Quantcast
PplWare Mobile

Tags: emissões

Relatório: Emissões geradas pelo ciclo de vida dos elétricos diminuirão 10% até 2030

Apesar de serem amplamente mencionados como a melhor alternativa aos carros de combustão, os elétricos não são perfeitos e há processos durante o seu ciclo de vida que permitem questionar a sua efetiva viabilidade. Nesse sentido, um novo relatório revela que as emissões geradas durante o ciclo de vida de um elétrico diminuirão 10%, no Reino Unido.

Essa redução acontecerá até 2030.

Elétrico no Reino Unido


CATL abre a primeira fábrica de baterias neutra em emissões de carbono

A produção de baterias, bem como o restante ciclo de vida do próprio componente, é um dos grandes problemas associados aos carros elétricos. Consciente disto, a CATL abriu a primeira fábrica de baterias neutra em emissões de carbono.

O objetivo passa por, no futuro, alcançar a neutralidade carbónica em todas as suas fábricas.

CATL


MIT apresentou um método que poderá resolver o problema de armazenamento de carbono

Tendo em conta as elevadas emissões de dióxido de carbono, muito se tem falado da sua captura e armazenamento. Nesse sentido, um grupo de cientistas do MIT apresentou um novo método que poderá resolver este último problema, para o qual têm surgido várias soluções.

A proposta foi apresentada na Advanced Carbon Mineralization Initiative do concurso MIT Climate Grand Challenges.

Dióxido de carbono


Bitcoin é ainda mais poluente desde que foi banida da China

A pegada carbónica da mineração de criptomoedas é um problema real e sem solução à vista. Aparentemente, se esta era já uma atividade poluente, a proibição da Bitcoin na China tornou a moeda criptográfica ainda pior para o ambiente.

Afinal, a mineração de Bitcoin é responsável pela emissão de mais de 65 megatoneladas de dióxido de carbono por ano.

Criptomoeda Bitcoin


Airbus diz que hidrogénio é a solução, mas ainda há muito trabalho a fazer

Com objetivos claros de descarbonização a serem cumpridos, muito se tem debatido sobre as alternativas aos combustíveis fósseis. De acordo com o CEO da Airbus, no caso dos aviões, a derradeira solução, a médio e longo prazo, é o hidrogénio.

Ainda assim, alerta que o caminho a percorrer ainda é longo e trabalhoso.