Quantcast
PplWare Mobile

85% dos patrões acreditam que o teletrabalho não é tão produtivo, diz estudo da Microsoft

                                    
                                

Fonte: Microsoft

Autor: Marisa Pinto


  1. Lourenço says:

    Quem não trabalha em casa já não trabalhava no escritorio! A malta do café, conversa na copa, cigarro mas que depois estão sempre ocupados são os mesmos, apenas estão em casa. Temos muitos patrões e poucos gestores o que dificulta! É na logica do “Olho do patrão é que engorda o gado!” Se o patrão não vê, o gado não está a engordar bem.

    • B@rão Vermelho says:

      @Lourenço, partilho da mesma opinião, quem gosta de trabalhar até de baixo de água trabalha o resto é conversa

      • iMF says:

        Quem gosta de trabalhar???
        Ninguém gosta de trabalhar, ponto final.
        Mas temos de trabalhar, porque as contas não se pagam sozinhas.
        E se queres ter certos ” luxos” na vida tens de ir trabalhar.

        Porque não conheço ninguém que por muito que goste do trabalho, que o vá fazer de borla.

        Mas se tens assim um trabalho tão bom, e gostas mesmo de trabalhar, diz me qual é e para onde tenho de mandar o currículo, talvez mude de ideias

        • Jane Doe says:

          Não conheces ninguém que goste de trabalhar e até de borla o faça?! :O
          Não faltam waorkhaolics! Eu conheço uns quantos e em sitios diferentes, portanto não é uma questão de “trabalho”.

          • Jane Doe says:

            *workaholics

          • Grunho says:

            Está-se mesmo a ver que sim, até há os que gostam tanto que pagam aos patrões para trabalhar.

          • ifm says:

            esse ditos workaholics, normalmente trabalham por objectivos, que são mais remunerados quanto mais “vendem/geram lucro para a empresa”.

            Conheco uns quantos assim, em areas distintas, que se matam a trabalhar, e fazem horas e horas a mais, fds,etc.

            Mas é tudo por causa dos €€€, ao fim do mes.
            Tenho o caso de um deles que ate já esta a ser acompanhado por causa do stess, que esta a entrar em burnout.
            Mas achas que ele gosta de acordar cedo, andar o dia todo em stres?
            Claro que não, se ele tivesse o mesmo rendimento disponivel sem ter de trabalhar, ia para as maldivas.

            Conclusão, ninguem gosta de trabalhar, somos é “motivado” a trabalhar pelo dinheiro.

        • Louro says:

          Triste a vida daqueles que todo os dias saem de casa para trabalhar contra a sua vontade.
          Olha, eu gosto de trabalhar, gosto do meu trabalho e se estiver mais de duas semanas de férias muitas vezes já sinto falta de ir trabalhar.

        • Carlos pires says:

          Um trabalho bom para ele pode nao o ser para ti

  2. Rrrrrr says:

    Concordo.
    Tem pros e contras, mas no geral acho que ha ligeiramente mais produtividade no escritorio

  3. Toni da Adega says:

    No meu trabalho quando se vai ao escritório é praticamente um dia perdido e pouco trabalho é feito.

    O que acontece é que quando se trabalha em casa, fica-se mais um pouco mais independente e normalmente o numero de gestores/directores é bastante reduzido.

  4. Godlike says:

    Basicamente um estudo baseado em opiniões… será que é tão difícil assim fazer um estudo que demonstre realmente o nível de produtividade baseado em dados concretos?

  5. Sergio says:

    querem acreditem ou nao, e por muitos estudos que façam.. ja nao ha volta a dar no que ao sistema hibrido diz em determinados setores. Então em Portugal tem sido um tal esfregar as mão por parte de empresas que deixaram de pagar espaço físico ou sob alugaram.

  6. RSL says:

    O problema está na mentalidade das pessoas.
    Se todos se empenharem, tanto fazem o trabalho no escritório ou em casa (isto falando de trabalho que é possível fazer remotamente).
    Fui team leader e da minha equipa de 8 pessoas, apenas duas não rendiam quando começamos a trabalhar em casa, pois passavam mais tempo a ver Netflix, notícias, redes sociais… Mas esses tanto fazem mal em casa como no escritório, só que é mais fácil controlar no escritório.

  7. Eduardo says:

    Muitos têm medo é que se perceba que já não são precisos para chefiar 😉

  8. secalharya says:

    Patrão fora, dia santo na loja.

  9. Secadegas says:

    90% dos empregados discordam com os 85% dos patrões…

  10. Indignado says:

    Isso da relação entre a produção em casa ou no trabalho teletrabalho é uma historia mal contada.
    Quem trabalha por gosto tanto trabalha no posto de trabalho como em casa, quem trabalha só para ter o ordenado e faz ronha no trabalho em casa faz o mesmo ou ainda pior.
    No fim tudo depende da personalidade do trabalhador, cabe as chefias perceber quem é o quê e substituir quem não justifique o ordenado.

    • BlurryFix says:

      Exacto. Apesar de haver ambos, por experiencia tem muito mais gente que no trabalho engonhava e em casa (muitos nem em casa estão) nada fazem. Aqui na minha zona(bairro) todos estavam em teletrabalho….no continente, na esplanada, etc….. certamente “sentiam-se muito productivos”. Teletrabalho funciona mas o problema é que vivemos numa sociedade cada vez mais que quer ganhar e fazer algo tá quieto….

  11. JR says:

    Trabalho hibrido ou mesmo teletrabalho por completo é algo que tem que ser sempre testado ao inicio
    Por exemplo comparando dados / produtividade de work vs home do mesmo mês em anos diferentes ou meses separados.
    Há pessoas que realmente preferem trabalhar na empresa devido a terem o espaço definido mentalmente como local de trabalho apenas e em casa não conseguem sentir isso. É normal!
    Mas agora se a produtividade do trabalhador for de 80% na empresa e 78% em casa ou mesmo vice versa… Não existe qualquer tipo de problema.
    Existem pessoas que fazem 2h+ por dia só para ir para a empresa… Num dia gastam 4h+ só para ir e vir…
    Dessas 4h podiam usar noutras coisas!
    Muitas pessoas ganham nova motivação só de pensar que com o teletrabalho conseguem ganhar logo 4h extra de tempo no seu dia!

  12. E---lectrão says:

    não se pode generalizar … depende do trabalho que se faz.

  13. João says:

    A verdade é que os chefes param de aparecer e tem medo de perder visibilidade. Isso sim. Teletrabalho o maior aumento de produtividade q se pode ter e a maneira mais rapidez, eficiente de despoluição. Imagine somente 30% das pessoas façam teletrabalho, imagine só qnt de gasolina, pastilha de freio e oléo eh deixado de queimar. Teletrabalho é paz, produtividade, concentração, menos stress. Claro que certas profissões não há hipótese.

  14. Naodouonome says:

    Em teletrabalho pouco de deslocação horas, gasóleo, portagens e almoço.
    A empresa só sai a ganhar, tem menos despesas e tenho de estar disponível caso contrário acabou se o trabalho remoto.
    No fim, pouco importa o que o empregador acha porque neste momento (pelo menos na minha área) é o empregado de dita que quer trabalho remoto, se o patrão não aceita então não contrata ninguém.
    Há muitos casos em que o patrão quer o colaborador de volta a empresa, o colaborador nega, e o patrão ou aceita ou o colaborador cai se embora.

  15. Joseph Goebbels says:

    teletrabalho=Vagabundice

  16. Jane Doe says:

    Como dizem os nuestros hermanos: “piensa el ladrón que todos son de su condición”.

  17. Sergio J says:

    Ora deixa cá ver, a maioria aqui só pode falar pela sua experiência pessoal, pois não pode avaliar o papel dos gestores. Os gestores tem uma visão macro e são eles que obtém os resultados de cada empregado. Se eles dizem que para a empresa tem se visto uma produtividade mais baixa, quem somos nós para mandar postas de pescada sobre algo que simplesmente não temos dados e apenas a nossa experiência?

  18. xico says:

    E depois os chefes mandam em quem? Como é que justificam a sua existencia?

  19. xico says:

    Nao importa se nao fazes nada. Importa é que te vejam por lá.

  20. SANDOKAN 1513 says:

    Concordo a 100%.

    • Toni da Adega says:

      Ninguem impede um trabalhador de passar 10 ou 12 horas fora de casa para ir trabalhar.
      Se as pessoas possuem a opção de ir trabalhar com escritório é de aproveitar.

  21. Grunho says:

    Não surpreende. Um patrão/gestor que não tenha lá pessoas à frente para meter nojo morre de desgosto.

  22. Tony says:

    É preciso ver os resultados, recentemente tivemos um artigo sobre os despedimentos no mundo das tecnologias. O teletrabalho trouxe preguiça e balda, para não falar nos problemas de organização e comunicação. Tudo isso está a refletir-se na produtividade das empresas. Por mais que 90% das pessoas diga que são mais produtivas em casa a verdade está nos resultados e estes não estão nada animadores. A crise está instalada e um dia todos voltamos aos escritórios como antigamente.

  23. Xpto says:

    Quem trabalha e gosta do que faz, trabalha em qualquer sítio.

    O teletrabalho veio a globalizar o mercado de trabalho, que para quem trabalha é uma oportunidade de carreira, sem ter de deslocar para outra região do globo ou até mesmo comprometer o conforto atual.

    O teletrabalho pode ser feito em casa, ou escritórios para nómadas digitais, coworks, etc. Não significa que o teletrabalho tenha de ser feito sempre em casa.

    Teletrabalho depende do profissionalismo de cada um e acho que só realça as coisas que já se faz no local de trabalho (válido para o bem como para o mal).

    Se tenho skills para ser developer na VMWare, será que tenho de deixar Portugal para conseguir alcançar esse objetivo?

  24. J Martins says:

    E que tal, assim ideia maluco, os patrões permitirem a malta escolher onde trabalha? Já que cada vez falamos mais em Well-being, equilibrio trabalho-vida pessoal, beneficios para os colabs além do vencimento; que tal, digo eu, a malta começar a olhar para o teletrabalho como uma mais valia? E que tal, assim ideia maluca também, deixarmos de olhar para os trabalhadores como “chapa5” para todos e começar a criar uma real diversidade na forma de trabalhar e produzir em vez de olhar só para diversidade numa palete de cores ou género?

    Já faço teletrabalho há uns anos, ainda antes de a pandemia fazer disso “moda”. Pessoalmente tenho uma maior produtividade em casa do que no escritório. No escritório encontro mais distrações do que em casa. No escritório sou mais fácilmente distraido por colegas do que em casa (em que só olho para o “teams” se quiser).
    Há malta, ou equipas, que trabalham melhor no escritório e isso é justo. Há malta que trabalha melhor em casa e isso também deve ser respeitado. Se os ditos “managers” em vez de fazerem micro-managing começarem a realmente confiar e a dar responsabilidade aos colaboradores então a produtividade aumenta (ou pelo menos não diminui) independentemente do local de trabalho : Casa ou escritório.
    Eu faço um compromisso com o meu manager em que eu tenho objectivos e trabalho a fazer e vou cumprir em determinado tempo. Ele não me vai avaliar se trabalho em casa, na praia, na lua ou no escritório –> ele quer é as coisas feitas e elas aparecem feitas e bem feitas e, no fundo, não é isso que interessa para a empresa?

    Acho que é nisto que se nota onde andam os bons lideres de pessoas –> se confiam nos colaboradores E exigem compromisso e trabalho OU se fazem micromanaging porque gostam é de controlar (mesmo que não tenha bons resultados). Engraçado que o que vejo, na quantidade de empresas que já trabalhei para fazer analises de turnover, os picos das saídas e rotatividade estão sempre há volta de “managers” especificos ou sectores especificos… mas é mais fácil culpar o contexto do que as chefias -> mesmo que os dados indiquem que as chefias são, maioritáriamente, um grande factor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.