Quantcast
PplWare Mobile

Reino Unido: 77 antenas já foram atacadas devido às teorias sobre a COVID-19 e 5G

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Fonte: Business Insider

Autor: Marisa Pinto


  1. Aires says:

    No Pplware é assim, afirmam que nao faz mal. Então onde viram que faz bem?

    • Vítor M. says:

      Nós afirmamos? Isso é mentira, quem diz que é seguro são as entidades responsáveis. https://pplware.sapo.pt/internet/novo-estudo-afirma-que-a-rede-5g-e-segura-para-a-saude/

      • Wishmaster says:

        Vítor M.
        É bem conhecida a “fama” do FCC e do outro organismo mencionado…
        E basta ver a forma de falar do Tom Wheeler, FCC,.. para entender que farão tudo por tudo para que avance, custe o que custar.
        Estudos, são cerca de 2000 que analisam e as conclusões justificam que se investigue mais.

        • Vítor M. says:

          Hoje em dia, sem qualquer escrúpulos, tudo se põe em causa. Mas uns organismos têm de prestar contas, outros não e podem levantar as mentiras que entenderem, portanto, peçam explicações com factos. É o que tem de ser.

          • Maria says:

            >Hoje em dia, sem qualquer escrúpulos, tudo se põe em causa.

            Nem mais.

            Extremely low frequency electromagnetic fields as effectors of cellular responses in vitro: possible immune cell activation.

            https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15352165

            The effects of electric, magnetic and electromagnetic fields on microorganisms in the perspective of bioremediation
            https://link.springer.com/article/10.1007/s11157-018-09491-9

            😉

          • Vítor M. says:

            Isso começou a ser dito no 2G? Não vamos já no 5G e a conversa não é a mesma? Aaa é. OK.

          • Wishmaster says:

            Quando um organismo diz que é seguro e depois não sabe explicar como chegou a essa conclusão, está tudo dito 😉

            “There has been even more limited research with respect to the health ramifications of 5G technology, and the FCC has thus far failed to adequately explain how they have determined 5G is safe. ”

            https://www.blumenthal.senate.gov/newsroom/press/release/at-senate-commerce-hearing-blumenthal-raises-concerns-on-5g-wireless-technologys-potential-health-risks

          • Vítor M. says:

            Eles sabem, dado que fizeram testes e não são testes de agora. Aliás, os que dizem que eles não sabem como lá chegaram é que não sabem como conseguir resultados contrários do que os que foram obtidos pela FCC. Aliás, por norma são youtubers e povo das teorias da conspiração. A existir algo, era de haver uma entidade acreditada. Agora malta das teorias, isso não dá muita margem.

          • Maria says:

            > uns organismos têm de prestar contas, outros não e podem levantar as mentiras que entenderem, portanto, peçam explicações com factos.

            Pois. Se não cumprissem seria algo sem precedentes.

            FCC – Federal Communications Commission.
            https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_federal_political_scandals_in_the_United_States

            Único da história das ins

          • Vítor M. says:

            Não se confia em ninguém, mas porque confias nos que desconfiam dos outros, são melhores? Têm provas? Porque não avançam contra os que certificaram a tecnologia com provas e vão até ao foro jurídico? Porque ficam só pelos artigos cor de rosa e vídeos no YouTube? É que vem aí o 6G e decidam-se 😉

          • Maria says:

            > Isso começou a ser dito no 2G? Não vamos já no 5G e a conversa não é a mesma? Aaa é. OK.

            E quando surgiram os telemóveis nos anos 90 já havia alarme.
            Um artigo (desta vez só de divulgação científica) de 2018.

            https://www.scientificamerican.com/article/new-studies-link-cell-phone-radiation-with-cancer/

            > Eles sabem, dado que fizeram testes e não são testes de agora.

            https://docs.fcc.gov/public/attachments/FCC-19-126A1.pdf

            «
            For phones testing is performed against the head, representing normal use during a phone call, and at a separation distance of up to 2.5 centimeters (about one inch) from the body to represent phone use in other ways.

            Even though some parties claim that the RF exposure evaluation procedures for phones should require testing with a “zero” spacing – against the body – this is unnecessary.

            »

          • Vítor M. says:

            Pois, bom exemplo os telemóveis. E então, deixou de haver telemóveis? Eles “fazem mal”? Não, verdade? Cada vez há mais.

          • miguel says:

            Não podemos comparar ao 5G o 2G ou GSM, uma antena GSM cobre dezenas ou centenas de KMs, uma antena 5G cobre metros vai ser preciso uma a cada esquina com elevada potencia!

          • Vítor M. says:

            Pois, mas estas desconfianças não são de agora. Haverá quem diga isso que dizes quando vier o 6G. Portanto, faltam provas que faz mal. Até lá, as entidades dizem que não faz. Isso leva aquela conversa sobre os cabos de alta tensão que há uma, ou duas décadas tinham pessoas a dizer que causavam problemas graves. Deu em quê? Esse é o point, têm de provar com estudos reais. Mas podem ter razão, se conseguirem provar, claro.

          • Maria says:

            > Isso leva aquela conversa sobre os cabos de alta tensão que há uma, ou duas décadas tinham pessoas a dizer que causavam problemas graves.

            https://www.researchgate.net/publication/326626136_RISK_REDUCTION_FOR_PEOPLE_LIVING_NEAR_AND_UNDER_HIGH_VOLTAGE_POWERLINES_IN_URBAN_AREAS_IN_EGYPT_THE_NEED_FOR_NEW_PREVENTIVE_MEASURES

            https://www.stewartslaw.com/news/vattenfall-high-voltage-power-cable-cartel-damages-claim-high-court-takes-jurisdiction/

            https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4931365/
            Childhood leukaemia and distance from power lines in California: a population-based case-control study
            «
            For leukaemia, there was a slight excess of cases within 50 m of a transmission line over 200 kV (odds ratio 1.4, 95% confidence interval 0.7–2.7). There was no evidence of increased risk for distances beyond 50 m, for lower-voltage lines, or for CNS cancers.
            »

            Queres desviar a conversa para um tema que te seja mais favorável?

          • Vítor M. says:

            Não, tudo o que mostras não prova nada, as coisas estão a funcionar. É só links que metes que não valeram de nada. Só tretas sem sentido. Por isso, podes ir buscar teorias da conspiração que entenderes, nada foi avante 😀 é estás a trazer uma mão-cheia de nada 😀

          • Wishmaster says:

            @Vítor M.

            A tua argumentação não faz qualquer sentido… Perante as evidências, compreende-se que seja difícil argumentar, eu percebo.

            A Alta Tensão foi a avante, claro, mas com rigorosa regulamentação para se proteger a população. E isso alcançou-se com uma luta como esta que está a existir com o wireless e o 5G em particular.
            A luta do tabaco também foi uma luta dos diabos, com muitos incrédulos também. Graças a essa luta criou-se muita regulamentação.

            Quanto aos telemóveis, os limites que temos agora já vêm de há mais de 20 anos, não evoluíram com a tecnologia. O que não falta são cientistas a alertar para se reverem os limites. Por terem sido implementados os telemóveis e as suas redes, não quer dizer que não façam mal.
            A 5G é uma revolução muito perigosa, não só na saúde (em que se admite o debate), mas ainda quanto à privacidade (aqui as vozes são quase todas concordantes sobre a perigosidade…).

          • Vítor M. says:

            A minha não faz? Atenção que eu não estou sequer a querer argumentar o que colocas. Eu dou como factos que a realidade é muito diferente com o que tu foste angariar de links e texto. Não vou sequer debater se é ou não prejudicial o que andaste a apontar, dado que as autoridades deram luz verde a essa tecnologias e estão connosco há décadas. 😉 Portanto, eu só me refiro aos fatos reais na vida real. Percebes?

          • Wishmaster says:

            @Vítor M.
            Os links até são da Maria.
            Percebo que te refiras à vida real, mas na minha opinião é analisar as coisas de forma muito redutora. Tal como confiar-se cegamente que os organismos não se deixam corromper ou que não cometem erros (tabaco, glifosato e amianto são bons exemplos).

          • Vítor M. says:

            Eu confio, mas sempre desconfiando, sempre com base nos factos. Sempre foi assim. Para que vamos estar a criar teorias da conspiração para depois termos, como mostraste, uma mão-cheia de nada? Até percebo o teu ponto de vista, mas se ao longo destas décadas o micro-ondas continua nas nossas casas, os WiFi, o GSM, o 4G, as linhas de alta e muito alta tensão… e não faltam textos a dissertar sobre os malefícios das antenas em cima dos prédios e tal… e factos?

            Aaaa factos existem, por exemplo, radioatividade no solo da base militar das Lages. Não era uma teoria da conspiração, os indícios viram a comprovar-se. Factos. mas há mais exemplos. Agora… aa e tal o coronavírus apareceu com o 5G vamos lá queimar as antenas e fazer a festa do boxer no metro e tal… really? 😀

            Temos de nos debater por factos, pela certeza e não embarcar em teorias da conspiração. Se eles existirem, então… por exemplo, o Trump, o presidente de um dos mais poderosos, se não mesmo o mais poderoso país do mundo. Ele diz que a culpa da pandemia é da China. E será mesmo? E factos?

          • Jorge says:

            Resumo:

            Ninguém sabe se faz mal. Bem também não fará.

            Como ninguém sabe se faz bem ou mal, vamos então confiar em entidades duvidosas (que hoje em dia têm tanta credibilidade como os “youtubers”) que tudo o que lhes interessa é o lucro, seja directa ou indirectamente, através de luvas e outros interesses, para dizerem ao público o que interessa a quem quer comercializar o produto.

            Depois? Depois logo se vê. Bem não faz, se fizer mal… logo se vê. É o chamado que se foda. Primeiro instala-se, depois logo se vê.

            O mais engraçado é alguém querer comparar o 2G, 3G ou até o 4G com o 5G, como se fosse uma pequena evolução da tecnologia anterior. Quando é uma diferença absurda.

            Se já desde o GSM esta questão se coloca, se já agora com a rede 4G está provada a relação nefasta do uso abusivo do telemóvel com probleemas de saúde diversos, imaginem agora as vossas ruas transformadas num autêntico microondas.

            1984, estamos quase em 84.

          • Vítor M. says:

            Mas faz mal? Se há tantos anos temos isso tudo, faz mal a quê? Pode fazer, eu é que não sei, se puderem explicar.

          • Alguém que sabe ler says:

            Já tentaram. Mas é precisar ler.

          • gFan says:

            Estou contigo Vitor,
            Estes tipos do contra, que vão viver para o interior desertificado, o que não falta lá, é espaço sem antenas para eles plantarem batatas, cambada de mentecaptos.
            Se quiserem informação, que utilizem TDT e vejam a tele-escola.

          • Vítor M. says:

            Só temo é que um dia se virem contra os satélites e os comecem a incendiar…

          • M says:

            @Vítor M.
            > Mas faz mal? Se há tantos anos temos isso tudo, faz mal a quê? Pode fazer, eu é que não sei, se puderem explicar.

            Lê. Se fosse inócuo não haveria tantos estudos a mostrar o contrário. Todas as pessoas fazem compromissos. Quem fuma sabe que faz mal, mas aceita o risco pelo prazer que dá.

            Nada contra desde que não seja imposto um risco a quem não o quer aceitar.

            @gFan
            > Se quiserem informação, que utilizem TDT e vejam a tele-escola.

            Neste momento já temos os recursos necessário wireless. Achar que o 5G é um risco descenessário, e que é nefasto não é ser contra a tecnologia.

            Citando outro post:

            «
            Telemedicina em Portugal é um sonhos de cachimbados, dado que (ainda) temos necessidade de material básico (máscaras e ventiladores), como a pandemia mostrou.

            Veículos autónomos? Não temos os comboios atuais a funcionar às velocidades de que são capazes porque as linhas não estão mantidas a um nível que o permita. As estradas todas do país vão estar?

            4k? Além de não propriamente uma necessidade, o 5G aplica-se a dispositivos móveis. Alguém nota a diferença em telemóveis do 1080p do 4k?

            Baixa latência para…??? Ou estamos a falar de robots remotamente operados – ideia difícil de vender à população -, ou se é para jogos de telemóvel, ainda tem menos razão de ser que o 4k.

            Mais algum argumento que me esteja a escapar?
            »

          • Marco Silva says:

            Sobre a EMF não ionizante ser considerada “segura”!
            Mito: não há ligação entre o uso de telemoveis e o cancro.
            Verdade: A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) classifica a radiação sem fio como um cancerígeno “possível” de Classe 2B, mas os principais cientistas argumentam que ele deve ser reclassificado como um cancerígeno “definido” de Classe 1 ao lado de Tabaco e Amianto.
            Quando lês os documentos na OMS sobre isso, eles nunca dizem que é perigoso, mas também não dizem que é seguro! E admitem que existe estudos a serem feitos. Portanto, tenha cuidado e lembre-se de que o 5G será um grande passo na EMF.
            EMF máximo:
            3G – 2,1 Ghz
            4G – 2,7 Ghz
            5G – 60 Ghz

          • Maria says:

            @gFan
            > Se quiserem informação, que utilizem TDT e vejam a tele-escola.

            Já temos os recursos wireless necessários. O que dissem que o 5G permite? Em ligações móveis (não para portáteis e afins) 4k, baixa latência, veículos autodirigidos mais precisos, telemedicina e automação industrial.

            Citando outro post:
            «
            Telemedicina em Portugal é um sonhos de cachimbados, dado que (ainda) temos necessidade de material básico (máscaras e ventiladores), como a pandemia mostrou.

            Veículos autónomos? Não temos os comboios atuais a funcionar às velocidades de que são capazes porque as linhas não estão mantidas a um nível que o permita. As estradas todas do país vão estar?

            4k? Além de não propriamente uma necessidade, o 5G aplica-se a dispositivos móveis. Alguém nota a diferença em telemóveis do 1080p do 4k?

            Baixa latência para…??? Ou estamos a falar de robots remotamente operados – ideia difícil de vender à população -, ou se é para jogos de telemóvel, ainda tem menos razão de ser que o 4k.
            »

            A automação industrial da próxima geração é feita por WiFi ou ligações por cabo.

            Motivos militares só derrubariam (ainda mais) a nossa soberania:
            * há dificuldade em manter equilibrio técnico com países mais numerosos e tecnologicamente dominantes de modo a evitar o hacking dessa infraestrutura;
            * A infraestrutura de dados já se considera perdida. Os objetos IoT seria obter coisas que seriam sequestradas em termos de conflito.

            Mais algum argumento para que seja NECESSÁRIO o 5G?

          • MJSantosLx says:

            @Maria Todos esses argumentos foram utilizados, com parametros adequados, para defender a não evolução, por exemplo, dos computadores, dos aviões, dos comboios.
            Algures no inicio do sec XX dizia-se que não havia necessidade de os comboios andarem mais depreessa porque já atingiam uns estonteeants 40 ou 50 Km/h

          • Maria says:

            @ MJSantosLx
            > Todos esses argumentos foram utilizados, com parametros adequados, para defender a não evolução, por exemplo, dos computadores, dos aviões, dos comboios.

            Impossível. São argumentos específicos do 5G, e os utilizados pelos seus proponentes para o defender. Se tiveres mais algum que não tenha sido apresentado, força nisso.

            > Algures no inicio do sec XX dizia-se que não havia necessidade de os comboios andarem mais depreessa porque já atingiam uns estonteeants 40 ou 50 Km/h

            E vês que no início do século XXI, ainda tens grande parte do mundo com comboios à mesma velocidade, por questões de segurança.
            Mas eu nem defendo esse ponto. A questão é que nos exemplos que apresentas-te e em nas anteriores tecnologias wireless, apesar de haverem razões de saúde pública preocupantes, haviam argumentos consensuais para a sua utilidade e implementação.
            Para o 5G, como mostrei, não há!

          • gFan says:

            @Maria, queres argumentos? Ok eu sou mesmo muito burro, mas claramente tu não tens a noção do impacto das telecomunicações na nossa sociedade, recomendo te a ti a aos outros haters que vejam este filme: https://youtu.be/vnXLYr6U3bk

            “The Hummingbird Project”

          • Maria says:

            @gFan
            > recomendo te a ti a aos outros haters que vejam este filme: […]
            > “The Hummingbird Project”

            O hummingbird project fala de ‘high-speed trading’ (corretagem de alta velocidade por bots). Isso aplica-se apenas a empresas de corretagem (muito poucas) e não a cidadão comuns.

            Nenhuma empresa que se prese confia movimentos financeiros a smartphones. Como empresas têm ligações cabo sólidas, e na melhor das hipóteses, usam wireless no laptops para conectar a essa mesma linha.

            Mais rápido e mais seguro.

            Queres tentar outro linha de argumentação?

        • Pedro says:

          Bom dia,
          Presumindo que o caro Vítor é autor deste site, presunção esta derivada do logo do próprio nome e porque tenho ideia, ao longo dos anos, penso que deveria manter uma postura mais amigável e menos passivo-agressiva.
          Isto porque nem consegui ler tudo, mas a dada altura só lia “mão cheia de nada” e “esses links das conspirações”. Faltou a Maria explicar, tão bem como tem feito a cada intervenção, que os links da treta são do mais credível que existe no mundo da ciência, a mesma ciência que o caro Vítor enaltece como tendo permitido o progresso ou corroborado que nada fazia mal.. A questão é que há pessoas que agem porque sentem pelos outros, e outras que agem porque sentem na pele, e até esse momento, de sentirem, sempre se estiveram na realidade a borrifar para outros. Visto que os cancros e outras doenças são uma percentagem que não afecta 100% ou 90% da população, porquê a preocupação?
          Tentar-se descredibilizar ou ridicularizar links originados em meio cientifico é no mínimo, absurdo e auto-insultuoso.
          E eu nem digo “protejam” ou “destruam” as antenas, digo somente para abrirem a mente e darem atenção ao que circula, porque comprar estudos não é nada de inédito ou difícil, e usar a ridicularização para fazer o pior possível às claras em completa visibilidade para atingir certos objectivos, também não.
          O estudo que a nokia encomendou para analisar a relação entre telemóveis e cancro foi escondido na gaveta porque não dava lucro, pelo contrário. A pfizer admitiu recentemente que descobriu sem querer um medicamento altamente eficaz contra o cancro mas omitiu essa descoberta porque não dava lucro, basta googlar “pfizer admite cancro” e descobrir que farmacêuticas que se aproximam de resultados semelhantes, são compradas pela pfizer.
          Resumindo, vivemos num mundo em que a saúde colectiva das pessoas está longe de estar no topo das prioridades, e o lucro sobrepõe-se a isso e a muito mais, perante esta realidade factual, se há quem meta as mãos no fogo quando ouve a palavra “seguro”, é um ganda maluco.. Eu não meto, embora não ande por aí a destruir antenas dos taxis.

          • Vítor M. says:

            A minha posição é totalmente amigável. Apenas refuto acusações infundadas de forma veemente para que não haja qualquer dúvida na nossa posição independente, imparcial e correta na análise dos factos. Fora isso, um bom momento de discussão é sempre bem-vindo 😉

            Tal como o Pedro está a fazer, a supor, nós nem isso queremos fazer, baseamos-nos nos dados das entidades responsáveis. O resto para nós é apenas para observarmos as conversas entre os “entendidos” nos comentários. Cada um pode ter uma ideia, nós temos factos com base nas autoridades. O resto, podem falar o que entenderem dentro das regras da boa discussão. Até agradecemos.

          • Pedro says:

            Não sei se a falta da percepção da contradição é genuína ou simulada..
            “Só temo é que um dia se virem contra os satélites e os comecem a incendiar…”
            “Mas faz mal? Se há tantos anos temos isso tudo, faz mal a quê? Pode fazer, eu é que não sei, se puderem explicar.”
            “Para que vamos estar a criar teorias da conspiração para depois termos, como mostraste, uma mão-cheia de nada?”
            “Eu dou como factos que a realidade é muito diferente com o que tu foste angariar de links e texto.”
            “Não, tudo o que mostras não prova nada, as coisas estão a funcionar. É só links que metes que não valeram de nada. Só tretas sem sentido.”
            Isto é precisamente o oposto de factos. Talvez estejas (pode ser tu?) a confundir a própria ocorrência que o artigo relata, cheio de maluquinhos vandalizadores, com as notícias e artigos cientificos colocados aqui.. Onde referes “não prova nada”, é precisamente o oposto, não é um link cmtv, quer dizer.. Basta ler e constatar que factos não faltam. Deram aqui pelo meio várias provas, fumar é factualmente mau para a saúde, e vende-se na mesma e até é legal, isto significa que todos os estudos cientificos e pessoas debaixo da terra ou em urnas não têm credibilidade?
            Isto que coloquei entre aspas não é conversar, é desconversar. Pedes factos, dão-tos, e ainda assim pintas factos como teorias da conspiração malucas.. E atenção, eu sei, tu sabes, toda a gente sabe que as há.. Mas existe uma espécie de escala de acidez estilo medição de PH para estabelecer as mesmo surreais, das duvidosas, das completamente certas e “só não vê quem não quer mesmo”..
            Lua, eu colocaria a meio da tabela.. existem questões pertinentes que nunca vi respondidas, existe muita estranheza à volta, existe um timing perfeito na questão eua vs russia, existe um acidente grave que matou queimados e com imenso sofrimento, astronautas em terra uns anos antes do grande momento, um simples derrame da bebida de um deles para os paineis..
            Até já li q a china embora aldrabona nos numeros oficiais, fosse bode expiatório de algo maior.. Por exemplo o tal laboratório parece que é uma parceria americana/chinesa, portanto muita coisa se passa nos bastidores do poder, e informações expostas que provam isso mesmo, até nas altas esferas, não são poucas.
            Outra, mundo plano, eu classificaria como absurda, pelo simples facto que as formas de provar que não é são bem mais simples e acessiveis que as que tentam provar que é..

      • Joaquim Sobreiro says:

        Responsáveis de quê?

      • Aires says:

        Texto demasiadamente politicamente correcto. E as entidades responsáveis sempre tomaram boas decisões para as pessoas? Faz lembrar a bayer ou a monsanto que pagava a investigadores para deturpar resultados. Os que levaram a minha intervenção para o campo especulatório também são bem vindos. Agora tudo o que não vai com o sistema é teoria da conspiração. Aquela táctica que estava num PDF do wikileaks que operativos usavam em forums para descredibilizar alguma coisa. Pplhype era o melhor nome para este antro.

        • Vítor M. says:

          Texto honesto e correto. Sem qualquer onda de suspeição, de levantar falsos cenários ou conjunturas. Não temos de ter uma postura errada de confronto de ideias quando não existem razões para tal. Para esse tipo de cenário já existe o Trump. Não precisamos de mais.

          Sobre a tua questão “E as entidades responsáveis sempre tomaram boas decisões para as pessoas?” No que toca a esses cenários, não vejo como possamos dizer que não. Sabes há quantos anos existem telemóveis e redes WiFi, e microondas e redes 4G e cabos de alta tensão e muito alta tensão? Portanto, não há um exemplo cabal que nesses casos tenha sido prova e que tenha obrigado a acabar com tudo o que se usou e usa.

          Sobre os casos que citaste e outros que foram descobertos, porque continham algo que não deveria existir, foram descobertos e tratados (ou estão para ser tratados). Os outros, se até hoje nada foi tonado contra essas tecnologias, como podes dizer que foram tomadas decisões erradas por parte das autoridades? Não digo que foram ou que não foram, digo que as tecnologias estão há décadas connosco e vão continuar. Por exemplo, o uso de centrais nucleares, nalguns países já foi tomada a deliberação de as fechar todas, outros não deram início à construção dos seus projetos. Isto porque veio-o a contrastar-se que os problemas podem ser muito maiores que o retorno positivo da utilização. Mas são factos.

    • Filipe says:

      Onde viste que faz mal? Foram aquelas fake news no reddit e no 4chan? Até que essas duas plataformas são o pico de confiança quando afirmam algo num post…

    • Rui says:

      Caro Aires, não fazer mal, não implica o seu contrário!!
      Qualquer coisa que não faça mal, não quer dizer que tenha que fazer bem.
      Está a perceber?
      Portanto, ninguém lhe dirá que faz bem!
      Percebido, ou quer que lhe faça um desenho ?
      Pense por si, e não vá em “ondas”
      Fique bem.

    • Dark Sky says:

      “Já foram atacadas 77 antenas no Reino Unido, devido à COVID-19”
      “Mas há uma curiosidade engraçada… é que a maioria das antenas atacadas nem sequer fornece serviços da rede 5G” – tem uma graça …

      É o que dá as teorias da conspiração – impedem uma análise serena e fundamentada das questões, ou seja:
      – o 5G nada tem a ver com a COVID-19, isso é mais do que certo, mas o dispare à volta disto
      – prejudica um exame mais completo aos efeitos que as redes 5G possam ter na saúde pública.

      A questão não é saber se “faz bem” é se “faz mal. Afeta a saúde pública? Ou é mais uma radiação electromagnética (não-ionizantes) que não afeta a saúde pública? Esta última é a conclusão a que chegaram os estudos já realizados – mas pode-se sempre fazer mais.

      • Marisa Pinto says:

        Interpretaste mal a parte do ‘engraçado’, era como sarcasmo. 🙂

        De resto obrigada pelo comentário complementar.

        • Spoky says:

          “Mas há uma curiosidade engraçada… é que a maioria das antenas atacadas nem sequer fornece serviços da rede 5G”

          Marisa tu não leves a mal, mas careces de informação. Pareces aqueles tipos de pessoas que só sabem acreditar em estudos que digam que não faz mal, nunca põe de parte a possibilidade de fazer mal, mesmo com estudos que comprovem ou demonstrem que não faça tão bem a saúde como se pensa.

          E isto de vindo de uma psicologa fica mal, pois os psicologos não julgam, não fazem sarcasmo só porque lhes apetece, ouve e entendem o ponto de vista.

          E tu devias dar o exemplo! Tens alguma prova irrefutável de que o 5G não faça mal a saúde? Tens? Eu não tenho provas irrefutáveis que faça mal, mas tu tens provas irrefutáveis que não façam mal?

          Fico a espera!

          • zirel says:

            Se alguém acha que faz mal, tem de o provar. O ónus da prova é para quem acusa.

            Imagina que eu invento uma batata electrónica. Vou pô-la no mercado. Vens tu e dizes que a batata faz mal. Eu é que tenho de provar que não faz?!

            Não, tu é que tens de provar o que estás a dizer. Se não conseguires, então não faz. Simples.

          • Wishmaster says:

            @zirel

            Tão errado!
            Quem coloca um produto no mercado é que tem que se sujeitar a procedimentos de aprovação. Os organismos aprovam ou não.

            Ainda assim, pode ser chamado a intervir o princípio da precaução.
            Aplicando-se o princípio da precaução, quem tem o ónus da prova é quem quer praticar acto ou acção que pode vir a causar o dano.

          • zirel says:

            Nao @Wishmaster, errado estás tu.

            Tens razão em dizer que quem coloca um produto no mercado tem de se sujeitar a procedimentos de aprovação, obviamente.

            Mas quem põe um produto novo não tem de provar que não faz mal, não senhor. Se alguém, incluindo quem fiscaliza, desconfiar que algo pode fazer mal, investiga e por A + B tem de dizer que aquele produto não é seguro. Ou então é óbvio e só usam o que já existe.

            O ónus da prova é para a acusação, sempre, aqui e em qualquer lugar.

            Se eu disser “a tecnologia 5G faz crescer pelo na planta dos pés”, quem inventou o 5G é que tem de provar que não faz?!

            Pela tua lógica, sim. Tem de provar isto e muito mais, aliás, uma infinidade de coisas. Por isso é que o ónus da prova pertence à acusação.

            Senão eu, ao lançar no mercado a minha batata electrónica, tinha de provar que não faz mal à saúde, que não faz crescer pelo na planta dos pés, que não provoca borbulhas em demasia, que não faz cair o cabelo, que não pinta os dentes de verde, que não provoca alterações nas estações do ano, que não muda a cor das escamas do salmão, que não acelera a velocidade média do vento no Ártico, etc, etc, etc.. Já deves estar a perceber a ideia.

            Espero eu.

          • Wishmaster says:

            @zirel

            “O ónus da prova é para a acusação, sempre, aqui e em qualquer lugar.”
            Estás errado.

            O que estás a dizer sobre o ónus da prova, quando dizes acusação, por isso, processo penal, sim, quem acusa tem o ónus de provar a acusação.Também há ónus da prova no direito civil, em que por vezes, nalguma legislação mesmo este ónus pode ser invertido, ou seja, não é a quem o facto aproveita que tem que provar mas sim a outra parte.

            Na questão do 5G, sim, pode fazer-se aplicar o princípio da precaução e aí, não havendo consenso, a parte que quer praticar o acto é que tem o ónus de desfazer a dúvida.

          • Wishmaster says:

            @zirel

            Não podes aplicar o princípio do ónus da prova que falas (processo penal e direito civil) a esta questão porque a legislação determina que seja diferente, portanto, o ónus da prova não se aplica de forma igual em qualquer matéria…

      • Wishmaster says:

        Que estudos?

        The World Health Organization International Agency for the Research on Cancer’s classification of wireless radiofrequency frequencies a Class 2B carcinogen includes wireless radiation from any transmitting source such as cellphones, baby monitors, tablets, cell towers, radar, other wifi, etc. The radiofrequency classification applies to RF-EMF in the range of 30 KHz to 300 GHz emitted from any device. Cell phone frequencies commonly start at 900 MHz (with some cell phones having up to 7 antennas all at different frequencies) and Wi-Fi device frequencies are at 2.45 GHz and 5GHz. Importantly, many scientists now conclude that the scientific evidence is substantial enough to conclude that radiofrequency radiation (including radiation from cell phones, Wi-Fi and other wireless devices) is a human carcinogen (Hardell and Carlberg 2017, Peleg et al., 2018, Miller et al 2018).

        • roger says:

          Class 2B carcinogen agents:
          https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_IARC_Group_2B_Agents_-_Possibly_carcinogenic_to_humans

          Classe 2B não significa que seja. Mas sim “Possibly carcinogenic to humans”. Não existe evidências, ou o que existe é muito limitado e não é conclusivo. Tens a categoria 2A acima “Probably carcinogenic to humans”.

          Nessa lista tens aloe vera, pó de talco, café, …
          Se queres ver a lista 2A onde supostamente existe mais evidências repara: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_IARC_Group_2A_Agents_-_Probably_carcinogenic_to_humans

          Carne vermelha, fritos, bebidas quentes, até ser cabeleireiro ou barbeiro…

          Por isso, vai lá incendiar os barbeiros e cabeleireiros porque estão mais expostos a ganhar cancro do que a radio frequência…

          • gFan says:

            Resposta 5 estrelas, alguém que ofereça um TESLA a este senhor sff!

          • Wishmaster says:

            Mas não se tem alertado precisamente para os perigos da carne vermelha, pedindo a redução do seu consumo? Dos fritos? Tem, não tem? E muitas outras coisas que nos fazem mal…

            A nossa sociedade assenta em vários produtos e estilo de vida que não foram suficientemente estudados. Pensas que não pagamos a factura por isso? Daí que se esteja a reverter o processo, através de mudanças na alimentação, por exemplo.

            Agora, já temos exemplos de como introduzir produtos, fármacos, etc…nos prejudica. Por que razão não estudar bem os efeitos da 5G (e das suas antecessoras, afinal, só são usadas em massa há pouco mais de 15 anos….15 anos não é nada!!!)?

            Só o facto de ser classificado como “possivelmente”, é suficiente para a aplicação do princípio da precaução.
            E já que te achas tão informado:
            Quando te puser uns “nanobichinhos” na tua corrente sanguínea (via intravenosa ou por via respiratória), sem tu dares conta e os activar quando eu quiser, então falamos 😉
            Achas que é ficção científica… Mas vai estudar e informar-te, ok?

          • gFan says:

            Lá por a carne vermelha ou os fritos fazerem mal eu vou deixar de consumir? Posso viver caralh@?

            Nanobichinho colocava-te eu a ti por via anal.

          • Wishmaster says:

            Isso da carne vermelha, tu fazes o que quiseres… O roger é que deu aqui informação dos perigos do consumo da carne vermelha. O importante é que estejas ciente desses perigos. Por mim podes comer todos os dias logo ao pequeno-almoço. lol

            Sobre os “nanobichinhos”, tiveste a reacção própria de quem não sabe nada disso. Não te levo a mal.

          • Joaquim Sobreiro says:

            Para gFan: Se não te queres dar ao trabalho de utilizar a cabeça para pensar em outra opinião diferente da tua, como queres que te respeitem com tanta agressividade e insulto? Eu pensaria, no mínimo 2 vezes, antes de concordar contigo.

          • gFan says:

            @Joaquim eu não quero nem estou a pedir que alguém concorde comigo, tu és livre de pensar no que quiseres assim como eu. Eu sou o que sou, verdadeiro comigo mesmo, lamento mas não tolero hipocrisia.
            Queres um conselho?Pensa sempre 2 vezes, independentemente da maneira como a informação te chega.

          • gFan says:

            @Whismaster o Roger (a quem eu agradeço a informação pertinente) deu o exemplo da carne vermelha como exemplo de comparação, ou agora estás te a fazer de despercebido?

    • RC says:

      Interessante… Mas quem é que diz que tem de fazer bem? Pode simplesmente ser inoquo ou isso ão existe no seu dicionário?
      Eu preocupava-me mais com o microndas que deve ter em sua casa, isso certamente será bem pior. 🙂

      • Wishmaster says:

        Por isso é que não fico ao pé dele quando está a funcionar 😉

        • gFan says:

          Mas tens! Isso só revela que és um hipócrita.

          • Wishmaster says:

            Tenho, mas desde que sei os efeitos da radiação que emitem que nunca mais fiquei ao pé dele (o revestimento que lhe metem não isola totalmente a radiação. Há sempre alguma que escapa).

            Se bem viste os meus comentários, o que defendo é que as pessoas estejam informados sobre os possíveis efeitos que possam ser causados.

            Se eu utilizo, depois é uma opção minha. Mas já estarei ciente dos efeitos.
            Repara, eu fumo, logo, pela perspectiva de que, quem admite um mal por uma via não pode falar dos males que por outra via podem vir a ser causados, então eu nunca poderia falar do 5G.
            Mas o que defendo é que a população esteja ciente dos possíveis efeitos. Em termos de telecomunicações, estamos muito bem servidos (até demais), porquê avançar para outra e que vai mudar o mundo todo, quando temos muitos reservas e estudos a alertar para aquelas tecnologias que utilizámos durante os últimos 20 anos..?

            Sobre a wi-Fi e telemóvel, sim, desde que tomei mais consciência dos possíveis efeitos logo tomei algumas atitudes comportamentais:
            – Wi-Fi desligado durante a noite;
            – Nâo uso o telemóvel encostado ao ouvido, quase sempre em alta-voz;
            – PC, TV, estão ligados por cabo, não por wi-Fi;
            – Reduzi a utilização desses dispositivos (mas esta já comecei a fazer há algum tempo, por outras razões).

          • gFan says:

            Só dizes porcaria, estamos bem servidos em termos de telecomunicações?
            Quem és tu para julgar isso?
            Tens noção da quantidade de transações realizadas mundialmente, ainda para mais com a tendência das cripto moedas a subir. Só dizes isso pork a única merda k utilizas é o youtube e o Facebook para lançar postas de pescada não é?

          • Wishmaster says:

            @gFan
            Como te disse noutro comentário, nem te vou responder à letra. Já demonstraste bem que não vale a pena.

          • gFan says:

            Ainda bem que consegui demonstrar isso, era mesmo esse o objectivo. Agora por favor, não ataques antenas, e também não tentes convencer os outros a fazer, pode ser?

          • Maria says:

            @gFan
            “Discutir com ignorantes é a mesma coisa que jogar xadrez com uma pomba, ela derruba todas as peças caga no tabuleiro e ainda acha que ganhou”.

            > não ataques antenas, e também não tentes convencer os outros a fazer, pode ser?

            Essa nunca foi a questão, tal como não é a questão a possível relação com os sintomas do COVID-19 em algumas áreas mais afetadas.

            O que se argumenta é que esta tecnologia não é inócua. Tentar esconder ou desvalorizar 20 anos de estudos é um ataque à inteligência das pessoas, assim como atentado à saúde público.

          • gFan says:

            @Maria a sério não percebo, eu sou mesmo muito burro e ignorante, não tenho problema nenhum em admitir isso.

            Devo me ter enganado só pode… mas isto não é um blog de tecnologia, em que se comenta uma notícia de ataques a antenas de telecomunicações?

            Dizes tu que, essa nunca foi a questão (será k não?), e o que se argumenta é a iniquidade da tecnologia 5G.

            Muito bem Maria, queres que te diga o k? Que tens razão?

            Tens razão Maria, o 5G faz muito mal à saúde, aquilo que propões é continuarmos a estudar no mínimo mais 20 anos, e entretanto, talvez devêssemos abandonar o 2G, 3G e o 4G enquanto realizamos mais estudos… É isso?

          • Maria says:

            @gFan
            Começomos por:
            > Tens noção da quantidade de transações realizadas mundialmente, ainda para mais com a tendência das cripto moedas a subir.

            Nada a ver e errado.

            Já pagaste com multibanco em alguma loja ou transporte público? Nenhuma funciona com 5G. Aliás, para transportes público o 5G seria péssimo por ter um alcance menor e mais buracos de rede.

            Nas criptos:
            * o volume de dados enviado entre terminais é equivalentemente minúsculo. Ambas funcionam bem com 2G desde que a infraestrutura de cabo da rede tenha muita largura de banda.
            * a demora nas transações em blockchains são devidas ao número de validação requeridas. P.ex, Na BTC, a demora é devida às escolhas que foram feitas na evolução do design da blockchain, e a única forma de acelerar é aumentar a potência dos servidores de mining. Existem criptos alternativa muitas vezes mais rápidas para operações de comércio, como é exemplo a BCH ou a LTC.

            > aquilo que propões é continuarmos a estudar no mínimo mais 20 anos, e entretanto, talvez devêssemos abandonar o 2G, 3G e o 4G enquanto realizamos mais estudos… É isso?

            Não são precisos muitos mais estudos. Basta não negar os que já existem e aceitar que lobbies vão ser sempre lobbies e que a sua credibilidade nestas coisas é próxima de nula. Bastaria fazer estudos independentes ou fazer meta-análise de estudos anteriores.

            E nenhuma tecnologia é má por si. O 5G, se aceita como uma tecnologia novica, pode ser na mesma implementada, desde que sejam todas medidas de mitigação para os seus efeitos.
            Só posso especular sobre quais as medidas de mitigação, mas, p. ex.
            * antenas de muito menor potência e (ainda) menor alcance:
            * só serem colocadas em áreas em que 90% ou mais da população afetada subscreva o serviço;
            * colocação incremental, começando por área com pouca população, em que a população aceitem ser “zona incubadora de projectos”. Essas zonas seriam estudadas para ver os efeitos.

            É de notar que exatamente o oposto está a acontecer, havendo países que aproveitaram o lockdown para acelerar a instalação de postes 5G. Daí a controvérsia instalada.

          • gFan says:

            @Maria tu és mesmo teimosa!

            O que é que os pagamentos em multibanco têm haver com investimento em cripto moedas? Que exemplo mais estúpido, sinceramente. E eu é que sou o burro. E quem é que falou em transportes públicos?

            Tu investes em cripto moedas através do multibanco?
            A serio estou a perder o meu tempo contigo.

            “a demora nas transações em blockchains são devidas ao número de validação requeridas”
            Certo, e uma transacção antes de chegar à blockchain vai como? Consegues-me explicar?
            Pensa assim: Tens um modem 56k, queres comprar um bitcoin, vais consultar o valor do bitcoin e ele está a 8k, executas uma transacção, acontece que a transacção não é executada pork no momento em que a transacção chegou à blockchain o preço do bitcoin já estava nos 9k. Pork é que achas k isto aconteceu?

            Vê este filme: “The Hummingbird Project”

          • Maria says:

            @gFan
            > Que exemplo mais estúpido, sinceramente. E eu é que sou o burro. E quem é que falou em transportes públicos?

            Só um idiota não percebe a relação. E foi-te explicado detalhadamente a relação de tempo com a Bitcoin.

            > a sério não percebo, eu sou mesmo muito burro e ignorante, não tenho problema nenhum em admitir isso.

            Sou obrigada a concordar.

            Para os restantes com mais capacidade, deixo o link que demonstra as limitações de velocidade das criptos:

            https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2017/03/13/usuarios-de-bitcoin-em-revolta-contra-lentidao-das-verificacoes.htm

          • gFan says:

            A sério @Maria, uma noticia de 2017?
            Claramente ainda não viste o filme que te recomendei, desisto, és um caso perdido.

            Fica na tua, que eu fico na minha.

            Olha e lamento perfundamente, mas vais mesmo ter k levar com o 5G, quer queiras, quer não! Agora se não encontras vantagens nisso, o problema é teu, já te tentei explicar, estudasses!

      • Maria says:

        @RC
        > Eu preocupava-me mais com o microndas que deve ter em sua casa, isso certamente será bem pior.

        A radiação do microondas está contida no seu interior, desde que a sua caixa seja adequada e não esteja danificada (é uma jaula de Faraday).

        Uma antena, por definição, não trabalha num meio contido.

    • darth says:

      covid 19 de certeza que nao propaga. agora que as ondas possam fazer outra coisa, talvez sim/nao. mas nao um virus, esperteza

  2. Malamen says:

    É no que dá só ter dois dedos de testa e nada dentro da cabeça.

  3. Dalex says:

    Parecem os pórticos das SCUTS.

  4. miguel says:

    Nao sei se é verdade ou não, mas exigo mais estudos de entidades privadas sobre este assunto.

    Não tenho uma opinião formada, a muitos anos atrás fumar não fazia mal até existiam médicos que defendiam isso hoje é o contrário.
    O mesmo se passou com as mascaras de protecção individual, temos a OMS e a DGS a dizer para não usar depois o seu contrário… enfim!

    • Gabriel Allon says:

      Burro. Não te informas o suficiente e depois dizes tolices

      • miguel says:

        Oh Sr. Inteligente o 5G para mim deve sim ser mais estudado, quanto ao covid e 5G esta tudo mal contado e misturam tudo no mesma saco para depois aparecer pessoas como voçê a ser dono da verdade.
        Em relação ao covid e 5G não tem nada a ver nem esses ataques são por isso mas sim porque acreditam que faz mal a saúde,

      • Wishmaster says:

        Aqui quem disse tolices até agora foste tu e devias informar-te melhor antes de apelidar os outros de burros.

        The World Health Organization International Agency for the Research on Cancer’s classification of wireless radiofrequency frequencies a Class 2B carcinogen includes wireless radiation from any transmitting source such as cellphones, baby monitors, tablets, cell towers, radar, other wifi, etc. The radiofrequency classification applies to RF-EMF in the range of 30 KHz to 300 GHz emitted from any device. Cell phone frequencies commonly start at 900 MHz (with some cell phones having up to 7 antennas all at different frequencies) and Wi-Fi device frequencies are at 2.45 GHz and 5GHz. Importantly, many scientists now conclude that the scientific evidence is substantial enough to conclude that radiofrequency radiation (including radiation from cell phones, Wi-Fi and other wireless devices) is a human carcinogen (Hardell and Carlberg 2017, Peleg et al., 2018, Miller et al 2018).

      • Pedro says:

        O claramente temos pessoas com doutoramentos em física e recebera o prémio Nobel da medicina por saber tanta coisa…
        Até há uns tempos atrás a questão não era a frequência – se era ou não ionizante. As ionizantes interferem com o DNA das células e alteram-nas. Hoje em dia já se sabe que por uma frequência ser não ionizante não quer dizer que não cause problemas (ex do microondas em casa que é não ionizante, mas de certeza que ninguém quer ser metido dentro de um ligado).
        O que as pessoas querem é mais estudos e não aceitar só porque sim. Quem decide e é patrocinado por lobies claramente tem interesses.
        Portanto, e de acordo com o método científico, devemos sempre questionar-mo-nos e nunca ter a certeza de nada.

    • fc says:

      Estudos de entidades privadas ou de entidades independentes? É que uma entidade privada poderá por exemplo ser um fabricante de antenas.

    • PeFerreira98 says:

      Mascaras e luvas -> É muito bom quando usado corretamente. É pior quando usado incorretamente.
      Fogo é assim tão difícil perceber um bocadinho de biologia e logica?

    • roger says:

      “Não tenho uma opinião formada, a muitos anos atrás fumar não fazia mal até existiam médicos que defendiam isso hoje é o contrário.”… Quê? que parvoíce é esta??? Não sabes o que raio dizes.

      O tabaco por si não é cancerígeno mas sim o polónio que contém que é radioativo. E o fumo destrói ainda mais as células o que faz aumentar o ritmo de produção celular, aumentando as hipóteses de se desenvolver células cancerígenas. Por não dizer, que quando se dizia que fazia mal ou bem era quando não existia qualquer estudo, nem o tempo tinha passado para se afirmar.

      A radiofrequência já existe há mais de um século e a ciência e a medicina é bastante sólida para afirmar que não é cancerígeno. A não ser que entres para dentro de um microondas e aí o que pode acontecer é danos no tecido por queimaduras (térmica).

      A tecnologia 5G está previsto na Europa a ir a 70GHz. Eu, sendo radioamador percebendo do que falo, posso afirmar que estas frequências em pouco podem fazer dado à sua natureza física. Nós até podemos usar certas bandas até aos 250GHz para fazer contactos remotos. https://www.anacom.pt/streaming/anexo6_Adenda_2013_QNAF.pdf?contentId=1172997&field=ATTACHED_FILE

      • Alguém que sabe ler says:

        Quão unidimencional se consegue ser? Assim tanto:

        ??? O tabaco por si não é cancerígeno mas sim o polónio que contém que é radioativo. ???

        Lol. Boa Einstein.

        Acetaldehído de 980 microgramos a 1.37 miligramos
        Acrilonitrilo Anteriormente de 1 to 2 miligramos. Este producto se usaba como insecticida en las plantaciones de tabaco. Este producto ya no se usa.
        4-Aminobifenilo De 0.2 a 23 nanogramos
        o-Anisidina Clorhidrato Desconocida
        Arsénico Desconocida
        Benceno De 5.9 a 75 microgramos
        Berilio 0.5 nanogramos
        1,3-butadieno De 152 a 400 microgramos
        Cadmio 1.7 microgramos
        1,1-dimetilhidrazina Desconocida
        Óxido de etileno Desconocida
        Formaldehído Desconocida
        Furano Desconocida
        Aminas heterocíclicas Desconocida
        Hidracina 32 microgramos
        Isopreno 3.1 miligramos
        Plomo Desconocida
        2-Naftilamina De 1.5 a 35 nanogramos
        Nitrometano Desconocida
        N-Nitrosodi-n-Butilamina 3 nanogramos
        N-Nitrosodietanolamina De 24 a 36 nanogramos
        N-Nitrosodietilamina Hasta 8.3 nanogramos
        N-Nitrosodimetilamina De 5.7 a 43 nanogramos
        N-Nitrosodi-n-Propilamina 1 nanogramo
        4-(N-Nitrosometilamino)-1-(3-Piridilo)-1-Butanona Hasta 4.2 microgramos
        N-Nitrosonornicotina 14 microgramos
        N-Nitrosopiperidina Desconocida
        N-Nitrosopirrolidina 113 nanogramos
        N-Nitrososarcosina De 22 a 460 nanogramos
        Polonio-210 Variable, dependiendo del suelo y el fertilizante usado en la plantación de tabaco.4​ Radioactivo: De 0.33 a 0.36 [pCi/gr] picocurios por gramo de tabaco de cigarrillo.5​
        Hidrocarburos aromáticos policíclicos De 28 a 100 miligramos
        o-Toluidina 32 nanogramos
        Cloruro de vinilo De 5.6 a 27 nanogramos

        Se é os componente cancerígenos são indissociáveis, dizer que não é cancerígeno é uma questão de semântica.

        ??? A radiofrequência já existe há mais de um século e a ciência e a medicina é bastante sólida para afirmar que não é cancerígeno. ???

        Sempre a ganhar, campeão.

        Sabes o que aconteceu ao casal Currie, ambos prémios Nobel da física?
        Morreram de cancro.

        Perceber de física não implica perceber de fisiologia. Nem sequer das consequências a longo prazo em sistemas físicos. Olha para o efeito borboleta nas simulações meteorológicas.

        Tens noção que os cancros não ocorrem apenas por degradação molecular, como é potenciado com as formas de radiação ionizante. Todo o ADN degrada-se e tem que ser reparado continuamente. Por isso é que, por exemplo, certos vírus, como o do HPV potenciam cancros.

        Por isso é que os cancros em pessoas com mais idade são inevitáveis, o corpo não lida com eles, mas por norma não causam danos porque a capacidade de regeneração (multiplicação celular) é muito mais baixa. Pergunta a qualquer médico teu amigo.

        Outro exemplo de potenciadores de cancro é o aumenta da atividade de algumas enzimas. As telomerases são exemplos dessas enzimas que até bastante conhecidos na “pop culture”. Se a sua atividade for alterada, mesmo que marginalmente, por efeitos de ressonância tens aumento de cancros. Os mesmos efeitos de ressonância usados nos micro-ondas e que funcionam com a água (2.45 GHz).

        Depois tens o potência elétricos membranares. Cargas ionónicas criam potenciais que permitem certas reações aconter, assim como permitir o transporte de substâncias do interior para o exterior das células.

        Há estudos que demonstram efeitos de quase todas as tecnologias nestes pontos. E até já existem alguns estudos de longo prazo em humanos e que indicam problemas.

        O 5G é ainda mais problemático porque tem grande disperção, logo as antenas tem um alcance pequeno, e como tal têm de ser colocada em cada esquina para produzir cobertura.
        Desse modo tens as zonas de maior radiação (que costumam ser desabitadas nas tecnologias anteriores) mesmo no meio da população.

        Mas não deixes de mandar uns papaios destes. Não só dá para umas risotas, como fazes o favor de arranjar argumentos para te contradizer.

      • Wishmaster says:

        @roger

        Ah já veio um radioamador garantir que não faz mal!!

        Sendo assim podemos estar descansados!!! LOL

  5. Vasco says:

    De pessoas crentes não são de esperar comportamentos sãos. A palavra “crente” define bem um certo estado (quase que uma doença) mental.

    • Artur Peralta says:

      Não crês na ciência? Então também és crente… Cada um crê naquilo que quiser e tolo é quem critica os outros porque não “crêem” no que se pensa que é a verdade.

      • Vasco says:

        Eu creio nas evidencias da ciência, universalmente verificáveis, reproduzíveis e falseaveis. Não na crença em si, que não tem nenhuma relevância científica.

        • Artur Peralta says:

          A maioria da “ciência” são teorias. Teorias não são experienciáveis, se não não seriam teorias. Logo tens que crer que são verdades até mostrar algo em contrário.

          Tantas teorias que foram desmentidas por novas mentalidades, “validações”, teorias, …

          A verdade absoluta não existe, logo qualquer pessoa crê no que quiser.

          • Vasco says:

            Caro Artur, em ciência a teoria é aceite até ser substituída por uma que seja mais adequada à realidade dos factos. Faz parte da validação dessa teoria -que pode durar um dia ou séculos-, a utilização do método científico. Não existe a verdade absoluta portanto a pessoa não pode acreditar no que quiser… (Ou aliás, poder até pode, mas não deve, a menos que seja lunática). Repare que o cientista não lhe diz que “acredita” que a água ferve no planeta Terra e em condições normais de pressão atmosférica a 100 graus… O que o cientista lhe diz, é que nessas condições ferve a 100 graus. ( no que ele “acredita” não sabemos, mas também não tem o menor interesse para a questão…)

          • roger says:

            “Teorias não são experienciáveis, se não não seriam teorias.”
            Vê-se logo que não fazes mesmo a mínima ideia do que é a ciência. O que falta dizeres? Terra é plana? 5G provoca covid-19? Vacinas causam autismo? Deus é real e provado? enfim.

            Estás a confundir hipótese por teoria. Hipótese é, como o nome indica, uma hipótese com base num raciocínio lógico com o entendimento científico até à data. Passa a ser teoria depois de existir evidências que suportam a hipótese. Como qualquer teoria, até da gravidade, não significa que sejam irreais. São experiências verificáveis e falseáveis…

            “Tantas teorias que foram desmentidas por novas mentalidades, “validações”, teorias, …”

            Nenhuma teoria foi desmentida por mentalidades. Há sim teorias que mudam à medida que o PROGRESSO continua das novas descobertas de provas que melhoram a nossa compreensão científica de um assunto.

            “A verdade absoluta não existe, logo qualquer pessoa crê no que quiser.”
            Tenho 100% a certeza que se te atirares de um prédio pela janela vais cair. Isso é certo. Então, não há verdades absolutas?

            Mais comentários ignorantes. pplware é uma fonte de risota nesta seção nem imaginam.

  6. pirata says:

    As teorias sobre o 5G já cá estavam antes do COVID.

    • miguel says:

      Ora nem mais mas existe pessoal a querer misturar para chamar todos de malucos mais de 90% do pessoal que desconfia do 5G nem sequer fala em Covid.

  7. rikardo pereira says:

    eu gosto é de ver fumadores, dizerem que o 5G faz mal à saúde.

    • Wishmaster says:

      Isso não te dá o direito de lhes impor determinado efeito na saúde…
      A questão é essa. Ninguém obriga outra pessoa a fumar, está na liberdade da pessoa (quer dizer, depois de se viciar, é mais ou menos, por causa da nicotina ser tão viciante que acaba por fazer a pessoa “prisioneira”).
      Além disso, um fumador já está ciente dos riscos que corre.
      Quanto ao 5G, as populações não estão bem esclarecidas…Vai ser o próprio Estado a fazer com que estejam sujeitos a algo que ainda suscita muitas dúvidas.

      Por falares em fumadores, podes ver o que se passou no século XX com o tabaco! É um óptimo exemplo e estamos a passar por algo parecido com o Wireless…
      Tabaqueiras a negar que fumar fazia mal, a suportarem estudos a seu favor, as pessoas até diziam que não fazia mal nenhum!

      • Ivo says:

        É como as que dizem que 5G não faz mal quando nem existem estudos suficientes… Lol

        • Wishmaster says:

          Precisamente por essa razão.
          Para o tabaco também não existiam estudos no início…

          Atenção que o perigo da 5G não é só para a saúde.
          Há vários perigos!
          Uma tecnologia aliada a um investimento megalómano como o que vai ser feito, nunca pode ser analisada isoladamente, nunca mesmo!

          • roger says:

            E certamente que NUNCA vais ver evidências nem estudos que vão provar algo que não vai acontecer ou que é falso por si. É por isso que as provas são para verificar factos falseáveis. Ou seja, tu não podes provar o NEGATIVO.

      • rikardo pereira says:

        por mim o tabaco custava 20€ e nao se podia fumar na rua. quem diz rua diz.. praias, esplanadas, cafés, restaurantes.. automovel. ( sim podem conduzir a fumar .. mas ao telemovel da multa )

    • Cisco says:

      Acho mais graça quando eles (os fumadores) dizem que fumar protege do covid. E fazem-no convictamente!!!

      • Wishmaster says:

        Há um estudo em que se afirma isso…que reduz qualquer coisa nos receptores, a forma como o vírus se liga às células.. Mas olha, ainda não o li 😛 Só sei que há…de uns cientistas franceses, salvo erro.

  8. SANDOKAN 1513 says:

    Marisa,lembra-se do seu artigo sobre o ataque a antenas 5G na Holanda ?? Onde um bando de parasitas e vândalos partiram tudo ?? O que publicou aqui no Pplware há pouco tempo atrás ?? Isto deve ser algum tipo de doença mental a destes tipos.São tipos retardados mentais.É só burros neste mundo.Olhe,enfim… 🙂

  9. Xnelox says:

    Tenho pena de não vender antenas 5G, fazia montanhas de vídeos a incentivar a sua destruição para poder vender mais…

  10. Carlos Oliveira says:

    Era assim que se queimavam mulheres nas fogueiras na era medieval…. e aposto que esta gente é capaz de ir viver para prédios debaixo de linhas de alta tensão, ai não há problema nenhum…

  11. Pedro says:

    Sinceramente não sei se foi por causa do Covid19 (o que duvido) ou por outras teorias relacionadas com o 5G de radiação que poderá fazer mal à saúde. Se for por causa do Codiv, então é mesmo ignorância.
    Chego ao ponto de pensar se não foram os próprios operadores a relacionar o Covid com o 5G por ser tão ridículo, quando as principais questões do 5G são: 1 – a utilização de altas frequências 2 – necessidade de usar maior potência nas antenas ou então ter mais antenas (neste caso mais perto também das pessoas). Acho que ainda há alguns pontos a esclarecer niste âmbito.

    • RC says:

      No 5G estamos a usar as mesmas frequências que já usávamos no 4G, com potências inferiores ao 4G por isso é que precisamos de ter mais antenas, o sinal é bem mais fraco, a utilização de maiores potências não é a solução.

      • Pedro says:

        RC, não é asim. Parte das frequências serão na gama já usada, mas muitas serão noutras mais elevadas (as que vão garantir menores latências, altos débitos, etc.)
        Ver site ANACOM as frequências para 4G:
        https://www.anacom.pt/render.jsp?categoryId=382989

        As licenças de 3.6Ghz e 26GHz estão para ser abertas em Portugal. Acho que o que nos deverá preocupar é isto:

        “High-band 5G uses frequencies of 25 – 39 GHz, near the bottom of the millimeter wave band, to achieve download speeds of 1 – 3 gigabits per second (Gbps)”

        Como certamente o RC sabe, quando maior a frequência menos ela consegue ultrapassar barreiras físicas, tais como paredes, de modo que das duas uma: ou é aplicada mais potência nas antenas, ou são colocadas mais antenas de forma a estarem mais perto da população.

      • Wishmaster says:

        Não se resume à potência… 😉

  12. Nhecos says:

    É o equivalente a ter medo de ficar doente com um vírus informático…
    Custa a acreditar como é que estas pessoas com um nível de estupidez tão grande conseguem sobreviver no mundo moderno. Se hoje em dia ainda se queimassem bruxas estes estavam na fila da frente.

  13. abdu says:

    Já está provado que as radiações dos smartphones não são muito boas para a saúde.
    Antes de andarem a incendiar Antenas 5G, 4G, 3G, …., deixem de usar tlms e não chateiem os outros que precisam de utilizar essas antenas.

    • Maria says:

      > ….não chateiem os outros que precisam de utilizar essas antenas.

      É uma tecnologia que afeta todos, mesmos os que não usam e ninguém consegue dar argumentos rasoáveis a sua utilização.

      Telemedicina em Portugal é um sonhos de cachimbados, dado que (ainda) temos necessidade de material básico (máscaras e ventiladores), como a pandemia mostrou.

      Veículos autónomos? Não temos os comboios atuais a funcionar às velocidades de que são capazes porque as linhas não estão mantidas a um nível que o permita. As estradas todas do país vão estar?

      4k? Além de não propriamente uma necessidade, o 5G aplica-se a dispositivos móveis. Alguém nota a diferença em telemóveis do 1080p do 4k?

      Baixa latência para…??? Ou estamos a falar de robots remotamente operados – ideia difícil de vender à população -, ou se é para jogos de telemóvel, ainda tem menos razão de ser que o 4k.

      Mais algum argumento que me esteja a escapar?

      • Wishmaster says:

        Sim, robôs remotamente operados. E sim, é uma ideia difícil de vender à população, mas é um potencial da tecnologia 5G (aliada à sua proliferação como nunca antes houve).
        Há muitas, mas mesmo muitas questões num futuro mais distante, que ameaçam até a própria Humanidade.

        A questão que no imediato tem mais importância é a saúde e a privacidade.

        Do ponto de vista do uso multimédia será muito bom, 8K…ou talvez mais? Traz essas vantagens obviamente, mas os perigos que vêm com ela são muito grandes..
        Mas querem impor como se fosse uma necessidade muito elevada…E de facto não é.

        • Maria says:

          Para a população em geral, os argumentos para a venda são na base do luxo e conveniência. Não na necessidade.

          O mais ridículo é que é quem quer descarregar a série da Netfilx em metade do tempo quem mais argumenta a favor desta tecnologia.

          Prioridades…

          • Wishmaster says:

            Na necessidade também será, penso eu.

            “O mais ridículo é que é quem quer descarregar a série da Netfilx em metade do tempo quem mais argumenta a favor desta tecnologia.”
            lol Exacto… Isso deve ser 1% do que isto vai potenciar. As pessoas ainda não perceberam bem o alcance do conceito “Internet das Coisas” 🙂

          • Rafael Ribeiro says:

            Concordo com a Maria. Não consigo ver o que o 5G oferece que o 4G já não oferece. Não consigo ver como essas melhorias vão me afetar. Dá impressão que nessa geração o 5G está forçando necessidades e não o contrário.

          • pois says:

            @Rafael,

            A qestão é que, como o Wishmaster falou, 1% da função é para “o utilizador”. Os outros 99% que é potenciado não são pontos de venda que te aparecem nas notícias.

            São exemplos sensores de rastreamento pessoal, smart cities, drones, nanorobots de reparação ou destruição celular, o fim do automóvel autónomo, etc.

            Se as pessoas tiverem noção das implicações, provavelmente, ainda iria haver um maior ultraje com esta tecnologia.

  14. F says:

    Curiosamente
    2003 – 3G, SARS
    2009 – 4G, gripe suina
    2020 – 5G, coronavirus e peste suina africana
    Na China, enfiam as pessoas em casa e convertem as antenas em segredo. Por muito que se goste de tecnologia, cuidado com o fanboyismo

    • abdu says:

      As pessoas relacionam o que querem com o que querem.
      Ebola – 2014 (apareceu o filme “Guardians of the Galaxy”)
      SIDA – 1981 (apareceu o filme “Indiana Jones and the Raiders of the Lost Ark”)
      Gripe russa – 1889 (venda da 1ª coca-cola)
      Gripe espanhola – 1918 (Introdução do fuso horario de verão/inverno pela 1ª vez nos eua)
      Cólera – 1817 (Mississippi passou a ser o 20th U.S. state.)
      Peste negra – 1347 (morreu Louis IV, Holy Roman Emperor)
      Peste antonina – 165 (será que foi algum pombo correio que enviou um som que despoltou a peste?)

      Muitas coisas acontecem todos os anos/dias. Querer relacionar factos, criar teorias da conspiração, bruxarias e afins é fácil, pois sem qualquer conhecimento técnico, cada um pode dizer o que quer.
      Estes sim são realmente perigosos. A histeria já provocou ao longo da história imensos danos.
      A inquisição matou milhares de pessoas por todo o mundo, bastando para isso não seguirem a religião cristã.
      A caça às bruxas matou mais alguns milhares de seres humanos.
      Temos infelizmente uma imensidão de casos em que a histeria acabou com a vida de muitos seres humanos.

      • Wishmaster says:

        “A inquisição matou milhares de pessoas por todo o mundo, bastando para isso não seguirem a religião cristã.
        A caça às bruxas matou mais alguns milhares de seres humanos.”

        Mas olha que, nestes casos, foi a ordem estabelecida da altura que se viu ameaçada… por alguns grupos e homens…os que tinham um pensamento diferente…
        Vê o caso de Galileu..o homem atreveu-se, o que ele dizia punha em causa muita coisa, então pumbas! Fogueira.

      • Carlos Faria says:

        ahaah que excelente comentário

  15. Zé Tuga says:

    Na realidade se me cair em cima uma daquelas antenas de 15 m de altura vai-me fazer mal de certeza!

  16. Pedro LR says:

    Ainda me lembro dos ovos estrelados com as radiações dos telemóveis.

  17. Joselito says:

    Quanto mais chinesices na europa melhor!

  18. manuel jose says:

    Só lamento o facto de grande porte dos comentadores usarem computador ou telemóvel para fazer os mesmos comentários e todos com wi.fi bluetooth 4g e sabe mais o que em lugar de dizer disparates desliguem tudo o que for elétrico para assim não ficarem doentes e porém todos os outros malucos com tanta estupidez

  19. Zé Duarte says:

    Com tantas antenas deitadas abaixo e estão em segundo lugar com mais mortos, se calhar usavam o pouco cérebro que têm para ver que não é o 5G que espalha covid.

  20. NMMA says:

    Olá a todos…
    cada um que interprete como quiser….
    deixo-vos um estudo feito em dezembro de 2019 por cientistas….

    Adverse health effects of 5G mobile networking technology under real-life
    conditions (JOURNAL)
    https://iervn.files.wordpress.com/2020/02/adverse-health-effects-of-5g-mobile-networking-technology-under-real-life-conditions.pdf

  21. Oscar says:

    “Discutir com ignorantes é a mesma coisa que jogar xadrez com uma pomba, ela derruba todas as peças caga no tabuleiro e ainda acha que ganhou”.. Prova disso para além destes malucos são os outros malucos que acham que a terra é plana..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.