PplWare Mobile

Apple com muita parra e pouca uva


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. R!cardo says:

    Estes gajos têm grande pancada com as patentes

    • Vítor M. says:

      Eles e todos. Proteger a propriedade intelectual hoje é um dos principios básicos de sobrevivência.

      Olha a Kodak… 😉 durou muitas décadas à conta das suas patentes!

      • JJ says:

        Não lhe valeu de muito… com tanta patente registada… ao fim destes anos todos… declarou falência e vendeu todo o seu catalogo de patentes.

        A patente é valiosa a curto, médio prazo, porque ao fim de um determinado numero de anos (não tenho a certeza, mas julgo ser entre os 25 e os 50), a patente é considerada “universal” (talvez não seja o termo correcto), em que mesmo sendo sucessivamente renovada, chega a um ponto que é mais caro renovar a patente do que o lucro que pode advir da mesma…

      • R!cardo says:

        Era preferível haver uma Openpatentes, assim todos lucravam mais

        • Vítor M. says:

          Principalmente os que nunca investiram um cêntimo para desenvolver nada 😉 Pensa nisso!

          • R!cardo says:

            Eu penso assim, uns desenvolvem e depois alguém gosta da ideia, compra esse ideia e desenvolve melhor. Já pensaste assim?

          • eduardo says:

            @ R!cardo
            Há qualquer coisa estranha nessa alternativa!
            Parece igual ao que já há com as patentes, que servem exactamente para isso

          • R!cardo says:

            O Vítor M. disse que não no post dele

          • Vítor M. says:

            Desculpa Ricardo, o que eu disse é que as patentes devem ser pagas e não usadas “á revelia” de quem as produziu.

            O que está aqui em causa é o valor que se deve pagar por usar e o teu conceito de Openpatentes, ora explica lá o conceito, é que o que ti acabaste de dizer nada tem a ver com openpatentes!!!

            Não mistures as coisas…

          • eduardo says:

            @ R!cardo
            A função das patentes é proteger investimento, dando valor a uma ideia que poderá ser transaccionada ou licenciada! o que tu disseste equivale a isto
            Existe certo tipo de patentes (Open Patents) que permitem que outros possam aceder e melhorar sem custos, respeitando a licença associada! Mas essas patentes não têm nada a ver com o que defendes. Pela sua própria natureza ninguém as pode comprar, ninguém vai ter retorno monetário do investimento pela patente…
            O objectivo destas patentes é a partilha e desenvolvimento duma ideia, tal como as várias licenças “open source”. Mas como coloca qualquer um em pé de igualdade, só tem lógica para certos ideias e não na generalidade, pois a vantagem competitiva reside na diferenciação! E a diferenciação tb é importante para criar novas ideias e novos caminhos… se todos trabalharem para o mesmo, se não houver incentivo para fazer diferente, acaba-se na estagnação!

      • Faria says:

        Vê a coca-cola. Não tem patente… 😛

        • Vítor M. says:

          Sabes porquê? Porque se tivesse teriam que “contar” o segredo 😉 Percebeste agora?

          Mas lá está… tantos tentam e ninguém consegue… o segredo!!!!

          • Jony says:

            Essa lógica não faz muito sentido. Se tivessem que adquirir uma patente tinham que contar o segredo é verdade, no entanto o segredo estaria protegido pela patente, portante cai um pouco por terra esse raciocínio. Atenção que eu não sei se eles têm patente ou não. Se calhar o segredo é a cocaína que no início foi utilizada no desenvolvimento do famoso refrigerante e que agora supostamente já não é utilizada (não é por acaso que tem o nome COCA-Cola :)).

          • eduardo says:

            @ Jony
            as patentes têm um tempo de vida, passado o qual deixam de estar protegidas, logo a protecção é limitada se tens um processo de fabrico que queres proteger!
            Mas o sucesso da Coca-Cola não é por ter esse segredo guardado!

        • R!cardo says:

          Tens a coca-cola do Pingo Doce 😛

  2. Arjo says:

    Para mim a grande novidade da Apple vai ser o IpadAir, ou seja, um Macbook Air em formato tablet. Todas as novidades aí anunciadas são pormenores que não se podem chamar propriamente novidades, mas sim atualizações dos serviços e equipamentos disponibilizados pela Apple, tirando o relógio que será uma novidade, claro.

    • Anselmo says:

      100% de acordo. a mim também me parece! será a confluencia entre o IOS e o MAC OS.

    • eduardo says:

      Algo desse género não vai aparecer nos próximos tempos, pois para isso teria de haver novo OS X, e nem sequer sei se faz grande sentido! É ver a confusão que está a ser com os tablets com Windows 8 e o Windows RT.
      É bem mais provável que o sistema do iPad se torne mais flexível do que aparecer um Tablet Mac, pois é o que caminho mais fácil e com melhor qualidade final; o iPad já tem milhares de aplicações e isso era a coisa mais complicada de se conseguir num novo sistema.

      • Anselmo says:

        Não te esqueças que no MAC OS 10.6 ou 10.7, não consigo precisar, foi apresentado um novo modo de aceder às aplicações, ao estilo IOS, que pede claramente um avanço para touch.
        Poderá não ser a próxima novidade, mas tem lógica que seja para breve.

        • eduardo says:

          Touch não implica tablet! Um Mac como tablet sem alterações profundas teria um mau tablet, tal como o Windows no presente pela confusão que gere.
          Se a Apple já tem um tablet com sucesso e com boas aplicações, parece-me mais lógico que tente caminhar a partir daí… o fundamental são as aplicações e os ficheiros, e o caminho é conseguir aumentar a funcionalidade das aplicações e a comunicação de ficheiros com o que está à volta. O iCloud da Apple mostra claramente esse caminho

    • T. Castro says:

      Ou seja, o Surface Pro da Apple.

  3. Vipan says:

    Há coisas que não se percebe, acusavam a Apple de já não ter cuidado que tinha noutras épocas no que toca a novidades… Agora que não se sabe nada da Apple já acusam de não ter novidades… Até a data a única coisa que está supostamente a falhar é um anuncio de um novo iPad… Mas visto a introdução do mini e de o upgrade do iPad 3 para um 4 muito provavelmente a data de lançamento desta categoria seja para alterar, espero que Jony Ive dê um novo impulso no IOS 7, alias as recentes actualizações das apps da Apple já se nota para melhor as diferenças de interface! O melhor caso é a app de podcast! Em relação ao suposto atraso do Mac OS X 10.9 a meu ver também não seria nada de especial visto ter sido recentemente actualizado e não existir grande coisa para inovar pelo menos para já.

    • Vítor M. says:

      Não é de não se saber nada!!!! É de estarmos em Abril e não haver nada de novo… desde Setembro de 2012, o foco está aí, não é o saber por antecipação, é o haver produtos.

      • eduardo says:

        Não foi em Setembro mas em Novembro, quando foram lançados os novos iPads e Macs, por sinal uma altura invulgar para a Apple, em número tb invulgar; para além disso já há alguns anos que a Apple não lança novidades nos primeiros 3 meses do ano, por isso essa observação não faz grande sentido – descontando o iPad que foi renovado há 5 meses o que tornou improvável qualquer novidade nesta altura, e estragou a fórmula dos anúncios da Apple.
        O que não se espera é que haja novidades ou anúncios relevantes nos próximos 3 meses, o que fará quase 8 meses sem novos produtos e isso sem é estranho, pois a Apple sempre soube distribuir ao longo dum ano esse tipo de coisas para manter atenção nos seus produtos. Mas mesmo isso é ainda especulação, provavelmente deverá aparecer o novo Mac Pro, entretanto, embora passará despercebido ao público em geral; quem sabe talvez novos MacBook…

        Quanto ao “iWatch” se existir, será visto mais como um acessório dum novo iPhone – ninguém quer um relógio Apple, mas poderão querer algo que torne outros produtos mais funcionais! Os primeiros meses do ano não são grande altura para lançar acessórios deste calibre, Setembro parece ser a altura mais indicada.
        Uma nova TV tb não faz grande sentido nesta altura por causa dos picos de consumo associados.

        Já agora uma observação, o Ive ficou responsável pelo design do UI de todos os produtos, mas para além dessa alteração o Mac e o iOS ficaram sobre a alçada duma única pessoa o que tb foi significativo.

        • Vítor M. says:

          Não foi em Setembro pois não e eu digo isso no texto, foi no final do ano, em Setembro foi o iPhone 5. Estás errado, a Apple em 2011 lançou o iPad 2 em Março, e sim foi um grande passo, foi talvez um dos maiores no segmento iPad.

          Mas o que disseste a seguir, vem no seguimento do que referi, e ano passado, no primeiro trimestre, a Apple lançou o Montain Lion lembras-te?

          Portanto, eu estou certo, ora faz lá uma retrospectiva e diz-me se tenho ou não razão 😉

          Já não me lembrava é da Apple não lançar nada no primeiro trimestre de um ano, isso sim!!!!

          • eduardo says:

            :S
            onde é que estás certo? Lê lá o que eu escrevi
            ” já há alguns anos que a Apple não lança novidades nos primeiros 3 meses do ano”…” – descontando o iPad que foi renovado há 5 meses o que tornou improvável qualquer novidade nesta altura,”
            Faz algum sentido dizer que a Apple já devia ter anunciado um novo iPad quando isso aconteceu há menos de 5 meses?
            E faz algum sentido dizer que a Apple não tem anunciado nada, quando o intervalo entre anúncios para esta altura era de 6 meses (Setembro – Março), e ainda não passaram 6 meses?

            O Mountain Lion foi lançado em Agosto de 2012 e queres que a Apple já esteja a falar num novo OS X? A média de intervalo entre lançamentos tem sido 1,5-2 anos, ninguém está à espera dum novo OS X este ano! Estás há procura de coisas que não existem.
            A única observação que realmente faz algum sentido é aquela que escrevi
            “O que não se espera é que haja novidades ou anúncios relevantes nos próximos 3 meses, o que fará quase 8 meses sem novos produtos e isso sem é estranho, pois a Apple sempre soube distribuir ao longo dum ano esse tipo de coisas para manter atenção nos seus produtos”

          • Vítor M. says:

            Foi lançado em Agosto mas apresentado no primeiro trimestre de Agosto e não disse que queria um novo SO, disse sim que não me lembro de um inicio de ano sem novidades.

            Desde 2006… Ou até antes, que a Apple lança no romeiro trimestre de cada ano algumas novidades.

          • eduardo says:

            A observação que fazes não tem em conta o facto de a Apple ter anunciado várias coisas muito mais tarde que o habitual no ano passado…
            Se o intervalo entre anúncios era 6 meses, e se ainda não passaram 6 meses não faz sentido o que queres dizer!
            As novidades que a Apple anunciava em Março ou eram novas gamas ou o iPad. O iPad não poderia ser, e os produtos em rumor tb não fazem grande sentido serem anunciados agora pelo tipo de produtos que são!

            Quanto ao OS X não serve de exemplo pois não há nova versão para ser lançada este ano. Quase todo o novo software está sempre ligado ao lançamento de novas versões de sistemas. E não tem deixado de haver updates.
            O novo Mac Pro é possível que esteja para breve

          • Vítor M. says:

            Ok eduardo. Tudo é possível sim… 😉

      • Micael says:

        Eu acho que a apple vai apresentar o IOS 7 em Abril como fazia antes e lança lo junto com o iPhone 5S em Julho.E só em Agosto irá lançar o novo iPad mini e o iPad 5 por ser mais perto do Natal.

    • Arjo says:

      Concordo, efetivamente a Microsft não deveria ter lançado o Windows RT, nunca irá bater a Apple ou o Android com esse sistema operativo.

      Mas eu já estive na presença de um tablet com o Windows 8 PRO e é simplesmente fantástico, adorei o conceito, pese embora tenha achado o tablet um pouco pesado comparando com o IPAD, mas tambem estamos a falar de máquinas diferentes pois aquele tablet é comparado com o Macbook Air em termos de arquitetura do processador e desempenho e não com o IPAD.

      Por isso, porque considero o MAC OS o melhor sistema operativo, gostava muito de ver um tablet com esse sistema operativo.

      Quanto às aplicações do IPAD, a Microsoft resolveu essa situação muito bem, as aplicações destinadas à arquitetura ARM funcionam num tablet/pc com arquitetura X86 ou X64, julgo que a apple tambem ultrapassaria isso com facilidade.

      Resumindo, dispor no mesmo equipamento Apple a possibilidade de trabalhar como um IPAD e como um MacBook Air seria fantástico.

      Se a Apple não caminhar para essa confluência de equipamentos, quando precisar de mudar de portátil lá terei que comprar um com Windows 9 (nessa altura já será o nove :D)

      • Arjo says:

        Era para responder ao Eduardo 4 de Abril de 2013 às 11:25 am

      • eduardo says:

        O problema está no interface!
        Alguém que queira usar as aplicações do Windows Pro que podem tornar o conceito interessante, deixam de ter um tablet e ficam com um portátil por sinal pior que outras escolhas – precisam de teclado e um rato/trackpad extra, o ecrã é pequeno, etc.
        Se a Microsoft tivesse desenvolvido uma maneira para as aplicações [que são o que interessa às pessoas] transitarem bem entre os dois ambientes então poderia ser funcional, mas não fez isso e ficou uma salganhada
        Um Mac em tablet poderia ter muitos desses problemas corrigidos – o OS X já dá dicas desse caminho – mas teria sempre muitos remendos para funcionar como deve ser como tablet. O que pode acontecer é suporte para ecrãs sensível ao toque, mas não para ter um tablet.
        Eu vejo que será muito mais fácil para o iOS do iPad se aproximar mais da flexibilidade do Mac do que o caminho oposto

  4. Asdrubal says:

    haters gonna hate

  5. Nuno TM says:

    Porque não escrever “HTC: muita parra e pouca uva”… ou LG… ou até mesmo Samsung, se formos a ver não apresentaram também assim TANTA coisa nestes últimos três meses (não, uma nova geração do seu flagship smartphone não basta)…

    e relativamente à análise de mercado… really? Sugeriria que comparassem não apenas com a evolução no mesmo período com a Samsung e a Google e não apenas em termos de preço mas sim de projecções de analistas de tecnologia (sim, a Apple teve uma grande queda nos últimos 8-9 meses, I know)… há que notar que a Apple anunciou o ano passado medidas que tenciona aplicar às respectivas acções (stock split) e distribuições de dividendos que podem afectar a “normal” evolução das sua acções no mercado (por “normal” entenda-se “apenas sujeito aos seus produtos/serviços,…”), tanto positiva como negativamente.

    Call me fanboy all you like, não inviabiliza a minha opinião/análise 🙂

    • Vítor M. says:

      Rapara, o que escreveste é a tua opinião, o que eu escrevi é, como os factos mostram, o reflexo do mercado, embora que tem ali também opinião de quem lida com o assunto, claro, mas vamos aos factos… ou ao facto:

      O mercado está estagnado… ok a culpa é da Apple que nos últimos 7 anos foi quem serviu de locomotiva à inovação, à nova perspectiva de tendência.

      Não falei noutras porque não são essas que, no presente, marcam as tendências, tem sido a Apple… mas nos últimos 12 meses, pelo menos, perdeu o hype de outros tempos. Não é que outros tivessem garantido a sua posição, bem pelo contrario, não vemos ninguém que tomasse a dianteira, mas a Apple também não “sacou” nenhum coelho da cartola, nenhum WOW e é isso que eu, e o mundo que gosta de tecnologia, não percebe, tendo em conta que a empresa de Cupertino nos habituou muito a esse WOW e a esse “One more thing”, percebes?

      • Joji says:

        Vítor, eu continuo com a minha opinião de não se inventa nada de novo à muito tempo, reaproveita-se.. mas novo novo não me estou a lembrar de nada, ate já haviam carros eléctricos à décadas atras..

    • Profect says:

      lol, não queiras comparar a Apple com a Google, nem a nível de acções ou de novidades.. Todos os meses tens novas novidades nos serviços Google, e a nível de acções é o aposto da Apple em vez de descer, sobe.. e não duvido que no próximo mês com a Google I/O não voltem a subir.. Ao contrario da Apple que as actualizações e ultimas novidades que mandam é a corrigir bugs e falhas de segurança, falhas de segurança tão graves como conseguires entrar no Iphone fazendo bypass ao código.. Estamos a falar de gigantes no mundo da tecnologia, comparares Apple com Samsung é uma coisa.. Agora não há comparação com a Google.. é outro nível..

    • Mickey says:

      Só para que saibas nenhuma dessas medidas foi posta em curso. Isso são apenas medidas que os analistas especulam que fosse ajudar a apple a subir o valor das suas ações. Mas na realidade e como a maior parte dos analistas prevê as ações da apple ainda estão inflacionadas, o real valor delas será nos ~300$.

  6. sergio says:

    ainda à pouco tempo saiu o 5 já vem aí o 5s, o mesmo se passa com as outras marcas, numa altura em que metade do mundo anda a contar tostões até ao fim do mês

    • Vítor M. says:

      Vir vem, não sabemos é quando, mas repara, estamos a falar em aproximadamente um ano depois, quando ele chegar ao mercado, o que é o mesmo de sempre… mas nem isso que está em causa, nem é o segmento iPhone!!!

    • Tiago Santos says:

      Que eu saiba ainda não nos obrigam a ter sempre o ultimo modelo. Se o teu dispositivo ainda te satisfaz porque vais comprar o novo? É bom sair constantemente novidades, assim quando o teu dispositivo acabar terás um bastante mais sofisticado 😉

  7. Rui Aguiar says:

    O que chateia o pessoal é que os gajos estão a fazer tudo na calada. E o publico está sempre a espera destes pequenos “boatos” para saciar essa sede.

    • Diogo Antunes says:

      Mesmo a sério, Rui! Já o meu pai diz há muito tempo: “A vantagem competitiva está em saber manter alguns segredos de negócios.” No fundo é o que a Apple proporciona neste momento, que é o uso da sua fama e da sua expectativa para se preparar e reformular estratégias. O Steve Jobs era grande, mas não se esqueçam que o “Mundo Apple” é enorme, e que não foi Steve Jobs a única pessoa a trabalhar sozinha. Na minha opinião, a Apple oferece sem dúvida o melhor conjunto de serviços e produtos no mercado, mas volto a frisar, é a minha opinião, porque me sinto totalmente satisfeito com os produtos que desfruto deles. =)

  8. Carlos Sousa says:

    Este é o típico artigo, que enquanto existir pela Web, mostra que a Apple ainda está no topo…ainda cria expectativa, ainda cria a necessidade de saber mais, de saber que novidades teremos…e ainda faz desesperar quando está alguns meses sem dar deixar escapar novidades…Apesar de quem os escreve deixar transparecer o contrário.

    Já agora, deixo aqui um desafio para o sempre animado debate entre os adeptos da Apple e os Samsung/android…Depois do Rumor de que iria haver um Iwatch, todas as marcas se posicionaram (para não serem acusadas de copiar)que tb estavam a trabalhar num smart watch…ora quantos de vocês acham que alguém se atreve a lançar algo para o mercado sem que a Apple dê o primeiro passo? A Samsung? Pois claro que sim…Já fica aqui a minha opinião…Abraço para todos.

    • JP (djlinux) says:

      Não sou adepto de nenhuma dessas marcas, mas vou deixar a minha opinião.

      Uns meses antes dessas marcas anunciarem os “fantásticos” Smartwatch’s, já a Pebble se tinha adiantado. Logo, tudo o que vir a seguir, mais ponto menos ponto, são apenas copias das copias que já tinham sido copiadas, bla bla, ou seja, mais do mesmo. Seja da Apple, Samsung, LG, etc…

      Cmps

      • eduardo says:

        “smartwatches” já existem há alguns anos.
        A grande questão é qual a funcionalidade e interesse que se poderá tirar dum produto desses. quem conseguir arranjar a fórmula correcta, se algum dia existir, ficará com os créditos!

    • golias17 says:

      A coisa engraçada é a sony já lançou modelos, não vincaram mas tens ai uma empresa que teve a coragem.

      • eduardo says:

        A própria Microsoft tentou uma nova plataforma que foi usada para relógios do género.
        Tudo tem falhado porque são incapazes de gerar interesse. Ninguém quer um relógio que faz mais umas coisitas mal ou raramente usadas. E não será a simples comunicação com um telemóvel que poderá gerar algum interesse.
        Na minha opinião será a incorporação dum conjunto de sensores biométricos e interacção fácil com alguns objectos do dia a dia que poderá de alguma forma trazer funcionalidade capaz de criar interesse

        • golias17 says:

          Só mesmo com algo assim desse género é que talvez tenha algum sucesso, de outra maneira também não vejo grande utilidade.

          • eduardo says:

            é a minha opinião! mas tb há anos que não uso relógio no pulso.
            O sucesso vai ser por “pequeninas” funções muito bem feitas que facilitem muito certas acções e proveitos!
            Imagina NFC no relógio com um leitor de impressões. Quem é quererá tirar/procurar pelo telemóvel se só tiver que encostar o pulso e pôr um dedo no relógio!?

    • JJ says:

      “ora quantos de vocês acham que alguém se atreve a lançar algo para o mercado sem que a Apple dê o primeiro passo?” – Qualquer empresa tecnologicamente capaz e confiante, lança sem ficar a espera que outra empresa o faça primeiro.

      Se disseres que de forma geral as empresas estão com medo de arriscar o lançamento de algum produto que possa a não vir ter sucesso, acredito. E por isso, estarem todas a espera uma das outras para lançar um produto.

      Alem disso, talvez esta “calma” geral para os lados da Apple e até no caso de outras empresas na área, é a expectativa que o Windows 8 continua a fazer de forma geral. A Microsoft foi a empresa que fez mais recentemente um grande lançamento, o que com a estagnação dos mercados, ainda não se consegue perceber que impacto teve e terá esse lançamento.

      Apesar de perante algumas perspectivas, para-se ter corrido mal, mas perante outras perspectivas esta a seguir um bom caminho. A questão será, para Apple e afins, se vale a pena lançar algo para combater o lançamento da Microsoft ou não vale a pena a preocupação? Qual será o caminho a seguir?

      Não esquecer que a Microsoft, continua a ser um monstro da tecnologia e apesar de parecer estar fraco, as empresas concorrentes tem a consistência que isso não quer dizer nada. Alem de que a Microsoft esta a passar de um estado de “odiada” para “vitima”, com as repetidas multas sem sentido e perseguição exagerada, e as pessoas tem a tendência de virar-se para a “vitima”… ou pelo o menos darem mais atenção.

    • Profect says:

      Google.. tens o exemplo dos Google Glass..
      Vai ver os da Apple xD

      • Vítor M. says:

        Isso sim, é um flop á maneira, com estilo 🙂

        • Mickey says:

          Assim como o relógio 🙂

        • PR says:

          Ai já é flop? LOL
          Não tem lá o precioso símbolo, pronto..

        • golias17 says:

          Os homens apresentaram um protótipo, está em fase de desenvolvimento, quem já experimentou falou bem. Ainda nem sai para o mercado e já lhe chamas flop? Das duas uma ou tens poderes ou informações confidenciais.

          Agora sem ser na brincadeira, a ideia nem é assim tão má quanto os críticos fazem querer e tem muito mais potencial que um relógio, mas é que nem se compara.

          • Vítor M. says:

            O relógio… se for para dar horas… não acrescenta nada. Se tiver GPS/WiFi/3G e poder ser localizado… é brutal a ideia, principalmente para pegar no conceito nano, e juntar uma série de coisas fantásticas, até para controlo parental…

            O glass, na minha opinião e um dia diz-me alguma coisa, é um flop por várias razões: em termos de interacção com as capacidades humanas está mal desenvolvido, nós “olhamos” e retemos informação com os dois olhos, o dispositivo causa distracção e cansaço, não é para ser usado com frequência, tem um preço proibitivo para ser uma “coisa” de fim de semana radical, é frágil, necessita de um dispositivo terceiro, neste caso um smartphone, o que o torna mais inútil ainda e não é de todo desenvolvido para todas as pessoas.

            Tem um limitado grupo de utilização o que condiciona o sucesso. Repito, na minha opinião… é um flop, conforme deixei no início do ano presente nas minhas declarações ao CM.

            Mesmo que fosse da Apple, era um flop, como a Apple já teve alguns e grandes!

          • eduardo says:

            a ideia é boa, mas não para o mercado que a Google quer!
            A ideia da Google implica estar sempre a usar para se tirar a funcionalidade pretendida e isso será uma fonte para vários problemas da mais variada espécie!
            Mas como ferramenta de trabalho (certo tipo) é sem dúvida uma boa ideia

          • golias17 says:

            Com tudo o respeito o que é que o relógio trás de novo, que o telemóvel já não faça, que valha mesmo a pena?
            Ao menos o glass trás coisas novas e ideias novas, novas possibilidades, ainda está em fase beta logo o preço é normal. Acredito que não vá ser barato, diria mais é uma tecnologia cara para a época, podes chamar flip, mas nunca há de ser falta de potencial, só mesmo o preço é que pode parar este projecto.

          • eduardo says:

            @ Vitor M
            Não vejo a ter GPS nem WiFi. Implicam consumo excessivo para proveito marginal para a possível funcionalidade, com ecrã pequeno ninguém vai ver mapas ou internet. 3G talvez um dia, se passar para algo mais que um acessório, mas cria problemas de consumo a evitar no lançamento.
            O bluetooth seria de certeza necessário, para comunicação com o telemóvel.

          • Vítor M. says:

            Depende do conceito. Find my iWatch seria um conceito a aproveitar e traria apps únicas, não para navegação, mas para georeferenciação 😉 novos conceitos e novos aproveitamentos das tecnologias.

            Mas há equipamentos bem mais pequenos com tecnologias GPS que não são para navegar 😉

          • eduardo says:

            Find my iWatch?
            A Apple não incorporou tecnologia em telemóveis ou computadores para ter essa funcionalidade. Aproveitou o que já existia e era necessário. Não vai por GPS ou Wifi para ter uma funcionalidade marginal para algo que é bem mais dificil de perder pois fica no pulso, e quando o telemóvel já tem isso.
            Para além de que com o bluetooth facilmente pode ter uma alarme associado a distância dum telemóvel!
            Dispositivos mais pequenos com GPS servem para que outros aparelhos possam seguir a posição desses objectos, não me parece que isso traga grande funcionalidade a quem estiver a usar – marginal – quando certamente o consumo é uma grande preocupação para a primeira versão do produto

          • golias17 says:

            De tudo o que vi e li continua a achar que é gastar dinheiro a toa, não vai trazer nada de novo que vala mesmo a pena, mas espero ter uma surpresa.

        • Profect says:

          Flop foi o IMaps ou Apple Maps como preferires xD

        • AX says:

          Tanto os Google glass como os relogios (que espero que nao venham) sao um flop. Prefiro ter um smartphone no bolso e um omega, seiko, timberland, oq for no pulso, doq uma especie de dispositivo nano.
          Vitor acho q te esqueces-te de uma das grandes razoes pela qual eu acho q Google Glass nao vai funcionar – bateria. Se nos smartphones já é oq é e tem 10x o tamanho de um par de oculos, entao suponho q a bateria dure 1h.

      • eduardo says:

        É sem dúvida inovador… mas extremamente intrusivo e falta saber até que ponto será confortável e fácil de usar-habituação.
        Será um dos poucos produtos que antes de sair para o mercado já terá sinais de proibição de uso!

        • golias17 says:

          Eu não sei até que ponto é incómodo, mas do que vi e li é fácil de usar.

          Continuo a dizer que é uma ideia inovadora e bem aplicada vai ser um excelente ferramenta de trabalho, não tanto lazer.

          • eduardo says:

            Achas!?
            Há muitos anos que os militares usam aparelhos com visão parecida. Toda a gente sabe que o seu uso requere treino para habituar a visão, e mais treino ainda para se conseguir realizar tarefas enquanto se obtém informação diferente no campo de visão – a capacidade de atenção e concentração é limitada.
            E como qualquer pessoa que tenha usado óculos sabe as armações podem se tornar desconfortáveis.
            Isto é só parte dos possíveis problemas, pois a habituação da visão tem consequências…
            Por isso é que acho que como produto de consumo geral não vai ter grande mercado. Agora como ferramenta para usos específicos é sem dúvida um bom desenvolvimento.

  9. JJ says:

    Rumores são rumores, mas não passam disso.

    O que acredito que esteja a ficar preocupado, nem são os consumidores em geral, mas sim os bolsistas. A historia da Apple, mostra momentos extremamente altos em popularidade e momentos extremamente baixos em popularidade. Ou seja, o receio dos mercados é saberem se o dinheiro investido em bolsa, vai se perder ou não.

    Não estou a dizer que a Apple vai voltar ao que já passo, porque de momento tem uma estrutura totalmente diferente. Mas a questão é que o abrandamento na inovação, começa a não dar nada de verdadeiramente novo do que meras melhorias do que já tem fruto do avanço natural da tecnologia.

    No meio disto tudo, das duas uma… ou a Apple esta a preparar algo “bombástico” para o mercado… ou esta com falta de ideias para voltar a destacar-se da concorrência.

    Na minha opinião, será mais a segunda situação, apesar de acreditar na primeira situação, mas não para curto prazo.

  10. high fidelity says:

    podem dizer o que quiserem da apple…podem dizer o que quiserem do ipad mini que nao tem hipóteses contra o nexus. ..mas adoro o meu de 32 gigas…simplicidade e qualidade é o que distingue e sempre irá distinguir a apple dos outros produtos. ..

    • Profect says:

      Isso concordo plenamente contigo.. De longe que a simplicidade do IOS é superior ao Android.. por isso é que vês bastantes crianças até aos 16 anos com Ipad’s.. e no futuro vai ser provado que até os cães conseguem trabalhar num Ipad devido à sua simplicidade.. é que é tão fácil mexer num Ipad.. é pena é não fazeres nem metade das coisas que fazes num Nexus.. Mas é compreensível.. Um Nexus já é necessário um bocado mais de inteligência..

      • Vítor M. says:

        Os tipos que criaram o Nexus usam iPad.

        • Boinas says:

          E os que criaram o ipad usam nexus…
          não faz sentido criar um produto sem testar a concorrência e não faz sentido criar um produto e depois não o testar, usando-o…

      • eduardo says:

        :S
        Inteligência para fazer o quê?
        Há muito menos aplicações produtivas para tablets no Android do que no iOS.
        Para mostrares essa inteligência no Android terias que ter as ferramentas.

        • Profect says:

          Se trabalhas com redes, e queres ser produtivo usando o smartphone/tablet compara os dois.. tu no Android tendo root arranjas aplicações para redes/segurança que no iphone bem podes sonhar em arranjar.. esta é uma area de exemplo, pois existem bastantes mais..

          • eduardo says:

            Gostava de saber que exemplos mais são esses, pois aplicações feitas a pensar em Tablets no Android são em pequeno número.

          • golias17 says:

            São pequenas mas as cada vez há mais e as mais importantes existem, esse argumento que o ipad é melhor porque tem mais apps, pouco cola. O nexus é melhor em vários aspectos, mas a Apple tinha de lançar algo fraco para depois vender mais.

      • End of times says:

        Só por essa tua frase mal concebida dá para realmente confirmar que quem usa os nexus sao os mais inteligentes…ate os analfabetos conseguem trabalhat com o equipamento…o teu flipboard e o angry birds…

  11. Manel says:

    Interresante..
    Na historia da Apple, podemos reparar que por vezes foi abaixo, das piores chamaram sempre de volta o steve. Foram eles que o mandaram embora pelo menos 2 ou 3 vezes, e dessas teve para extingir todas elas.
    Parece que so aquela pessoa conseguia impulionar na empresa e criar inovações, a Apple esta sem a imagem e poder de outra hora, e a perder terreno no mercado tecnologico onde as inovações são quase todos os dias..
    é certo que ainda tem uma grande importancia, mas sera que não iremos ver outra vez o mesmo filme?
    O final é que podera ser diferente..

  12. vitor soares says:

    Excelente artigo……

  13. Gilberto Pereira says:

    Excelente artigo. Parabéns Vítor M.

  14. João Reis says:

    Venha o 6, 5S vai ser aborrecido, especialmente se mantiver o formato de ecrã do 5, que é certinho que aconteça como de costume.

    iPhone 5 para mim foi um Flop, não trocaria pelo meu 4S, pelo toque na mão, pelo uso, o ecrã assim esticado não faz sentido.

    E agora vamos ter mais 1 ano de estagnação no telefones.
    Se ao menos existisse concorrência a sério, e não coisas feitas em plástico com sistemas operativos, digo em termos de solidez e robustez. Não existe concorrência para a Apple, existe sim outra opção, mas isso não implica que se chame concorrência, não concorrem porque são feitos para outro tipo de utilizador.

    • eduardo says:

      É muito provável que o novo iPhone traga NFC e sensor biométrico, o que deverá tornar funcional o uso da tecnologia que ainda está em pouco uso.

      • Profect says:

        pouco uso em Portugal queres tu dizer..

        • eduardo says:

          em Portugal , na Europa… Nos Estados Unidos agora é que começa a haver mais adopção, mas ainda longe de ser generalizado.
          Basta ler um pouco a noticias para se saber isso. O sucesso do NFC está dependente de haver terminais de pagamento um pouco por todo o lado, o que ainda não acontece!

          • golias17 says:

            Eu diria que se podem fazer coisas muito mais interessantes do que apenas pagamentos, o nfc é uma tecnologia com muito potencial e vai ser aproveitada mais cedo ou mais tarde.

          • eduardo says:

            Dizes bem, podem se fazer coisas interessantes, mas que ideias interessantes é que há no mercado ou em serviços?
            A generalização implica que muitas pessoas tomem contacto com algo que lhes facilite a vida e traga vantagens notórias, não a mera ideia de talvez possa aparecer alguma coisa um dia, ou qualquer coisa acessória. Os pagamentos são o único meio para o NFC ter esse reconhecimento generalizado, só com essa adopção é que depois irão aparecer outros serviços.

            Pensa nos novos cartões do cidadão. Qual é que foi adopção da tecnologia que tem, mesmo havendo tanta gente com um?

    • LP says:

      “outro tipo de utilizador”
      Acho fantástica esta ideia que a Apple vende ás pessoas, de que se têm um produto Apple, são diferentes, são especiais, fazem parte de um grupo restrito. Outras marcas tentaram, como a Nespresso, sem o mesmo sucesso…

    • JJ says:

      “Não existe concorrência para a Apple, existe sim outra opção, mas isso não implica que se chame concorrência, não concorrem porque são feitos para outro tipo de utilizador.” – Esta não percebi… a Apple não tem concorrência? Qual é a diferença entre um utilizador Apple e um não Apple?

    • PR says:

      Sempre a queixarem-se da robustez e solidez do SO..Honestamente gostava de saber que problemas existem no dia a dia na vossa utilização com os smartphones.. Diz lá os problemas de robustez e solidez dos Android ou WP numa utilização diária..
      Mas tens conhecimentos para falares de plásticos? Não me parece 🙂

    • Profect says:

      Existe um ditado bastante conhecido que é :
      “Quando não se sabe do que se fala mais vale estar calado do que dizer m….”

  15. Sergio J says:

    Há uns meses falava-se na convergência entre o Mac OS e o IOS. Agora é transferida parte da equipa de desenvolvimento de um para o outro. Podemos analisar isto de duas formas: ou é a tal convergência e as funcionalidades colocam a fundir-se (pode não ser o OS todo) ou as alterações são grandes que levaram a necessidade que a equipa fosse emprestada. Podem falar que é para compensar os atrasos, mas alterações como do r para o 5 ou do 5 para o 6 não o justificam, portanto vem aí algo grande.
    Produtos podem estar a ser adiados por causa do novo ios7.

    • eduardo says:

      Isto já acontece há anos! Quando é necessário acelerar, algumas equipas passam para o projecto prioritário! No lançamento do primeiro iPad foi o que aconteceu.
      Como os dois sistemas têm a mesma base e APIs, imagino que não seja muito complicado fazer isto! Convergência já lá está desde o início
      Para além disso o último sistema foi lançado em Setembro, e se o novo sair em Julho têm menos tempo que o habitual!

      • Sergio J says:

        Mas é aí onde eu quero chegar. O lançamento do Ipad era algo novo. Nao era um simples update. O que digo é que vem aí algo mais que um simples update. O que é, não sei. Apenas lancei algumas possibilidades

        • eduardo says:

          Por essa lógica então há sempre qualquer coisa em grande a sair da Apple. Se leres um pouco de como se trabalha na Apple, verificas que muitas equipas saltitam entre projectos. O lançamento do iPad era prioritário, havia um calendário a cumprir… acho que é fácil de perceber porque é que se vai buscar mais pessoas quando o tempo começa a apertar.

          Quem fez circular este rumor tb disse que se devia às modificações que o Jonathan Ive queria introduzir no interface, mas ninguém fala em grandes alterações… basta haver mudanças nos planos para as coisas se atrasarem

  16. limonete says:

    “Muita parra e pouca uva” sempre foi o lema da Apple, sempre viveu à custa “da parra”… i.e., vende parra ao preço da uva, e os clientes papam parra, mas sabe-lhes a uva… tem sido a receita de um sucesso que aos poucos se vai desvancendo, talvez por assentar em parra e não em uva.

    • Vítor M. says:

      Sim, a história está cheia desses exemplos, como os primeiros portáteis, os primeiros PDA’s, o primeiro sistema operativo estável, o primeiro conceito cloud mostrado por Steve Jobs, na década de 80, o primeiro ecrã multi-toque que acabou com o reinado do Windows Mobile, a criação do novo e mais promissor segmento da actualidade, os tablets, vulgo iPad, todo um conceito de ecossistema hoje tentado por todas as marcas que perseguem a ideia de ter hardware, serviços, software, loja de venda de software, loja de venda de música e conteúdos multimédia e loja online de venda disto tudo.

      Lojas físicas nos 4 cantos do mundo e uma legião de pessoas que, usando os seus produtos, criaram a Google, o facebook, o YouTube, o Twitter e tantos outros serviços hoje essenciais.

      A uva e a parra que fizeram andar este mundo… desde há uns anos para cá 😉

      • PR says:

        Primeiro SO estável? Ora qual foi mesmo a versão? Já gozava má fama o Windows?
        O primeiro ecrã multi-touch só se foi para venda ao público porque a tecnologia foi desenvolvida no CERN em 1977 e depois na Univ Toronto em 1982.
        Só faltava dizer que o tablet foi um conceito do Jobs 🙂

        Então foi só esse senhor que andou com o mundo tecnológico para a frente..tudo o resto assistiu e apanhou o comboio 🙂

      • limonete says:

        Muito de opinião pessoal e pouco de factual nesta resposta…

  17. Abílio says:

    Também acho um bom artigo.

  18. Ze says:

    Qual o objectivo deste post afinal?
    Relembrar que a Apple n esta esquecida?

    Fico a aguardar o dia de quando irá ser feito algo deste género para a Google,Microsoft, Samsung, Nokia, Sony, HTc etc.. !!!

    Não pode ser so feito algo para a mesma de sempre !!!

    • Vítor M. says:

      Zé, é feito todos os dias, lembramos todas as tecnologias todos os dias. Este post é para dar a conhecer que os rumores já estão “fora de validade” que o que interessa é facto!

      Tens algum facto a acrescentar ou só teorias?

  19. vitor soares says:

    Sinceramente… não entendo nem compreendo esta constante “guerrinha” entre utilizadores das diferentes plataformas.

    Cada um utiliza a plataforma que quer e ninguém tem nada a ver com isso.

    Parecem que são accionistas ou administradores das diferentes marcas…

    quero lá saber se a Apple é flop ou não. Se a Google vende mais… hoje utilizo apple amanha utilizo Samsung… ou outra coisa qualquer.

    só tenho que agradecer que cada uma das marcas puxe pela outra, pois assim sairemos todos beneficiados, pois o que eu quero é plataformas mais desenvolvidas e com melhores ferramentas e dispositivos melhores e mais baratos

    Relativamente ao resto…. quero lá saber.

    AGORA DE UMA COISA TENHO A CERTEZA: NUNCA IREI CRITICAR OU OFENDER ALGUÉM, SÓ PORQUE USA UMA PLATAFORMA DIFERENTE DA MINHA.

    • golias17 says:

      Estas guerrilhas quando bem feitas, funciona como troca de ideias, por para a maior parte das pessoas é impossível testar todas as plataformas, deste modo se eu digo que a minha é melhor por isto e a tua é melhor por aquilo, assim aprendemos coisas novas sobre as duas que não conhecíamos e quem sabem mudamos para melhor, para cada um claro.
      Concordo que quando se parte para o insulto tudo fica perdido.

  20. Ricardo says:

    È a politica da empresa em engordar os lucros, se saísse agora um icoiso qualquer com um parafuso xpto liga corcodilo, ganhavam milhoes com isso, porque todos iriam trocar pelo ultimo grito de parafuso, e gastando mais uns 500€. Passa-se isto nos tlm, nos carros, nos pneus, em tudo. As pessoas não são racionais a pensar.

  21. Cenas says:

    Ó Vitor toma lá uma crítica, toda a gente que lê o PPLWARE e os teus artigos/posts, percebe que apesar de tu teres tido Androids/iPhones/iPads tens um gosto especial pelo material da Apple (estás no teu direito, e é a tua opção porque achas que é o “melhor” para ti). Mas, não achas que estar sempre a repetir 20 vezes na mesma notícia o teu ponto de vista, não achas que é demais?

    PS: Não é por haver developers na google/facebook/… a usar macbooks/iPads/etc.. que se diz que se não fosse a Apple nada disso existia. Da mesma maneira que tens pcs com windows ou versões de linux a serem utilizadas como máquinas de desenvolvimento.

    • Vítor M. says:

      hahahaha está visto que tu não comungas da minha opinião mas tens a tua e que não flexibilizas, é a tua… Ok, fica com ela, 😉

      Já não se pode dizer uma vez que repetem logo 20 vezes 😀

      PS: tens tudo meu caro, tens tudo e ainda bem que assim é.

  22. golias17 says:

    Bom artigo, com boas ideias bem resumidas, agora acho que nos últimos tempos não podemos esquecer que as novidades de tablets pequenos e telemóveis com ecrãs cada vez maiores não foi a Apple a marcar passo.

    Quer queiram quer não tem sido a tendência do mercado, uma Apple forte faz falta, mas as outras empresas também têm capacidade para marcar algumas tendências.

  23. Manecas says:

    Posso não ter sido fan do Steve mas confesso que os ecrãs maiores do que 3,5 são demasiado grandes para um smartphone. Nesse aspecto tenho quase a certeza que apesar de algumas ideias ainda do Steve o iPhone 5 em termos de design não teria passado para o mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.