    O futuro não será o eléctrico mas sim o hidrogénio (mais propriamente dito a pasta de hidrogénio).

    • Afonso Domingos says:

      Concordo, e já tens marcas a apostar nisso. Até lá vão-nos convencendo a comprar, comprar, e nós compramos, compramos

      • B@rão Vermelho says:

        O problema do Hidrogénio vai ser os novos cartéis, deixam de vender combustíveis fosseis para vender Hidrogénio, é esse o perigo que corremos, quanto a duração do carregamento dos carros eléctricos, ainda na semana passada estava a ver a corrida de Formula E, e estavam a entrevistar os donos e engenheiros das equipas e todos foram bem claros o próximo passo é o carregamento ultra rápido, querem que os carros vão às box para recarregar as baterias e isso só é possível com carregamentos ultra rápidos.
        Já decidi que o meu próximo carro vai ser o Dacia Spring, para o meu uso pessoal chega e sobra, mas ver uma corridas de Formula E, falta um dos componentes essenciais a quem gosta de corridas e motores que o barulho.

        • rodrigo says:

          estamos condicionados desde pequenos a associar o barulho do motor ou escape a um bom carro. Essa associação pode mt facilmente mudar.

    • Manuel da Costa says:

      Ainda é um futuro muito distante.
      Para lá dos preços base para agora (quase 650000 euros por “bateria”) há a manutenção que pode ser complicada.
      Mais 25 anos, se existir desenvolvimento e investimento, talvez.

    • Rodrigo Da Silva says:

      tens nocao que carros a hidrogenio utilizam baterias na mesma? E o hidrgoenio nao ‘e tao eficiente como a bateria.

  10. Elektro says:

    Antes de se alterar o tipo de combustível deviam procurar formar e regularizar as empresas que prestam serviços de manutenção das viaturas no geral, que infelizmente em muitos sítios ainda não são de confiança, já levei o barrete imensas vezes a pagar pequenas fortunas quase de mês a mês com um problema novo porque o mecânico simplesmente dizia que ia remendar e trocava as peças mais tarde se houvesse necessidade mesmo eu pedindo para trocar por peças novas…

  11. informado says:

    os impostos dos que andam a combustivel vão ter de passar para os electricos. Lá vai ter de se encontrar uma forma de ter outros carros movidos a outra coisa qualquer

    • rodrigo says:

      sim ninguém esta a negar que os impostos irao passar para os eléctricos. Isso ‘e obvio.
      Hoje em dia paga-se mt imposto na gasolina..mas qualquer pessoa pode criar a sua própria energia em casa via paneis solares ou eólicas e carregar o seu veiculo eléctrico. Conheces alguém que cria a sua própria gasolina ou hidrogénio em casa?

  12. Jorge says:

    Deviam começar por eletrificar os navios, esses sim são os grandes poluidores.

  13. Leandro Guarilha says:

    No final da equação qual a diferença se a poluição é gerada em um carro a combustão no centro da cidade, na termoelétrica na periferia ou em um deposito de lixo radioativo no subsolo???
    Outras alternativas devem ser estudadas, inclusive o ETANOL, No curto prazo até as tecnologias de geração e armazenamento da energia elétrica estejam maduras o suficiente para um ciclo de produção, uso e descarte com o minimo impacto, ecológico e social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.