Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Virus

COVID-19: Portugueses descobrem 3 fármacos que fragilizam o vírus

Como temos vindo a acompanhar, Portugal também tido uma participação ativa no campo da ciência no que diz respeito à pandemia por COVID-19. Recentemente, investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) do Porto descobriram uma razão porque a infeção pelo SARS-CoV-2 causa doença leve ou doença grave nos indivíduos.

Agora foram descobertos 3 fármacos capazes de fragilizar o vírus SARS-CoV-2.

COVID-19: Portugueses descobrem 3 fármacos que tornam o vírus mais fraco


COVID-19: É possível erradicar completamente o vírus? Parece que sim

Será possível acabar de vez com a COVID-19? O momento é de combate à pandemia e para isso é preciso manter as regras sanitárias e esperar mais avanços da ciência.

Num momento em que o número de casos continua a aumentar, mesmo com a vacinação a decorrer em vários países, os especialistas acreditam que é possível erradicar completamente o vírus.


COVID-19: Vacinados podem transmitir o vírus, diz estudo

O tempo vai passando e a pandemia por COVID-19 mantém-se com força mesmo existindo já muita gente vacinada. É verdade que o número de mortos baixou bastante, mas é preciso continuar com as medidas de proteção.

Um estudo recente vem revelar que os vacinados podem transmitir o vírus. Os especialistas alertam que certificado não substitui uso de máscara.

COVID-19: Vacinados podem transmitir o vírus, diz estudo


Um dos criadores do conhecido vírus Gozi foi finalmente preso na Colômbia

Os vírus informáticos mais poderosos têm um impacto grande no mercado e afetam muitos utilizadores de utilizadores ao longo dos tempos. Os piores exemplos são bem conhecidos e o seu impacto também.

Agora, numa operação policial, um dos criadores do vírus Gozi foi preso. Foi o romeno Mihai Ionut Paunescu, que afetou mais de 1 milhão de computadores nos Estados Unidos e na Europa.

Gozi Paunescu Colômbia vírus tribunal


Fármacos contra o Ébola bloqueiam propagação do SARS-CoV-2 em laboratório

Ébola é o nome comum dado à doença rara, grave, muitas vezes fatal com uma taxa de mortalidade de 25% a 90%, causada pela infeção por vírus Ébola. Apesar de atualmente não existir um tratamento específico para a doença, nem vacinas comercialmente disponíveis, há medicamentos que podem atuar como medidas de suporte. Foi exatamente a utilização de três medicamentos antivirais e antimaláricos comummente utilizados que impediram eficazmente a replicação do SARS-CoV-2, em ambiente de laboratório.

Segundo um estudo, no ensaio foi utilizada uma variedade de linhas celulares que representavam potenciais alvos da infeção pelo SARS-CoV-2 no corpo humano.

Imagem investigadora a testar fármacos contra o SARS-CoV-2