Quantcast
PplWare Mobile

Epic diz que a Apple não tem direitos sobre os frutos do seu trabalho

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Lucas says:

    claro que não! tal como a Epic não tem direitos sobe os frutos do trabalho de outras empresas que usam o Unreal Engine… ups!

    • RS says:

      Totalmente diferente, a Epic distribui gratuitamente o Unreal Engine então acho normal que quem o usa para desenvolver produtos “dê” uma parte hà EPIC, já que desenvolver o Unreal Engine não é assim tão fácil quanto isso.
      A EPIC a única coisa que está a usar da APPLE é a loja e só porque não existe nenhuma outra forma de distribuir Apps para sistema da apple, se existisse muito provavelmente a Epic estava a borrifar-se para a Apple e a sua Store e não havia nenhum problema.

      • Lucas says:

        Não tem nada de totalmente diferente, é basicamente o mesmo. Em ambos os casos as empresas têm que assinar um contrato que estabelece as condições em que essas empresas podem usar ferramentas e propriedade intelectual desenvolvidos para criar aplicações, determinando a remuneração.
        Não sei onde é que foste buscar a ideia de que a única coisa que Epic usa é a loja. E as frameworks da Apple? E os compiladores? etc? E a equipa que a Apple tinha dedicada a dar suporte à Epic?

        • Leal says:

          Por curiosidade, quem será este lucas, um defensor incondicional dos produtos da apple, alguém que anda por aqui disfarçado??

        • Cicrano says:

          Equipa dedicada a dar suporte à Epic, isso existe? Ou Equipa que da suporte a todos os software da Apple.

        • toni canzani says:

          tal como a MS teve de deixar de forçar o IE no Windows provavelmente acabaremos por ver a Apple e a Google a serem forçadas a deixar que outras lojas de aplicações sejam standard nos seus sitemas operativos. A google até ja deixa que isso aconteça mas a Apple nao e isso vai mudar provavelmente.

          • Lucas says:

            Se isso acontecer será por imposição política… Mas não esquecer que existe uma grande diferença entre esses casos. A Apple fornece uma solução integrada, é um negócio vertical, qualquer interferência política terá que ser muito bem medida. Vai ser difícil obrigar a Apple a aceitar outras lojas no seus aparelhos.

      • Filipe Vinha says:

        Quem desenvolveu o iPhone? e o sistema operativo IOS? ou seja, a epic esta a usar muito mais que a loja, esta a usar o equipamento e o SO da apple… Quem faz as atualizações do IOS?? para que seja seguro usar um iphone? EPIC?? nao me cheira

        • RM says:

          A Microsoft ganha alguma coisa dos jogos que são comprados na Steam, Uplay, Origin, GOG, etc ?
          Coitada da Microsoft que gastou/gasta milhões no seu Windows, e depois anda o pessoal a jogar no seu precioso SO, sem ganhar $$$.

    • darth says:

      nao me lembrei dessa, muito bem responidod. esses artistas é que cobram, e bem, sobre os lucros obtidos por terceiros

    • EDPRR says:

      Quem desenvolve e mantém o Unreal Engine que as outras empresas utilizam para fazer os seus jogos ? Epic … quanto cobra a Epic pela utilização do seu software ? 5% … convenhamos que é um valor aceitável face à importância do motor de jogo no desenvolvimento do mesmo. Agora 30% de todas as transações apenas por alojar o jogo ? Tenho de dar razão à Epic, é roubo e abuso de posição.

      • Lucas says:

        contratualmente é basicamente a mesma coisa, ser 5 ou 30% vai dar ao mesmo em termos de obrigações contratuais, e é a Epic a pedir direitos sobre os frutos do trabalho de outros.
        Mas relembro que esses 5% é sobre todos os rendimentos da empresa com essa aplicação, já os 30% é apenas aplicado a compras dentro da aplicação, sendo que esses 30% cobrem muito mais despesas que do que o que a Epic tem!

        • Eu says:

          Lucas, se não fosses um fanboy percebias as barbaridades que estas a dizer.
          5% ou 100% também vai dar ao mesmo em termos de obrigações contratuais. Mas um é um contrato abusivo e o outro não. Consegues perceber qual deles é abusivo? Vamos ver se chegas lá, dica não é o 5 😉

          • Lucas says:

            Mas não estamos a falar de 100% nem o argumento da Epic invocado nesta notícia é do abusivo. E 30% do preço é comum a lojas de diferentes ramos, sendo que estamos a falar do preço duma loja.

    • Guile says:

      Comparar alhos com bugalhos.

      Apple tem o monopólio da loja. Não sou fã da EPIC mas acho que 30% é muito dinheiro apenas para manter uma loja, assim como acho que 30% na Google é demasiado. A Microsoft cobra 5% ou 15% que acho que é um valor mais justo. Além de pagarem essa percentagem, ainda tem de pagar uma licença anual para poderem desenvolver para essa plataformas ($99 ou $299 (enterprise)) mesmo que se crie aplicações gratuitas.

      Existem diversos motores de videojogos disponíveis no mercado. Ninguém é obrigado a usar o Unreal Engine. Se não houvesse motores de jogo, os estúdios tinham de criar o seu. Não podemos comparar uma loja de aplicações com um motor de jogo.

      A EPIC cobra 5% de royalties com o Unreal Engine e é gratuito se o produto não for vendido.

      Tem tudo a ver uma com a outra!

      • Lucas says:

        Contratualmente é a basicamente a mesma coisa!
        Pelos teus argumentos a Epic tem o monopólio sobre o Unreal Engine. Existem mais lojas no mercado, ninguém é obrigado a programar para os aparelhos da Apple.
        A Epic cobra sobre todos os rendimentos das outras empresas e não tem despesas associadas a isso. A Apple apenas cobra sobre certos rendimentos e tem muitas despesas associadas a isso.

    • Hélio Musco says:

      Sim, mas a Epic faz uma taxa muito mais amigável, 5% após teres feito 1 milhão $.
      Exemplo prático: um desenvolvedor, se tivesses a usar Unreal Engine e colocasse o seu jogo na AppStore. Esse jogo atingia 1 milhão $ de vendas, a Epic levava-te 5% (50.000$) e a Apple levava-te 30% (300.000$). Com qual deles é que ficavas mais chateado?

      • Lucas says:

        continua a ser a Epic a requerer direitos sobre os frutos do trabalho de outros.
        A Epic recebe por qualquer tipo de rendimento (compras, publicidade, contratos) e não tem despesas associadas. A Apple recebe apenas por compras na loja/aplicação. Compras fora da loja (que são possíveis), publicidade, outros negócios, não fazem parte. A Apple tem muitas mais despesas.

        • Hélio Musco says:

          “Compras fora da loja (que são possíveis), publicidade, outros negócios, não fazem parte. A Apple tem muitas mais despesas.” A Apple já “ameaçou” empresas para que a lojas corram os serviços da Apple para que depois sejam taxados (https://www.businessinsider.com/apple-developer-rage-30-percent-app-store-tax-2020-6).

          E mostra-me onde a Apple tem mais despesa que a Epic em manter uma loja do que a criar um motor de jogo.

          Para que a Epic levasse mais dinheiro que a Apple (em “impostos”), terias que fazer 6x mais nos outros negócios (e.g. noutras plataformas).

          Por isso, sim 30% é um bastante abusado quando comparado com os 5% que a Epic faz.

          • Lucas says:

            não há outras lojas que corram serviços da Apple, nem a Apple cobra sobre compras fora da aplicação. A Apple fiscaliza se as aplicações quebram as regras.
            A criação do motor da Epic é uma despesa fixa, independente do número de outras empresas que o usam ou dos rendimentos obtidos. Isso é equivalente à despesa que a Apple tem no desenvolvimento do seu software.
            Já a loja tem que lidar com despesas variáveis, que dependem do número de utilizadores, da dimensão dos rendimentos, etc.
            O meu comentário servia para elucidar que os 30% não são efectivos e incidem sobre apenas uma parte dos rendimentos das empresas. Não é à toa que as lojas necessitam de margens superiores a 5%.

          • Hélio Musco says:

            A Apple não quer que as aplicações “fujam” aos impostos dela, aí não! Até rejeita updates nesse sentido, prejudicando os utilizadores pelos lucros.

            Continuas sem mostrar onde é que uma loja tem mais despesa que um motor de jogo (que por sinal é um dos melhor que há).

            Faz uma pergunta a ti mesmo, será que a Apple não conseguia manter a loja com os 15% que tinha anteriormente? (https://9to5mac.com/2020/10/02/app-store-revenue-q3-2020/)

            A Epic Games apenas tira 5% de quem usa o motor de jogo porque faz dinheiro com outros negócios. Se isso fosse só o seu negócio, é claro que esses 5% aumentariam. Agora a Apple “rouba” até não puder mais, mas não é só na AppStore, basta ver os outros produtos (e.g. iPhone, Macs, etc…)

          • Vítor M. says:

            “Rouba”? Mas vão-te ao bolso tirar o dinheiro? 😀 dizes cada uma…

            Agora sobre as comissões, volto a relembrar que não é só a Apple que tem este valor de comissões, há um mercado em volta das lojas com valores bastante conhecidos. Mas volto a relembrar:

            – Apple App Store: 30% (15% para subscrições depois de 12 meses)
            – Google Play Store: 30% (15% para subscrições depois de 12 meses)
            – Amazon Appstore: 30% (20% em subscrições para streaming de vídeo)
            – Samsung Galaxy Store: 30% (ou o valor acordado entre as partes)
            – PlayStation: 30% de comissão
            – Xbox: 30% de comissão
            – Nintendo: 30% de comissão
            – Steam: 30% até de 10 milhões; 25% entre 10 e 50 milhões; 20% acima de 50 milhões de dólares
            – Epic Games: 12% de comissão.

            Portanto, a Apple, assim como as outras empresas, limitam-se a fazer cumprir as regras das suas lojas. Bem ou mal, a EPIC ganhou muitos milhões lá dentro e agora, depois de darem grande tiro no pé, estão a ver os milhões a voar e os seus concorrentes a crescer em termos de receitas e de clientes. A culpa é da Apple ou da Google?

          • João says:

            Vitor, maioria dessas lojas tira 30% sobre venda do produto, a Apple tira % sobre tudo, vendas, in-app purchases, subscrições, isso sim é roubo

          • Vítor M. says:

            Não é verdade, e que grande confusão que aí vai. 😀 dito dessa forma, até te consegues enganar.

            A Apple permite que coloques uma aplicação gratuitamente na sua loja. Contudo, se usares essa aplicação para comércio direto, a Apple quer 30% dos lucros no primeiro ano e 15% para subscrições depois de 12 meses.

            Assim, se o utilizador tiver de comprar a app, a Apple tem uma comissão, se a app vender produtos dentro da sua orgânica, a Apple quer uma comissão, se a app gerar subscrições pagas, a Apple quer comissão, se a app levar os utilizadores de dentro da aplicação e do ecossistema Apple para dentro de outro sistema e lá, cobrar diretamente por um link na app alguma coisa, a app quer comissão… e bem.

            Portanto, repara que aqui o denominador comum é a app. Não é como tu estás a dizer 😉 não te enganes nem queiras enganar os outros 😉

            Mas porque raio quer a Apple esse dinheiro?

            Ora bem, antes de mais a Apple é uma empresa privada. Como tal, o seu propósito, como TODAS AS EMPRESAS PRIVADAS, é ganhar dinheiro.

            Posteriormente, a Apple tem obrigações.

            – Quem pagou/paga e pagará para desenhar/gerir e evoluir a loja? A Apple.
            – Quem paga à equipa de segurança que mantém a loja segura? A Apple

            Aqui é importante referir que a equipa de segurança é responsável pela maior base de dados do mundo de cartões de crédito. Assim como de um método de pagamento que é fundamental para que a Apple e os programadores ganhem dinheiro.

            – Quem responde na justiça por falhas, caso os developers sejam prejudicados ou os consumidores? A Apple.
            – Quem tem de promover a loja, dando com isso visibilidade às aplicações? A Apple.
            – Quem tem conseguido fabricar sistemas operativos e dispositivos que aumentam o mercado dos programadores? A Apple, basta a loja de aplicações no iOS, watchOS, macOS, tvOS.

            Não achas que 30% sobre os lucros, dando à outra parte 70%, é justo quando em troca têm um enorme ecossistema seguro, dinâmico e prolifero? 😀

            Pensem, usem a cabeça, coloquem-se do lado do empresário, seja ele pequeno ou grande. A Apple tem milhões de empresa a trabalhar dentro da loja, só duas ou três, mais gananciosas, fazem barulho, porque será?

          • Hélio Musco says:

            Coloquei “roubar” entre aspas mesmo por isso.

            Sobre o que as outras empresas fazem. Basicamente a Apple seguiu os outros: “Se os outros fazem, porque também nós não fazemos?”. Em vez de estar do lado da comunidade, prefer ganhar ter mais lucro, mas estamos a falar da Apple e isso não deve chocar ninguém.

            Isto vai chegar a um ponto em que as desenvolvedoras vão ter que lançar os seus launchers (que já existem para PC) e daí fazerem downloads das aplicações (e.g. .apk e afins).

          • João says:

            – Quem pagou/paga e pagará para desenhar/gerir e evoluir a loja? A Apple.
            – Quem paga à equipa de segurança que mantém a loja segura? A Apple
            – Quem responde na justiça por falhas, caso os developers sejam prejudicados ou os consumidores? A Apple.
            – Quem tem de promover a loja, dando com isso visibilidade às aplicações? A Apple.

            Mas ao mesmo tempos e ouver problemas e a Apple não os resolver, nada acontece, porque a Apple não permite que mais nenhuma loja exista, isso é monopólio e anti-competição, como tudo deveria ser possivel haver competição , iria beneficiar o consumidor e os produtores de conteudos.

            Acho que é esse o problema da Epic, a apple não permitir mais lojas, eu sei que vens com a desculpa “par garantir a segurança” mas isso é apenas uma desculpa á apple.

            Podes ser fanboy da apple e achar que 1 empresa ter este controlo todo e ditar o futuro dos developers como lhes bem apetece algo positivo, mas também não te enganes, porque é algo negativo.

          • Vítor M. says:

            A Apple não resolve os problemas? Não digas disparates 😉 não sabes mais o que dizer e disparas coisas sem nexo. A Apple é a primeira interessada em resolver problemas, e tem incrementado algumas tecnologias, umas mais rápido que outras, mas sobretudo, tem prestado aos developers boas tecnologias. Ainda agora incrementou o nível da utilização das apps com os App Clips, além de muitas outras novidades. Não é por nada que a Google paga todos os anos 12 mil milhões à Apple para os users da Apple terem o motor de pesquisa da Google disponível nas várias aplicações que usem esta ferramenta 😉

            Depois, voltas a dar um tiro no pé, dado que a Apple é apenas mais uma loja de aplicações, tens várias, a Google tem uma também, A Huawei, a Samsung, etc… mas dentro do iOS, que é da Apple, só tem a Apple. O que é uma forma de oferecer segurança, qualidade e design unificado. Aliás, as outras empresas estão a começar a fazer o mesmo. A Google só não o faz porque na China não pode lá entrar e o seu mercado mais forte é lá. Por isso, 😉

            A EPIC tem a sua própria loja, está a dizer outra vez disparates. E bastava pagar à Apple em vez de introduzir dentro do sistema da Apple um software que enganava a própria Apple. Se fosse na tua casa que te tentassem enganar, tu fazias o mesmo, mas como pimenta no óó dos outros, é refresco no teu… 😉 dizes essas coisas.

            Por fim, não é uma questão de seres fanboy, hater ou simplesmente distraído, não, tem a ver com o saberes do que está em causa e não fechares os olhos aos argumentos. Porque não é por acaso que a App Store é a loja que até hoje mais rendeu $$$ aos developers ao redor do planeta. Portanto, esta é a realidade. Bale?

          • João says:

            Para não falar que a Apple recusa-se a dar support de tecnologias inovadoras como PWA’s (progressive web apps) simplesmente para não perder o seu monopolio..

          • Lucas says:

            Hélio Musco, vê se entendes: motor é uma despesa fixa.
            A Epic não tem quase nenhuma despesa associada aos 5% que recebe. A Apple tem várias despesas associadas aos 30% que recebe.
            A Apple nunca começou a 15%, sempre foi a 30%. Entretanto é que baixou para 15% para certas situações.

        • Toni da Adega says:

          Compras fora da loja é muito difícil.
          É proibido para ter dentro de uma App qualquer indicação de que isso é possível.
          Viu-se isso com a App WordPress em que não podem ter indicação de que podes comprar um domínios e alojamentos de websites.
          Já agora quando compras algo dentro uma App que despesas existem para a Apple? Ou crias uma conta WordPress com alojamento e domínio quanto é isso custa á Apple?

          • Lucas says:

            Muito difícil? enfim… Tanta gente que tem a subscrição no Spotify fora da aplicação… Tantas aplicações que nem sequer permitem criar uma subscrição na aplicação (Netflix???).
            Despesas para a Apple: pagamentos, servidores, suporte a utilizadores e empresas, pessoal, …

          • Gonçalo says:

            Certo, contratualmente a Epic deu sem dúvida um tiro no pé. Mas isto agora é um grande ponto de partida que seria inegavelmente benéfico para os consumidores e desenvolvedores. O iOS não é um sistema “aberto” no que toca a lojas externas às oficial, então se, na melhor das hipóteses, fosse possível finalmente diferentes plataformas de lojas no iOS, ao estilo do Windows e MacOS, seria benéfico para (quase)todos em competitividade de preços e valores. Se a Apple ia ficar a perder com isso? Sem dúvida. Mas os consumidores não. E já agora, descansa Lucas, que não é pela Apple baixar os 30% que vai à falência. Há algum tempo que a Apple mostra tendência de foco nos serviços de subscrição. É a nova tendência e o claro foco deles para o futuro, “prender” os novos e atuais utilizadores pelos serviços. É uma boa estratégia.

    • JJ_ says:

      Se as condições de utilização da Apple Store fossem iguais ao do Unreal Engine, acredita que a Epic não avançava com este processo.

      Tu por acaso sabes quais são as condições da Unreal Engine?
      Resumidamente, se o teu jogo ou produto tiver uma receita bruta acima de $1,000,000 USD, tens de pagar 5% de royalties a Epic, tudo o que tiver uma receita inferior, está livre de qualquer royalties.
      https://www.unrealengine.com/en-US/faq

      Diferença entre a Unreal Engine e a Apple Store?
      Resumidamente, em cada 1,000,000$ a Epic ganha 50,000$. No mesmo montante, numa base de 15% para a Apple, o ganho é 150,000$.

      Queres outro detalhe?
      Muitos o jogos que estão na Apple Store, que usam Unreal Engine, não pagam nada a Epic… mas pagam 15% ou mais a Apple.

      • Lucas says:

        Por mais voltas que dês continua a ser a EPIC a exigir os frutos do trabalho de outros.
        A EPIC define condições tal como a Apple define condições para receber alguma coisa.

        • JJ_ says:

          @Lucas… Tu sabes o que é um motor de jogo?

          Basicamente é o que faz o jogo funcionar. Sem isso, não importa ter uns gráficos bonitos e uma boa história, não tens jogo.

          Podemos dizer que um motor de jogo é quase a mesma coisa que um SO.

          SO para fazer o software correr. Motor de jogo é para o jogo funcionar.

          Por isso, a Epic pedir 5% dos jogos que lucram acima de X, que usam o seu motor de jogo é para compensar o enorme trabalho de desenvolvimento do motor de jogo. Além disso o metade do jogo tem trabalhado da Epic.

          No caso da Apple, mesmo que digas que é para suportar o desenvolvimento do iOS, estamos a falar de uma percentagem muito mais alta.

          Por outro lado, não é obrigatório usar APIs da Apple para criar apps, a menos que se pretenda usar funcionalidades específicas dos seus equipamentos ou serviços. Logo a única coisa que se usa dá Apple será o SO e a loja, coisas pagas na compra de equipamentos.

  2. devmiguel says:

    Então mas o objetivo da Epic é vender o seu produto na loja de apps da Apple, mas pelas próprias regras?
    Eles que desenvolvam um sistema operativo móvel e uma loja de aplicações próprios e já podem fazer como bem entendem…

  3. darth says:

    ninguem os obriga a estar na appstore. se quiserem, tem um custo associado de 30%. se nao quiserem pagar, nao estao, simples
    estar a dizer que apple quer ” os frutos do trabalho” é tomar as pessoas por imbecis

    • André Meireles says:

      Não obrigam? Mas então a Apple permite a instalação de aplicações fora da App store oficial? É que senão então estão a obrigar a Epic a ter que estar nessa plataforma!

    • Pastilhas says:

      Mas alguém disse que a Epic Não paga os 30% sobre a compras na Store ? O problema é mesmo esse, a Apple quer o tudo para si “monopólio”. O que a Epic fez foi criar outra forma de os jogadores poderem pagar que seria diretamente a Epic ou a Apple (aqui ganha os seus 30%) seria uma escolha dos Jogadores.
      Mas como a Apple pouca escolha gosta de dar…. o resto já sabemos…

      • José Fonseca Amadeu says:

        Monopolio com menos de 25% do mercado?
        E pensar antes de dizer baboseiras?

        • Pastilhas says:

          E ler antes de responder só porque se falaam verdades da Apple ?
          Monopolio = Na qualidade de único produtor de um determinado produto, o monopolista encontra-se em posição singular, pois, se decidir elevar o preço do produto, não terá que se preocupar com concorrentes.
          SIM Apple esta a fazer uso da sua posição.
          Até porque queiras sim queiras não, não tens poder de escolha.
          São eles que escolhem que tu não vais poder jogar mais Fortnite.
          Hoje Fortnite amanha o que eles quiserem.
          Volto a repetir a Epic deu poder ao utilizador de comprar de uma forma, pela loja da Apple ou de outra, pela própria Epic e foi isto que a Apple não gostou ver que os utilizadores compravam mais pela Epic.

          • Lucas says:

            A EPIC quebrou um contrato e uma regra muito clara: compras dentro da aplicação são efectuadas recorrendo à loja.

          • José Fonseca Amadeu says:

            Produtor de um determinado produto? Mas agora os monopolios são por produto? Então quase todas as marcas do mundo têm monopolios.
            Vai comer uma pastilha e interioriza, monopolio é por segmentos de mercado, neste caso terias de aplicar o monopolio ao segmento mobile.

            Além disso ainda não percebeste qual foi o problema.
            A EPIC pode vender o que quiser directamente ao consumidor, apenas o que é in-app purchase é que tem de ser através da app store, tal como em todas as aplicações desde 2008, é um contrato que serve tanto a apple como a EPIC, contrato esse que a EPIC agiu de má fé e tentou quebrar.
            A Apple deixa a EPIC vender o que quiser fora da sua store, desde que não quebra as regras contratuais da App Store.

    • Lucas says:

      o estúpido é que a Epic sempre pode ganhar dinheiro fora da aplicação e a Apple não pedia uma comissão por isso!

  4. Hélio Musco says:

    Apesar de não gostar da taxa absurda (30% já é uma fatia muito considerável), a Apple tem o direito de fazer isto. Agora cabe à Epic e às outras desenvolvedoras perceberem se faz sentido continuar a publicar para estes sistemas.
    Aliás, a Epic é das que menos “tira” dos desenvolvedores (12%). A rival Steam também tira 30% das receitas.

    O pior que pode acontecer é se a Apple tiver o monopólio dos smartphones, o que traria complicações a sério (e.g. ou pagas 50% ou não vendes).

  5. ItsMeMickey says:

    A Apple nem para o seu user base é simpática!
    Com o as percentagens actualmente cobradas ao developers os valores cobrados in-app fazem sempre trickle-down para o utilizador, ou seja és tu como utilizador quem paga a diferença.
    Depois notas que as mesmas coisas no Android custam X (normalmente muito mais barato) e no iOS Custam Y (normalmente muito mais caro), o que faz com que os utilizadores do iOS depois questionem e reclamem a diferença que estão a apagar ao developer e a culpa não esta do lado deste mas sim da Apple.

    Eu já tive problemas com comparas in-app onde depois para abrir uma disputa a Apple lavou as mão delas mandou-me para o presumido site do desenvolvedor da aplicação, site que já não existia e foi uma guerra para ver a minha massa!
    Tive de recorrer a um contacto telefónico e mesmo assim foi um ver se te avias, e tive de ser eu a provar que não conseguir contactar os criadores da aplicação para reaver a minha massa!

  6. Antonio says:

    Engraçado!
    Toda a gente chateada com a Apple por levar 30%.
    E o estado? Não leva bem mais do que isso e ninguém fica indignado! Por exemplo, no arrendamento, o estado leva 28% de imposto sem ter qualquer trabalho.

    • Hélio Musco says:

      Sim, mas o Estado é difícil de fugir. Imagina que eras desenvolver de apps e faturavas 25.000$ num ano. A Apple tirava-te logo 30% e sobrava-te 17.500€. E era com esse valor que o Estado ia-te “roubar” + ~20%. Ou seja, a Apple rouba mais que o próprio Estado.

      Mas acho que isso de ninguém ficar indignado é mentira. A não ser que sejas de esquerda.

    • B@rão Vermelho says:

      Que eu saiba a Apple ainda não “dá” serviço nacional de saúde, educação, segurança, reformas, etc…
      eu como proprietário tenho imoveis alugados, todos com contrato de arredamento registado nas finanças, tenho de pagar e até intendo, estou a fazer negócio com isso, agora se te referires a pagar IMI da morada de família ai já sou um pouco mais revoltado em pagar, até parece que ter património no nosso país é crime.

  7. André R. says:

    EPIC não tem direitos sobre gestão e funcionamento da Apple Store.

  8. Alexandre Moura says:

    O problema aqui vai muito alem do a Epic não quer pagar a Apple quer receber, e o estranho é que acabam os dois a ter razão.

    Por exemplo nos jogos para PC tu podes fazer um jogo para PC, tratas tu da distribuição e fazer o jogo compatível com as diferentes versões de software e de hardware e pronto e tudo para ti.

    Aqui parece que a Apple/Google a única coisa que faz é a “distribuição”, se lhe podemos chamar isso já que se trata apenas de manter a aplicação na loja deles, porque de resto é a própria Epic que tem de tratar de tudo, compatibilizar com o diferente hardware e mudanças no SO, mais no android uma vez que tem mais versões e hardware diferente, quando uma aplicação não funciona no android num determinado equipamento isso é reencaminhado para o dono da aplicação, e pelo que aqui já disseram as próprias transações quando corre mal o problema não é nada com eles.

    Ou seja eles estão a levar 30% e a única coisa que fazem e disponibilizar aquilo nas suas lojas e funcionam como um intermediário nas transações (imaginem o MbWay levar 3€ em cada transferência de 10€), por isso acho excessivo o que eles cobram, não venham falar dos custos da Apple/Google com o desenvolver o sistema operativo e com o hardware, a Apple já tem esse custo que supostamente já é pago pelo consumidor quando compra o equipamento tanto hardware como software é pago, e a google pelo que sei disponibiliza o core do android sendo que o resto é os fabricantes que completam e hardware 90% das vezes nem é dele, ou seja os custos que eles alegam são residuais, e principalmente a Apple abusa da sua posição pois não permite aos utilizadores instalar aplicações fora da loja, todos aqui devem ter um PC agora imagina a Windows limitar o que podes instalar no teu PC.

  9. RM says:

    Se a Apple tivesse razão, o seguinte artigo não seria notícia.
    App developers starting to rebel against Apple
    https://fudzilla.com/news/51761-app-developers-starting-to-rebel-against-apple

  10. ABC says:

    Mas acham que a Apple tem o melhor SO mobile como? A cobrar 5% não é decerteza. Cobra 30% mas tem as apps com melhor qualidade que Android, e durante muito tempo a epic não teve problemas em aceitar os 30%. Porque se a epic tem frutos a nível de mobile é porque tinha a app no iOS porque decerteza que esses frutos hoje em dia já não devem ser tao bons como já foram. E não tem impacto só a nível do iOS, muito certamente o jogo deve estar a perder popularidade com isto tudo. A epic não é obrigada a ter o jogo na App Store, se nao quer pagar simplesmente não tem no iOS.

    Se a Apple reduzisse a taxa como era com os outros milhares de programadores que pagam os 30%. E se a Apple o fizesse daqui a uns tempos os programadores faziam o que queriam. Se é muito ou pouco não interessa.

    Se a epic tem frutos do trabalho a Apple também tem, e se a Apple pede 30% só têm que pagar 30%. Se não querem não têm acesso a iOS e ponto final.

  11. José Fonseca Amadeu says:

    Felizmente isto será o fim da EPIC, não há paciência para estas empresas mal intencionadas que querem ser donos do pedaço à força.

  12. Tiago says:

    Tal como a Epic não tem direito a colocar uma app no circuito da Apple se a mesma não quiser! Simples assim, uma mão lava a outra.

  13. Joaquim Bóia says:

    – “a Apple/Google tem custos de manutenção e suporte a users.” – treta de fanboys, quando tens problemas no fortnite é com a epic que lidas e são eles que te dão suporte. noutros jogos é com as editoras dos mesmos.

    – a Apple/Google não estão constantemente a desenvolver novas features para a sua store (não me façam rir para não chorar com a ignorancia). O máximo que fazem é a tal manutenção, muito mais barata do que o que faz a epic com o motor de jogos dela, que ainda à uns meses anunciou uma brutal feature para melhorar o processamento grafico no mesmo. e depois leva 5% por o fazer se fizeres um x valor de lucro. Enquanto outros quer 30% por “os coçarem” enquanto só tem de verificar se processos correram bem ou mal quando fazem backups e e verificações de rotina.

    – tanto a apple como a google tem o monopolio das stores no seu ecosistema, embora nisto a google disfarce melhor, na apple é de caras.

    – tanto uma como a outra já tem o seu lucro garantido ao venderem o hardware com o seu SO lá instalado, não me venham com tretas de que coitadinhos, a epic os está a roubar.

    – como apple user, espero bem que a store morra para os jogos. pode ser que assim a apple volte a ter menos buracos por falta de exposição como tinha á 15 anos atrás. como ninguém lhes pegava, aquilo acabava por ser muitissimo seguro.

    – o pessoal que diz que a epic deu um tiro no pé, é bom que acordem para a vida ou não digam asneiras. é um dos melhores motores de jogo da actualidade, em constante evolução, gratuito e que só cobra 5% acima de uma quantia exacerbante. com features e ferramentas cada vez melhores e gratuitas. o máximo que pode acontecer é os putos começarem a convergir outra vez para os pc’s e consolas porque os jogos mais porreiros acabam por andar por lá para não terem de se chulados pela Apple/google.

    – como jogador, acho fixe que a epic leve uma porrada para ver se o pessoal que gosta dessa praga das micro-transações nos jogos sente um bocadinho de calor no rabo.

    – 30% ou 5% só é igual se forem burros. ou então nunca aprenderam matematica na primária. (se calhar na matematica dos fanbois é igual, nesse caso calo-me.)

    – isto no fim só vai dividir ainda mais o mercado. como utilizador só vejo vantagens nisto.

    – esta atitude da Google/Apple só me faz lembrar as empresas mineiras a processarem paises por estes não lhes darem autorização de prospeção nos territorios deles e lhes estarem assim a roubarem lucros futuros. A epic neste caso criou e mantem as contas de um jogo, com todo um sistema de micro-transações interno que eles próprios mantêem, e os outros agora querem que lhes paguem por lucros que acham que iam ter se o produto fosse deles, sem mexer uma palha.

    – tendo em conta o que se está a passar, se isso estivesse mesmo no contrato, como por aí alguns dizem, então porque raio já uma juiza deu razão á epic, embora ache que a decisão devesse ser tomada por um juri? com contratos nem há “duvidas” destas. pagavas e calavas.

    – vai cada uma para seu lado, epic, google e apple. mas interessante vai ser ver qual a reacção de quem desenvolve os jogos e as apps. eu como developer cagava de alto nos retailers. tem um mercado enorme, azar. as plataformas não são todas deles e nas outras também se faz muito dinheiro. mas isto sou eu.

  14. RS says:

    Acho engraçado toda a gente a criticar a Epic e a defender a Apple, mas quando foi a Microsoft a ser obrigada a deixar os utilizadores escolher que browser usar já era tudo a favor e contra a Microsoft.

    A Apple devia ser obrigada a deixar instalar apps fora da store, tal como deixa no Mac, tal como a Microsoft deixa no Windows, tal como no Android é possível. Se depois o sistema perde a garantia ou se se torna inseguro já devia ser escolha do utilizador.

    Simplesmente a Apple não quer largar o monopólio, não é por questões de segurança, estão-se a cagar para isso, é simplesmente por questões de $$$$$$.

  15. Matreco says:

    Continua-se a debater se os 30% são justos e devidos ou não, quando o problema reside ao lado. E esse problema é mesmo não haverem alternativas no universo Apple à Apple Store. É abrir o SO a mais Stores e depois quem tiver unhas é que toca viola. Esta solução de certeza que não choca quem por aqui defende o capitalismo e o objectivo máximo de obtenção de lucro, pois afinal a livre concorrência é uma das bases do mesmo, a não ser que tenham medo de um bocadinho de competição… Afinal de contas é fácil ser-se o número um quando concorremos sozinhos. Não tenho interesse em tomar partido nem pela Epic nem pela Apple, a tomar o partido de alguém seria o da minha carteira, e nesse sentido a proposta da Epic seria bem vinda pois provavelmente traria uma redução de custos para o cliente final, pelo menos por uns tempos, e por isso não compreendo esta defesa cega da Apple (ou seja de que empresa for) que anda aqui por este fórum. Nunca perceberei o “fanboyismo”, ou é malta doente, ou recebem ao comentário…

  16. Pastilhas says:

    É incrível os comentários que se leem aqui.
    Não é monopólio???? LOL
    Questões de segurança ????? LOL
    Infrastuturas????? LOL
    Pagamento de Pessoal??? LOL

    Gostava de ver este pessoal com a mesma opinião se o estado começasse a exigir 30% do valor da vosso património anualmente.

    • Vítor M. says:

      Hahaha por acaso estás enganado, até porque o Estado, como tu dizes às empresas, sob a forma de IRC, IRS, IMI, IUC, segurança Social, derrama (entre outros impostos e taxas) leva mais que 30%. Está visto que não fazes ideia dos impostos que se pagam.

    • Lucas says:

      tecnicamente não é Monopólio. A Apple não tem monopólio nos smartphones, nem nas lojas que servem smartphones. Os programadores podem atingir muitos mais milhões de clientes sem ter que negociar com a Apple. O que Apple tem é uma posição de poder na plataforma que criou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.