Quantcast
PplWare Mobile

CATL abre a primeira fábrica de baterias neutra em emissões de carbono

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Bruno says:

    Até uma corrida de F1 é carbon free quando a poluição é centrada num só sitio é facil se esse local produzir 200kg de CO2 planta-se arvores à volta que consumam esse CO2 e transformem em O2, o pessoal é que tem 2 neuronios e acho que poluir na produção de baterias é igual a uma poluição descentralizada onde os carros andam por todo lado se desse para plantar uma arvore no tejadilho do carro ficava resolvido mas não dá.

    • deeppurple says:

      dá dá

    • RC says:

      O seu problema é esse, é achar muito e ter poucos neurónicos, já que muitas vezes nem sequer pensam que as baterias duram uma vida, enquanto um litro de gasolina só dura 1 vez….

    • Miguel Real says:

      Já ouvio falar em ‘coeficiente’ pois o dos combustiveis fosseis é muito fraco, alem de que o que realmente interressa nestes tempo não é encontrar o bode espiatorio de quem fez a poluição nem será, (quase), relevante como se chegou a este ponto nem de quem é a culpa, (é importante mas não essencial), O IMPORTANTE É RESOLVER E MINIMIZAR, ou seja mesmo que as alterações climaticas não tivessem a ver com a intervenção humana se já se sentem as consequencias temos que fazer o possivel com o engenho humano para controlar e reverter na medida do possivel. Lavoisier demonstrou que nada se perde tudo se transforma e espicie humana transformou o planeta numa lixeira que vamos deixar para os nossos descendentes mas isso parece não dizer nada aos poderosos que andam e andaram a impedir os avanços ue os obrigam a ir pra frente evoluindo como se não fossem os melhores posicionados para continuarem a enriquecer descontroladamente. Conhecem algum sistem vivo ou não que cresça sempre e infinitamente ser ser o universo NÃO porque não existe logo a economia como existe hoje está condenada a uma de duas coisas: ou muda ou bancarrota como nos anos 20/30 do seculo XX.

  2. sert says:

    querem ver que o litio que utilizam é verde? vira de onde do Ar? xD

  3. Miguel Real says:

    dizem que não existem absolutos mas ninguem se lembra.
    O problema não está se o litio, os paineis solares, a eolicas, as hidros são boas ou más pois são ambas! mas as muitas tecnologia actuais são MUITO mais nocivas que as ditas. A industria mineira é má mas náo podemos viver sem ela apenas podemos melhorar, melhorar, melhora evoluir é assim! senão pensem na poluição das vacas na Holanda e dos cavalos quanto eram ‘o meio’ de transporte e agora estamos aqui no seculo XXI a fuga é para a frente e se querem que os Vossos filhos, sobrinhos… descendentes vivam não se vislumbra outros caminhos, (tipo voltar a economia pre-industrial), mas podemos melhorar desde que Melhoremos entre outras a Industria Mineira, (extração de petrolio e industria mineira e só depois refinação). O Litio não vai dar para mais de 50 anos mas já existem alternativas que ainda podem ser melhoradas basta que se informem: perovskosvitas, hidrogenio realmente ‘verde’, sodio, bombas de calor aereas e geotermicas consoante o clima e lucros desenfrados devem ser arbitrados e ‘controlados’ deveria ser essa uma funça~impotante dos estados mas parece que Lhes dá trabalho e pouco lucro embora morram muitos humanos e não só as suas custas!. Afinal até parece que segundo os ‘especialistas’ falta gente no Mundo logo se precisamos da Terra embora a Terra continue sem nós não é táo importante o porque do AR, o Mar, a Terra estarem em mau estado MAS sim o que podemos e devemos fazer para acabar com ‘este’ ciclo vicioso e partir para outro melhor mas contiando vivendo recordando que os nossos antepassados fizeram muitas coisas boas e Más tambem queremos deixar este Mundo a merd@ que está para os nossos descendentes ??? são o Nossos filhos, sobrinhos, mães e pais irmãos … mas querem fazer quer que somos todos inimigos uns dos outros, (inclusive todos os seres vidos no planeta), imaginem a vida sem ABELHAS por exemplo.

    • RC says:

      Sendo assim hidrogénio realmente verde não existe, já que só para ter os electrolizadores, além de precisar de metais comuns, que também poluem, necessita de um raro ( já agora, o lítio nem é metal raro) que é a platina.

      • Miguel Real says:

        Boas, seria melhor informar-se melhor, já agora, (não sei se consigo será assim), recordo que a industria mineira do petrolio polui muito mais que a industria mineira do litio, alem disso a eficiencia energética de um motor electrico é normalmente o DOBRO de um motor a combustão, (combustão 30% a 40% contra electrico 70% a 80 %), para concluir: não advogo o fim de todos os motores a combustão apenas os ‘suficientemente limpos’ devem permanecer ou casos em que seja completamente inviavel nem do uso de apenas 1 ou 2 formas de aproveitamento energético pelo contrario devemos deversificar e ter várias fontes de geração energética haverá concorrencia alternativa e escolha e assim muito menos possibilidade de monopolios e aldrabices como as várias marcas de motores a gasoleo que aldabraram os testes recordam-se???
        P.S.: e os catalizadores dos veiculos a combustão usam o que? platina e outros metais “dificeis’ e a platina tal como o aluminio são quase infinitamente reciclaveis sem os pro blemas do cobalto.

        • Miguel Real says:

          Desculpem que me esqueci mas ai vai algo sobre o hidrogenio verde:
          https://www.inovacaotecnologica.com.br/pesquisar.php
          Alem disso os primeiros carros eram electricos e a baterias de arranque dos veiculos a combustão foi ‘aproveitada’ dos ‘primos’ electricos que existiam. As alternativas são possiveis basta que quem pode o faça ex:. aterrizagem vertical era impossivel mas a Spacex faz, carros electricos com a autonomia mais que necessária eram impossiveis e são uma realidade com várias marcas no mercado, o chumbo da gasolina foi acrescentado pela GM a meio do seculo XX, as lampadas de mercurio foram trocadas por iodo … e nunca como agora o Big Brother is watching US. Agradecido pelo dialogo civilizado.

          • RC says:

            O problema do hidrogénio não é falta de investigação, até porque é uma das tecnologias mais investigadas e sem resultados, lembro que as fuel cell foram inventadas à 180 anos, são usadas para aplicações espaciais e são testadas em carros desde os anos 60, procure por GM Electrovan.

            Os problemas são conhecidos, alta densidade teórica, mas baixa densidade prática, isto porque para armazenar uma quantidade significativa para mover um veiculo tem de usar altas pressões ( que têm um custo enorme) ou liquidificação, que tem custos ainda maiores devido às baixíssimas temperaturas requeridas.

            Depois ainda tem o problema molecular, armazenar hidrogénio é uma tarefa complicada devido ao tamanho da molécula sem haver fugas, e como se sabe é um gás extremamente explosivo quando em contacto com o ar.

            A produção de hidrogénio é demasiado ineficiente, só para o produzir tem logo uma perda de 30%, também não tem como resolver isto, é um efeito físico da matéria, qualquer separação de moléculas liberta calor, calor esse que obviamente é energia perdida, nas fuel cells acontece exatamente o mesmo , por isso mesmo as fuel cell produzem energia e libertam água em forma de vapor.

            Com isto temos o problema da eficiência, para rodar um veiculo comum durante 100 kms necessita de aproximadamente 1 kg de hidrogénio, kg esse que foram gastos cerca de 50 kwh de eletricidade (sem estar a contar com processos de pressurização e transporte), com esses mesmos 50 kwh, consegue alimentar um veiculo electrico com baterias durante pelo menos mais 4x da distância.

            Entretanto ainda tem o problema da duração, fuel cells usam basicamente os mesmos minerais que as baterias, entre outros como a platina, e têm uma duração de até 10 mil horas, o mesmo se passa com os tanques, que segundo esses estudos que coloquei, têm mais emissões na produção que baterias, e têm uma duração, a toyota por exemplo no mirai, manda verificar e testar os tanques a cada 5 anos e trocar ao fim de 15.

        • RC says:

          Tal como os minerais que existem nas baterias, também já podem ser reciclados e por isso mesmo andam a construir fábricas para o efeito já agora a refinação de combustível também usa cobalto, isso não é problema ?

          https://www.chargesmart.co.nz/post/cobalt-mining

          Eu estou bem informado, posso deixar aqui vários estudo sobre todos os esses factos.

          https://theicct.org/sites/default/files/publications/Global-LCA-passenger-cars-jul2021_0.pdf

          https://www.transportenvironment.org/wp-content/uploads/2020/04/TEs-EV-life-cycle-analysis-LCA.pdf

          • Miguel Real says:

            Ok esta bem infomado mas já conhece os actuais ‘depositos’ para hidrogenio? ainda assim ‘assustanme’
            e em 180 anos o ‘hidrogenio’ avançou bastante senão as multinacionais não estavam na corrida deve.lhes dar pro ‘tacho’.
            Reparemos que o que chamamos ‘energia limpa’ significa ‘APENAS’ mais limpa que as formas anterior dentro de limites de cada tecnologia e dos limites da Fisica da Quimica e da Matemática e por todo o lada o que existe são energias mais limpas que outras até nas ‘Estrelas’ e somos todos feitos de material estelar. em outros niveis o ‘sujo’ ‘lixo’ de uns é a ‘comida’ de outros e não é só na Biologia. Boas

          • RC says:

            Sim, eu falei dos atuais, com aqueles que havia era impossivel armazenar hidrogénio a 700 bar, tanques de multicamada, aqueles que a toyota está a usar, são esses mesmos.

            A indústria corre atrás do dinheiro, a tecnologia hidrogénio só vem ao de cimo cada vez que aparece investimento para ela, foi sempre assim, toda a gente sabe que é inviável, mas há sempre aqueles que acreditam que é futuro.

            É exactamente isto que acontece com a toyota e outras marcas, no caso da toyota é o governo japonês e alguns privados que estão a pagar a brincadeira.

          • Miguel Real says:

            claro que sim mas e como é o cobalto no Congo? o maior em reservas e exploração ??? existem alternativas ? ! penso que sim.

          • RC says:

            Existe solução, a tesla e outras marcas como CATL já a têm, baterias que não o usam, as LFP.

          • Miguel Real says:

            A CATL tambem já tem baterias de Sodio mas o RC tambam já sabe é só para lembrar. e o ‘objectivo’ é de desenvolver tecnologia em cviclo como o ciclo do aluminio.

          • RC says:

            Não falei nessas porque já são uma tecnologia antiga, se bem que foi “repescada” com novas evoluções.

  4. Miguel Real says:

    Relativamente ao combustiveis sistecticos acho, (opniáo pessoal), que não é o caminho pois corremos o risco de ocupar terras de agricultura, e continuar a poluir talxez apenas um pouco menos.
    Mas devia existir mais projectos para plantar arvores em todo ommundo é quase impossivel de discordar porque já abatemos muito mais doq que poderemos plantar até ao fim do secilo XXI.
    Mais uma vez agradeço o dialogo porque penso ser o que faz mais falta actualmente e não impor opnióes mesmo cientificamente bem fundamentadas e com valor, varias cabeças pensam melhor que apenas uma e não existem absolutos portanto devemos ponderar dialogar para evoluir.

    • RC says:

      Concordo plenamente, aliás, essa é a forma mais simples de reduzir ou tentar evitar o aumento da temperatura, plantar árvores.

    • Miguel Real says:

      P.S.: é optimo poder ‘dialogar’ com pessoas educadas e civilizadas que se esforçam para saber mais e ir mais alem Agradeco RC e ao PPLWARE. parece-me se Você e eu no minimo ajudamos a ‘impulsionar’ a curiosidade de outras pessoas que assim tambem evoluem para o bem de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.