Quantcast
PplWare Mobile

Tags: espaço

Raro Planeta “algodão doce” está a intrigar os astrónomos

A procura constante por respostas leva os astrónomos a novas descobertas, algumas delas que contrariam completamente o conhecimento que se julgava seguro. Por exemplo, existe uma categoria rara de planetas, denominada “superpuff” ou “algodão doce”, que intriga os astrónomos. Isto é, são mundos gigantes, cobertos por um imenso envelope de gases que lhes conferem um tamanho incrível. Contudo, estes pesos plumas têm muito baixa densidade, uma vez que têm núcleos sólidos menores do que os de Júpiter e Saturno, os nossos gigantes gasosos.

Um caso que está a desafiar particularmente a comunidade científica é o exoplaneta gigante WASP-107b.


Virgin Orbit conseguiu! Já envia satélites para o espaço a partir de um avião

A corrida para o Espaço está ao rubro. Se a SpaceX parece estar no comando, há muitas empresas apostadas nesta nova área, com propostas alternativas. Estas estão ainda em fase de testes, mas prometem muito para o futuro.

Com muita expetativa a Virgin Orbit tinha um teste muito importante a decorrer. A sua proposta é lançar satélites para o espaço a partir de um avião e agora já o conseguiu. O seu mais recente teste decorreu com sucesso completo.

Virgin Orbit satélites LauncherOne avião espaço


Qual é o destino do nosso planeta Terra?

Tudo tem um fim, até o Universo, e há quem diga que será um fim triste e solitário. A nossa casa, o planeta Terra, e a nossa estrela, o Sol, nasceram juntos e os seus destinos estão ligados. Conforme a nossa estrela se torna uma gigante vermelha e se expande, a Terra torna-se numa rocha seca, queimada e inabitável. Isso acontecerá também quando a nossa galáxia, a Via Láctea, colidir com a galáxia de Andrómeda, na porta ao lado.

Se é o Sol que mantém a vida na Terra, será esse mesmo Sol que irá, daqui a 5 mil milhões de anos, aniquilar todo e qualquer ser vivo no planeta.

Ilustração do fim do Sol e da Terra


NASA descobre Superterra perto de uma das estrelas mais antigas da Via Láctea

Cada vez há mais tecnologia a palmilhar o Universo, com o intuito de descobrir onde poderemos encontrar um planeta “à nossa medida. Assim, numa nova incursão pela imensidão do Espaço, foi descoberto pelo TESS da NASA, um novo velho planeta. Esta superterra, que é cerca de 50% maior que o nosso planeta, foi observada perto de uma das estrelas mais antigas da Via Láctea.

Segundo um estudo publicado agora, o astro, batizado de TOI-561b, requer cerca de 12 horas para orbitar a sua estrela. Numa dessas passagens, o planeta bloqueou uma fração da luz estelar e foi detetada pelos terráqueos.

Imagem superterra descoberta pela NASA


Marte “sofre” de uma misteriosa condição que obriga o planeta a girar como um pião

A nave espacial que orbita Marte descobriu que o planeta vermelho oscila 10 centímetros fora do seu eixo de rotação. Este é o primeiro planeta, para além da Terra, que “sofre” desta circunstância. A oscilação de Chandler surge quando um corpo giratório não é uma esfera perfeita. Esse desequilíbrio afeta a sua rotação.

O resultado é um movimento semelhante ao de um pião oscilante ao perder velocidade, em vez de girar de forma suave como se fosse um globo perfeitamente equilibrado.