Quantcast
PplWare Mobile

Alerta Espanha! Cerco à publicidade sobre criptomoedas

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jorgeg says:

    Juan Carlos donde andas?!! Juaaannnnn!

  2. Ochinês says:

    Há uma frase que aparece à cabeça no prospecto de uma aplicação num produto bancário: “As rendibilidade passadas não são garantia de rendibilidade futuras”. E em tempos tinham produtos de capital garantido (mesmo que o rendimento fosse zero não se ficava sem o dinheiro), agora praticamente desapareceram.

    Quanto à publicidade em criptomoedas, devia ser obrigatória essa frase, e mais outra “não jogue dinheiro que lhe faz falta”. E banir frases como “As crypto são a moeda do futuro! Compre que vai ganhar dinheiro à fartazana!”. As “crypto” não são moeda, são ativos que valem o que alguém estiver disposto a pagar com eles. Nada impede que passem a valer zero.

    • DrFrank says:

      Tal como tudo o resto só vale o que alguém estiver a disposto a pagar por tal coisa.

      “ah e tal a minha casa/barraca vale 1 milhão”
      “vale sim, se alguém te pagar esse tal milhão”

  3. Berta says:

    os paises e o sistema financeiro anda a dormir e depois queixam-se quando isto cair tudo…

  4. NotFUD says:

    É o desespero do sistema a “apertar” o pescoço?

    Bem, de qualquer forma concordo com a medida se for direcionada à publicidade enganosa das shitcoins…

    Bitcoin não pode ser censurado. Já funciona desde 2009!

  5. NsFdA says:

    Não quero crpitomoedas para ficar rico, quero sim para deixar de ter pagar a um banco 80 euros por ano só para ter la o meu dinheiro, e que não rende nada por la o ter.
    Os tipos dos bancos centrais e nacionais tudo fazem para as pessoas não trocarem o seu FIAT por criptomoedas .

  6. JF says:

    Aumentam as filas da fome em Espanha devido às políticas liberais levadas a cabo pelo regime:

    – El aumento de los precios en España provoca que las colas del hambre vuelvan a crecer en pleno invierno

    https://actualidad.rt.com/actualidad/417142-aumento-precios-espana-provocar-colas-hambre-invierno?utm_source=Email-Message&utm_medium=Email&utm_campaign=Email_daily

    • Ochinês says:

      No caso, as “collas del hambre, noticiadas pelo canal russo (em castelhano) eram para aquecimentos, mantas e velas (que se diz ser para as crianças poderem estudar à noite??), comida e fraldas para bébés.
      Tenho as minhas dúvidas que um canal russo que transmite para os países de língua castelhana seja muito objetivo quanto às condições de vida nos países ocidentais. Sem negar que há pobreza em Espanha, como cá, as “filas da fome” estão exageradas. Mas o que é que isso tem a ver com o assunto das criptomoedas?

    • Eu says:

      Vocês ainda não entenderam bem quando se fala em aumento de preços.
      Não são as coisas que estão mais caras, mas sim a perda do valor da moeda. Cada vez a tecnologia cria novos produtos cada vez com maior eficiência e neste contexto os produtos deveriam ser cada vez mais baratos e não o contrário.
      O dólar perdeu já mais de 93% do seu valor desde que foi criado. Mais de um terço de todo o dinheiro da historia dos EUA foram impressos nos últimos 4 anos.
      Continuem a deixar o vosso dinheiro nos bancos e não tratem de serem vocês a geri-lo pessoalmente e vão ver o que vos espera nos próximos anos. Isto da crise com inflação ainda agora começou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.