Quantcast
PplWare Mobile

Tags: satélite

100.ª missão do Falcon 9 da SpaceX levou para orbita este curioso satélite em forma de “casa”

Apesar de grande parte do planeta estar indiferente às mudanças climáticas, estas dão sinais fortes e preocupantes. A subida do nível do mar é um desses sinais já com graves ameaças às populações. Assim, cada vez há mais estudos que requisitam tecnologia espacial para monitorização dos oceanos. A partir de agora existe na órbita da Terra uma nova ferramenta. Chama-se Copernicus Sentinel-6 Michael Freilich e é um satélite que vai estar de olho no planeta.

Lançado no fim de semana, este equipamento é o primeiro de dois satélites idênticos a fornecer medições críticas da mudança no nível do mar.

Imagem do satélite levado pelo Falcon 9 para o espaço, o Copernicus Sentinel-6 Michael Freilich


Site diz-lhe quando pode ver um satélite Starlink na sua região

Starlink é a Internet criada pela SpaceX, empresa de Elon Musk, com o objetivo de levar a conexão a zonas mais remotas do planeta. O projeto conta assim com 800 satélites já lançados no órbita terrestre, mas a meta é chegar aos 30 mil.

Desta forma, existem então centenas de satélites Starlink a pairar em cima das nossas cabeças. E agora o site FindStarlink que lhe diz quando poderá ver um destes satélites a partir da sua região.


China envia para órbita o primeiro satélite de rede 6G

Há exatamente um ano, dissemos-lhe que a China estava já a desenvolver a rede 6G. Nessa altura, a rede 5G não possuía sequer relevante representatividade, em muitos dos países ao redor do mundo. Conforme transmitimos também, o arranque das investigações estava planeado para 2020, mas foi antecipado.

Agora, um ano depois, a China enviou, para órbita, o primeiro satélite do mundo com rede 6G.

China enviou satélite de rede 6G para órbita


Foguetão chinês e satélite russo podem colidir esta noite a 53.000 km/h

A órbita da Terra está cada vez mais congestionada e começam a ser normais as possíveis colisões entre o lixo espacial abandonado à sua sorte. Assim, um velho foguete chinês à deriva e um satélite militar russo não tripulado passarão esta noite num raio de 12 metros um do outro. De acordo com o serviço de localização de lixo espacial LeoLabs, este encontro terá lugar pelas 0:56h (hora de Portugal continental) desta sexta-feira.

Segundo a agência, há mais de 10% de hipóteses dos dois objetos colidirem a uma altitude de 991 quilómetros acima do Mar de Weddell, mesmo ao largo da Península Antártica.

Ilustração de colisão entre foguetão e satélite no espaço


BeiDou: Último Satélite do sistema alternativo ao GPS entrou em órbitra

Quando se fala em sistemas de posicionamento normalmente referimo-nos ao GPS.  No entanto, existem outros como é o caso do Galileo ou o GLONASS.

A China terá em breve o seu sistema a funcionar que é composto por 35 satélites. O último satélite já entrou em órbita.

BeiDou: Último Satélite chinês do sistema alternativo ao GPS entrou em órbitra