PplWare Mobile

Jeff Bezos tem um plano para “salvar a Terra” e ninguém tinha pensado nisso


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Jota says:

    Não vás ao médico, não!

    • Wishmaster says:

      É mais um para mamar na teta da vaca chamada Estado. 🙂

      • Jota says:

        O divórcio deve-lhe ter queimado uns neurónios! 🙂

      • IonFan says:

        Sempre os mesmos velhos do Restelo…

        A Blue Origin é privada e de investimento privado: “Blue Origin, LLC is an American privately funded aerospace manufacturer and sub-orbital spaceflight services company headquartered in Kent, Washington”. Só agora é que estão a começar a concorrer aos contratos públicos. Os únicos contratos também privados que têm e estão a cumprir são com ULA para fornecer motores BE-4 para o novo foguete Vulcan.

        Incentivo te a publicares os links que demonstram o que acabaste de dizer!

        Se não percebem do assuntos, pesquisem. Eu quando não sei do que se está a falar ou não tenho nada a acrescenta, simplesmente fico calado…

    • Alfredo says:

      Esses comentarios retrogados nao levam a lado nenhum, felizmente a historia sempre meteu pessoas como voce no lugar. Ou seja dentro do caixote do lixo.
      É uma grande visao de futuro que o grande Bezos quer realizar, provavelmente fora do seu tempo de vida. AO contrario de ti, q so pensas na tua insignificante vida e o teu tempo inutil.

      • Afonso Carvalho says:

        Grande visão!? Talvez já poluimos e destruímos quase todos os habitats na terra bora deixar a lua tbm, depois arranja-se outro planeta qualquer e a saga continua.
        Ideias sim, são bemvindas mas é preciso bom senso, o melhor seria era adaptar a idustria e produção a práticas menos destrutivas e amigas do ambiente, menos uso de recursos fósseis e mais uma data de coisas que não entendo muito bem, mas na base aplicar sempre as melhores práticas de produção na indústria evitando desperdiçios em toda a cadeia de produção até ao consumidor final e mesmo o consumidor final têm um importante papel nesse sentido, vivemos num mundo cada vez mais consumistas porque somos uma raça de ego muito grande.

        • Visco says:

          Sim, grande visão!!! os habitats da terra podem ser recuperados, na lua o impacto até ver, seria minimo para os habitats da terra.
          “Ideias sim, são bemvindas mas é preciso bom senso, o melhor seria era adaptar a idustria e produção a práticas menos destrutivas e amigas do ambiente, menos uso de recursos fósseis e mais uma data de coisas que não entendo muito bem,” pois.. nota-se. Então como sugere fazer isso?
          PS: não é RAÇA Humana, é ESPÉCIE Humana.

      • Cm says:

        Jeff, tu aqui??? Eh, pá, olha, podias começar pela Siderurgia “Nacional”…

  2. Kan says:

    é meio estranho querer habitar a lua ja que suja o mundo todo, como ? vendendo as tralhas da amazon, e nao ter pensado em acabar com os sacos bolha que vem, com um sistema de recolhimento das caixas alexia antigas.

    pedi uns produtos da amazon e veio uns 60 sacos bolhas, e seria mais facil na caixa ter uma espuma biodegradavel de mandioca, ou capa.

    • Luís says:

      Para se produzir mandioca há consumo de água, destruição de hectares de florestas que consomem o co2, emissão de co2 na produção, etc. O biodegradável não é a solução como muitos julgam, ainda por cima com cada vez mais gente a morrer de fome no mundo. A solução é consumires menos, ou seja, consumo responsável.

      • Afonso Carvalho says:

        Agricultura hidroponica e vertical é uma das soluções entre muitas outras possíveis práticas agrícolas e de reutilização dos desperdiçios, evitaria desmatamentos e consequente perda ou destruição de habitats.
        Acho que adaptar as melhores e possíveis práticas em uso seria o mais correcto, mas claro os lobby’s é que empurram a economia para cima e toda a natureza e biodiversidade para baixo.

  3. Paulo says:

    Completamente doido varrido.
    Boa ideia era colocar toda a gentinha podre deste Mundo, como os Políticos corruptos, mafiosos e Supra Magnatas na lua. Isso sim era solução.
    Vivíamos todos bem melhor.

  4. cat says:

    Quando as pessoas pensam em como ir do Porto a Faro mas nem sequer conseguem passar de Gaia … mas sim … sonhemos com Faro.

    • Wishmaster says:

      lolol Exacto…
      E ainda agora vi a notícia aqui publicada “Jeff Bezos quer criar a primeira colónia lunar até 2023”.
      Estes meninos bilionários gostam é disto. Alimentar expectativas irrealistas. Já estamos em 2020. Três anos não é nada… Penso que o Pplware devia dar mais destaque, por exemplo, aos chineses, pois só falam da SpaceX, Musk e deste artista, quando os chineses andam a trabalhar realmente para que se colonize a Lua ou Marte. Lá de vez em quando falam, mas há muito mais que eles têm feito.

    • IonFan says:

      Continuamos na onda das falácias não é? Sabes que tudo o que foi feito pela primeira vez neste mundo foi feito por alguém que nunca o tinha feito, certo?

  5. Tiago says:

    nao consegui ler tudo.

  6. Tiago says:

    Sera que ele sabe quanto combustivel e gasto para enviar um foguete para orbita da terra? Por norma toneladas de combustivel + oxidante 90% do peso do foguete e o combustivel, salvar o planeta? Quantos foguetes ele precisa para fazer a colonia na lua? O resto do mundo a tentar reduzir as emições de combustiveis fosseis e este a querer queimar biliões de litros de combustivel para fazer um refugio para ele na lua, tem muito dinheiro ele que invista em pesquisa e desenvolvimento de sistemas de captura de co2

    • IonFan says:

      Isso é verdade com a maioria dos foguetes actuais, mas na nova geração e até alguns da era Apollo, tanto o combustível como o oxidante são ou podem ser renováveis. Neste caso concreto do Blue Origin vai ser usado Oxigénio e Metano. O Oxigénio é retirado da atmosfera, já o metano penso que numa primeira fase deve ser fóssil mas no futuro deve ser usada a chamada reacção de Sabatier para o obter de forma neutra.

  7. xoninhas says:

    A única solução possível para salvar a Terra não é compatível com a manutenção da espécie humana. O resto é só treta.

  8. RM says:

    A Terra é a nossa casa, e é linda. Todos deviam trabalhar para a preservar, mas infelizmente começo a ver o que outros já viram há décadas, o “fim” de algo que levou milhões de anos a ser o que é.
    Não há outro lugar como a Terra, e às vezes pergunto-me se somos inteligentes ou mesmo burros!
    O Jeff Bezos que vá ele para a Lua, e desfrute da paisagem sem vida!

  9. Paulo says:

    A muito longo prazo todos temos excelentes ideias para salvar o planeta. O que não temos é recursos financeiros para as tentativas e erros.

  10. Pedro says:

    Economia baseada em recursos é uma das soluções viáveis sem termos de produzir o que quer que seja na lua.

  11. Sonhador says:

    Não foi o primeiro a pensar nisso… Há jogos de exploração espacial que têm essa “táctica” há décadas

  12. luis borges says:

    A Terra nao precisa de salvacao. Já a especie humana precisa de uma revisao profunda principalmente pela “quantidade”. 1 milhao de novas humanos todas as semanas dá que pensar.

  13. Abilio jose Araujo says:

    Espectacular ele sim sabe o k fazer parabéns Jeff bezos

  14. Diamantino Rodrigues Matias says:

    Eis a voracidade humana no seu esplendor. Já deu cabo da terra…a Lua que se cuide….!

  15. Ruy Acquaviva says:

    Não faz o menor sentido levar a indústria pesada para a Lua. Como o próprio nome indica, os produtos da indústra pesada são… pesados. O custo de transportar esses produtos para a Terra, vencendo a gravidade da Lua (que é menor que a terrestre, mas não é inexistente, e principalmente vencendo o atrito com a atmosfera terrestre (pousar na Terra é quase tão custoso quanto decolar para o espaço) seria extremamente custoso. Além disso quem diz que a matéria prima já está na Lua. Uma siderúrgica na Lua exigiria que levássemos para lá o minério de ferro, o carvão e o oxigênio… Um absurdo. Mesmo que se pudesse obter o ferro de asteroides, o custo de ir buscá-los, desviar sua rota e pousa-los na Lua de forma não destrutiva seria proibitivo. E o carvão? Teria que ser obtido da Terra mesmo e a que custo?
    É uma verdadeira ASNEIRA que muita gente propaga por aí por puro desconhecimento e influenciados pela ficção científica.
    Esse pessoal tem que entender que a exploração do espaço não tem paralelo com as grandes navegações dos séculos XV e XVI, que os desafios são outros, as proporções são completamente diferentes e o que o espaço pode oferecer de mais valioso é o conhecimento científico, não aventuras de Star Wars.
    Outro conceito importante é que devemos cuidar do nosso mundo, não sonhar em ir para outro. Por pior que seja a destruição do planeta Terra, por mais que a humanidade destrua o meio ambiente aqui, ainda este será muito menos perigoso e nocivo à vida que qualquer ambiente espacial. Por mais radiação que hipoteticamente houvesse depois de um holocausto nuclear, ainda teria na Terra muito menos radiação que a Lua ou Marte. Por mais contaminada que esteja nossa atmosfera ainda será muito melhor que atmosfera nenhuma como na Lua, ou praticamente nenhuma como em Marte, ou uma atmosfera corrosiva como a de Vênus. A solução é cuidar de nossa casa porque simplesmente não há alternativas.
    Eu gosto muito de ficção científica e “space operas”, mas já estou suficientemente grandinho para saber que é fantasia, que não tem base nenhuma na realidade. Ficar confundindo essas fantasias com a realidade é o mesmo que achar que dragões existem depois de assistir “Game of thrones”.

    • IonFan says:

      Ruy, está a partir de algumas premissas erradas.

      Primeiro a industria pesada aplicada no espaço de pesado só tem mesmo o nome. Na terra os equipamentos são realmente pesados porque é menos dispendioso usar materiais mais pesados do que investir em ligas avançadas.

      Depois a Lua tem essencialmente a mesma composição da terra e, por isso, tem os mesmos minérios. Carvão? Você vive em que século? A siderurgia actualmente recorre maioritariamente a processos eléctricos como a indução para atingir as temperaturas necessárias.

      Acha mesmo que quem está a investir milhões, muitas vezes dos próprios bolsos, como é este caso, não pensou nisto?

      A partir disto a lógica do resto do comentário cai por terra…

  16. antonio lucas says:

    Agora,até os “porcos”querem salvar o planeta,o que o porco não sabe é que não é o planeta que precisa de ser salvo, mas o próprio porco !!

  17. Elizabete says:

    Tenho a opinião de que é contraditório te uma empresa que, digamos, talvez tenha facilitado o consumismo e depois criar um plano para “salvar” o planeta. Acho que tudo começa por reeducar a sociedade, reestruturar a economia, mercado de trabalho, etc. Depois de todo o trabalho aqui, com os pés na terra, podemos pensar em nestes procjetos, depois disso talvez já nem seja preciso porque com certeza tudo estará melhor. É como o nosso próprio desenvolvimento na vida, tudo começa na educação, no que nos rodeia, não temos um plano científico que nos mude, temos de ir à raiz do problema. Mas isto é só a opinião de uma cidadã comum tentando se tornar, acima de tudo, um ser humano bom, como muitos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.