Quantcast
PplWare Mobile

20 veículos elétricos que darão que falar em 2022 – Parte 1

                                    
                                

Autor: Rui Jorge


  1. Rui Carriço says:

    Nenhum destes vem ocupar o espaço vago e essencial para a transição eléctrica, um elétrico de entrada com boa autonomia e abaixo dos 20k

  2. Joao Magalhaes says:

    Não sei se é a tecnologia ou as grandes marcas quererem aproveitar esta onda do “verde”. Pessoalmente acho que neste caso a tecnologia ainda está estagnada. Usando baterias é praticamente um investimento para o lixo, quando as mesmas morrerem vão provavelmente pagar o preço do carro novo para as substituírem e se quiserem vender o carro ao fim de 5 anos quem é que vai pagar metade do preço ou mesmo um quarto do preço novo sabendo que mais um ano ou 2 e lá vão ter que trocar as baterias.

  3. Luis Garcia says:

    Para mim o futuro passa pelo hidrogénio. Não nestas maluquices dos eléctricos.

    • Zed says:

      O hidrogénio só interessa aos que agora lucram com os combustiveis tradicionais.

    • Grunho says:

      O hidrogénio devolve menos de 70% da energia gasta para o produzir. É um processo de perdas. Em relação aos eléctricos a baterias tem um custo 5 ou 6X superior por km. A única vantagem é não ter de esperar horas para carregar.

    • Paulo says:

      Utilizar electricidade para produzir hidrogénio, depois utilizar electricidade para o transportar e armazenar, e finalmente converter o hidrogénio em electricidade para utilizar no carro, talvez não seja a forma mais inteligente, mais ecológica, mais prática e económica de fazer as coisas…
      O hidrogénio interessa e muito aos actuais detentores do circuito de produção e distribuição de combustiveis.
      Os veículos a hidrogénio são na verdade veículos electricos. Suponho então que também são uma maluquice…

      • Mike says:

        Ok, então vamos arrasar montanhas, contaminar os solos e os aquíferos, libertar toneladas de CO2 na extração e transporte, consumir água potável e eletricidade para extrair o lítio e, cereja em cima do bolo, vamos enviar o lítio para o centro da europa para produzirem baterias que temos de comprar a 10x o preço que recebemos. Mais uma vez somos comidos como uns grandes lorpas, enfim!!! A economia do hidrogénio, embora com o seu grande circulo de perda, é menos penalizadora para para o ambiente e não desperdiça valor acrescentado, produzir local e consumir local.

        • Paulo Silva says:

          Penso o mesmo em relação à produção (extração e transformação do lítio) e reciclagem das baterias, mas não vejo os ecologistas a falar disso, porque será?

  4. Miguel Nóbrega says:

    Nem um compacto, ou hatchback… tristeza, para mim estes não darão que falar de certeza.
    Quando um SUV for ecológico acordem-me

  5. Ónesto says:

    Esqueceram-se dos Tesla mais antigos que começam a dar problemas e cujos os quais a empresa se recusa a reparar.

  6. luis says:

    hidrogênio como célula de combustível mas os motores sao elétricos…uma maluquice boa esta de motores elétricos….a bateria ja existem e com algum sucesso agora parra o hidrogênio falta todo o ecossistema no nosso pais

  7. Tony says:

    A maior fraude desta década.

  8. falcaobranco says:

    Já existe um e-tron GT cá em portugal á venda…

    Mas akela F-150…é brutal!

  9. L.Sousa says:

    Também eu não vou nesta onda dos elétricos, futuramente vão ser um fiasco quando se começarem a acumular milhares e milhares de baterias para reciclar ou deitadas no lixo. Também eu aposto no hidrogénio, mas isto tal como à uns anos) quando apareceram os primeiros carros movidos a motor elétrico que depois em 1901 recebem a primeira bateria feita por Edison, nunca chegaram a vingar devido aos lóbis das petrolíferas, agora é ao contrário à o lóbi do elétrico e outras opções como o hidrogénio são largados para segundo plano…. Uns anos mais e vão-se arrepender de tanta bateria largada por ai…..

  10. (˵ ͡° ͜ʖ ͡°) says:

    Gostava de lançar um desafio aos grandes defensores de carro eléctricos.(Só valido para carros eléctricos, híbridos não conta)

    Pago na integra todas as despesas da estadia se conseguirem chegar ao destino e respectivo retorno no mesmo instante que eu, numa viajem de 5000 km+5000 km que faço todos anos com a família (4 px+gata) por ser mais económico que de avião, com a vantagem de poder deslocar de automóvel no País de destino(Ucrânia) sem ter que recorrer ao aluguer de viatura.
    São 30 dias com +10000 Km percorridos e não pode ultrapassar a data de chegada e respectivo retorno.
    -Partida no dia 1 as duas da manha hora de Portugal
    -Chegada ao destino no dia 4 as oito da manhã hora de Kiev (restante tempo para descansar da viajem)
    -Do dia 5 ao dia 25 lazer que inclui muitas deslocações em automóvel.
    -Dia 26 regresso, com partida as duas da manha hora de Kiev.
    -Dia 30 chegada a Portugal antes das 23:45h.

    A minha viatura Volkswagen Tiguan 2.0 TDI 150 cv.
    Alguém?

  11. luis says:

    ja agora que tipo de hibrido…plug-in?

  12. . :NAF:. says:

    Está toda a gente muito certa, mas certeza essa que cabe na realidade de cada um. Pessoalmente não gosto de elétricos (pelo prazer de condução, gosto das vibrações, LEVEZA, barulho, etc.. ) no entanto acho muito mais eficiente (falando de deslocações diárias) um elétrico, e mais fiável que um motor térmico. Mas neste frenesim do Elétrico acho que os fabricantes, governos e consumidores movem-se de maneira pouco acertiva. A esmagadora maioria das pessoas não precisam de elétricos com autonomia de 400 e mais km. Sinceramente acho isso demais, aplicam baterias enormes nos carros (portanto menos “verdes”), carros enormes para acomodar o paquete, necessidades energéticas brutais para carregamento. etc.. . No futuro o carro não será uma propriedade mas sim um Uber autónomo que iremos chamar com o pensamento (penso já na Neurolink :)) e aí a essência do Meio de Transporte, trará a razão a irracionalidade de hoje.

    • Zed says:

      Já tens atualmente elétricos com pouca autonomia, para as deslocações diárias da maioria, e a baixo preço.
      Quanto ao prazer dos ICE, isso não há muito a fazer e é a razão porque vai haver sempre destes, embora só para situações particulares; o binário instantaneo dos elétricos, e consequentes prestações, acaba por compensar um pouco isso.

  13. ADMIN says:

    Curioso… Faltam só aqui… as marcas mais promissoras!!! NIO e LUCID AIR.
    Isso sim são marcas cujos carros elétricos vão definir o padrão.

  14. luis says:

    Definir o padrão…carros acima de 150k !
    Penso que os sul coreanos estao mais focados em produzir e padronizar um veiculo para as massas que essas marcas premium.

  15. Há cada gajo says:

    Brinquedos elétricos só para elites e com pouca utilidade prática.

  16. Aster says:

    O ideal era nesta transição, terem um combustível biológico afim de aproveitarem o tanto de motores términos que por ai andam, proporcionando assim uma transição….mas não, o ser humano como normal, já corre a todos os meios para lucrar, e já a minha avó dizia, dinheiro puxa dinheiro e quanto mais têm mais querem…..caminhamos para a aniquilação da civilização…..esperem e vejam….

  17. António Alves Henriques says:

    Até ver, o GPL ainda compensa, e muito.

  18. Luís Moreira says:

    Há dias ouvi isto no Fórum da TSF. Alguém que ligou, mas como já estava no final do programa não permitiu saber mais. Que raio de “tecnologia de hidrogénio” estava o sujeito a falar? Alguém é capaz de perceber do se estava a falar :)? Deixo um link para o áudio https://drive.google.com/file/d/147KkdXtC3ZZMEvV_Qol0-t_VP6M2paMA/view

  19. Paulo says:

    E nem uma menção ao MG ZS EV. Na minha opiniao tambem uma boa opção. Bom ano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.