PplWare Mobile

Tim Cook pede desculpa aos utilizadores Chineses do iPhone 4


Autor: Pedro Simões

Destaques PPLWARE

  1. ChumChum says:

    Hum começo a gostar mais desse Tim… coragem para vir ao publico assumir as falhas da sua companhia nao lhe falta… não me lembro de um CEO com tal postura. 🙂

  2. RJP says:

    A propósito: https://www.youtube.com/watch?v=f3a42dMgvkU
    Deu à pouco na sic notícias em pt. Ainda vão a tempo de ver “programmed obsolescence”

    • Pedro says:

      epa isso em frances é complicado :p

    • Rodrigo Quiterio says:

      Vi o documentário e estava muito fixe 🙂

    • Alexandre says:

      ACONSELHO VIVAMENTE A CONSULTAREM/VER ESTE PROGRAMA. ELE FOI PASSADO NA NOITE DE ONTEM (2ªFEIRA) NO PROGRAMA “TODA A VERDADE” NA SIC NOTICIAS.

      OS GIGANTES ELECTRÓNICOS BRINVAM COM O DINHEIRO DAS PESSOAS!

      • Benchmark do iPhone 5 says:

        “Em 1985 um computador durava pelo menos uns bons 10 anos”.

        Conversa da treta. Mais um pouco diziam que nessa altura toda a gente tinha computadores pessoais baratos e potentes.

        Como se dizia há uns anos, se os meios de transporte tivessem tido a evolução que teve a informática, agora comprava-se um automóvel que dava para fazer uma ida e volta à lua com €100 de combustível.

        Saem novos produtos informáticos a cada 3 meses. Proíbe-se as empresas de os lançar ou tem-se o bom senso de, se se está bem servido, esperar uns anos para adquirir um novo produto ? Acho que o problema não é a obsolescência programada, é o consumismo descontrolado.

        • Luís says:

          Concordo parcialmente consigo.

          As pessoas tem que ter a noção do que fazem, do que compram e quando compram!

          Eu tenho o mesmo carro há 10 anos (e ainda vai durar mais alguns) e tenho um portátil há 5 anos (e também conto durar mais alguns).

          Nunca nenhuma empresa, seja ela qual for me apontou uma arma à cabeça para lhe comprar o que quer que seja…

          Há que ser regrado e não ser consumista.

          Tão simples como isso. E olhe que eu adoro todas essas novas tecnologias!

  3. eduardo says:

    O que a Apple fez foi tentar sanar um problema de relações públicas devido a uma campanha orquestrada para denegrir a sua imagem na China.
    Basta ler as várias noticias que foram surgindo ao longo das últimas semanas, em que tudo começou num programa de TV estatal que tentava mostrar supostos clientes insatisfeitos, que depois se veio a descobrir tinha sido orquestrado.
    Convém relembrar que neste momento há uma “pequena” guerra entre a China e os Estados Unidos por causa de companhias de equipamentos de telecomunicação

    • Vítor M. says:

      Na China tudo vai ser ‘entrave’ á Apple. Os chineses querem fronteiras abertas e tudo sem taxas aduaneiras, para os seus produtos, mas dentro do seu país, inventam de tudo para complicar a venda de marcas estrangeiras.

      Este não será o último percalço que Tim terá de ‘engolir’. É vida!

      • AS says:

        Vítor, cá podiamos aprender esses hábitos dos chineses! 😉 infelizmente parece estar a funcionar ao contrario por cá!

      • Besunta says:

        Uma coisa a Apple terá sempre de engolir. Primeiro que depende e mto da china pq estes det~em grande do capital cotado em bolsa da dita empresa. Depois pq o mercado chinês é um dos maiores senão o maior do mundo com milhões de compradores de iPhones, e alguns bastante fiéis, pq até a histeria europeia já adotaram, na altura de lançamentos de novos produtos. Por último convém lembrar que a Apple não é só arrogante na China, aqui na europa já foi condenada várias vezes pelo não cumprimento da grantia obrigatoria de 2 anos, e pelos vistos é uma empresa mesmo arrogante pq a tal coisa, até hoje ainda não cumpriu continuando a pagar multas.

      • eduardo says:

        mas em lado nenhum deste artigo se fica a saber deste pormenor importante, fica-se com a ideia de que os clientes chineses estavam insatisfeitos quando pelos vistos foi a comunicação social estatal a criar a polémica.
        Quem ler a noticia na BBC ou no The Register fica com uma ideia bem diferente

  4. oh. says:

    Ao contrário da Samsung não assume coisa nenhuma…quem trabalha para a Samsung no apoio a cliente sabe disso…!
    -“ah e tal este problema é mais que comum neste smartphone, está mais que debatido nos foruns”
    – “Não sabemos nada acerca desta situação, apenas é uma situação muito rara de acontecer”

    E é assim…

    • David says:

      Concordo plenamente tive um S3 4G so tinha problemas com telemovel assistencia tecnica samsung dizia mesmo tudo normal acabei por vender o telemovel e ate digo parece mentira nunca mais samsung vou comprar Iphone!

  5. Sergio J says:

    O problema é que era o próprio estado que estava a boicotar a entrada em força no mercado da China. Falava-se que era uma forma protecionista de marcas chinesas como a Hawey ou a ZTC. A ver vamos se isto será diferente para que o estado chinês para a campanha que estava a fazer.
    Não esquecer que este é porventura o maior mercado, ainda por cima um mercado ainda bastante virgem.

  6. pedro says:

    Normal num estado comunista serem nacionalistas!!

    PS: e é Huawei 🙂

  7. slady says:

    Apple falha samsung aplaude.. mas gostei da atitude.

  8. Eduardo says:

    “utilizadores Chines do iPhone”…

  9. Ognito says:

    Estas grandes marcas lucram também na má assistência que prestam. Preferem investir em publicidade e marketing e poupar neste capítulo. Quando a Nokia era uma marca de sucesso tinha uma assistência péssima, filas enormes no centro de reparação, uma taxa enorme de recusa de reparações ao abrigo da garantia pelos equipamentos apresentarem “pontos de humidade”… Depois veio Apple. Foi a única marca que contactei que à pergunta qual é o prazo da garantia me disse que era a de lei. Dois anos? perguntei, A resposta – É a de lei. Qual lei? (não disse). Após muita insistência o que a operadora queria dizer é que o IPOD por ter sido faturado a uma empresa só tinha garantia de 1 ano. (de facto é o que a lei diz, os 2 anos são um mecanismo de salvaguarda do consumidor, uma empresa não é consumidor). E assim perderam um consumidor…

  10. Adamastor says:

    Pudera são os chineses que fabricam os iphones so tinha de lhes pedir desculpa em publico.

  11. Luís says:

    Apenas me apraz dizer é que tenham mais cuidado com a ortografia… É-me difícil aceitar que num site com a V/ expressão haja tantos erros gramaticais…

    Aprecio bastante oas V/ reportagens e notícias, mas custa-me ler com erros.

    Peço que aceitem como uma crítica construtiva.

    Muito Obrigado.

    • Luís,

      Obrigado pelas suas palavras. O texto em causa foi traduzido do idioma original e depois para Inglês usando as ferramentas disponíveis.

      Provavelmente perdeu-se aí pelo meio alguma palavra ou surgiu algum erro.

  12. Benchmark do iPhone 5 says:

    Depois do pedido de desculpa a Apple já passou a ser a maior:

    «Os jornais chineses, que atiraram pedras à Apple há alguns dias, já mudaram de tom.

    “A carta de desculpas da empresa aliviou a situação, suavizando a relação tensa entre a Apple e o mercado chinês … A sua reação merece respeito comparada com a de outras empresas americanas”, escreveu o tablóide popular Global Times, publicado pelo Partido Comunista local» (Reuters)

    Quem pode, manda, e o dinheiro manda muito.

    P.S. Se nas “outras empresas americanas” ainda está incluída a Google não sei. Sei que tinha grandes problemas com o governo chinês.

    http://www.reuters.com/article/2013/04/02/us-apple-china-apology-idUSBRE93108320130402

  13. joao says:

    Quer parecer se avaliarmos o caminho da Aplle da alguns anos a esta parte , que algo vai muito mal naquele reino.

    Se calhar esta a descambar de vez

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.