Quantcast
PplWare Mobile

CEO da Opel diz que os elétricos pequenos não são “vendáveis” sem ajuda estatal

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Jota says:

    Estes fabricantes são uma cambada de júlios! Devia entrar por aqui dentro fabricantes chineses com preços verdadeiramente disruptivos e esmagar estes fabricantes todos! Neste momento é completamente impossível comprar um automóvel em Portugal!

  2. LA says:

    Não entendo como um carro elétrico, que tem menos de metade das peças, que um veiculo hibrido e a combustão tem. Possa custar quase o dobro do preço.
    Algo está errado.

    • Vítor M. says:

      Um LCD tinha metade do material de um CRT e custava 3 ou 4 vezes mais 😉 agora pensa. Custo de inovação. 😉

      • Ricardo Santos says:

        Custo de inovação? lol bastava dizer que as baterias são caras de fabricar, o resto fica mais barato.

        Se houvesse assim grande inovação já os carros faziam mais de 1000 km por carga … o que não existe.

      • JC says:

        Estás bem enganado…

        • Vítor M. says:

          😉 não estou não, muito pelo contrário 😉

          • JC says:

            Lamento… fica bem mais barato produzir um ‘tablet’ com rodas do que um “relógio de cuco”, um motor de combustão interna… e poucos o sabem fazer!… Além do fenómeno de “decontenting” ser uma tendência que mistura engenharia e finanças e está muito presente na indústria automobilística desde a década de 1970, isto é substituir objetos físicos muito mais difíceis e caros de produzir, primeiramente por sistemas elétricos e hoje em dia por dispositivos eletrotónicos ou ecrãs tácteis, fazendo-nos parecer que possuímos mais algo mais avançado e, no entanto, temos muito menos e pagamos mais! Há também aquilo que se chamada lei da oferta e procura, deves saber bem o que é, e que nada tem a ver com os preços das matérias-primas.

          • Vítor M. says:

            Estás enganado quanto às tecnologias que existem num carro elétricos. Se é assim que pensas 😉 siga.

        • Vítor M. says:

          Sim, lê tudo 😉 que vais perceber que de facto os elétricos são mais caros agora (e não estou a falar em 2030) porque tudo o que está a ser modificado e criado de novo para produzir, os novos componentes, as baterias (tal como referi) são caros no início e porque ainda se paga o custo de inovação. Repara lá diz mesmo isso “Olhando apenas para os números, a conclusão de que o agravamento dos custos de produção, nos veículos elétricos, advém, principalmente, do conjunto cadeia cinemática + motor elétrico + pack de baterias, que de acordo com os valores apurados pela consultora atinge os 6 700 euros, ao passo que, nos veículos com motores de combustão, motor e sistemas acessórios não vão além dos 5 200 euros. Ou seja, menos 1.500 euros que para um EV.”

          • PTO says:

            Mesmo assim não justifica a diferença de quase 10 mil euros entre um carro de combustão e um elétrico.

    • anonimus says:

      amigo, lei da oferta procura, um produto novidade nos primeiros tempos será sempre com um valor elevado, há medida que se for massificando o preço vai ficando mais acessível, onde é que está a duvida mesmo????

    • Jane Doe says:

      A somar ao que já foi dito, a bateria pesa muito no preço.

    • Joao says:

      Acho que a relação é aprox. 30 mil peças para um carro a combustão, 3 mil peças para um elétrico

    • pmmfl says:

      Economias de Escala. Como ainda se fabricam poucos veículos elétricos (comparativamente aos veículos a hidrocarbonetos), fabricam-se menos peças, pelo que o custo unitário de fabrico de cada uma é mais elevado (e lembrar que as peças de qualquer automóvel são produzidas em vários fornecedores, alguns deles de média dimensão). Quando se quiser aumentar a quantidade de veículos elétricos produzidos, vai aumentar a procura de peças e componentes, logo quem as fabrica produzirá mais e conseguirá beneficiar de economias de escala.

  3. SANDOKAN 1513 says:

    “Nesse sentido, o CEO da Opel diz que, sem as ajudas que o estado pode fornecer, não é possível vender elétricos pequenos.” Bem,se quem o diz é quem é,quem sou eu para dizer o contrário ?? Acho que é mais que evidente que isto dos veículos elétricos ainda tem muito para andar.Muito mesmo…

    • João Ferreira says:

      Carros pequenos geralmente são para pessoas que querem carros baratos. As baterias custam os olhos da cara por isso conseguir fazer um eletrico decente por 16 mil euros já com tudo incluido é muito dificil.

  4. Jarreta says:

    Lucros privados, prejuízos socializados…

  5. António says:

    Subsídios, Subsídios… Para a Agricultura, Subsídio para a Energia, Subsídio para quem não tem trabalho ou não quer trabalhar, Subsídio para Carros eléctricos…. É que tal um Subsídio Para TODOS para poder Subsidiar os nossos impostos que vão para os Subsídios?

  6. zedotelhado says:

    O estado ou o fabricantes se estão muito interessados nos carros a pilhas que os ofereçam um povo aprisionado pelas dvidas nunca é um povo livre.
    O que temos na actualidade é uma outra escravatura disfarçada mas não deixa de ser uma escravatura.

    • RC says:

      Oferecem ? então o que tem atualmente foi oferecido ?

      Eu tenho 2 e tive de comprar, não são eles que estão interessados, é o povo.

      Já agora, carros a pilhas são os a hidrogénio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.