Quantcast
PplWare Mobile

Renault cria nova estratégia para convencer os seus clientes a adotar carros elétricos

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. GM says:

    Primeiro a RENAULT tem de melhorar a performance dos modelos, nomeadamente do ZOE : https://www.razaoautomovel.com/2021/12/euro-ncap-renault-zoe-zero-estrelas

    • Grunho says:

      Também conta, mas euri-ncap não é o primeiro critério em carros concebidos para cidade e estradas secundárias.

      • PML says:

        Depende das pessoas. Para mim, qualquer carro o critério de segrança é logo o primeiro. Só dentro desses é que depois avalio o automóvel a comprar. Se este Zoe a 50Km/h fica assim, não é preciso muito para se ficar em muito mau estado. Basta ir a 30Km/h e outro à mesma velocidade para a probabilidade de sobreviver baixe muito. “if you value your life 1 star, buy a one star safety car”.

      • GM says:

        Não me consta que o EURO-NCAP tenha escalas diferentes para avaliar veículos citadinos ou estradistas. Porque podes muito bem residir na linha de Cascais e trabalhar em Lisboa, e ter a infelicidade de um acidente na A5, e com este modelo, “já foste”. E estamos a falar numa zona metropolitana, não precisamos de falar numa deslocação maior que o modelo possa comportar, por exemplo Lisboa-Coimbra pela A1.

    • Miguel says:

      Salvas o ambiente, matas-te a ti 😀

      • Abreu says:

        O modelo de 2013 teve 5 estrelas, mas em 2020 fizeram o facelift, e retiraram o airbag do tórax e a travagem de emergência, os critérios de segurança da euro-ncap tb mudou desde 2013 até 2020.

        Agora pergunto, se o modelo saiu em finais de 2019, porque e que só 2 anos depois se faz o teste euro-ncap?

        Eu tenho um….

  2. JF says:

    É lamentável que uma empresa histórica e de renome como a Renault esteja a prejudicar a destruição da Natureza, do Meio-Ambiente, e do Ser-Humano, ao promover o uso de carros eléctricos que para além de ineficazes são extremamente poluentes.

  3. Fusion says:

    Eu estou completamente em pânico com esta brincadeira dos eléctricos e genuinamente a ficar preocupado. Eu como a grande maioria das pessoas não tem onde carregar os carros, e por muito que esteja sensibilizado com as questões do ambiente, não vou ficar 3 horas ou mais sentado numa pedra à espera que o carro carregue depois do trabalho num sítio longe de casa

    • Infinity says:

      Podes sempre carregar durante a noite, é ver os predios com rolos de extensões que resolve o problema. Assim parece que há decorações o ano todo

      https://www.leroymerlin.pt/Produtos/Eletricidade-e-domotica/Extensoes-eletricas/Enroladores/WPR_REF_81990002

      • Iris says:

        Se calhar não estou a perceber bem a informação dada pela Leroy, mas acho estanho a secção ser de 1.5 mm, se calhar só partilham a secção do cabo e não dos fios, que devem ser de 2,5mm. Não usava isso sem ter a certeza, especialmente se fosse mesmo para 15 ou 30 metros.

        Outro problema é alguém eventualmente durante a noite usar esse ponto de energia para “abastecer” outras coisas. Infelizmente ainda não existe uma solução segura para quem habita em prédios sem garagem.

        Sem resolver isto e baixar os preços de aquisição, vai ser muito difícil a adopção em massa.

      • Manuel da Rocha says:

        No prédio onde resido, com mais 50 famílias, pedimos um orçamento para colocar painéis solares e 4 postos de carregamento em frente ao prédio:
        774000 euros, mais 140000 euros para a montagem dos 4 postos. Falou-se com a câmara, o prédio tem 32 lugares em volta, aproveitava-se para instalar postos em todos… seriam 1,4 milhões de euros. Só que, para colocar os postos no seguro, seriam 130000 euros anualmente, pois as seguradoras dizem que é “100% que os postos serão vandalizados/destruídos em menos de 90 dias”.

  4. FreakOnALeash says:

    Ofereçam 10k€ na troca/abate de um modelo a combustão e pode ser que a malta fique mais incentivada…é que o guito do comum mortal que ganhe abaixo de 1k€ não estica para BEV.

  5. Infinity says:

    Enquanto os electricos não oferecerem +- 800km de autonomia em 5 minutos de carregamento, o motor termico será sempre melhor

    • Test User says:

      Andas +- 800km por dia? Quando andas +- 800 km paras só 5 minutos?

      Carregamento de 5 Minutos : Tens NIO vários modelos, mudam bateria 3 Minutos por uma carregada e nem precisas de sair carro.

      Autonomia: Para ser lançado Tesla Roadster com 970 km
      Mercedes-Benz diz lançar carro com 1000 km
      Chineses Aion LX Plus dizem jã ter carro com 1000km

      Tecnologia esta evoluir.

      • Manuel da Rocha says:

        Calma lá que essas autonomias e carregamentos é tudo teórico.
        O da Tesla terá 8 baterias e as experiências com o Y já demonstraram que “é no ponto mais elevado”. Por isso, o Roadster terá menos de 700km de autonomia.

        • Test User says:

          Aion LX Plus já não é teorico. Já apresentaram no salão automóvel de Gunagzhou. NEDC: 1.008 Km WLTP: deve ser 900Km
          Outros são.

          O ponto que estava a tentar fazer, é que não falta muito. Alem disso, carros normais todos oferecem 800km de autonomia?

      • Infinity says:

        Não ando 800km, mas em 5 minutos abasteco o carro e tenho autonomia para mais de 1000km. a questão dos 800km que falei é no sentido de não ter que carregar o carro a toda a hora. sabes, a maioria da população vive em prédios e sem garagem, o que vão fazer, lancar extensoes pela janela para deixar a carregar na rua durante a noite quase todos os dias?

        • Test User says:

          População vive em prédios e sem garagem, NIO oferece alternativa, Na China têm o mesmo problema nas cidades.
          Quem anda cidade não precisa de carregar a toda hora. Quando for mais comum, os carregadores vão estar espalhados. O que acontece é que carro fica parado enquanto se esta trabalhar, nesse tempo pode estar carregar,
          Carros normais todos oferecem 800km de autonomia?

        • Toni da Adega says:

          800km dá para quanto tempo? 2 dias, 3 dias?

          • Blackbit says:

            Em tempo de pandemia dá para 3 meses, fora disso da-me para 1 mes.

            Aqui o importante é que o carro não precisa de ter uma tão grande autonomia, não faz muito sentido para o dia-a-dia.
            Nas viagens longas (as poucas que fazemos ao longo do ano), carregas o carro nas pausas que acabas sempre por ter de fazer.

            O que é preciso reforçar é a rede de carregamento, a velocidade de carregamente e a fiabilidade dos postos.

      • GM says:

        Diz-me lá onde consigo comprar essa maravilha do NIO, já amanhã, em Portugal?

        • Test User says:

          NIO já foi lançado na Europa. Como sabes mercado português é irrelevante, demora chegar,

          • GM says:

            Eu sei, na Noruega, país de lançamento. A questão está, no exemplo que deste, parte das alternativas não estão ainda disponíveis no nosso mercado. E essa alternativa de substituição de baterias será em estações de serviço, que a NIO não irá investir no início, pelo menos no nosso mercado por ser relativamente irrelevante pelo volume.

          • Test User says:

            Infinity estava dizer que o motor térmico será sempre melhor.
            O ponto que estava a fazer é questão de tempo e já existe ofertas,

            Nosso país ser viável, já é outra historia. Como referiste Noruega, estamos anos de atraso relativamente Noruega. Se atraso fosse somente carros eléctricos estávamos bem.

      • Secadegas says:

        Ainda ontem fiz mais de 1200… Achas que um VE faz isso?

        • Test User says:

          Fizeste sem parar e abastecer. É o que estas a tentar dizer.

          1– Estas a tentar argumentar questão autonomia. Se podes carregar no
          caminho, o que interessa autonomia,
          2- Tempo, tens NIO mudam bateria 3 Minutos por uma carregada
          3 – Gastaste quanto e quanto gastavas num eléctrico?
          4- Cidade preferes eléctrico ou carro normal?
          5- Queres comparar eficiência
          Carros actuais aproveitam somente 12% a 30% da energia, além de
          poluírem. Eléctricos têm 90% de eficiência energética.

          Estas como Infinity a tentar explicar a superioridade. Na tua analise estas considerar anos em que tecnologia eléctrico com carro normal que foi inventado motor em 1862.

    • João says:

      A grande maioria das pessoas não precisa de 800km de autonomia, o que precisa é de ter lugar para carregar o carro e que essa carga seja relativamente rápida.
      O problema é que a maior parte das pessoas para as quais os elétricos são benéficos vive em cidade e não tem onde carregar o carro.
      Já andam a colocar muitos carregadores ilegais em garagens de condomínio e um dia isso pode dar M*****.

      • Test User says:

        Portugueses percorrem entre 50 a 200 quilómetros em carro por semana.

        Não estou ver como fazem 800km, se Faro a Monção são 678Km. Só se forem para Espanha.

      • Bomba says:

        Isso se aplica ao Brasil, que a venda dos veículos é baixa devido ao preço absurdo por aqui. Se aumentar a venda você acha que os postos de gasolina não vão por uma tomada no lugar da bomba ?

  6. Rui Carriço says:

    O GRANDE problema dos Renault é que além do preço tens de ter em conta a renda mensal das baterias, que é quase o mesmo que gastas em combustível.

  7. iDroid says:

    As baterias de lítio nunca viciaram; deves estar a pensar nas de níquel-cádmio…

  8. Test User says:

    Claro não vais ser convencido a mudar.
    Estado vai dar-te incentivos, impostos mais altos para diesel, que têm má fá de poluir. Depois vão te aumentar diesel para abasteceres. Deves levar imposto por poluíres.

    Relativamente a tua preocupação com as baterias. Tens vários modelos, da NIO mudam bateria quantas vezes quiseres.

  9. wtvlol says:

    A verdade é: ninguém quer carros eléctricos.

    • Milhais says:

      Ninguem quer.. Mas na europa cada vez mais os eletricos representam a marior percentagem de carros vendidos.

    • Miguel Silva says:

      Não é bem isso, ninguém quer acreditar que o seu carro de combustão que custou não sei quantos mil é uma sucata com tecnologia primitiva com remendos eletrônicos para disfarçar. Há e tbm tem um motor elétrico se não nem arrancavam.

    • Bomba says:

      É o futuro, as pessoas querem. O que não querem é pagar um preço absurdo. Um carro equivalente ao popular gol que já está 90 mil custa 250 mil. Para nós brasileiros está muito caro ter um.

      Se você tem dinheiro para comprar um elétrico, tem dinheiro para pagar a gasolina cara, então é melhor comprar pelo mesmo preço um carro muito melhor, com mais conforto e segurança.

    • Miguel says:

      Não é não quero, não é o melhor para o meu uso….

    • RC says:

      O cromo do costume, pensa que o mundo gira à volta dos seus disparates

  10. O que tu queres sei eu! says:

    Não tenho dinheiro para isso. A Greta que salve o planeta.

  11. Miguel Silva says:

    Já ouviste falar em candeeiro a petróleo dimavel?

  12. Bomba says:

    Os carros da Renault são campeões em defeitos eletricos, meu Logan 2016 0km com 4 meses de uso já tinha cabos elétricos ressecados e trincados. Descobri isso depois que queimou o módulo. Tive que processar a Renault para receber a manutenção, porque eles davam 3 anos de garantia no motor e no resto apenas 90 dias.

    Imagine um veículo inteiro elétrico com itens de péssima qualidade, imagine a dor de cabeça.

  13. Crow- says:

    A Nissan em Portugal já tem vários Nissan Leaf como viatura de cortesia. Por isso a Renault só está a ir de encontro ao que os outros já estão a fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.