Quantcast
PplWare Mobile

Categoria: Ciência

Três Terras e dois Mercúrios foram descobertos a orbitar um único sistema

Uma equipa liderada pela investigadora portuguesa, Susana Barros, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA3), do Departamento de Física e Astronomia—Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, encontrou três super-Terras e dois super-Mercúrios, ao observar o sistema estelar HD 23472 com o espectrógrafo ESPRESSO (ESO). Esta descoberta é muito rara, contando estes dois, existem apenas oito super-Mercúrios conhecidos.

Estes 5 planetas orbitam a estrela HD 23472, nome de código para estrela anã do tipo k, ou anã laranja.

Ilustração da descoberta de estrela com 2 Mercúrios e 3 Terras


COVID-19: Casos estão a aumentar! Rt volta a disparar

O coronavírus que leva à doença COVID-19 já não é propriamente tema de discussão, mas a verdade é que ainda vivemos em tempos de pandemia. De acordo com os dados mais recentes, o índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-CoV-2 voltou a subir bastante.

O número médio de casos diário está a aumentar.

COVID-19: Casos estão a aumentar! Rt volta a subir para 1,06


Engenheiros criaram câmara subaquática sem fio e sem bateria alimentada por som

Com a chancela do MIT, os engenheiros conseguiram tirar energia não das ondas do mar, não da força hídrica, mas do som. Como tal, a câmara subaquática foi projetada para comunicações sem fio, também não tem bateria, mas funciona muito bem.

A ideia de criar este dispositivo tem como objetivo poder ajudar os cientistas a explorar regiões desconhecidas do oceano, monitorizar a poluição ou acompanhar os efeitos das alterações climáticas.

Imagem da câmara que se alimenta com o som produzida pelo MIT


Artemis I sofre novo contratempo. Agora é um furacão gigante que vai passar pela plataforma

Após vários adiamentos, pelos mais variados problemas, a missão Artemis I teima em não sair do chão em direção à Lua. Já sem oportunidade de sair ainda em setembro, surge agora nova contrariedade. O foguetão SLS e a nave espacial Orion estão a ser retirados da plataforma de lançamento porque o furacão IAN pode “deitar tudo a perder”.

À terceira não é de vez. Como tal, apesar da NASA ter inicialmente teimado em deixar o SLS e a Orion no local de lançamento, a ameaça fez os responsáveis recuar.

Imagem Artelis 1 na rota de um furacão


Um sucesso da NASA! DART colidiu com sucesso contra o asteroide Dimorphos

O plano da NASA era muito claro e tinha um propósito bem definido. O DART (Double Asteroid Redirection Test) ia testar a capacidade desta agência de alterar a rota de um asteroide e assim garantir mais uma defesa para o planeta Terra.

Esse momento acabou de acontecer e não podia ter um sucesso maior. O impacto aconteceu, provando que é possível dirigir uma nave contra um destes objetos celestes e garantir assim a defesa da nossa espécie.

DART asteroide NASA