Quantcast
PplWare Mobile

Honda, Nissan e Toyota são as menos preparadas para a transição elétrica, diz estudo

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. marciosilveira says:

    Sério? Os japoneses…

  2. Jota says:

    A Toyota que começou por ser o primeiro, agora deve ser o último! Ainda por cima, agora que lançou o seu primeiro elétrico, vem com um preço completamente impossível!

    • Nuno Amorim says:

      é verdade que o preço deles é alto, mas eles dão garantia de baterias de 10 anos ou 1 milhão de KM.

    • RC says:

      Lançou agora o primeiro ? por acaso não, já tem e teve no mercado vários eléctricos, como o rav 4 ev, o mirai já está quase há 10 anos no mercado, além de ter já muita experiência com híbridos e eléctricos com extensor de autonomia.

  3. André R. says:

    Eu julgo que os “japas” estão a aguardar pelo hidrogénio…
    Até lá vão desenvolvendo os motores e as respetivas baterias. O “carro a pilhas” será uma transição para o hidrogénio, por muito que o queiram impingir como solução.

    • Douglas Charles Cunha says:

      Exatamente, estão de olho no hidrogênio, o verdadeiro futuro da mobilidade.

      • FreakOnALeash says:

        E de como manter o negócio que gira a volta dos motores ICE.
        Em vez de avançarmos ficamos na mesma. E quem o diz não tem guito para um elétrico.

      • RC says:

        O hidrogénio é a maneira mais simples de manter os carteis a funcionar tal como é agora.

        Se fosse o futuro porque são um flop, principalmente no Japão e na Califórnia, onde as redes de abastecimento já têm quase 20 anos ?

    • RC says:

      Carro a pilhas é aquele que mencionou por ultimo, a hidrogénio, já que é o único que usa pilhas de combustível.

      Mais um que não sabe que carros a hidrogénio são eléctricos.

    • Solnado Ribeiro says:

      +1

    • Rodrigo says:

      Podemos muito bem ter veículos a hidrogénio E veículos a ‘pilhas’. Nao tem de ser ou uma opção ou a outra.
      Ja agora um veiculo a hidrogénio também tem ‘pilhas’. E sao menos eficientes do que os veículos eléctricos.

      • RC says:

        Por acaso só os a hidrogénio têm pilhas, já que usam pilhas de combustível, mas ambos usam baterias, já que estes últimos são dispositivos de armazenam e disponibilizam energia, ao contrário das pilhas que só disponibilizam energia com decaimento de materia.

  4. Miguel says:

    Digamos, os que pensam mais no ambiente… que preparam soluções para os problemas dos eléctricos.
    Como a Toyota que recentemente desenvolveu a bateria de estado sólido.
    Enfim, propaganda europeia, que ainda a uns anos atrás também fazia notícias fantásticas sobre os Diesel.

    • RC says:

      Notícias fantásticas sobre os diesel ? Como assim ? A União Europeia tem culpa que os fabricantes tenham aldrabado a coisa ?

      • Miguel says:

        A UE sempre apoiou o diesel é inegavel ainda à tempos vi um programa 60 minutos em que falavam sobre isso

        • Toni says:

          Sim, é verdade, e sabes porque ?

          Convém saber…

          • RC says:

            A UE nunca apoiou o diesel, os governos em si é que apoiaram, em contradição com o FMI, por isso hoje temos combustíveis a 2 euros o litro e em países onde não houve esse apoio e até proibição ao diesel têm a pouco mais de 1 euro.

  5. Amilcar Alho says:

    LOL!

  6. Douglas Charles Cunha says:

    Ainda bem que são as menos preparadas, pois elas estão investindo no que será o verdadeiro futuro da mobilidade: o hidrogênio.

    • RC says:

      A sério ? então porque a Toyota deixou de vender o Mirai em alguns países, já só aluga ?

      Verdadeiro futuro são os eléctricos, tanto a baterias como baterias + pilhas de combustivel.

      • Douglas Charles Cunha says:

        O Mirai é projeto piloto, de estudo. Os primeiros carros elétricos já não são mais fabricados há tempo. O único futuro elétrico será o de carros com motores alimentados por baterias carregadas por hidrogênio.

        • RC says:

          Looool, então e o mirai é o quê? Um projeto piloto com ‘mais de 30 anos ?

          Existe algum veículo a hidrogénio seja protótipo ou não que não seja nesse contexto ?

          Já agora que sentido faz gastar eletricidade para produzir hidrogénio, armazenar, transportar, voltar a armazenar e comprimir para encher os tanques do carro para depois produzir electricidade para carregar uma bateria para depois alimentar um motor eléctrico ??

          Porque não carregar a bateria e alimentar o motor eléctrico, com uma rede de transporte que já existe e onde criar.a rede de carga custa centenas de vezes menos.

          Com carros que no final têm a mesma autonomia, são mais baratos, mais simples e até mais leves, gastam entre 4 a 5 vezes menos, necessitam de menos recursos, duram mais, têm mais potência. Podem ser carregados em qualquer lugar com qualquer tipo de produção de energia , tenho um que até carrega directamente com painéis solares.

          Isto tudo com apenas uma desvantagem, que estão rapidamente a perder, demoram uns minutos a mais para carregar.

          Desculpe, mas as grandes mentes que fizeram a civilização evoluir, todas devem concordar com a frase: “ a simplicidade é o último grau de sofisticação”

          Ninguém decide qual é o futuro, mas se quer saber basta responder a esta pergunta simples:

          Se tivesse painéis solares em casa, continuava a usar lâmpadas incandescentes ?

          • Douglas Charles Cunha says:

            Se você não se informa, procure ler sobre hidrogênio verde.
            E outra, a Toyota tem usado o Mirai como pesquisa e nesses 30 anos mudou a tecnologia usada por várias vezes.
            Meu amigo, você está muito atrasado sobre hidrogênio e sobre tecnologia. Está parado em nos anos 90.
            Só falta dizer que os atuais carros elétricos não poluem em sua cadeia produtiva e vida útil.
            O carro elétrico hoje não tem a mesma autonomia do carro a combustão fóssil, a não ser que possua uma imensa bateria para rodar apenas na cidade, já que na estrada a autonomia cai 2/3. A bateria tem vida útil limitada e é mais cara do que o próprio carro se precisar trocar (e olha que não duram nem 10 anos).
            Se pisar no acelerador, andando a mais de 100 km/h a autonomia cai vertiginosamente.
            Não, carros elétricos não carregam em qualquer lugar. Se pisar fundo numa estrada a bateria vai embora antes da próxima tomada e aí só pedindo auxílio.
            Já que tocou na energia solar, volto a lhe pedir para ler sobre hidrogênio verde.
            A sua pergunta se refere à evolução, então evolua. A eletricidade nos veículos dependerá do hidrogênio.

          • RC says:

            Hidrogénio verde quer dizer que é produzido com recurso a energias renováveis, curiosamente a maneira mais ineficiente de o produzir.

            Não, está enganado, inclusivamente já trabalhei nessa tecnologia muito depois disso, até tenho um banco de ensaio usando essa tecnologia, não fale do que não sabe. Já tive oportunidade de testar o Mirai em pessoa e até fui dos primeiros a entrar dele cá em Portugal quando esteve pela primeira vez a primeira versão em 2018.

            Mais desinformação, onde eu disse que um electrico tinha mais autonomia que um a combustão? eu referia-me ao fcev.

            Não dura 10 anos ? então o que tem não durou? eu curiosamente tenho 3 cá em casa e nenhum tem menos de 10 anos.

            Então mas um carro a hidrogénio não é electrico na mesma, o comportamento é igual, qual a diferença. Até para os a combustão, se carregar no acelerador não consome mais e não vai mais depressa a autonomia. Nem de fisica você entende.

            Enfim…

            Já agora, as fuel cell também têm vida util, aliás, como tudo o que é criado pelo ser humano, e parece que só duram 3 a 4 mil horas de uso, além disso os fcev também têm bateria, e depois têm outra coisa pior ainda, que são os tanques de hidrogénio, que as marcas mandam trocar ao fim de X anos ou X abastecimentos, se não acredita veja o manual do Mirai.

            Não, o hidrogénio nos veiculos dependerá da electricidade, trocou até isso, então acabou por dizer que sabe o que é o hidrogénio verde.

            Se são tão bons porque não vendem mais, ALIÁS, PORQUE NÃO COMPRA Um ? Já que o Mirai está no mercado há 8 anos, antes desse havia outros como o Honda Clarity, entre outros.

            Mas responda a pergunta:

            Se sabe qual a eficiência de um sistema FCEV, se tiver painéis solares em casa, vai continuar a usar lâmpadas incandescentes
            ?

          • RC says:

            Já deixo uma outra questão, se as fontes de energia que temos hoje nem chegam nem de perto a 100% renovaveis, acha que vão aproveitar a energia renovável toda a para produção de hidrogénio, quando é literalmente desperdiçar energia, e ficamos com recurso a 100% fossil para nossas casas ?

            Isso funcionaria sim, se toda a energia que temos fosse pelo menos 100% renovável.

            Já agora, apenas 5% de todo o hidrogénio produzido no mundo é de origem pela eletrolise, e uma pequeníssima parte é verde, 95% é de origem fóssil, pela conversão de gás natural em hidrogénio usando reformulação por vapor, onde se liberta enormes quantidades de CO2 para a atmosfera.

            Inclusive as estações de abastecimento que visitei na Califórnia e outros países, a maioria delas dizem a origem, contam-se pelos dedos as que dizem que é 100% verde.

            Se preferir posso deixar links de tudo o que disse.

        • RC says:

          Os únicos que querem esse futuro são os cartéis do costume, pertence a algum ?

  7. B@rão Vermelho says:

    Quem conhece o mundo que nos rodeia, não fica admirado com está noticia, a Toyota vende carros na Asia e Africa e América do Sul como pães quentes, o mercado Europeu é uma pequena fatia do negócio.
    Ao contrário de outros fabricantes sabem que as galinhas de ovos de ouro deles são países que na grande maioria deles é quase impossível utilizar um carro elétrico devido às infraestruturas pouco capasses e em muitos casos ter eletricidade em casa é um luxo.

  8. Greg says:

    Por outras palavras.
    Enquanto que uns estão a vender carros com pouco lucro, a toyota continua a enfardar dinheiro aos montes e quando avançar a sério para os elétricos ninguém os para.

  9. Zedotelhado says:

    modas impingida pelos lobbys da UE.smartphones com rodas e cabinho com ficha atrás não faz parte dos meus planos nem tenho paciência para isto.

  10. aj says:

    não devem subestimar os Japoneses.

  11. Miguel A. says:

    O Toyota Bz4x é provavelmente o eletrico mais tecnológico lançado nos ultimos tempos, para alem de estarem muito avançados no Hidrogénio, tanto como eletrico alimentado a pilha de combustivel, como Hidrogénio em motor de combustão. A Nissan tem o eletrico mais vendido do mundo, e a Honda é daquelas empresas que quando quer fazer uma coisa, faz bem. O estudo traduz-se em pouco na realidade.

  12. TeArs says:

    Toyota sempre á frente 😛

  13. jose garcia says:

    claro – as marcas que mais vendem na índia, e Africa vão ter que manter esse mercado pois o eléctrico por lá vai ser miragem por décadas

  14. Pedro says:

    É a Europa até matou os combustíveis sintéticos e aprovou o fim dos motores a combustão até 2035. Que triste futuro nós estamos a caminhar. Europa está a ficar uma….

  15. Alex says:

    Mais uma notícia para promover os carros com baixos índices de fiabilidade. As 3 marcas japonesas referidas no artigo estão mesmo muito preocupadas com este estudo encomendado…

  16. Miguel says:

    Pois, desde matar agricultura, pesca e etc e favorecer apenas trabalho de escritório a apostar maioritariamente no turismo, incapacitando os países a favorecer politicas excessivas de apoio social etc
    Esta dos carros eléctricos e abolição aos combustíveis sintéticos é apenas mais uma, como quando apoiaram o diesel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.