PplWare Mobile

Tags: gelo

Gelo dos glaciares já registam sinais da pandemia provocada pela COVID-19

Esta pandemia ficará para sempre na história da humanidade e, provavelmente, será a que mais dados guardados irá ter. Além da moderna tecnologia digital gravar tudo o que se está a passar, a própria natureza faz a sua recolha para a posteridade. As árvores, o solo, as rochas e o gelo são testemunhas de todos os factos planetários. Nos glaciares estão presentes pistas do que se passou no passado remoto da Terra. No futuro, será esse o gelo que contará algo sobre a pandemia provocada pela COVID-19.

Investigadores revelam que neste exato momento os grandes blocos de gelo estão a recolher evidências físicas, químicas e biológicas da doença.

Imagem graciares que podem estar já a captar evidências da pandemia por COVID-19


Cientistas encontram o ponto mais profundo da Terra na Antártida

Um grupo de investigadores encontrou o ponto mais profundo da Terra continental. Este sítio foi identificado na Antártida Oriental, sob o glaciar Denman.

Segundo os exploradores, o local, era parecido com o “Grand Canyon“, uma enorme ravina que não está coberta por água e atinge 3,5 km abaixo do nível do mar.


NASA revela vídeo dramático do degelo dos glaciares no Alasca

O degelo tem mostrado como o planeta está a caminhar para uma situação de não retorno. Segundo muitos dados científicos, é apontado um cenário de uma crise climática global severa.

A NASA, através dos seus equipamentos meteorológicos espaciais, tem mostrado um panorama assustador sobre o ambiente na Terra. Assim, num vídeo recém-publicado, é mostrado o degelo dos glaciares e calotas de gelo do Alasca visto do espaço. Em alguns casos, com mudanças de quase 50 anos.

Imagem degelo dos glaciares no Alasca mostrado pela NASA


NASA testa novo dispositivo na procura de vida alienígena debaixo do gelo antártico

Parece haver uma maior convicção na existência de vida extraterrestre. A NASA é das maiores entidades a procurar essa vida alienígena. Nesse sentido, a agência espacial norte-americana testa um novo equipamento debaixo do gelo antártico. Este veículo espacial é aquático e tem o objetivo de um dia ir explorar Enceladus, Europa e outros mundos aquáticos do Sistema Solar.

A NASA acredita que poderá encontrar muitas respostas debaixo do gelo no satélite natural de Júpiter.

Imagem Rover BRUIE da NASA para explorar EUROPA


Que idade terá o gelo encontrado na Lua?

Ano passado, a NASA fez uma descoberta que mudou significativamente a forma de pensar no futuro da Lua. O facto de haver água no nosso satélite natural pode ser importante para viagens espaciais futuras, além de outros objetivos no Espaço. A descoberta de depósitos de gelo lunar, abriu novas linhas de investigação. Assim, entre várias questões levantadas, a idade desse gelo pode revelar muita coisa que desconhecemos.

Segundo as investigações, a maioria dos depósitos de gelo na lua têm, provavelmente, milhares de milhões de anos. Contudo, alguns podem ser muito mais recentes.