Quantcast
PplWare Mobile

Professor acredita que fomos presenteados com lixo alienígena em 2017

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Reis says:

    E lá vem as mentiras…

  2. Petrus says:

    Mais lixo, menos lixo…

  3. Mastermind says:

    Lixo alienígena já cá anda há muito tempo, veja-se o lixo tóxico que é o Trump, Bolsonaro, Putin e muitos outros. Claramente lixo que os aliens despacharam dos seus mundos para se verem livre deles. Tivemos azar e vieram cá parar…

    • anonimo says:

      Deus seja louvado! Até aqui, os retardados, bucha de canhão e massa de manobra dos políticos esquerdistas que estão sendo alijados pelas milícias, se manifestam. São tão alienados, que conseguem manifestar suas opiniões de ódio doentio, em qualquer assunto. Pobrezinhos! Perderam, há muito, a capacidade de pensarem e se tornaram espécies de zumbis, a repetir o mantra de ódio que impregnaram em suas mentes tristemente codicionadas. O próprio nickname é um paradoxo. Roguemos a Deus por esses pobres irmãos.

      • F Gomes says:

        … e esses “pobres irmãos” têm tanto direito de exercerem o seu direito de LIBERDADE DE EXPRESSÃO e OPINIÃO como você o fez no seu comentário. Afinal quem é “pobre irmão”?

        • nocode says:

          Até tem razão, mas já basta os comentários dos jornais generalistas para esse tipo de retórica. Numa noticia cientifica, num blog maioritariamente tecnológico, diga-me que raio tem o comentário a ver com isto? Será que não se consegue ter uma discussão minimamente inteligente sem virem os trolls da politica e frustrados com tudo e todos que só conseguem é dizer mal deste ou daquele? Sejam agentes da mudança…falem menos e façam mais. Comentem com pontos de vista mas orientados ao tema que se discute caso contrário…vamos todos acreditar que foi o Bill Gates que meteu lá o lixo e que foi o Trump que matou os dinossauros e que o fumo dos aviões lança valdisperts para a malta andar mais calma e que as vacinas do Covid tem microchips…que devem ter bateria infinita e movida pelo calor corporal e enviar dados GPS (todos sabemos que usar GPS consome pouca bateria).

          Voltando ao tópico, o espectometro deve ser suficiente para dar a noção do material

      • Petrus says:

        Este brasileiro pensa que está a comentar nalgum site brasileiro! 😀 😀 😀

      • Mico says:

        Cala-te latino, na Georgia odeiam-te. E o Trump não gosta de ti.
        Mas percebo, para um fiel, quanto mais me bates mais gosto de ti.
        Síndrome de Estocolmo

  4. Miguel says:

    Se forem a publicar uma notícia por cada “estudioso” que acredita em qualquer coisa têm de fazer muitas horas extras e contratar imensas pessoas.

  5. Arthur Gomes says:

    Será que chegaram a submeter o tal objeto ao espectrômetro para detectar de quais elementos era composto?

  6. George Orwell says:

    CONVERSA ENTRE DOIS EXTRATERRESTRES
    (tradução da língua alienvulgatadialectus para pt – pt )

    VERDELHUSCA : Onde estamos ?
    ORELHUDO : Estamos agora mesmo a cruzar a Via Láctea, a dois milhões de anos luz do nosso lar.
    VERDELHUSCA : Boa ! Carregaste bem no acelerador, por alguma coisa te escolhi para namorar !
    ORELHUDO : Foi só por isso ?
    VERDELHUSCA : Foi também pelo abano das tuas orelhas, tão prestimoso foi quando fizemos uma tangente àquela supernova, sem o ar fresco delas eu teria ficado esturricada.
    Com o choque até te mordi a orelha sem querer, desculpa!.
    ORELHUDO : Deixa lá, foi um crime sem gravidade !
    VERDELHUSCA : Já agora que estamos na ViaLáctea, que tal se rumássemos àquele planeta azul de safira, cheio de biodiversidade e onde a natureza é verde como eu, hum …, podíamos até passar nele a nossa lua de mel, qual o seu nome ?
    ORELHUDO : Terra. Mas, olha que tal planeta não é nada romântico, tem em conta que é habitado e dominado por uma espécie selvagem mais evoluída que domina todas as outras e implacável com todas elas. Consta que 22.000 espécies estão em risco de extinção por acção dessa espécie selvagem dominante que autisticamente se intitula a si próprio de “homo sapiens” e até de “homo deus”.
    VERDELHUSCA : Mas, se a biodiversidade é condição de sustentação desse “homo sapiens” por que cargas de água a está exterminando ?
    ORELHUDO : Cargas de água, antes fosse, porque até a água potável essencial para a sobrevivência estão a extinguir, isto num planeta em que dois terços são … água.
    VERDELHUSCA : A sério ? Não posso acreditar ! Podíamos entrar em contacto com eles e sensibilizar para as consequências !
    ORELHUDO : Estás doida ? Ainda te aprisionavam na Area 51 e faziam mais um filme da sequela “Iondependence Day” ou te colavam o rótulo do Dark Vader da Guera das Estrelas! Para eles, nós somos um alvo, um inimigo hostil que se imiscui no seu domínio. O seu mais poderoso líder , um tal Trump, diz-lhes que não existem alterações climáticas de origem antropogénica.
    Além disso o “homo sapiens” está agora a braços com uma pandemia por um vírus que terá escapado de algum laboratório ou, no limite, se deve justamente a uma maior proximidade com a fauna que ainda sobrevive devido a todos os atentados à biodiversidade animal e vegetal.
    ORELHUDO : Ai! Um asteróide qualquer embateu na nossa nave ! Segura-te bem !
    VERDELHUSCA : Não foi asteróide, “it’s full of …..”
    ORELHUDO : … Stars ?”
    VERDELHUSCA : “Garbage” Liiiiixxxo!
    ORELHUDO : Não me digas que o “homo sapiens” também está a contaminar o espaço ?
    VERDELHUSCA : Verdade. E ainda dizem, que somos nós que o produzimos !
    Faz inversão de marcha e volta já para casa ! Já fiquei amarela de tanto lixo.
    ORELHUDO : Ok ! Tu mandas ! De facto, ponho-me a pensar se não será melhor deixarmos o “homo sapiens” entregue à sua própria auto-extinção e darmos uma oportunidade à natureza de voltar a produzir um novo ciclo biológico mais feliz e consentâneo com os perenes valores que subsistem para além do espaço e do tempo e que o supremo Ser nos legou. É o que vai acontecer se o tal “homo sapiens” não aproveitar esta crise para ganhar juízo.
    Mas receio bem que não ganhou juízo pois o Congresso do país mais poderoso dos “homo sapiens” acaba de aprovar 700 BILIOES de dólares para o orçamento da defesa quando podia destinar tal quantia à conservação da natureza e ao reforço do combate ao tal vírus.
    VERDELHUSCA : Defesa contra quem ?
    ORELHUDO : Contra nós, presumo, pois agora até nos acusam de termos instalado também uma lixeira perto da Terra !?

    • Júlio says:

      Eheheh. Muito fixe.. Parabéns.
      E Dissestes muitas verdades..
      Mas, explorar o universo também tem de ser uma prioridade.

    • ervilhoid says:

      esses 700 biliões não foram os que o trump queria diminuir a troco de um cheque ajuda, pedido esse que foi vetado?

      boa narrativa btw

      • George Orwell says:

        A pergunta é muito oportuna e permite elucidar.
        Trump vetou, mas o Senado acabou por manter 700,4 biliões para a defesa, ultrapassando o veto presidencial, caso inédito neste mandato em que o Senado tem uma maioria do partido do presidente.

        Cumps.

  7. José Bacalhau says:

    Há malucos para tudo, muitos dos quais a trabalhar em universidades europeias e americanas. Sei bem do que falo porque fiz parte de uma dessas vetustas instituições. Saí a tempo porque senão ficava como muitos colegas que tinha. O Prof. Loeb parte de umas alegadas inconsistências na forma e trajetória deste objeto sideral para a alegação de que se trata de “lixo alienígena”, designação de resto adotada acriticamente pelo autor do artigo. Ao Prof. Loeb nem ocorreu aplicar o Princípio de Ocan, segundo o qual a explicação mais parcimoniosa e simples deve ser preferida à mais rebuscada ou complexa. Forma estranha? A explicação mais simples é que o objeto pertence à numerosa família de objetos e construções naturais muito estranhas, como os pináculos no deserto do Arizona. Movimento estatisticamente anómalo? Qual o valor-p desse movimento? Considerando que estamos perante objetos cósmicos, cujo número é enormíssimo, basicamente qualquer valor-p (10e-3, 10e-4, 10e-5) pode ser acomodado sem que com isso se deva alegar que há uma misteriosa força alienígena a alterar-lhe a trajetória. Reformulo o que disse antes: o tipo não é maluco; é mas é espertalhão ao pretender vender um livro para impressionar papalvos.

  8. José Bacalhau says:

    Já agora, sobre a questão de haver civilizações alienígenas que nos estejam a observar ou a interagir connosco, reproduzo um post que pus há pouco noutro artigo e que contesta a afirmação seguinte: “Pensarmos que somos os únicos seres vivos no Universo é gozar de uma enorme presunção.”

    Não é presunção; é o resultado do raciocínio de uma das mentes mais poderosas do Século XX, o Prof. Enrico Fermi, da Universidade de Chicago. O raciocínio dele é simples e fulgurante: se a Terra é um planeta típico da Via Láctea e há nesta milhares de milhões de outros planetas, então muitos deles deverão ser um pouco mais antigos do que a Terra. Se a vida inteligente apareceu em algum desses planetas ligeiramente mais antigos (por exemplo, com 6 mil milhões de anos de idade), por esta altura já teria sido possível que essas civilizações tivessem viajado por toda a galáxia, que tem apenas alguns milhões de anos-luz de dimensão. A pergunta que Enrico Fermi colocou foi simplesmente: “Where is everybody?” Deveria haver alienígenas em tudo o que era lado.

    Há algumas tentativas de resolução desse paradoxo, sendo uma delas precisamente o objeto desta notícia. É preciso perceber que a hipótese de estarmos a ser observados por civilizações alienígenas assenta em zero provas científicas e surge apenas para tentar contornar o paradoxo de Fermi. Na verdade, essa é também uma hipótese pouco provável porque o argumento de Fermi implica que, havendo uma civilização alienígena com capacidade de nos observar e vir cá, então deverá haver milhares de outras civilizações alienígenas com capacidades comparáveis. Ou seja, teriam que estar todas de acordo em nos observarem sem intervir… Está-se a ver a probabilidade de isto ser verdadeiro.

    Outra solução é a do “grande filtro”, esta mais racional e viável. Diz ela que as civilizações chegam a certo grau de sofisticação e desaparecem. Isso impediria que alcançassem a capacidade de viagens interestelares, uma coisa que nós humanos já estamos a estudar. Uma das implicações desta teoria é que podem existir outras civilizações noutros recantos do cosmos, mas para todos os efeitos práticos é como se não existissem porque nunca ouviremos falar delas nem elas de nós. Problema desta teoria: deveríamos mesmo assim receber vestígios eletromagnéticos das emissões de telecomunicações por elas emitidas há centenas, milhares ou milhões de anos; no entanto, nada se descobriu até hoje.

    Voltando ao princípio: não é arrogância pensarmos que para todos os efeitos práticos estamos sós no cosmos. É o resultado de um raciocínio elegante, poderoso e provavelmente irrefutável.

  9. Samuel MG says:

    Existem muitos “professores” que não têm nada que fazer e fazem estes estudos estapafúrdios sem nexo. Tudo para terem um bocado de fama. A maior parte do lixo foi lá deixado pelos americanos e se tivermos em conta que eles não têm o mínimo de senso comum então pode-se considerar os americanos como alienígenas. Ainda estou a tentar perceber o povo dos EUA, tanto fazem uma coisa como a seguir fazem o inverso. Povo Maluco.

  10. Guilherme Lino says:

    Teorias da conspiração? Blasfémia!

  11. RM says:

    Não interessa o que ele acredita. O que conta é aquilo que pode ser provado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.