Quantcast
PplWare Mobile

Tags: MIT

Veículos com rodas para exploração da Lua? Isso vai acabar, no futuro os veículos vão levitar

O primeiro veículo elétrico de exploração espacial a pisar solo extraterrestre foi o Lunar Roving Vehicle. Este veículo móvel lunar tinha uma massa de 210 kg e 4 rodas, que permitiram explorar a Lua ao longo de vários quilómetros em volta do pouso da nave Apollo. De lá até aos dias de hoje, os rovers já chegaram até Marte, um já tem hélices, mas os populares têm rodas.

O caminho da evolução destes veículos, peças essenciais enviados pela humanidade a solos de outros planetas e luas, passa não por rolar, mas sim por levitar.

Imagem rover do MIT a levitar na Lua


Bateria com fibra flexível com 140 metros pode ser usada em qualquer dispositivo

Ainda é só um protótipo, mas uma equipa do MIT está a desenvolver uma bateria em fibra flexível que pode ser estendida a vários metros, capaz de se adaptar a qualquer dispositivo vestível ou algo mais complexo, como uma peça impressa em 3D.

Trata-se de uma bateria recarregável de iões de lítio que vem demonstrar que é possível criar baterias em qualquer formato de forma a se adaptarem às mais diversas necessidades.

MIT cria bateria com fibra flexível com 140 metros para carregar qualquer dispositivo


Cientistas do MIT dizem que afinal pode ter sido detetada vida em Vénus…

Nestes últimos anos fomos brindados com muitas informações astronómicas e foram tempos férteis em notícias de possíveis vestígios de vida extraterrestre. Contudo, sempre que há uma hipótese viável, surgem inúmeras outras que colocam em causa a existência dessa vida. Um exemplo dessa realidade passou-se com Vénus. Primeiro apareceram indícios, depois mais tarde conformou-se que poderia haver micróbios na alta atmosfera do planeta… até que se perderam todas essas certezas.

Agora, cientistas do MIT dizem que afinal pode ter sido detetada vida em Vénus.

Ilustração de vida em Vénus referida pelo MIT


Robôs com competências sociais? Em breve, poderão ser uma realidade

Os robôs já estão presentes em inúmeros momentos do nosso dia a dia. Contudo, ainda não os conhecemos no máximo das suas capacidades e, por isso, investigadores querem ir mais além, estando a trabalhar no sentido de dotar os robôs de competências sociais.

Dessa forma, a interação humano-robô será mais suave e positiva.

Interação humanos-robôs


RFusion: Braço robótico que localiza e recupera objetos perdidos

Ultimamente, as invenções do MIT têm dado que falar, não só pela originalidade, mas também pelos ideais e esforço presentes na criação das mesmas. Depois de quererem “acabar com as deficiências“, criaram agora um braço robótico, o RFusion, que poderá vir a ser um assistente doméstico.

Este braço funde sinais de uma antena com a entrada visual de uma câmara para localizar e recuperar um item, mesmo que este esteja completamente fora de vista.

Imagem RFusion do MIT, braço robótico que encontra objetos perdidos