Quantcast
PplWare Mobile

UE quer pontos de carga a cada 60 km e hidrogénio a cada 100 km

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Luis Henrique Silva says:

    Quero ver isso a ser desenvolvido mais postos de carregamento.
    Fico é curioso em testar os carros a hidrogénio, pelo menos se apostassem bem no hidrogénio pelo menos eu preferia comprar um carro a hidrogénio pois acho mais eficiente e mais amigo do ambiente.

    • RC says:

      Eu não, já testei um num país onde tem uma rede de abastecimento de hidrogénio já com 18 anos, e fiquei agarrado várias vezes.

      A única vantagem que tem, que até está a perder, é abastecer mais depressa que carrega se houver poucos, porque quando há muitos até levam mais tempo, além de custar cerca de 10x mais por km.

      https://fuelcellsworks.com/news/shortage-of-hydrogen-stations-leads-to-fill-up-frustrations-for-drivers/

      É muito giro dizerem que é 5 minutos, mas isso só acontece em situações especiais, o posto não pode ter sido usado nos últimos 20 minutos, a temperatura ambiente não pode estar acima de 10 graus, é o carro também não pode estar quente, caso contrário conte com 13 a 20 minutos ou até mais.

      Sobre ser amigo do ambiente também não, até são piores que alguns a gasolina, não sou eu que o digo, são os que fazem esses estudos, ambientalistas e cientistas, já que usam mais minerais, uns mesmos raros como a platina, e cerca de 5x mais de energia para fazer o mesmo.

      https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1364032122000867

      https://theicct.org/sites/default/files/publications/Global-LCA-passenger-cars-jul2021_0.pdf

    • iMF says:

      Seguindo o termo eficiência, de logo que hidrogênio é muito, mas muito menos eficiente.

      Só pelo facto de um carro elétrico, as perdas da bateria para o motor elétrico, são “pequenas”.

      N

      • iMF says:

        Num carro a hidrogênio, é preciso transformar o hidrogênio em eletricidade, armazenar em bateria e depois sim segue para o motor.

        Em suma:
        Elétrico:
        Baterias -> motor

        Hidrogênio:
        Hidrogênio -> bateria -> motor

        É simples de perceber o mais eficiente.

        • iMF says:

          Se seguirmos directamente da fonte, por ainda.

          Fonte pode ser: barragens, central nuclear, painéis solares, central a gás, etc

          Elétrico:
          Fonte -> bateria do carro -> motor

          Hidrogênio:
          Fonte -> transformação para hidrogênio -> bateria -> motor

        • RC says:

          Nem mais, e ainda falta contar que a electricidade no eléctrico com baterias entra nele, passa por um conversor AC-DC e entra na bateria.

          No hidrogénio vai para os electrolizadores, a seguir para o refrigerador, compressor e tanque, depois é transportado, atualmente se usa diesel para o fazer , pode-se ter produção local, mas o preço das estações duplica e a capacidade de fornecimento já pequena (cerca de 50 a 60 carros dia) diminui para metade.

          Entretanto no posto de abastecimento, o hidrogénio é novamente arrefecido, comprimido a mais de 800 bar para um tanque intermédio que é mantido a temperaturas baixas, só depois é abastecido no veículo.

          De notar que o veículo também tem perdas por fugas, o normal é encher os tanques de um toyota mirai e ao fim de 4 a 6 meses (dependendo da temperatura ambiente), caso não seja usado, os tanques perdem toda a capacidade. Baterias duram anos com energia, a sua perca é menor de 1% ao mês.

    • RC says:

      Ainda bem que são os que menos ardem, gostava era de saber o que têm preparado para carros que além de uma bateria de lítio, tem uma pilha de combustível e ao lado uns tanques com uma pressão de 700 bar com o gás mais inflamável que existe…

  2. José says:

    Deviam é criar estações de serviço (Multimarca) para substituição das baterias a cada 60Km tal como a Nio tem na China.
    Isso sim seria a universalidade da motorização elétrica e um grande negócio é pena não ter dinheiro para implementar nessa rede.

  3. °0° says:

    Num dia vejo a UE dizer que temos que cortar nos consumos de eletricidade, no dia a seguir vejo a UE dizer que quer um posto de carga a cada 60km.

  4. Figueiredo says:

    Não se esqueçam dos geradores, os carros eléctricos sem os combustíveis fósseis não funcionam assim como os respectivos carregadores/pontos de carga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.