Quantcast
PplWare Mobile

EUA querem proibir a China de aceder à litografia Ultra Violeta Extrema (EUV)

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. David Guerreiro says:

    Os chineses que se dizem ser os mais avançados e que gastam milhões em R&D porque não criam eles a tecnologia, os equipamentos? Em vez de comprar a empresas ocidentais.

  2. Antonio Santos says:

    Levaram tudo (tecnologias e afins)para lá, já quase não se faz nada na Europa e nos USA, agora de repente “äcordaram”, o mal já está feito. Se a China por alguma parar, ou eles fazerem uma espécie de embargo ao que produzem, o resto do mundo ficava a ver navios.

  3. Ben Hur says:

    Isto só prova o total desespero de quem sabe que foi ultrapassado e há muito por um País que julgavam atrasado…

  4. supersilva says:

    Segurança nacional e ou segura moeda?

  5. Samuel MG says:

    Os EUA acabaram de pisar uma mina económica e tecnológica!! Em suma LIXARAM-SE À GRANDE!! Agora é que a China vai ganhar a independência tecnológica!!

    • Samuel MG says:

      Vamos a ver se não é desta que a China vai cobrar a divida externa dos EUA !! Acho que são uns 60% de US$ 19.842.000.000.000,00!!

      • Castro says:

        o mito da dívida continua! A maioria da dívida dos Estados Unidos está nas mãos de cidadãos ou instituições americanas, a China tem apenas cerca de 4%. O Japão até detém mais dívida americana do que a China…

        • Samuel MG says:

          “Historicamente, a China tem sido uma grande compradora de títulos do Tesouro e possuía US$ 1,08 trilhão em 31 de março, data mais recente para a qual os números do Tesouro estão disponíveis. (As participações da China estão em segundo lugar, atrás do US$ 1,27 trilhão do Japão.) Apesar de ser um dos principais credores dos EUA, você pode ver as razões políticas que levam o presidente Donald Trump e sua equipe a atacar a China dia após dia.” No ano passado.

          • Castro says:

            Continua a ser apenas 4% da dívida… 4% não dá nenhum poder especial, ainda mais num país como os Estados Unidos!

            Muito longe de quem afirmava que seria 60%

      • clovis holz says:

        divida verdadeira do EUA ultrapassou 222 trilhões de dolares em 2015,

  6. Vasco says:

    O maior produtor de terras raras do mundo é de longe a China que as possui em concentrações que tornam viáveis a sua exploração. Fico curioso e a aguardar a resposta da China. É que hoje em dia nenhum país é verdadeiramente independente em termos não só de R&D mas também de obtenção de matérias primas, e sem estas últimas em quantidades generosas os EUA (o que quer que sejam os EUA no contexto da globalização), só poderão produzir semicondutores… virtuais!

    • Castro says:

      Não tem nada a ver com concentrações, tem a ver com o investimento feito pela China na prospeção, mineração e indústria transformadora do minério, a que se soma a regulamentação ambiental. É a escala toda implementada pela China que lhe dá vantagem competitiva.
      Os metais raros também existem noutros sítios do mundo, a questão é que foi feita pouca prospeção e são poucas as minas abertas. E mesmo esse minério também acaba por ir parar muitas vezes a fábricas chinesas para ser purificado.

  7. Cocas says:

    O EUA que são o expoente máximo do capitalisto e do mercado livre agora querem condicionar a venda de tecnologia da Holanda e Japão para a China? Os EUA têm é mau perder…
    A razão pela qual a Europa e América do Norte têm o domínio tecnológico até hoje deve-se ao facto de a nossa cultura ocidental fomentar a criatividade e avanço científico, ao passo que a cultura chinesa fomenta a produtividade barata a qualquer custo e a exploração laboral. E isso não vai mudar pelo facto de venderem umas máquinas de fabrico ou uns programas de desenho de circuitos integrados.

    • kodiakshadows says:

      Mas olha que a Europa bem se gosta de abaixar-de até ver o rabo no que toca aos amaricados.

    • scp says:

      Acabaste de expôr o mercado laboral Português.

      • pedro says:

        nao sabes do que falas! até é um insulto comparar o mercado laboral chinês com o português! nao tens mesmo a mínima noção! n deves trabalhar com toda a certeza senão nao dizias essa asneirada toda. queres armar te em engraçado porque esta na moda sempre criticar o país e queres passar por esperto, mas olha que é o contrario que acontece.

  8. Mapril says:

    Puxa, os americanos estão cheios de medo dos chineses!

  9. Antonio says:

    Eu só vejo aqui “camaradas” a defender os exportadores de virus
    Todos “cientitas”

  10. JCR says:

    E a UE, a continuar a estar dependente de EUA e China, sem nada fazerem contra, tornando-nos todos tecnológicamente dependentes dos 2 piores países do mundo, por razões opostas…e ainda dizem que estamos numa união, se se for virtual!

  11. Miguel says:

    E eu que pensava que com o Biden seria só paz e amor.

  12. farto da globalização says:

    o biden só está a atirar areia para os olhos dos que votaram nele porque há anos que os chineses compram todas as empresa possíveis, tanto na europa como na américa, portanto, mais dia menos dia, também adquirem estas todas 🙁

  13. Nick says:

    Acordaram tarde, mas acordaram.

  14. Istoéumaespéciedemagazine says:

    Agora vamos lá falar a sério, já trabalharam com maquinaria que tenha sido desenvolvido, pensado e construidos por chineses? Nao estou a falar utilizando tecnologias ocidentais, estou a falar 100% chinês, pois bem é uma ME*#A com todas as letras maíusculas não percebem nem fazem nada de jeito sem ser a copiar, eu sei porque trabalho com os dois lados, maquinas de tecnologia ocidental e chinesas lado a lado, tecnologia chinesa e maquinas chinesas só me fazem lembrar maquinas feitas na antiga união soviética, frágeis, feito á pressa, inseguras, cheias de defeitos, completamente fora dos padrões internacionais, porque ja há muitas decadas que ninguém faz maquinas como o chineses fazem, parecem mais protótipos, atualmente em 2021 não trazem nem um quarto da tecnologia que os japoneses faziam nos anos 90( que hoje em dia já se pode considerar desatualizado), mas os nossos empresários portugueses pensao que as chinesas são muito boas e modernas e assim estão em tudo, se nao fôr os outros a investigar e a fazer eles também nao o fazem, nao tem o know how das coisas, ja viram no yputune alguns testes de processadores chineses ainda em 22nm? Aconselho a ver pois tem um desempenho de um velhinho pentium 3 é só a dica…

    • Milhais says:

      Tenho de discordar com as tuas afirmacoes. Primeiro muito paises do Bloco de Leste tiveram e ainda tem algumas relevancia no desenvolvimento de maquinas, Polonia, Chequia, Ucrania e ate a Russia. Por isso essas das maquinas fragueis depende de que industria estas a falar.

      A China tinha decadas de atraso, principalmente no que toca ao assunto da noticia, nos semi condutores. O que se ve e que em poucos anos o plano do governo do CCP deu frutos, e agora comecam a assutar os USA e EU. Basicamente os semi condutores ja estava quase toda a industria pelos lados na Asia agora a china comeca a dar cartas assustou os ocidentais, que fazem muito bem em abrir os olhos, mas creio que ja vao tarde. Isso de ser 22nm nao interessa, pq hoje sao 22nm em dois anos vao ser 10nm, e esse e o problema, pois os USA tinham 40-50 anos de avanco, e hoje tem talvez 5 anos no maximo, visto que as grandes FABs ja nem nos USA estou, esta tudo em Taiwan e Coreia do Sul.

      Resumindo nao substimes os Chineses por estarem em 22nm ou por fazer tecnologias “frageis”, vamos e acordar e dar a perna ou o continente Europeu vai passar a ser so mesmo destino de ferias dos Asiaticos e pouco mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.