Quantcast
PplWare Mobile

NASA: Telescópio Hubble fotografa as etapas finais da vida de uma estrela

                                    
                                

Imagem: NASA

Fonte: NASA

Autor: Vítor M.


  1. gui says:

    Nebulosa planetária NGC 5307 localizada a uma distância de aproximadamente 10.000 anos-luz da Terra, ou seja,
    94.608.000.000.000.000 de quilômetros. Fantástico. Só espero que a NASA não perca esse telescópio, como perdeu as fitas da Apollo 11 que depois foram leiloadas por um ex-estagiário seu.

    • Vítor M. says:

      Perder? Não é possível atualmente. Até porque esta informação foi já partilhada por vários centros de investigação. Aliás, é partilhada em tempo real.

      • gui says:

        Sim. Senhor. Eu falei em perder o Telescópio, não a informação. Um Telescópio que tira uma foto de algo a 94 quintilhões de quilômetros é muito valioso, não?

        • joao says:

          tens nocao que um telescopio no espaco “nao tem” interferencias como aqui na terra certo? logo pode “espreitar” muito mas muito mais longe que qualquer um aqui na terra. quando vou a aldeia dos meus cotas e olho para o espaco a noite ate bato mal de ver tantas estrelas no ceu que na cidade 90% se perdem. agora imagina um telescopio no espaco sem “lixo” a tapar a lente.

    • Toni da Adega says:

      Por muito que negues que estas coisas existem, basta olhar para cima com um telescópio e consegue-se visualizar imenso.

      • Cesar says:

        Só gostava de saber qual é o partido que este pessoal tira ao dizer que não é verdade. Qual poderia ser a vantagem da NASA ou outros quaisquer de mentirem sobre este tipo de coisas…

        • V3rm3 says:

          Para manter a venda de papel de aluminio alta entre esta malta, lol

        • Toni da Adega says:

          NASA não, segundo eles a invenção dos espaço e planetas é obra do Galileo.
          A NASA (com ajuda da russia na altura da Guerra fria) só elaborou a coisa.

        • joao says:

          é povo que nao ve mais alem do que lhes é apresentado. acredita que ha muitos e nao é so sobre o espaço. nao tem capacidade cognitiva para interpolar dados. podes passar a vida toda a tentar explicar mas nunca vao perceber.

    • Nuno V says:

      Não percebo qual é o problema, em locais com pouca poluição luminosa e com céus limpos é possível ver a M 31 a olho nu, e esta encontra-se a mais de 300 vezes mais longe (2,4*10^19 km) que NGC 5307.

      As fitas leiloadas não são as fitas desaparecidas. As fitas leiloadas são de 2 polegadas cujo vídeo está em NTSC, as perdidas são de 1 polegada SSTV. Isto é que é enfiar a pata na poça.

  2. nacho vidal says:

    Ola malta, tenho 7 anos. Alguém me explica como é que um telescópio que consegue vislumbrar a 94.608.000.000.000.000 de quilómetros da terra, não consegue ver uma bandeira que está na lua a 384 403km?
    Antes de mais agradeço.

    • Cassio Luis Riboli says:

      Se a bandeira estiver no outro lado da lua não vai ver né

    • Nuno V says:

      Não é só a distância que tens que ter em conta, mas também o tamanho do objeto. Vamos imaginar que a bandeira é circular com 2 metros de raio e encontra-se estendida no chão. Ou seja estou a ser extremamente caridoso com este cenário. Ora sendo assim, esta “bandeira” vista da terra possui um diâmetro angular de 0.0021 arcsec (2*tan^-1(0.002/384399)*3600). NGC 5307 encontra-se várias ordens de magnitude mais longe que a bandeira, mas também é ordens de magnitude maior que a bandeira, tal que o seu diâmetro angular é de 0.327 arcmin, ou seja, 19.62 arcsec. Isto significa que NGC 5307, mesmo estando mais longe que a bandeira, possui um diâmetro angular 9343 vezes maior que o ultimo. Por isso é que conseguimos ver NGC 5307 e não a bandeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.