PplWare Mobile

Tags: Estudo

Coronavírus pode sobreviver fora do corpo mais tempo do que se pensa

Quem o diz são os cientistas, uma vez que o Coronavírus poderá conseguir manter-se vivo em determinados ambientes, superando o tempo de sobrevivência estimado.

Esta é uma epidemia que tem sido tema em todo o Mundo, tendo já feito mais de 1115 mortos e 44 mil infetados.


Fãs da PlayStation são os mais leais à marca, aponta pesquisa

A concorrência é um fator presente em todas as área de negócio. Por conseguinte, a tecnologia obviamente é das que mais concorrência apresenta. Especificamente no mundo do Gaming, há quem prefira a Playstation, outros a Xbox, e também a Nintendo entra forte na equação. Mas quem terá os seguidores mais leais?

Uma pesquisa recente aponta os fãs da consola da Sony como sendo os mais leais à marca. Vamos perceber a razão.


Estudo: 64% das pessoas confia mais num robot do que no seu gerente

As máquinas, aos poucos, começam a integrar-se nas empresas, tomando conta de algumas tarefas anteriormente feitas pela mão humana. Agora, um recente estudo mostra que 64% das pessoas prefere confiar num robot do que no seu gerente.

Como se isso não bastasse, 82% trabalhadores julga que os robot conseguem fazer as coisas melhor do que os seus gerentes.


Os 11 países onde há mais censura na Internet

Numa altura em que a maioria das pessoas no Mundo tem acesso à Internet, ainda existem vários países que a censura.

Hoje vamos mostrar o TOP 11 dos países em todo o mundo onde a Internet é mais censurada.


Estudo intrigante sugere que humanos têm capacidade de regeneração como a salamandra

Provavelmente sabe que uma salamandra tem a capacidade de regenerar os tecidos do seu corpo, caso os perca. Dessa forma, se uma perna for arrancada, este animal irá “fabricar” outra igual. Agora, foi desenvolvido um estudo intrigante que sugere que os humanos escondem a capacidade “tipo-salamandra” de regeneração dos tecidos.

Infelizmente, o que sabemos é que os seres humanos não podem perder as partes do seu corpo. Pelo menos é o que a evolução da espécie até aqui nos mostra, mas este estudo quer provar que não é bem assim!