Quantcast
PplWare Mobile

Tags: cometa

Veja um cometa maciço a chocar contra o Sol e a vaporizar-se imediatamente

Um cometa atingiu o Sol no momento em que o Observatório Solar e Heliosférico da NASA observava os movimentos da nossa estrela. Conforme mostram as imagens, o cometa não conseguiu resistir à intensa força gravitacional do Sol. Do outro lado da estrela podemos ver uma enorme ejeção de massa coronal.

Este astro estava condenado. Dizem os especialistas que seria já um fragmento de um corpo substancialmente maior.

Imagem do cometa a ser vaporizado pelo Sol


Perseidas 2022: pense nos desejos, vem aí uma chuva de estrelas “cadentes”

As Perseidas, ou “Lágrimas de São Lourenço” são umas das mais populares chuvas de estrelas do verão, visíveis em todo o hemisfério norte. Dentro de poucos dias, haverá condições meteorológicas ideais para a sua observação. Assim, pense num desejo, pois vai ser um espetáculo digno de relembrar.

Para conseguirmos detetar e perceber o movimento destes meteoros no céu noturno, há, primeiro que tudo, que escolher o local ideal para a sua observação e saber exatamente em que direção olhar no firmamento estrelado. Mas afinal, qual é a origem destes meteoros?

Ilustração Perseidas 2022 ou chuva de estrelas


Esta noite não tire os olhos do céu. Há chuva de meteoros

Os fenómenos naturais tendem a trazer uma beleza ao mundo e observar as “chuvas de estrelas” pode ser uma experiência fantástica. Por estes dias, ou melhor, estas noites, poderão ser vistas com grande intensidade.

O fenómeno está a acontecer devido à passagem das chamadas Eta Aquáridas que derivam dos destroços do cometa Halley e podem ser vistas até ao dia 28 de maio, sendo que o pico acontecerá na madrugada de 6 de maio.

Esta noite não tire os olhos do céu. Há chuva de meteoros


Wow… tem cerca de 140 quilómetros e é oficialmente o maior cometa já observado

Chama-se cometa Bernardinelli-Bernstein, foi identificado em 2021 e é oficialmente o maior cometa alguma vez observado. Este gigante já foi medido e o seu tamanho ronda os 140 quilómetros de diâmetro.

O cometa recebeu o nome dos seus descobridores, o cosmólogo da Universidade da Pensilvânia Gary Bernstein e o estudioso de pós-doutorado da Universidade de Washington Pedro Bernardinelli, que primeiro avistaram o astro no conjunto de dados Dark Energy Survey.

Ilustração do cometa Bernardinelli-Bernstein


Vem aí o cometa Leonard, o mais brilhante deste ano e nunca mais o veremos

É verdade que este ano não nos podemos queixar. Já tivemos a nossa quota de eventos celestiais impressionantes. Conforme se lembrarão vimos uma lua cheia tingida de laranja, o eclipse lunar parcial mais longo do século e uma bela chuva de meteoritos. Contudo, não vamos fechar já o calendário, pois ainda falta apontar uma ocorrência única na vida. Sim, vem aí um cometa!

Se conseguir ver o cometa Leonard, pode considerar-se um sortudo. Isto porque ele nunca mais será visto por cá.