Quantcast
PplWare Mobile

Deveria Portugal aceitar e regular oficialmente as criptomoedas?

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Mano says:

    Eu por mim, acho que Portugal deveria regularizar as criptomoedas, mas sem acabar o dinheiro físico, já veriam o que aconteceu ontem com a sibs, agora imaginem colapso global, não havendo dinheiro palpável confusão generalizada, eu concordo que o Futuro não pode ser travado

    • windows says:

      O problema da SIBS ainda está a decorrer, e ao que parece é algo relacionado com o ataque da Vodafone, seja como for, uma rede destas devia funcionar de forma independente para não ser apanhada nestes problemas.

      No caso de um colapso global, vai sempre surgir alguma confusão, mas tem de ser algo antecipado e pensado, pois hoje em dia o digital impera face ao físico, longe vai os tempos de andar com a carteira cheia de dinheiro, hoje anda-se com o mínimo, e quando necessário cartão para pagar ou através de app do banco ou semelhantes.

      • poiou says:

        A ser verdade que a falha da sibs está relacionada com a Vodafone, a alternativa seria a sibs ter a própria operadora móvel para ligar as ATM. Operadora essa que também podia ser alvo de ataque.

        • windows says:

          Tendo s SBIS uma operadora própria, o nível de segurança seria sempre maior, pois tratando-se de uma rede fechada ao qual só mesmo as entidades bancarias trabalhariam e nada mais, ao contrario das da Vodafone, MEO, ZON, etc, que tem tudo lá agarrado e estão mais sujeitas a vulnerabilidades que são descobertas pelo pessoal que vive para estas coisas.

    • King Size says:

      Não.

      Regular = Imposto. E disso, já Portugal tem que chegue.

      Tire da cabeça, quem é ingénuo para pensar isso, que alguma vez farão alguma coisa por si, em caso de desvalorização do investimento ou mesmo roubo.

      Um imposto, qualquer que seja, só devia ser imposto em caso de necessidade absoluta porque uma violência contra o cidadão.

      Para a esquerda imposto é normal, é normal impôr… por isso é que a esquerda vai democraticamente desaparecer.

      • GM says:

        Diz-me qual é a democracia, por mais liberal que seja, que consegue viver sem impostos, mesmo baixos que seja?

      • Nuno Pinto says:

        O que temos é má muito má distribuição dos impostos cobrados. Eu para o nível de impostos que suporto, no mínimo deveria de ter serviços para a população não digo ao mesmo no vem mas SUPERIORES aos que custem em países europeus com níveis de tributação semelhantes. eg. quando vou ao médico deviam de me fazer os exames todos e mais alguns “na hora” sem ter de pagar mais nada posteriormente, o meu filho deveria de ter escola “Mesmo tendencialmente gratuita “ desde a pre-primaria à universidade. A justiça deveria funcionar não só para os ricos. E QUEM NÃO CUMPRE DEVERIA IR REALMENTE BATER COM OS COSTADOS NA PRISÃO. E mais do que ir para a prisão TRABALHAREM. E quando fossem para a prisão ficarem sem o que “roubaram”, não é prisão a fingir e quando saem vão gozar o espólio do gamanço. Os exemplos são muitos. Sim tributem cryptos.

  2. windows says:

    O dinheiro físico com o tempo vai acabar, pois cada vez mais usamos outros métodos de pagamento alternativos, por isso o Digital é o futuro.

    O problema de muitos grandes lóbis com as Criptomoedas é não terem controlo sobre as mesmas, existe pessoal a criar fortunas com este tipo de moeda digital e sem qualquer controlo ou rastreio.

    • adnt says:

      IMHO Portugal deveria regular oficialmente as criptomoedas, sim!
      Atualmente é um paraiso fiscal, antes isso que proibir.. Mas porque nao regular? Mais transparencia, inovacao e receitas entre muitas outras vantagens..

  3. reiartur says:

    A pergunta está um pouco ambígua, porque o “não” pode ter dois sentidos. Uma coisa é proibir, outra é não regulamentar, o que existe atualmente em Portugal, está num limbo. Muito apoiantes das criptoactivos vão votar não, porque querem manter este limbo para não passar impostos, mas ao mesmo tempo são contra a proibição.

  4. paulo says:

    IMPOSTOS ? nas cryptos o estado nao contribui nada e quer vir aqui mamar? imposto é roubo!!!

    • KeyboardWarrior says:

      A desculpa da “regularização” vai ser mesmo essa…. IMPOSTOS.

    • GM says:

      Achas que sim? A muita ou pouca segurança que as forças policiais te proporcionam, os muitos ou poucos serviços que as entidades públicas te prestam, as vias públicas, melhores ou menos boas, onde circulas, redes públicas/infraestruturas de abastecimento (água/gás/electricidade) e drenagem, todos os serviços, bons ou maus, que são colocados à disposição, são pagos como? Outra questão é se os impostos são ou não demasiado elevados. Que são, não haja dúvidas.

      • Luís Costa says:

        Eu acho que a tua conversa não tem sentido algum, todos nós sabemos que tem de existir um estado forte (não autoritário) que seja objetivo, regulador e que assuma o seu papel em vez de estar a chular o povo para os seus amiguinhos viverem no boa vida.. um estado que cobra os impostos que o estado português cobra e tens tudo a cair aos bocados não é um estado amigo do cidadão, por isso dispenso essa lenga lenga

        • GM says:

          Meu caro, não é lenga-lenga. Se sabes que tem de existir um Estado forte, esse mesmo Estado tem de ser sustentado por impostos. Agora, não é com a intensidade que actualmente temos, para em paralelo termos uns serviços decadentes tal como os conhecemos. A lenga-lenga do “paulo” é que, de todo, não serve. A julgar pelo comentário dele, o Estado também não intervém na profissão dele, como tal, não tem de pagar IRS, etc. Nem tem de cobrar IVA nos produtos que adquire. E todo um rol de impostos que paga em tudo o que mexe. Portanto, interpretando a ideologia pelo comentário, o próprio “paulo” iria assegurar, com os seus rendimentos, tudo aquilo que deveria ser assegurado pelo Estado, mas como não este não tem forma de sustentar esses serviços comuns, é o próprio que tem de assegurar. Tem que se lembrar que o Estado é como um condomínio. Cada qual tem que assegurar a sua quota parte das partes comuns, com a quota mensal, a qual contém o assegurar das despesas correntes e algo mais para os imprevistos. Mas nada mais do que isso, nem pagamentos excessivos. Mas, caso cada condómino não desse a sua contribuição para o bem comum, os serviços comuns simplesmente não existiriam.

  5. Mano says:

    Eu invisto em Criptomoedas e não vai ser agora que vou desistir é o Futuro, desde que Invistas com o teu Dinheiro e comproves que é teu guardando os dados de transações não deve haver problema, se tiveres de apresentar alguma vez as Finanças de onde vem o Dinheiro já se pode comprovar e se tiver de pagar alguma imposto se vier a ser viabilizado paga-se e não precisamos de jogar as escondidas agora se estas adquiri-las de forma a Ocultar alguma coisa é outra coisa, por isso acho que deveria ser Regularizado

    • Zé Fonseca A. says:

      Guardando os dados de transação ? Lol.. blockchains, sabes o que são ?

      • RPG says:

        Sim todas as transações ficam registadas no blockchain, bem como no exchange que uses para realizar trading. Na eventual necessidade de comprovar às finanças, em como obtiveste determinados lucros, é fácil.

        • Zé Fonseca A. says:

          Claro, o Mano não parece saber disso, fica tudo registrado e é tudo de consulta pública.
          Já o simples, acredita que não é, muito pelo contrário, fazer irs com lucros de Crypto é um verdadeiro pesadelo, tens de ter em conta fees, taxes, reflections, rewards, staking.. só quem fez sabe o pesadelo.

          Depois no meio disso tudo tens privacy coins e ramp offs em dexs sem kyc.. por isso regulamentar vale o vale, qualquer coisa nada que uma offshored no Dubai não resolva.

  6. Sergio J says:

    Talvez o futuro passe pela tecnologia blockchain, mas num paradigma completamente diferente sem ser a lei da selva libera. Um moeda deve ser sempre controlada por uma entidade central responsável pela coesão económica de uma região. Uma sociedade não consegue viver sem impostos, sem um contributo de todos nós.
    Podemos discutir se este é o modelo correcto, se não estamos a destruir esse bem escasso que é a energia. Um destes dias ainda aparece um Elon Musk e quer criar uma rede de satélites só para minerar.
    Os maiores defensores das criptomoedas não acreditam em economia, mas sim apenas no lucro. Num modelo capitalista o lucro gera mais investimentos que gera mais lucro. Esse ciclo produz emprego, produtos, consumo, impostos, investimentos sociais. Os apologistas das criptomoedas acreditam apenas no lucro e benefício próprio.

    • RPG says:

      Não sei onde foste buscar essa ideia, mas ok. É claro que ninguém gosta de pagar impostos.. mesmo aqueles que se sentam no trono do modelo capitalista, não o gostam de fazer, e criaram diversas formas de lhes escapar, como deverás ter conhecimento. No entanto, a malta que defende as crypto, e que tenha 2 dedos de testa, sabe que será benéfico regular as mesmas, defende essa mesma regularização, pagar impostos, etc,. Até porque isto apenas fará com que o mercado cresça e fique ao alcance de muitos que ainda têm preconceitos, nem que seja pelo simples facto de ser algo pouco regulamentado etc.

      • GM says:

        O “paulo” ali em cima, diz que não. ” imposto é roubo!!!”.

        • paulo says:

          e nao é? é dado de livre vontade?

          • GM says:

            Podes, de livre vontade, não pagar impostos. Basta trabalhares de forma informal. Não possuires qualquer viatura. Não possuires qualquer imóvel, nem mesmo para HPP. E tentar comprar o que necessitas, também, de forma informal. Caso consigas. Para que não te sintas roubado. Eu não me sinto roubado por pagar impostos. Sinto-me roubado por pagar o volume de impostos que pago, em tudo o que mexe e ainda no que está parado, e não ter o devido retorno que seria expectável. E, com esse montante absurdo, ver que o Estado / Goverso, estoira montantes absurdos em temas que não levam o país a lado algum. Ou melhor, leva ao buraco. Mas não digo que me sinto roubado simplesmente por pagar impostos.

          • G says:

            Ora bem, isto é simples. A nossa sociedade obriga a pagar impostos, quem nao quiser pagar impostos tem 2 hipoteses:
            1- Fazer tudo no clandestino (com as devidas consequencias)
            2- Mudar para um pais sem impostos (se é que existe e tambem aceitar as consequencias).
            As pessoas so se sabem queixar e nao fazem nada para mudar as coisas… Nao gostam de Portugal e das leis que estao em vigor? Ou façam algo para mudar, calem-se e aceitem ou emigrem, mas parem com essa atitude de criança que quer um chupa e o pais nao dao (hahaha).

  7. dude says:

    É como a prostituição. Para quê regular uma coisa inevitável. Torna-se ilegal. E dificulta-se a vida a todos, porque é menos trabalhoso.

  8. Aliexpr says:

    criptomoeda é sinonimo de desemprego , miséria e fome

    se uma moeda não contribuir para o emprego e desenvolvimento de uma sociedade mais justa e colaborativa é apenas LIXO e CORRUPÇÃO

    conclusão .. nem deveria existir

  9. jota says:

    Eu para além de achar que Portugal não devia aceitar as criptomoedas, acho que as DEVIA PROIBIR IMEDIATAMENTE!

  10. Atento says:

    Esta notícia, em si, é um logro.
    O conceito de regulação implica a existência de um «regulador» que assegura a liquidez da moeda e controla a sua circulação, características e valor, ora, a criptomoedas não são isso.
    A grande maioria das criptomoedas não é controlada por nenhuma entidade, na realidade essa é a particularidade que as distingue das moedas reguladas, o seu modelo pretende exactamente a não regulação.
    Este modelo «desregulado» tem vantagens e desvantagens, se por um lado não temos ninguém a perguntar de onde veio o dinheiro e como foi ganho (integração da função de regulador com leis locais), por outro, não temos qualquer garantia do valor dessa moeda uma vez que não existe qualquer colateral (garantia) associada à mesma.
    Por exemplo o Euro, é regulado pelo BCE (que delega nos bancos centrais de cada pais competência específicas no âmbito dessa regulação) e garante o valor da moeda.
    Quando tenho 100 € na carteira, sei que o valor desse montante não se alterará muito ao longo do tempo e tenderá a servir-me como moeda de troca em múltiplos locais.
    Já um Bitcoin, tem aceitação condicionada (poucos locais o aceitam para transacções), o seu valor oscila muito e ninguém me garante que possa existir daqui a uns tempos (por ausência de entidade que responda pela moeda). Na realidade, é curioso que o boom das criptomoedas, acelerou com o controlo aos paraísos fiscais e fluxos financeiros tendentes a ofuscar origens menos lícitas do dinheiro.
    Nota: O Euro digital está em estudo, mas, minha opinião, se vier a ser lançado, não deverá alterar nada no panorama das criptomoedas atualmente existentes.
    Quando muito, o que se poderia equacionar era se o país deveria tributar os proveitos resultantes de mais-valias resultantes da variação cambial de activos em cripto-moedas (em português: se o país deveria taxar os lucros obtidos com as criptomodas). Penso que tal estará já enquadrado no contexto das atividades cambiais.

    • Vítor M. says:

      Não é uma notícia, é uma questão e pertinente, face aos últimos desenvolvimentos. Portanto, de logro não tem nada, mas sim uma interessante questão para dar a conhecer vários pontos de vista dos leitores.

      Logro é derivar este assunto para campos do impossível, coisa que a criptomoeda já mostrou poder transpor alguns desses campos.

    • Zé Fonseca A. says:

      Não tens muito conhecimento sobre o tema, fica atento às notícias da próxima semana e pode ser que aprendas um pouco mais como pode Crypto ser regulada de forma descentralizado.

  11. Atento says:

    Já agora, El Salvador adotou o Bitcoin porque não tem a sua própria moeda (utilizavam o dolar como moeda oficial).
    Ora, tendo como governo um conjunto de testas de ferro de barões de droga, outra coisa não seria de esperar.
    Informem-se do que é o país e vão perceber o que é uma «república das bananas», onde um dia o presidente decidiu criar uma lei que permite demitir de forma particularmente arbitrária juízes (depois de um conjunto de decisões contrárias aos interesses desse presidente).

  12. alt.menino says:

    Só evolui quem sair da descentralização. A evolução tem regras e requer compromisso, por algum motivo alguns conseguem e outros não. Nesta área querem passar muito a ideia do crime e corrupção, ele existe como em todas as áreas e é muito comum acontecer, devido à enorme falta de escrúpulos por parte de muitos dos indivíduos envolvidos e outros só não cometem os supostos crimes devido á falta de coragem “Medo ou cobardia”. Este tipo de tecnologia ou as plataformas envolvidas não são autônomas, tem regras, requerem estudo e um período de incubação que é variável de individuo para individuo, a minha humilde opinião refere um período de 5 anos . O cerne do problema está quase sempre assente no querer um lucro rápido e sem esforço, vou deixar aqui esta máxima com objetivo de desmistificar algumas ideias e envergonhar alguns chicos espertos: Felipe Molero do Kid Investor – https://www.youtube.com/c/KidInvestor .

  13. Rui says:

    Portugal tem a oportunidade de ser a proxima Suiça ao tornar o pais super atrativo para quem tem cryptomoedas

    Os bancos a terem serviços de guardar as moedas para os clientes que não sabem/tem confiança de terem uma carteira num pc/movel e taxarem isso

    O Governo só teria a ganhar a ter um imposto baixo, evitaria grande parte das pessoas que ja estão a sair dos bancos sem pagarem/declararem nada. Tal como o investimento estrangeiro para o país ser atrativo de taxar baixo nessas contas abertas nos bancos e receber passivamente dinheiro sem risco algum de portugueses e estrangeiros

    Agora temos inteligência para isso no governo? 99% duvido e possivelmente teremos é taxas minimas de 28% até 45%, basta verem como é taxado o jogo

    Gostava que o pais inovasse, serio que gostava

    • Zé Fonseca A. says:

      Não vai acontecer, somos um país retrógrado em impostos, muito mais em impostos relacionados a investimentos, vais pagar 28,5% sobre os rendimentos como já acontece em tudo o resto que tenha “complexidade financeira”, se não fosse pela dita complexidade levavas com englobamento automático e ficavas sujeito ao escalão dos rendimentos.
      Cá é e será assim enquanto vivermos num país comuna (vulgo socialista).

    • Pedro L. says:

      Querias uma exepção para “Estrangeiros” não pagarem mais valias com crypto, assim como não pagam (ou pagam menos) noutras situações ? Ou querias uma exepção para as tuas Crypto, assim como outros quereriam para mais valias em Forex. Arte, Imobilário, Ouro, Jogo, Tempo (trabalho) , etc. ?

  14. André Villas Boas says:

    Muita confusao vai por aqui entre “criptomoedas”, que na realidade nao sao moedas – sao assets tal como accoes, obrigacoes, etc., e dinheiro digital. Moeda digital nao tem porque ser uma criptomoeda. Vivo em Londres onde praticamente ja nao existe dinheiro físico (vivo aqui há 10 anos e há 10 anos que nao levanto dinheiro) – mas as pessoas nao transaccionam com criptomoedas.

  15. SANDOKAN 1513 says:

    Já votei na questão.Desta vez sei que vou perder mas não faz mal.Eu acho que Portugal de forma alguma deveria aceitar e consequentemente regular oficialmente as criptomoedas.É um assunto muito dúbio este das moedas virtuais.

  16. alt.menino says:

    A escola não nos prepara para a vida, não nos ensina o que é uma relação ou vida a dois, e não nos ensina ou prepara a ser Pai ou Mãe por exemplo na disciplina ciências da natureza, no minimo a ESCOLA DEVERIA ENSINAR EDUCAÇÃO FINANCEIRA, e foram estas últimas palavras que me conquistaram e que á muito eu repetia. “Kid Investidor” https://www.youtube.com/watch?v=ZXwyTNIyC50

    • Clive Sinclair says:

      “há muito”. A Escola deve ensinar Literacia Financeira, mas não deixar de ensinar Português.

      • alt.menino says:

        Obrigado, pela sua disponibilidade em perder do seu precioso tempo, para me corrigir num erro de português, tenho pena que não me possa acompanhar diariamente, tinha muito para me ensinar e eu ia ficar eternamente grato.

  17. diogo says:

    Não precisa já ai vêm a moeda sustentável

  18. José da Silva says:

    O preço dos bens transacionáveis depende da sua raridade ou da escassez de dinheiro … Aumentar a quantidade de moeda circulante, digital ou física, tem como consequência óbvia aumento dos preços, inflação. Aumentar o valor do dinheiro em circulação sem controlo de autoridades monetárias só pode resultar em inflação. Se a inflação, que agora aflige toda a gente, não é razão suficiente para tornar ilegais as moedas digitais, que surgem como cogumelos no outono, a questão dos impactos no consumo de energia e consequente contribuição para o aquecimento global devia ser só por si razão para a sua ilegalização. E já nem entro pelas questões de justiça fiscal ou de lavagem de dinheiro mafioso …

    • Zé Fonseca A. says:

      Sabes que cerca de 90% das blockchains são PoS e não PoW?
      Falam de Crypto e só conhecem o pai pobre Bitcoin que nada mais é que uma montra de entrada nas Crypto, é a Crypto mais inútil na blockchain mais inútil.
      Já agora, também existem assets digitais deflacionarios onde a quantidade está sempre a diminuir..

  19. R!cardo says:

    É melhor não porque segundo os entendidos, os preços das gráficas sobem ainda mais

  20. Alftuga says:

    Usar a blockchain como ferramenta para controlar e verificar todas as transações comerciais facturas, transferências seria uma óptima ideia. Agora dizer que as cryptos no atual estado da regulamentação são uma boa coisa para nossa sociedade sinceramente duvido fortemente. Fico assustado que muita boa gente parece-le normal ganhar dinheiro sobre a equação da pura especulação sem nenhuma venda de serviços ou de bens. Produzir zero e ganhar dinheiro com dinheiro sem nenhuma troca é retirar esse dinheiro da real economia ao seja é roubar o valor do dinheiro a quem produz e trabalha. Obviamente que não são unicamente as cryptos que fazem isso o ser humano e muito ganancioso mas parece-me que elas aumentam consideravelmente esse efeito. Depois o custo energético da tecnologia usado só para especulação parece-me pouco adequado aos problemas energéticos que nosso planeta está a ter. Não sendo um profissional das cryptos nem economista, gostaria que alguém explicasse porque que um algoritmo estudado para resolver os problemas de inflação e deflação das moedas nacionais é um dos que tem mais volatilidade do mercado. A questão de usar só moedas digitais para transações, também não me parece rezoavel ao ver os últimos apagões de comunicações dos últimos tempos. A tecnologia é boa mas não é usada corretamente.

  21. R o B says:

    Portugal deve continuar neutro no produto resultado da mineração POW ou POS por ser essencial para que a rede descentralizada funcione, já cobra impostos para recebermos o nosso salário em FIAT que convertemos em criptomoedas, deve cobrar os mesmos impostos quando o recebermos em criptomoedas e só cobrar os mesmos impostos que já cobra na transação FIAT, como é que isso será declarado é função do estado desenvolver mecanismos.

  22. Jonas says:

    O que a rede SBIS tem haver com BTC? Governo não tem que regulamentar nada.. A ideologia do BTC é descentralização.. O dinheiro é seu e ninguém tem nada haver com isso.

  23. João Sousa says:

    Está mais que óbvio: os acérrimos defensores das moedas digitais são quem tem lá interesses, isto é quem especula, quem quer ganhar dinheiro fácil. As moedas digitais são a versão moderna da D. Branca!

  24. alt.menino says:

    Este é a realidade atual num mundo centralizado em entidades reguladoras, “TACHOS&tachinhos.and.company.sa
    https://expresso.pt/expresso/suisse-secrets-fuga-de-informacao-revela-como-o-credit-suisse-aceitou-muitos-milhoes-de-euros-em-dinheiro-sujo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.